10 – Lado de fora (3)

A meia Orqui falou algo com as outras, a menor delas se aproximou.

– É… que… – Ela parecia querer falar algo comigo.

– O que foi? – Eu perguntei.

– Você tem alguma pedra de mana… eu preciso para realizar a magia – Ela parecia ser bem tímida, vasculhei minhas coisas.

– Aqui está. – Eu entreguei a pedra de mana de um goblin.

– Irei… começar – Ela colocou a pedra na mão e fechou o punho, colocando a outra mão estendida sobre Alva, ela começou a fazer um encantamento, após alguns minutos uma luz verde começou a surgir da sua mão, o incrível era que os ossos da pata começaram a voltar ao lugar.

Após mais alguns minutos Alva acordou, ela me olhou e me deu algumas lambidas, nesse momento eu cai no chão, meus músculos estalavam, decidi abaixar a guarda um pouco.

– Obrigado por ajudá-la – Eu agradeci para ela, ela apenas acenou com a cabeça e voltou para perto das suas irmãs.

Eu continuei deitado um tempo no chão, descansando junto de Alva, depois de descansar um tempo procuro pelas Meias Orquis.

Eu as vi carregando os corpos de alguns Orquis e de uma outra Meia Orqui, elas pareciam querer enterrar seus corpos, elas estavam tendo muita dificuldade em cavar apenas com alguns pedaços de madeira.

Mesmo assim elas não paravam e mantinham uma expressão séria, continuando a cavar e carregar os corpos pesados.

– Alva vamos ajuda-las. – Alva latiu para mim e foi correndo na direção das Meias Orquis, elas se assustaram em primeiro instante, mas logo se acalmaram depois que Alva pulou no chão e começou a cavar rapidamente.

Eu fui ajudar a meia Orqui de cabelos rosados a carregar os corpos, ela estava puxando um Orqui enorme pelos braços, eu cheguei e levantei suas pernas, ela pareceu surpresa, mas não disse nada, assim continuamos levando um por um.

Após terminar as Meia Orquis fizeram algum tipo de funeral, as de cabelo loiros não aguentaram e começaram a chorar, apenas a de cabelo rosa se manteve firme apoiando as outras.
Já estava de noite, voltando para a vila as irmãs mais novas dormiram rapidamente, eu montei uma fogueira e após muito esforço consegui acender, antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, ela começou a falar.

– Eu agradeço por salvar as minhas irmãs e eu, além de nós ajudar enterrando minha mãe e nossos irmãos. – Ela parecia profundamente agradecida.

– Não tem problema, mas agora me diga… o que aconteceu aqui? – Eu precisava descobrir o mais rápido possível o que ocorreu aqui, para me preparar caso fosse a loucura ou envelhecimento do Rei Orqui.

– Você realmente precisa saber? – Ela parecia relutante em contar.

– Dependendo do que ocorreu, eu posso estar correndo um grande perigo, então sim. – Eu realmente preciso dessas informações.

– Está bem, mas não conte nada para minhas irmãs, elas podem perder a imagem que tem da nossa mãe. – Ela então contou sua história.

Como imaginei… mais norte existe um enorme Reino Orqui, a mãe delas parecia ser uma Meia Orqui também, como não tinha parentesco com o próprio Rei, ela era uma das favoritas dele, 20 anos atrás, ela acabou se encantando com por um Orqui nobre, eles tiveram apenas uma noite, mas isso era um grande Taboo.

Então ela acabou nascendo, a única meia Orqui de uma linhada de Orquis comuns, pouco depois, ela acabou tendo outra linhada com o Rei onde nasceram dessa vez 4 Meia Orquis, assim ela conseguiu ocultar o nascimento dela durante um bom período de tempo.

Até que os cabelos delas começaram a ficar rosados, demonstrando que, ela não era filha do Rei, sua mãe então decidiu fugir com as filhas e outros vários Orquis comuns para essa floresta, a poucos dias ele apareceu junto de dezenas de Orquis.

O mesmo Orqui nobre que engravidou a mãe delas, eles tentaram lutar, mas acabaram perdendo, parece que um dos Orquis irmãos dela, contou para ele do fato de que ele tinha filhos, isso o fez trair o Rei, então ele perseguiu a mãe delas para poder construir um exercito próprio e se tornar Rei.

A mãe delas não queria voltar a ser apenas uma incubadora de novo, após ficar livre durante anos, então se suicidou, logo depois eu cheguei e salvei elas do destino de se tornarem incubadoras.

Orquis tinha grandes desejos sexuais, mas a maioria não era capaz de engravidar uma mulher, como necrófilos e proibidos de se relacionarem com mulheres vivas, a maioria nunca descobre se é capaz ou não de ter filhos.

Um Orqui nobre traindo seu Rei era algo perigoso, o rei já estava sofrendo, mas eu ainda tinha tempo para lidar com ele, pelo que vejo ele também estava muito longe daqui, então haveria outros Reinos na luta contra ele.

– Eu sei que é egoísmo da minha parte, mas eu vi pelo que minha mãe passou sendo um incubadora, não desejo o mesmo para minhas irmãs.

As jovens mulheres que eram sequestradas ou nasciam no Reino Orqui, eram ensinadas de que se tornar uma incubadora era algo bom, mas isso era um destino horrível, em um reino Orqui não seria tão ruim, mas ser obrigada a ter relações com um monstro e engravidar dele a vida toda.
Olhando para ela percebi que ela havia visto coisas horríveis, provavelmente para esconde-la, a mãe sempre a manteve por perto, então ela presenciou os tenebrosos métodos por qual uma mulher passa para conseguir acasalar com um monstro.

– Isso não importa, você está bem? – Eu não estava preocupado se ela estava sendo egoista, as irmãs dela poderiam pensar que isso era algo bom, mas ela estava apenas salvando-as de um destino pior que a morte, o peso em suas costas deveria ser enorme.

– Sim, eu tenho que ser forte. – Ela dizia isso, mas seu rosto mostrava outra coisa, nesse momento eu me movi rapidamente e abracei ela.

– Você é forte. – Eu disse isso em seu ouvido, logo senti as lágrimas no meu ombro, alguns minutos depois ela parou de chorar.

– Obrigada, obrigada por tudo.
Olhando para o seu belo rosto e aqueles lindos cabelos rosas, eu comecei a suar, como meia Orqui seus corpos eram rechonchudos, não de uma forma ruim, elas tinha grandes coxas, um belo par de seios e uma bunda incrível.

Minha parte goblin estava começando a aflorar… eu rapidamente me soltei dela e virei de costas, para salvar minha honra.

– Você está bem? – Ela perguntou.

– Claro, claro, só está meio quente aqui – Meu amiguinho já estava pulando das calças

– Está bem… vou dormir um pouco – Ela bocejou e se virou para dormir junto das suas irmãs, eu me senti aliviado, até olhar para frente e ver Alva me encarando com uma expressão feia.

Eu acabei não dormindo naquela noite, pois fiquei tentando me desculpar com alva.

Comentários