iLivro

Guilda dos Aventureiros! (2 Parte Final)

 

 

 

 

A funcionária Olivia trabalhava como recepcionista da Guilda dos Aventureiros desde que havia completado quinze anos de idade. Ela nasceu e foi criada na cidade de Al-Markhen, assim como maior parte dos funcionários da guilda, era filha de ex-aventureiros que moravam na fabulosa cidade dos aventureiros.

Nesse trabalho era essencial ter uma boa aparência e um sorriso amável para receber todos, mesmo os grosseiros que adoram arrumar confusão. Agora, com quase 20 anos de idade, havia visto todos tipos de pessoas entrar e sair por aquelas portas: filhos de camponeses que sonham em ser heróis; filhos de nobres que procuram uma vida de aventuras; guerreiros que procuram afiar suas espadas derrotando poderosos monstros; e principalmente pessoas que fogem de seus países de origem por vários fatores, na procura de uma vida melhor.

De todos aquele que se tornavam aventureiros, grande parte havia perdido suas vidas em calabouços ou na garra de terríveis monstros.

Ser aventureiro era uma profissão de liberdade e que pode enriquecer um homem em poucos anos. Mas, era igualmente uma profissão cheio de risco. Quando maior fosse a classificação de um aventureiro, maior seria os risco que ele enfrentaria em cada missão.

Não era incomum haver brigas no salão principal. Mas, nunca em seus sonhos mais selvagens teria previsto tal resultado. É agora lá estava aquele jovem de garoto de mantos preto, olhos cinzentos, diante dela, esforçando-se para sua cabeça ficar acima da alta bancada.

― Seja bem vindo à Guilda dos Aventureiros! ― saudou Olivia, sentada atrás da bancada, com um sorriso no rosto. ― Em que posso ajuda-lo?

― Eu e meu amigo ― respondeu Arthur apontado para Samson. ― Queremos nos registrar como aventureiros.

Olivia olhou preocupadamente por um momento para Arthur. Apesar de não haver nenhuma regra proibindo registro de uma criança daquela idade, nunca houve antes um registro de uma pessoa inferior a idade de quinze anos de idade.

Em qualquer outro caso, Olivia teria aconselhado aquele jovem a desistir da ideia de ser aventureiro, mas nesse caso ela não poderia falar nada. Por que ela havia testemunhado pessoalmente aquele garoto de manto preto derrotar um aventureiro veterano classificado prata.

― Certo ― disse ela após voltar aos seus sentidos. Abriu uma das gavetas, retirando um formulário de inscrição e documento de contrato. Entregou para Samson e Arthur, explicou: ― Para registrar-se como aventureiro é necessário primeiro preencher o formulário de inscrição. Caso não saibam ler e escrever, pagando uma pequena taxa de 5 moedas de bronze, posso preencher o formulário para vocês.

― Não será necessário, bela senhorita ― disse Arthur com um sorriso, pegando o formulário de inscrição e o documento de contrato. ― Sabemos ler e escrever. É como deve ter testemunhado: sabemos lidar bem com aqueles que tentam nos intimidar.

Olivia assentiu e entregou uma pena e tinteiro. Arthur preencheu o formulário colocando seu nome, idade, raça, cidade natal, profissão e conhecimentos gerais e acadêmicos de acordo com as questões do formulário.

Depois de preencher o formulário leu o documento de contrato. O contrato era bem simples, colocando ênfase no risco de ser um aventureiro. Recompensas e penalidades no caso de cumprimento ou quebra de missão.

O sistema de classificação da Guilda havia chamado atenção de Arthur.

Aventureiros eram divididos em seis ranking: Bronze; Prata; Ouro; Zafira. Diamante e Mithril. Cada missão ou material recolhido a partir de monstros subjugados recebiam pontos de mérito. Para subir de ranking era necessário adquirir certa quantidade de pontos de mérito.

