00 – Prólogo

Lá estava eu, sentado no meu trono, um exercito de monstros retornavam, trazendo consigo os espólios da última batalha, finalmente eu completei o objetivo da maioria dos clãs, eu não apenas completei como passei por cima.

Os clãs em sua maioria desejam conquistar um continente, eu sozinho acabo de destruir completamente um. Os clãs e Guildas me odeiam por essa razão, eles se movem juntos para e trabalham para serem os primeiros e eu sempre destruo seus objetivos

O primeiro a destruir um continente…

O primeiro a destruir um reino…

O primeiro a destruir uma cidade…

O primeiro a matar um boss…

O primeiro a matar um cavaleiro…

Mas de todas essas conquistas eu me orgulho de apenas uma, é engraçado me ver destruir tudo, enquanto os clãs tentam dominar e conquistar terras.

O que devo fazer a seguir? Acho que vou tentar criar uma nova espécie de… – Eu estava perdido em pensamentos, falando comigo mesmo como um louco, quando senti um tremor forte.

O senhor está bem? – Uma das minhas leais servas aparece para me ajudar, ela está se equilibrando bem, parece que esse tremor é apenas comigo.

Será um veneno ou alucinação? Não, eu sou imune a venenos, dentro desse salão alucinações também são ineficazes.

Um tremor, será que é o regulador de equilíbrio? Não essa máquina é feita para ser perfeita isso nunca poderia ocorrer, muito mais comigo, Luke o maior jogador do mundo.

O tremor continuou, cada vez mais forte, senti minha mente queimar, não aguentando eu decide sair do jogo.
Abrindo meus olhos a cápsula ainda não havia sido aberta, eu estava preso, havia fumaça saindo do lado, eu girava de uma lado para o outro, o regulador havia mesmo quebrado, isso era ruim, eu bati e gritei, mas ninguém ouviu, morar sozinho era bem complicado nessa situação.

Com a fumaça entrando e o vidro impedindo sua saída, eu iria morrer em pouco tempo, não havia muito a fazer, com meus conhecimento médicos não conseguiria durar nem mais alguns minutos.

A máquina girava cada vez mais rápido, mesmo assim eu não sentia enjoo ou tontura, pelo menos minha morte será indolor, eu apenas ficava pensando nos meus servos dentro do jogo, muitos tratavam os Npcs apenas como robôs, mas para mim é diferente, eles eram como uma família, sua inteligência virtual os fazia serem o mais similares possíveis com seres vivos, mas isso não apagava o fato deles ainda não serem reais.

Eu apenas queria que esse jogo pudesse ser real, que eu pudesse levar isso comigo, pelo menos minha morte será indolor! – Era isso que eu pensava, mas pelo jeito eu estava errado, antes de morrer intoxicado por gás carbônico, a aceleração fritou a maquina e tudo explodiu comigo dentro.

Doeu para caralho, mas eu ainda estava feliz e mantinha meu maior orgulho marcado dentro do servidor.

[O primeiro a destruir uma masmorra, Luke ]

[Conquista: Classe Dungeon master]

No outro dia eu também fiquei conhecido por outro motivo, a primeira pessoa a morrer dentro de uma máquina de realidade virtual, graças a minha morte descobriram e consertaram o erro, logo outra pessoa ocupou o cargo de melhor jogador.

Mas isso não importava mais para mim, eu já estava em outro lugar, um lugar bem longe…

Comentários