Viajando para as terras desoladas do norte!

1 Parte

Se passaram dois dias desde que Arthur desapareceu misteriosamente.

Liz Barduck foi a primeira a perceber o desaparecimento dele, por não estar sendo assediada.

“…Aonde aquele pirralho se meteu….” Murmurou para si mesmo enquanto bebericava seu chá. Uma cena normal que Milaine e Markus tinha visto ocorrer várias vezes nesses dois dias que se passaram desde desaparecimento dele.

Liz sempre achou Arthur ousado demais, com sua brincadeiras e assédios. Mas, secretamente gostava da atitude dele, seu sorriso, a maneira que ele a olhava, com olhos cheios de paixão – acreditava ela mas eram olhos lascivos.

Nunca antes tinha encontrado alguém que a fizesse se preocupar e desejar por estar perto. Liz tinha conhecido muitas pessoas durante sua viagem com os dragões dançante, mas, nenhum tão cativante quando Arthur.

Esse pirralho, é cheio de charme e carisma, pensou Liz enquanto mexe em uma mecha de seu cabelo dourado.Convencido, ousado……Porque estou pensado tanto nele?

Ela não entendia seus próprios sentimentos. Apesar de ser uma adulta suas experiências românticas eram inexistentes.

“…Se eu tivesse atendido seu pedido e ter tomado banho junto com ele, talvez, ele não teria desaparecido…” Liz lembrou-se que no mesmo dia que desapareceu ele estava vigorosamente tentando a convencer de tomar um banho juntos.

Mas claro que ela não aceitou, apesar que por um momento considerou a possibilidade.

Vendo a jovem murmurando sozinha Markus não pode deixar de soltar um suspiro melancólico. Não suportava mais ver a jovem Liz daquela maneira e Milaine também, apesar dela está mostrando uma face firme diante de Liz, durante a noite ela chora pensando aonde seu filho foi parar.

É pensar que o desaparecimento iria mexer tanto com elas, Milaine eu até entendo, mas a senhorita Liz parece ter perdido um amante. Pensou Markus,mas o que aconteceu com o jovem Arthur?

O desaparecimento de Arthur estava envolto de mistérios.

Naquele momento Milaine levantou-se batendo com as duas mãos na mesa em fúria.

“Deve ter sido aquele bastardo!” Rugiu Milaine.“Só pode ter sido ele, não basta ter nos abandonado, mas também tem que levar meu filho?!”

Liz voltou aos seus sentidos pela fúria repentina dela e perguntou:

“De quem você está falando?”

“De quem mais eu estaria falando?! Aquele bastardo do Allan!!” Ela gritou em resposta.

Milaine estava a ponto de perder o controle de si mesma. Liz sabia o quando assustadora era Milaine quando perdia o controle.

…Berserker celestial…, lembrou-se da habilidade única que Milaine carrega em seu sangue. Uma habilidade assustadora que poderia colocar uma cidade inteira abaixo!

Quando Allan tinha deixado os dragões dançante, Milaine em sua fúria entrou no modo Berserker celestial. Um evento que Liz jamais esqueceria, foi a primeira fez que tinha visto tal transformação e poder aterrador. Se todos membros dos dragões dançante não se unissem para parar Milaine, ela não sabia o que poderia ter acontecido.

“É uma possibilidade.” Disse Liz para Milaine que parecia um vulcão em ponto de erupção.” Allan vem ensinando magia para ele desde que é pequeno, não acredito que seja por apenas ele ser filho dele, Allan deve ter algo em mente para estar ensinando aquelas magias perigosas…’

“Sim, Allan é o tipo de homem que planeja cada passo que dar, ele tinha desaparecido, mas voltou aparecer para Arthur e o ensinar magia….Não só magia, mas magia negra também!! O que ele tem na cabeça?! O que ele está tentando fazer?!” Milaine era pura fúria e a qualquer momento poderia perder a razão e se isso acontecer a vila iria sumir do mapa.

Mas como eu posso acalmar Milaine? Quando mesmo eu não posso encontrar palavras para acalmar meu coração? Se perguntou sentindo seu coração sufocando sem a presença do pirralho que sempre a incomoda com suas brincadeiras ousadas.

