07 – Caça (3)

Após tirar uma soneca no chão, eu me levantei sentido lambidas no meu braço, ao me sentar vi que era Alva lambendo meu braço, parecendo triste.

– Está tudo bem, perdoo você -Assim que disse isso ela ficou muito feliz pulando de um lado para o outro. – Acho que precisamos de um banho…

DP Disponível: 356,270

Mesmo gastando uma parte com o equipamento do Green, eu ainda tinha muito DP graças as conquistas, uma parte foi adquirida da morte dos goblins selvagens.

Olhando o catálogo de itens havia vários itens modernos, eu comprei uma banheira, vendia até mesmo água no catálogo, também comprei alguns produtos de limpeza.

A banheira surgiu do chão, já cheia de água dentro, também surgiram sabonetes e shampoos diferentes, também surgiu um balde.

– Alva venha cá, vamos tomar um banho, Alva veio correndo sentou na minha frente, eu derrubei o balde de água em cima dela, passei shampoo em seu pelo e esfreguei para tirar o sangue preso.

Após terminar ela estava branquinha e cheirosa de novo.

– Pronto terminei… – Olhando para trás, eu vi os demais lobos todos olhando curiosos para cá -Vocês também querem um banho?

Os lobos todos abanaram os rabos e uivaram, assim tive que comprar mais uma dúzia de baldes, depois de dar banho em todos eu tirei os trapos e entrei na banheira, tomei meu banho tranquilamente.

Terminando o banho decide comprar roupas para mim, havia milhares de conjuntos, mas eu queria algo específico a habilidade de criação ainda estava em tempo de recarga e eu não iria utilizar minha preciosa habilidade apenas para roupas.

No catálogo havia diversas abas

[Status] [Monstros] [Equipamentos] [itens]

O [Status] era onde eu lia meus status e dos monstros, [Monstros] era claro o catálogo de monstros disponíveis, [Equipamentos] era para Armas, Armaduras e itens que já estavam prontos para uso e tinham Ranks, [Itens] era onde se podia comprar de tudo, deste ingredientes para equipamentos e criação de monstros, até água e uma banheira.

Colocando mais filtros, mais abas iriam se abrir, depois de um bom tempo de procura achei um conjunto adequado.

[Conjunto do Rei Negro]

Rank: A+

75.000DP

O Conjunto parecia uma roupa moderna, uma blusa cinza de manga curta feita de pele de Serpente anciã Rank: B+

Um colete preto curto e flexível com resistência a magia feito de lã de um Demônio Animalesco de Rank A

Um short preto com aparência de jeans, couro de Wyvern Rank: B- revestido de mana puro

Um par de sapatos confortáveis feito de tendões de Cabrito montanhês Rank C-

O conjunto completo e unido vinha com uma magia Rank A+ Proteção do Rei negro, um feitiço de defesa surreal.

Colocando as roupas houve um UP instantâneo na minha força, apesar destas roupas não serem voltadas para o combate ainda foram feitas de matérias de grande qualidade, o melhor de tudo era a flexibilidade e conforto que elas me proporcionavam.

As roupas também permitiam que meus ataques tivessem efeitos de degeneração graças ao poder demoníaco e o veneno da serpente.

Eu invoquei um espelho depois de colocar as roupas e estava muito bem, o custo valeu a pena, agora estava na hora de olhar os goblins.

O grupo de goblins já estava saindo da masmorra, havia 70 goblins e o Green, eles saíram da masmorra pela primeira vez na vida, o lado de fora era similar a dentro da masmorra, a única diferença era o Sol brilhante no céu.

Dentro da masmorra e iluminação era feita por pedras brilhantes, se essas pedras fossem tiradas das paredes se tornavam rochas comuns, elas eram simplesmente mana concentrada em uma parte para criar Luz.

Os goblins saíram e logo atraíram um javali, sobre comando do Green os goblins comuns levaram o javali para uma armadilha, onde ele foi bombardeado pela magia dos xamãs.

Eles ficaram felizes e comemoraram, então voltaram com o cadáver para a Masmorra, alguns dos goblins comuns queriam atacar e comer a carne, mas Green os impediu, Green cortou o estômago e deixou os órgãos do javali saírem pro lado de fora.

Os goblins se esconderam nas arvores com pedras na mão, alguns tentaram fazer barulho, mas foram rapidamente calados pelos xamãs, o plano estava começando a fazer efeito, pequenos animais começaram a aparecer, eram raposas e algumas aves, assim que pousavam eram mortas pelos xamãs, sua carne era levada para dentro da masmorra, até que finalmente o alvo principal surgiu, um pequeno grupo de Ratkas surgiram. Ratkas eram ratos gigantes, se alimentavam de carne e ovos, eram monstros de Rank F-

Para lutar contra eles foram enviados um grupo de 5 goblins, os goblins estavam armados com lanças de madeira, eles pegaram dois Ratkas de surpresa elimando eles facilmente, o ultimo acabou desviando e saltando mordendo um dos goblins no braço, mas logo depois foi eliminado.

O goblin atacado teve o braço quebrado pela mordida do Ratkas, claro green utilizou magia de cura e o mandou de volta para a masmorra, eles continuaram nesse processo durante algumas horas.

No final eles tiveram bastante comida para todas as vilas, a comida foi dividida igualmente entre as vilas, green subiu para a sala do trono para me dar um relatório, apesar de eu ter visto tudo o que ocorreu para uma boa administração era necessário saber todos os projetos, no futuro não poderei me preocupar com a caça do primeiro andar, irei designar alguém para lidar com esses assuntos.

Pelo relatório apenas 1 goblin azarento acabou morrendo, os goblins normais agora tinham uma média de nível 12 os xamãs já haviam passado do nível 50.

– Mestre, nós iremos continuar com esse processo todos os dias? – Green perguntou.

– Não é apenas por agora, logo irei invocar Ratkas dentro da masmorra, mas quero que vocês continuem a caçar do lado de fora a maneira com que vocês iram fazer isso não importa para mim

-Entendo mestre, gostaria de mais alguma coisa?

-Não pode se retirar. – Green se curvou e saiu, logo eu estava sozinho na sala do trono, eu havia liberado Alva e os demais lobos para caçar goblins selvagens, os números de DP subiam de pouco em pouco, com 2 andares eu provavelmente estaria ganhando 10 de DP por hora Naturalmente, estava na hora de eu sair por mim, mesmo para olhar ao redor.

Apenas pensar nisso me causava calafrios, apesar de ter morrido a pouco tempo não desejava morrer de novo, enquanto viajava em pensamentos fiquei feliz, o tempo de recarga do caldeirão havia terminado.

Comentários