Magusgod: Boa madrugada pessoal: )

Aqui começa um novo arco de arcádia a partir da versão reescrita. Boa parte dos capítulos serão original, não tendo na versão antiga. Espero que curtam esse capítulo, se possível deixem sua opinião sobre o que acharam do capítulo.


A Cidade dos Aventureiros, Al-Markhen! (1 Parte)

 
O sol já nascia atrás dos picos altos dos caninos branco, lançando os primeiros raios de luz solar sob as colinas verdejantes, quando um grupo de quatro pessoas, montadas a cavalo, deixava o vilarejo boenia.

O grupo seguiram por uma estrada que estendia-se para o norte, serpenteando entre as colinas verdejantes, terreno acidentado, desaparecendo dentro da densa floresta. Aonde depois de um longo percurso pela floresta de pinheiros altos, começava as planícies de vegetação rasteiras, pequenas árvores e arbustos áridos.

Após cinco dias cavalgando pela estrada na planície, parando apenas por descansar durante a noite, Arthur logo avistou uma monstruosa estátua, erguendo-se mais de 20 metros de altura. A estátua de pedra tinha a forma élfica, braços esticados para frente, segurando majestosos arcos com a ponta da flecha apontado para o norte. Seus olhos pareciam quase vivos, olhando atentamente para o norte, vigilante, como se estivesse aguardando por algo.

Ao longo da planície avistou inúmeras sentinelas de pedra parecidas, mas de raças diferentes, portanto uma variedade de armas, olhos e armas voltados para o norte, como se a qualquer momento fossem ganhar vida e entrar em uma batalha.

As sentinelas de pedra tinham marcas do vento e do tempo, algumas estavam parcialmente destruídas, outras pareciam ter sido esculpidas não muito tempo atrás. Mas Arthur sabia que aquelas sentinelas de pedra eram muito mais antigas do que podia imaginar.

―Essa é a planície dos mil heróis ― disse Liz, cavalgando ao seu lado. Seu olhar era repleto de respeito e veneração. ―Após a era do caos, quando Arcádia estava preste a ser invadida por uma horda de monstros vindos das terras desoladas do norte. Arthorios, o Virtuoso Sábio da Alvorada Branca, junto com mil bravos aventureiros, lutaram heroicamente por dias contra a horda, rechaçando-os de volta para as terras desoladas. Em homenagem daqueles que sacrificaram sua vida na batalha, Arthorios ergueu com sua magia essas sentinelas de pedras.

―De acordo com os contos, Arthorios colocou um feitiço nas sentinelas de pedra ― disse Samson entrando na conversa. Ele estava montado em um corcel preto, cheio de vigor. Ele estava equipado com um conjunto de armadura de aço completo, tão polido que brilhava como prata. Sua capa preta tremulava pelo vento que soprava com força nas planícies. ―Se um dia uma horda de monstros voltasse atacar novamente, os sentinelas de pedra despertariam de seu seu repouso, lutando uma última vez pelas raças de Arcádia.

Para Arthur que viveu no remoto vilarejo Boenia, tudo era novo e cada história instigava sua sede por conhecimento. Além de técnicas de esgrima e feitiços, Arthur não sabia quase nada sobre esse mundo.

―Terras desoladas do norte? ― Arthur perguntou, curioso.

―É um lugar de merda, caótico, infestado de monstros, aonde a morte está em cada canto ― respondeu Milaine, olhando para o sol que já estava mergulhando no oeste, colorindo o céus com luzes vermelhas e laranjadas. ―Aquela terra e o lugar mais próximo de um inferno que existe em Arcádia. Enfim, não quero cavalgar por essas planícies durante a noite. Vamos acampar próximo daquela estátua de um guerreiro anão.

Seguindo Milaine, deixaram a estrada cavalgando até uma sentinela de pedra em forma de um guerreiro anão, segurando um martelo de guerra. Levantaram tendas embaixo da sentinela de pedra e criaram uma fogueira para protege-los do frio cortante da noite.

O sol tinha se posto, deixando o céu noturno ornamentado por uma grande lua, iluminando a planície dos mil heróis com sua luz pálida. Arthur recolheu-se para mais perto da fogueira, estendendo as mãos para o calor agradável das chamas. Apesar de ter uma grande tolerância ao ar frio noturno, gostava do calor aconchegante emitido pelas chamas.