Liz iria tentar dizer algumas palavras para acalmar Milaine, mas, de repente o rosto dela se tornou branco como se tivesse perdido todo sangue. Seguindo o olhar dela encontrou uma figura de manto escuro sentado no sofá, tranquilamente como se estivesse em sua própria casa.

“…Desde de quando ele está ai?” Se perguntou pasma, pois aquela pessoa que estava sentando tranquilamente no sofá sem ninguém perceber era Allan.

2 Parte

A raiva de MIlaine foi dissipada por um breve instante e seus olhos se tornaram úmidos. A pessoa que ela amava que tinha desaparecido sem dizer nada há dez anos atrás reapareceu novamente.

O desaparecimento de Arthur tinha mexido com ela, como mãe estava preocupada. Não sabia aonde seu bebê estava ou se estava se alimentado.

Mas agora tudo isso foi soprado para longe com o aparecimento de Allan, sua mente ficou turva e depois de alguns instantes seus lábios tremeram e a vontade de chorar era intensa.

Mas, ela não iria chorar. Não se mostraria como uma mulher fraca diante daquele homem que a abandonou a dez anos atrás.

Em um piscar de olhos Milaine desapareceu e reapareceu diante de Allan o erguendo pelo seu manto e o capuz que escondia seu rosto caiu revelando um rosto de traços nobres e olhos cinzentos iguais de Arthur, não totalmente iguais. Comparados com os olhos cinzas de Arthur os de Allan era uma verdadeira tempestade!

Escondido naqueles olhos cinzentos estava um poder frio e sem precedentes.

“Porque um olhar tão hostil, Milaine?” Perguntou Allan friamente.“Para quem me olhava tão apaixonadamente…”

“Seu bastardo, você ainda quer tentar se fingir de inocente?!” O rosto dela começou a ficar vermelho junto com o aparecimento de algumas veias.

“Ah, você continua bruta como sempre, apesar que eu também gosto da maneira que você está me olhando agora!” Zombou Allan e antes que Milaine perdesse o controle ele falou:“Apesar que de fato eu ensinei ele várias magias sem sua permissão, eu não levei nosso filho, apesar que já pensei em fazer isso várias vezes.”

Ouvindo as palavras dele, Milaine, se acalmou e o soltou.

Antes que pudesse falar qualquer coisas, Liz perguntou com um olhar cheio de ansiedade:

“Você sabe aonde o pirralho está?”

Allan soltou um riso frio ao perceber os olhos cheios cheio de preocupação. Para todos na sala era evidente que Liz estava ansiosa para rever aquele que ela tanto chama de pirralho.

“Não sei sua localização exata, mas, tenho uma noção de onde ele possa estar.” Respondeu vagamente e explicou o que tinha descobrido:“Dias atrás senti um rasgo na camada do tempo é espaço dessa área, pelo rastro deixado para trás descobri de que se tratava de magia antiga, magia de invocação demoníaca….Ou seja alguém usou magia antiga para invocar um demônio e de alguma forma Arthur foi convocado!”

Liz se encostou no sofá com os olhos nublados, pensando no que poderia acontecer com Arthur, um pensamento pior do que o outro, tinha medo que algo acontecesse com ele, com seu adorável pirralho.

Allan continuou:

“Demorou bastante tempo, mas hoje finalmente descobri que Arthur foi invocado nas terras desoladas do norte!” Disse Allan com um certo tom de preocupação.

As terras do norte era uma das áreas mais perigosas de toda Arcádia. Desde a queda do império negro, o norte se transformou em uma terra selvagem regida por reis bruxos e outras criaturas sombrias.

Liz e Milaine não podiam deixar de se sentirem aflitas depois de descobrir que Arthur foi para uma terra tão perigosa.

Milaine começou andar em direção da porta dizendo:

“Vou agora para as terras desoladas do norte!”

Allan riu friamente:

“Como? A cavalo? Uma besta mágica voadora? Quando tempo você acha que levará para chegar no norte?” Milaine parou seus passos dirigindo um olhar cheio de raiva para Allan, mas, não respondeu.“Não sabe? Então deixa eu te falar, mesmo voando em uma besta mágica você levaria meio ano na melhor das hipóteses!”

Todos ali congelaram após ouvir Allan, meio ano era muito tempo. Muita coisa poderia acontecer e meio ano e Arthur poderia estar sendo maltratado ou usado para motivos vis.