O método para subir de ranking era bem simples: completar as missões e subjugar muitos monstros. De acordo com o documento, cada monstro subjugado e cumprimento de missões, gera recompensa monetária e também ponto de mérito – cada ponto varia dependendo da dificuldade da missão e raça do monstro subjugado.

Para subir no ranking de Bronze para Prata era necessário obter 100 pontos de mérito.

Subir do ranking Prata para Ouro: 500 pontos de mérito.

Subir do ranking Ouro para Zafira: 1000 pontos de mérito.

Subir do ranking Zafira para Diamante: 3000 pontos de mérito.

Subir do ranking Diamante para Mithril: 5000 pontos de mérito.

Classificar-se até o ranking ouro não será tão difícil, pensou Arthur vendo a tabela.Mas, subir de ouro para zafira e as demais classificações requer uma tremenda quantidade pontos de mérito. Mesmo para mim será necessário um longo tempo para me tornar um aventureiro de alto nível.

Arthur assinava o documento de contrato, enquanto lançava olhares discreto para a funcionária. Apesar de não ser uma beleza excepcional como Liz e a jovem espadachim, as sardas em seu nariz tinha um certo charme. Assim como seu sorriso acolhedor, olhos brilhantes, e seu cabelo liso castanho claro amarrado em uma traça.

Ela combinava perfeitamente com a imagem de uma jovem mulher energética.

Ah, como esperado de um mundo mágico! Pensou Arthur soltando um suspiro.Em comparação com a terra, esse mundo está cheio de mulheres bonitas. Mudar meu antigo eu canalha nesse mundo cheio de belezas será um grande desafio.

Após assinar o formulário de inscrição e o documento de contrato, entregaram para a funcionária.

― Por favor, aguarde um momento! ― disse Olivia, deixando a bancada, passando por uma porta atrás da bancada.

Arthur e Samson esperaram por alguns minutos, até Olivia retornar com pingentes com uma placa de bronze com informações básica sobre eles.

Arthur podia sentir uma leve flutuação de energia mágica vinda da placa de bronze.

― Essa é a prova de suas identidades como aventureiros ― explicou Olivia entregando os pingentes para eles. ― No caso de perda, para criação de uma nova placa de identificação custará 3 moedas de ouro, então sejam cuidadosos.

― Obrigado bela senhorita ― agradeceu Arthur. ― Durante o caminho até Al-Markhen encontramos alguns monstros. Com muita dificuldade conseguimos passar por eles, diminuindo um pouco seus números. Nesse caso eles contam como pontos de méritos?

― Se você tiver a prova da subjugação, como a cabeça ou uma parte do corpo do monstro, receberá pontos de mérito de acordo com a raça do monstro e recompensa por sua cabeça.

Arthur assentiu.

Retirou a bolsa mágica pressa nas correias de seu cinturão. Sobre a mesa da bancada, ele retirou de sua bolsa magica várias sacolas ensanguentadas contendo cabeças de lobisomens.

Todo salão foi preenchido pelo cheiro nauseabundo de sangue.

― Teve ter entre 40 à 50 cabeças de lobisomem. Por favor divida a pontuação entre nos dois.

Olivia pegou uma das sacolas, abriu para verificar o conteúdo, intensificando o cheiro de sangue no salão. Ao ver a primeira cabeça de lobisomem raivoso, quase pulou para trás de susto.

― Tantas cabeças de lobisomens….

Olivia lançou um olhar estranho para as sacolas sob a bancada. Nos últimos meses as recompensas por cada cabeça de lobisomem havia aumentando drasticamente. Muitos aventureiros partiam para o covil de lobisomens na floresta dos sussurros, mas até agora poucos retornaram com vida.

― Passamos pela floresta dos sussurros ― esclareceu Arthur. ― Aquele lugar está infestado de lobisomens. Tivemos sorte de sair com vida.