O fogo crepitava e estalava a lenha, enquanto Samson afiava a lâmina da espada bastarda, como estivesse acariciando um animal de estimação. Milaine virava os espetos de carne gordurosa, exalando um delicioso aroma que instigava seus estômagos. Sentada do outro lado, abraçando seus próprios joelhos, estava Liz, fitando distraidamente com seus grandes olhos azuis o bruxulear das chamas.

Arthur olhava atentamente para a pequena fada, perdida em seus próprios pensamentos, com uma expressão melancólica em seu rosto.

―Por que você faz uma expressão tão triste, fada?

―Foi em uma noite como essa, há muitos anos atrás que a aldeia que eu vivia foi atacada pelos humanos ― Liz respondeu momentos depois, saindo de seu devaneio. ―Eu vivia em uma aldeia de meio-elfos e outras raças feéricas. Era um lugar animado e cheio de vida, longe das cidades humanas ― alegria brilhava em seus olhos, mas logo o brilho de alegria foi substituído por tristeza. ―Minha família, amigos, todos foram queimados juntos com a aldeia…Tanto tempo se passou, que mal me lembro dos rostos daqueles que amei….Mas, quando olho para as chamas, às vezes posso ouvir suas vozes, seus rostos, gritando…É a única lembrança que tenho deles.

Liz contou sua história como se não fosse nada, sem derramar uma única lágrima. Arthur procurou palavras de conforto, mas sabia que naquela situação palavra nenhuma teria efeito em sua pequena fada. Então, ergue-se, reunindo toda coragem que tinha andou até a Liz, sentando ao seu lado, abraçando-a.

―O que você pensa que está fazendo? ― perguntou Liz, voltando a si.

―Não é obvio? Eu estou te confortando, pequena fada! ― exclamou com um sorriso radiante, sentido o calor aconchegante de Liz. ―Como seu futuro, não muito longe, marido. É meu dever te consolar nesses momentos de tristeza, não é minha fada?

A tristeza em seu coração foi se dissipando pelas palavras desenvergonhadas de Arthur. Sentindo o calor do abraço do jovem ao seu lado, não pode evitar de sentir seu coração movido. E também, as maçãs de seu rosto e orelha, estavam vermelhas de vergonha.

―Quem é sua fada? ― esguichou ela irritada, libertou-se do abraço de Arthur e caminhou até sua tenda. Mas de repente parou, virou-se para ele com os punhos apoiados em sua cintura, ela falou: ―Marido? Você? Humpf! Vá sonhando!

Dizendo isso, ela girou sobre os calcanhares e deixou a fogueira, rebolando graciosamente. Antes de entrar em sua tenda, com mãos ágeis e rápidas, pegou um dos espetos prontos na fogueira.

Vendo que Liz havia voltado ao seu comportamento normal, Arthur apenas riu sem se importar com suas palavras.

―Eu, como sua mãe, tenho um único conselho: desista.

Por um longo tempo imperou o silêncio, até ser quebrado pelo som das chamas crepitando por causa da cordura da carne que pingava no fogo.

―Por quê?

―Apesar de sua atitude arrogante, muitas vezes fútil, a porcaria da mente dela funciona igual ao de um maldito elfo. Você sabe que Liz é mais velha do que aparenta, mas sabe o quanto mais velha ela realmente é?

―Eu não me importo.

―Oh, você pode não se importar, mas ela sim. Eu conheço muito bem aquela anãzinha. Acredite em mim, é mais fácil você conquistar o amor de uma lâmia do que ganhar o amor de Liz. O último homem que cortejou ela, morreu de velhice sem conseguir um único beijo se quer….

―O amor supera tudo, mãe! ― empertigou-se Arthur, interrompendo-a.

―”O amor supera tudo”, que frase mais inspiradora e corajosa! Pode esse tal “amor que supera tudo”, superar o puxão de orelha que vou dar em você? Agora pare de falar e me escute! Se me interromper mais uma vez vou puxar sua orelha até ficar parecido com a orelha de um elfo! Entendeu?

Instintivamente Arthur escondeu seus ouvidos com as mãos. Ficou lá parado, olhando para Milaine sem dar um único pio.

―Eu não falo por mal, Arthur. Apesar de você ser maduro e decisivo, ainda não passa de uma criança. Daqui alguns anos você se tornará um belo rapaz que irá fazer uma multidão de jovenzinhas suspirar apaixonadamente por você. Então, quando chegar esse dia, apaixone-se por uma jovenzinha de seios generosos e quadril largo para dar nascimento a um neto saudável….Enfim, você sabe que estou tentando lhe dizer.