Allan soltou um longo suspiro vendo o rosto sombrio de todos.

“Por alguns motivos não posso ir para as terra do norte. Então irei teletransportar vocês para o mais perto possível das terras do norte e de lá vocês irão procurar Arthur, é o máximo que eu possa fazer! Façam seus preparativos, amanhã nos partimos!” Dito isso Allan voltou a sentar no sofá e recolocou o capuz escondendo seu rosto.

Markus e Liz saíram da sala e foram fazer seus preparativos para a viagem.

Milaine lançou um longo olhar e perguntou com olhos marejados:

“Porque?!”

“Porque, você pergunta? Sabe melhor do que ninguém o porque eu tive que partir.” Respondeu secamente.

“Você desapareceu sem falar nada, poderia ter pelo menos ter se despedido!” Lágrimas começaram a descer pelo seu rosto.

“E você teria me deixado partir? Conheço você melhor do que ninguém, me despedir tornaria as coisas mais difíceis!” Allan falou em um tom triste.

Dez anos atrás ele deve que deixar os dragões dançante por motivos que envolvia seu clã, apenas seus amigos mais íntimos sabia o verdadeiro motivo de sua partida. Milaine que carregava seu filho também sabia o porque ele ter que partir e sua verdadeira identidade como demônio.

Lembrando-se dos momentos de vida e morte que passou com seus companheiros não pode deixar de se sentir falta daqueles tempos de liberdade do qual poderia se aventurar em ruínas e ficar do lado daquela mulher de temperamento difícil que passou amar.

Allan não partiu porque ele queria, mas era o melhor a se fazer naquela época. Se ele ficasse com Milaine e Arthur só traria sofrimento para os dois. Foi uma difícil decisão, mas era o certo a se fazer.

Allan ficou absorto em suas lembranças.

De repente Milaine se aproximou até onde ele esta sentando e o abraçou, o pegando de surpresa. Ele foi envolvido em um abraço quente, sentindo o seus braços suaves e ao mesmo tempo firmes de uma guerreira.

“Seu bastardo, sempre fazendo as coisas sem falar nada para ninguém! Sempre carregando toda responsabilidade sozinho em suas costas…Você sempre foi assim, mesmo naquela época….Então pare de atuar….Sei que você não é um maldito bastardo que não se importa comigo!” As palavras de Milaine foram firmes e suaves carregando todo um amor, um carinho que ele gostava.

Para as pessoas em sua volta, Milaine sempre foi a guerreira de cabeça quente que arrumava briga em todo lugar. Mas melhor do que ninguém ele sabia sobre o coração gentil que ela escondia embaixo de uma armadura de ferro. Sabia melhor do que ninguém sobre o quanto ela se preocupava com todos, o quanto ela trabalhava duro para os proteger nas aventuras.

Então ele parou de atuar.

Deixou aquele calor do abraço de Milaine invadir seu coração.

“M-Milaine eu…” Antes que pudesse falar algo, Milaine, o beijou, um beijo vigoroso cheio de paixão mostrando o quanto ela o desejava. Diante daquele beijo cheio de amor o coração dele bateu freneticamente e de bom grato retribuiu o beijo, sentido seus lábios suaves, lábios que trazem o verão e o calor dos raios do sol.

Allan segurou sua cintura fina e a puxou para junto do seu corpo, sentindo o corpo quente de Milaine e gradualmente o aquecendo.

Depois de um longo beijo, seus lábios se separam e Allan começou a rir e falou:

“Quando eu assistia nas sombras nosso filho perseguindo Liz de maneira tão ousada, não pude deixar de lembrar de quando você me perseguia!” Ele riu carinhosamente.” Vejo que Arthur puxou esse lado seu!”

“Você nunca reclamou de quando eu o perseguia!” Ela fez beicinho e completou:” Nosso filho puxo nossas melhor qualidades, minha ousadia e sua inteligência!”

Allan assentiu e voltou a beijar aqueles lábios que tanto sentiu saudade. Milaine pegou sua mão e o puxou dizendo:

“Venha, temos muito o que conversar!” Disse ela com um sorriso sedutor e os dois foram para o quarto passando a noite juntos.