Olivia, com ajuda de outros funcionários, levou as sacolas para outro lugar e começou a contagem das cabeças. Além de fazer a contagem, também estavam verificando se eram realmente cabeças de lobisomens, ou cabeças de lobos gigantes – por causa do aumento de recompensa por cada cabeça de lobisomem, não era incomum um ou outro aventureiro tentar enganar a guilda com cabeças de lobos gigante.

― Huh para ele derrotar tantos lobisomem, aqueles dois são mais forte do que parecem…

― Se eu não tivesse testemunhado a forma que ele derrotou aqueles dois grosseirões classificado prata, eu pensaria que ele estivesse tentando nos enganar ― disse Olivia. ― Aquele garoto se tornará um grande aventureiro.

― Verdade ― concordou um dos funcionário. ― Seus olhos cor de aço me diz que ele é do tipo de aventureiro que se joga diretamente no perigo.

― Para mim aqueles olhos estavam secando Olivia ― disse outro funcionário, rindo. ― Parece que até mesmo o garoto foi encantado por seu charme.

Todos presentes riram.

Olivia ignorou os comentário, continuando a contagem de cabeças. Após terminar a contagem, fez um cálculo rápido e retirou a recompensa pelas cabeças do lobisomem. Quando retornou para a bancada, entregou para Arthur duas bolsas estourando em moedas de prata.

― Cada cabeça de lobisomem vale 10 pontos de mérito e 5 moedas de prata de recompensa. No total há 46 cabeças de lobisomem, resultando em 460 pontos de mérito e 230 moedas de prata. Para subir da classificação Bronze para Prata é necessário obter 100 pontos de mérito. Dividindo os pontos de méritos entre vocês dois é o suficiente para classifica-los como ranking Prata. Por favor me entregue suas placas de identificação.

Os dois devolveram suas placas de identificação para Olivia.

Olivia, segurando um curta varinha de carvalho, sussurrou um encantamento, criando um casulo de luz cromática ao redor das placas de identificação. Em poucos minutos a placa de identificação aos poucos foi transmutado em uma placa de prata bem diante dos olhos de Arthur.

Será que ela está usando terceira camada das Artes Mágica da Transmutação, Minério Conversão? Se perguntou Arthur, curioso sobre o feitiço usado.

― Parabéns pela promoção, respeitável aventureiro! ― disse Olivia com um sorriso nos lábios. ― Vocês devem ser os aventureiros que mais rápido subiram de classificação em toda história da Guilda!

Arthur riu e dividiu a recompensa, dando uma das sacolas com 130 moedas de prata para Samson. O cavaleiro tentou recusar, mas sob a insistência de Arthur acabou aceitando.

Naquele momento Arthur sentiu vários olhares preenchidos com ganancia dirigido para as bolsa repleta de moedas de prata.

― Agradeço ao elogio, senhorita bonita ― disse Arthur, encarando Olivia com seus olhos cor de aço. ― Mas, ao invés de me chamar de “respeitável aventureiro”, me chame apenas de Arthur.

Apesar de seu rosto frio, esse garoto exala um charme sobrenatural quase hipnótico, pensou Olivia.Daqui cinco anos, talvez não exista mulher que conseguirá resistir aos seus galanteios. Sem dizer que ele não será um aventureiro ordinário. Nesse caso é melhor estabelecer um bom relacionamento com ele para poder no futuro desfrutar de alguns benefícios.

― Tudo bem Arthur! ― disse ela com um risinho discreto. ― Nesse caso me chame de Olivia. Se tiverem dúvidas ou precisar vender materiais de monstros, venha diretamente para mim.

― Certo! ― disse ele, deixando a bancada com Samson. ― Estarei contando com você, Olivia.

Deixando a Guilda dos Aventureiros pode sentir vários olhares assassinos em suas costas.

Mulheres, pensou Arthur ao passar pela porta.Essas adoráveis criatura são a causa da ruína de muitos homens. Eu não sou exceção.

Com esse pensamento retornaram sem incidente para pousada os sete gnomos saltitantes.

Comentarios em AUMDA arco 2: Capítulo 7

Categorias