―Vou seguir seu conselho, mãe ― disse Arthur olhando-a com firmeza, então soltou uma risada baixa. ―Mas, antes disso conquistarei Liz.

―Esqueça ela, Liz é como essa grande lua. Pode parecer perto, mas na verdade está muito longe. Ela fechou seu coração para o amor.

Arthur balançou a cabeça e falou:

―Ela é uma mulher, feito de carne, com um coração. Não importa a decisão que ela tomou, mesmo que seu coração esteja fechado para o amor. Tudo que preciso fazer é demolir suas defesas.

―Oh, é fácil falar, mas fazer que é difícil. Conte para mim, filho, como pretende abrir o coração daquela anãzinha?

Para a pergunta de Milaine, Arthur sorriu largamente, respondeu:

―O amor….

Antes que pudesse terminar a frase, Milaine sabia o que ele iria falar e por alguma razão sentiu vontade de puxar a orelha de seu filho teimoso. É foi o que ela fez. O amor talvez pode superar muitas coisas, mas era completamente ineficaz contra o puxão de orelha de uma mãe.

Samson, ficou quietamente afiando sua espada. Rindo. Divertindo-se com a cena daquele jovem mago poderoso sendo repreendido por sua mãe.

Após ter suas orelhas puxada por Milaine, ele recolheu-se para sua tenda. Sentado na posição de meditação, Arthur iniciou a Arte Mágica de Refinamento de Energia Demoníaca, absorvendo a energia mágica do ar, refinando-a em energia demoníaca, por fim circulando pelos canais de energia de seu corpo, fortalecendo sua bloodline demoníaca.

Para Arthur quebrar através do 1º nível do reino demonificação, foi rápido e fácil. Para romper através do segundo 2º nível foi mais difícil. Para romper o 3º nível precisou do triplo de energia e esforço. Agora para romper para o 4º nível do reino da demonificação, sabia que precisaria de meses de refinando a energia demoníaca.

Ao passar de cada nível seu corpo recebia melhoras na capacidade físicas e sensoriais. Sua bloodline demoníaca estava despertando lentamente, revelando um pouco de seu verdadeiro poder.

Arthur não sabia como explicar, mas ao sentir pela primeira vez a energia demoníaca circulando por seu corpo, sentiu como se algo que tivesse perdido finalmente havia sido recuperado.

―Nesse ritmo eu levarei anos para quebrar através do primeiro reino para o segundo, transcendendo para um arquidemônio ― murmurou para si mesmo. ―De acordo com as informações dessa arte mágica de refinamento, posso utilizar almas para refinar em energia demoníaca. Através desse método levaria apenas alguns meses para chegar até o segundo reino….Contudo é completamente desumano….Mas, se eu for atacado por pessoas más, não tem problema em eu refinar suas almas, certo?

Aprofundando seu conhecimento na arte mágica de refinamento, descobriu que poderia refinar outros tipos de energia também. Pedras mágicas, gemas elementais e outros tipos de objetos que contenha energia pode ser refinado.

―Melhor não pensar muito nesse assunto por hora ― disse para si mesmo. ―Tudo que posso fazer por hora é refinar.

Deixando todos pensamentos de lado, aprofundou-se no processo de refinamento. Circulando energia demoníaca, seu corpo começou irradiar para cima uma tênue luz escura, envolvendo seu corpo em um manto de trevas.

Na manhã seguinte, levantaram cedo, após um leve café da manhã e reajustar a cela de seus cavalos, continuaram cavalgando rumo a cidade dos aventureiros, Al-Markhen.

A viagem seguiu tranquilamente até encontrarem problemas. Parado no meio da estrada dentro de um bosque, havia um comboio de carruagens tombada sendo atacada por uma grande alcateia de lobisomens.

―Finalmente alguma ação! ― exclamou Milaine animadamente, instigando seu corcel seguir em frente a toda velocidade, empunhando língua de dragão com uma única mão.

―Vá ajudar minha mãe! ― disse Arthur para Samson. ―Eu e Liz vamos dar suporte da retaguarda.

Samson assentiu e partiu em direção a alcateia de lobisomens, iniciando uma batalha sangrenta.