Parte 3

No dia seguinte todos estavam prontos e preparados para viajar para as terras desoladas do norte.

Milaine usava sua armadura verde [Rainha das águias] com seu manto negro. Sua espada pesada de duas [Assobio] como sempre estava em sua costas emitindo um aura esverdeada.

Liz vestia uma túnica branca bordado com fios verdes e dourados com várias folhas de jade, junto com seu glorioso manto azul. A mesma rouba de quando conheceu Arthur, a diferença que dessa vez ao invés de estar usando uma tiara de prata em sua cabeça, ela estava usando uma coroa de louros branco chamado [Elmo do sábio verde] que permite diminuir o tempo de conjuração além de aumentar a força da magia verde – Magia druida.

Já Markus usava uma armadura de couro preto feito a partir do couro de um urso demoníaco negro e em sua cintura duas machadinhas de guerra de cor carmesim que era coberto com uma aura vermelha contendo uma violência desumana. A duas machadinhas eram chamadas [Garras do leão sanguinolento] arma mágica considerado raro e perfeito para guerreiros como ele que é um berserker.

No reino de Lux ele era apenas um cavaleiro, mas desde que quase morreu enfrentando os troll da neve, despertou aquele poder adormecido em seu sangue, um poder que aumentava sua força.

Berserkers em Arcádia são raros, não sabem como se obtém o poder de um berserker. Sábios que estudaram o assunto acreditam que a habilidade berserker vem de uma linhagem sanguínea antiga, das quais se especulam muito as suas origens.

Berserkers era apenas uma das habilidades misteriosa de Arcádia, existia várias habilidades poderosas que as pessoas nasciam é as vezes não sabiam. Pessoas que nascem com essas habilidades únicas, são conhecidos como portadores de habilidades únicas.

Markus tinha despertado naquele dia sua habilidade única – Berserker.

Com tudo preparado Allan surgiu de dentro da casa e não das sombras como ele sempre faz. O capuz escondia seu rosto tornando difícil ver seu alegre sorriso, diferente do habitual sorriso frio.

“Agora vamos partir, fiquem uns próximos do outro!”

Todos se juntaram esperando para serem teletransportados para o lugar mais próximo das terras desolada do norte.

Mas……

“Antes de partimos, devo avisar que a magia de teletransporte é um pouco instável e não será minha responsabilidade se alguém ficar sem uma perna ou braço!” Milaine lançou um olhar de pena para o que se poderia chamar de tentativa de “piada” de Allan, o que não provocou nenhum riso.“Bom eu tentei, apesar de não ser completamente um piada!”

“Oh, então é esse é o lendário Allan, líder dos dragões dançante!” Disse para si mesmo em um tom cheio de adoração.

Como muitos outros Markus cresceu ouvindo histórias sobre a equipe de aventureiros dragões dançante. Mesmo em Lux que via seus atos como vis ao proteger raças não humanas, eles eram bem conhecidos e secretamente admirados por alguns cavaleiros da ordem da luz.

Principalmente Allan que dizem as histórias que derrotou um gigante das montanha de trinta metros com um único ataque magico!

Allan ainda é o ídolo de muitos magos novatos que soam em ser fortes. Assim comi Milaine e Baldir são ídolo dos guerreiros, principalmente Milaine por sua beleza e maestria na arte da espada pesada.

“Sim, mas aposto que a maioria das histórias que você ouviu sobre ele são exageradas. Apesar que Allan realmente é um poderoso mago, não seríamos jogos para ele mesmo se eu e Arthur nos juntamos para o enfrentar.”

Ouvindo aquelas palavras sua admiração aumentou mais ainda por Allan, se um monstro como Arthur não era um jogo para Allan, o quão forte ele é?

Depois da piada lamentável de Allan, ele usou magia de sétimo nível [teletransporte] fazendo surgir várias formações mágicas aos pés do grupo. Seguido por uma luz negra que tornou a vista de todo puro breu, quando a escuridão cessou o ambiente mudou.

Estavam em um deserto sobre um sol escaldante, não havia nada, além de dunas de areia.

“Esse lugar é por acaso o grande deserto de Taurion?” Perguntou Milaine.

O grande deserto de Taurion era um grande deserto que ficava localizado entre os reinos centrais e o norte de Arcádia. Também bem conhecido pelas grandes ruínas de Taurion, um império governado por poderosos minotauros há mais de dois mil anos atrás.