Olhando para os lobisomens, Arthur não pode evitar de sorrir.

Suas almas são minhas! Pensou Arthur em seu coração.

Comentarios em AUMDA arco 2: Capítulo 1



15

Índice×

  1. 1
    Nova Vida!
  2. 2
    Liz a Druida
  3. 3
    Batalha nas cordilheiras (1 parte)
  4. 4
    Batalha nas cordilheiras! (2 Parte Final)
  5. 5
    Técnica de Qi? Lilith? Azura? (1 Parte)
  6. 6
                                  Técnica de Qi? Lilith? Azura? (2 Parte Final)
  7. 7
    AUMDA: Aviso sobre lançamento
  8. 8
    AUMDA: Capítulo 7
  9. 9
                            Crise dos elfos negro (Parte 2)
  10. 10
                                          Crise dos elfos negro (Parte 3 final)
  11. 11
                                            Ascensão (Parte 1)
  12. 12
                                        Ascensão (2 Parte final)
  13. 13
    Viajando para as terras desoladas do norte!
  14. 14
    Antes da batalha!
  15. 15
    Batalha de um demon lord e um rei bruxo! (1 Parte)
  16. 16
    Batalha de um demon lord e um rei bruxo! (2 Parte final)
  17. 17
    Segredo dos elfos negro e planos para o futuro!
  18. 18
    Intermissão
  19. 19
    Três anos depois (1 parte)
  20. 20
    Três anos depois (2 parte final)
  21. 21
    A procura pelos anões!
  22. 22
    Sobre AUMDA e HDUM
  23. 23
    Um monstro chamado Milaine!
  24. 24
    A jovem rainha! (1 Parte)
  25. 25
    A jovem rainha! (Parte 2)
  26. 26
    A jovem rainha! (3 Parte final)
  27. 27
    Reencontro impossível! (1 Parte)
  28. 28
    Reencontro Impossível!(2 Parte Final)
  29. 29
    A caminho de Ryfhel! (1 Parte)
  30. 30
    A caminho de Ryfhel! (2 Parte Final)
  31. 31
    Ryfhel, a mais gloriosa cidade de Arcádia!
  32. 32
    Jantar com a família real! (1 Parte)
  33. 33
    Jantar com a família real!(2 Parte Final)
  34. 34
    Antes do torneio
  35. 35
    Vencedor!
  36. 36
    Intermissão
  37. 37
    Tempo de guerra!(1 Parte)
  38. 38
    Tempo de guerra! (2 Parte)
  39. 39
    Tempo de guerra!(3 Parte final)
  40. 40
    Bloodbath! (1 Parte)
  41. 41
    Aviso importante HDUM
  42. 42
    Bloodbath! (1 Parte)
  43. 43
    Bloodbath! (2 Parte Final)
  44. 44
    Nascimento de um rei demônio!
  45. 45
    Epílogo
  46. 46
    Aviso sobre AUMDA!
  47. 46
    Prólogo
  48. 47
    Nova Vida!
  49. 48
    Arquimago da Névoa Congelante!
  50. 49
    Ars Goetia!
  51. 50
    Aprendendo a lançar feitiços!
  52. 51
    Intermissão
  53. 52
    A Druida! (1 Parte)
  54. 53
    A Druida! (2 Parte Final)
  55. 54
    Duelo Mágico! (1 Parte)
  56. 55
    Duelo Mágico!(2 Parte)
  57. 56
    Duelo Mágico! (3 Parte Final)
  58. 57
    Intermissão 2
  59. 58
    Batalha nas Cordilheiras! (1 Parte)
  60. 59
    Batalha nas Cordilheiras! (2 Parte)
  61. 60
    Batalha nas Cordilheiras! (3 Parte Final)
  62. 61
    Epílogo
  63. 62
    A Cidade dos Aventureiros, Al-Markhen! (1 Parte)
  64. 63
    Viagem Para a Cidade dos Aventureiros! (2 Parte)
  65. 64
    Viagem Para a Cidade dos Aventureiros! (3 Parte Final)
  66. 65
    Separação!
  67. 66
    Entrando em Al-Markhen e Curando a Jovem Espadachim!
  68. 67
    Guilda dos Aventureiros! (1 Parte)
  69. 68
    Guilda dos Aventureiros! (2 Parte Final)
  70. 69
    Akai Ito, O fio Vermelho do Destino!
  71. 70
    Intermissão