Agora não passava de uma área perigosa, lotado de tribos de minotauros sobreviventes da queda do império Taurion.

A raça minotauro são famosos por serem cabeças quentes e poderosos guerreiros.

“Sim, esse e o limite que meu teletransporte alcança, daqui vamos para a florestas de Hastam que faz fronteira com as terras desoladas do norte.” Explicou Allan.

Todos assentiram e antes de serem teletransportado, taram um longo olhar para o lendário grande deserto de Taurion.

Markus nunca imaginou que um dia estaria nesse local mítico que era palco de inúmeras lendas. Uma de suas favoritas era a do imperador herói Balbax que carregava o grande machado lendário [Devorador de dragões] que lutou contras as legiões de monstros por três dias e três noites formando uma pilha de cadáveres que diziam ser maior do que uma montanha. Depois de estar exausto por lutar sem descanso por vários dias foi atacado pelos sacerdotes negros do maligno Rei Dragão Tenebris e foi derrotado após uma sangrenta batalha que entrou para os livros de histórias.

“Algumas lendas dizem que uma das cinco parte do Rei Dragão Tenebris foi selada embaixo do grande deserto de Taurion…” Disse Milaine com um olhar preocupado.

“Como assim?” Liz perguntou confusa, não somente ela, mas, Makus também.

“Poucos sabem, mas, Tenebris não era apenas um rei dragão….”Essas palavras foram o suficiente para os rostos dos dois se tornarem sombrios. Vendo seus rostos sombrios explicou:” Tenebris era um dragão negro que carregava sangue divino em suas veias e herdou uma habilidade chamado [Imortalidade] que significa que ele não pode ser morto!”

Liz e Markus tremeram de pavor em imaginar que um monstro como Tenebris era imortal. Não havia uma única criança em Arcádia que não conhecia as terríveis histórias do Rei Dragão Tenebris e a lendária legião de monstros que ele comandava, vindos de abissal, lar dos mais terríveis monstros.

Vendo o medo nos olhos Milaine continou a falar:

“Como ele não poderia ser morto, o lendário cavaleiro Arthur usou a espada divina [Alvorada branca] para o cortar em cinco pedaços e o selou em cinco lugares diferentes em Arcádia. A localização desses lugares são um mistério, mas, alguns pergaminhos antigos dizem que uma das partes está selada no grande deserto de Taurion!”

Liz e Markus estavam pasmos pelas informações detalhadas sobre algo que aconteceu a mais de dois mil anos atrás. Queriam se perguntar como sabiam sobre tudo isso mas foram teletransportados para o próximo local – Floresta Hastam.

Parte 4

Liz, Milaine, Markus e Allan não foram teletransportados direto para a floresta Hastam. Foram para teletransportados para o pico de uma monta que fica aos arredores de Hastam.

Liz ficou boquiaberta por ver o mar de nuvens brancas que escondiam a floresta no sopé da montanha e os ventos fortes que balançavam sua capa azul.

“Atchin!!!” Liz espirrou e logo a ponta do seu nariz começou a ficar vermelho assim como suas bochechas naturalmente rosadas.

Liz não era bom com o frio, na verdade ela o considerava como seu pior inimigo.

“Porque estamos no pico da montanha?!” Perguntou Milaine ignorando Liz.

“Em breve uma conhecida vem nos buscar, como não posso entrar dentro das terras do norte ela ficará responsável por levar vocês até onde acreditamos que Arthur possa estar!”

Quando ela iria perguntar sobre quem era a conhecida, uma sombra passou por cima deles envolto de neblina. Da neblina tensa surgiu um enorme navio branco de velas vermelhas e na proa uma escultura de um bela mulher de longos chifres curvados e nas laterais do navio vários canhões mágicos.

Liz nunca tinha visto um barco voador antes, mas sabia que eram extremamente raros em Arcádia. Navios voadores eram bem comuns, mas agora eram extremamente raros depois da queda de inúmeros impérios durante a marcha de Tenebris.

O enorme navio branco se aproximou revelando uma figura encantadora de uma jovem de cabelos prateados que veste um longo vestido vermelho-sangue. Ela sorriu e pulou do navio para onde estava Allan.

A altura que ela pulou podia facilmente quebrar as pernas de um ser humano normal. Mas nada aconteceu além do solo rochoso quebrar com sua descida.

“Prazer em conhece-los, sou Lilith Dephes!” Segurou ambos lado de sua longa saia, fazendo um gesto formal.

Lilith era um beleza que Markus nunca tinha visto, mesmo Liz que estava com as bochechas vermelhas por causa do frio se tornaram ainda mais vermelhas.

“Obrigado por ouvir meu pedido, senhorita Lilith!” Agradeceu Allan.

Lilith balançou a cabeça de forma elegante e natural e falou:

“Não precisa agradecer, é apenas natural fazer esse favor para meu futuro sogro!” Sua voz era madura, mas tinha um toque infantil cheio de charme.

Suas palavras foram seguidas por um longo silêncio e todos olhares seguiram para Liz que gritou:“Eh?!!” Tão alto que toda floresta de Hastam poderia escutar.

“C-coommo assim?!” Liz gaguejou tanto que levou um tempo para as palavras saírem compreensíveis.

Lilith colocou sua delicada mão branca como mármore em seus lábios dizendo:

“Oh! Você não sabia eu sou noiva do Arthur!” Disse ela sorrindo maliciosamente mostrando claramente que estava a provocando.“Você deve ser Liz certo? Agradeço por cuidar tão bem de Arthur por mim.”

Os adoráveis olhos azuis cristalinos de Liz se tornaram marejados.

“N-não pode ser…” Liz estava a ponto de derramar em lágrimas enquanto os lábios de Lilith se curvaram maliciosamente achando a situação divertida.

Allan soltou um suspiro e falou:

“A muito tempo atrás eu tinha prometido ao ancestral do clã Dephes que iria casar meu primeiro filho com sua filha mais velha, apesar da promessa, Arthur tem a palavra final sobre o assunto!” Disse Allan que habilmente se teletransportou evitando responder mais perguntas.

Após a explicação embarcaram no navio na qual Lilith o chamou de [Adorável morte] e seguiram para dentro das terra desoladas do norte.

Dentro do navio voador [Adorável morte] era elegante e requintado, mas parecendo um museu de artes do que um navio. Foram servidos com a melhor comida e bebida, fazendo os se perguntar se não estavam em um hotel de primeira classe.

A viagem para as terra desoladas do norte seguiu tranquilamente. Eventualmente Lilith perseguia Liz pelo barco, a provocando e dizendo:”Seja meu alimento.” E corria atrás dela mostrando duas presas pontiagudas.

Milaine ria achando linda a amizade das duas jovens.

Depois de dois dias de viagem chegaram ao local que acreditavam estar Arthur. Chegando lá do alto viram o que poderia se chamar de “Pandemónio” e uma cena de guerra caótica.

Em baixo estava um grande templo em pé enquanto tudo ao redor estava uma grande cratera. Em baixo inúmeros mortos vivos atacando elfos negros que atiravam suas flechas e magias espirituais.

O que surpreendeu todos não foi isso, mas, sim a cena de uma colossal cobra roxa tentando atacar os elfos negros quando um jovem dragão negro soprava um fogo negro sobre a cobra colossal.

Nas costas do jovem dragão negro estava um homem alto e elegante de longos cabelos brancos. Seu peito musculoso estava nu em seu braço direito era tatuado com chamas rubras e o braço esquerdo chamas brancas da qual emana uma névoa gélida. Em suas costas três par de asas escuras como se fossem um pedaço da noite estrelada e em cada asa formações magicas douradas.

Em sua testa três estrelas roxas que formavam um triângulo invertido.

Quando a figura transcendental erguia suas mãos, criava uma lança de fogo e gelo, atirando contra a colossal cobra roxa.

Tinham ido parar em uma batalha surreal da qual duvidavam de seus próprios olhos.

O rosto sereno e nobre de Lilith de repente ficou tenso e falou apresadamente:

“Temos que sair daqui, aquele ser de asas é um demon lord!”

Quando estavam preparando para saírem o mais rápido possível.

Liz falou com a voz excitada:

“Esperem, vejam ele é o Arthur!!!” Gritou alegremente Liz, ignorando a batalha surreal que se desenvolvia no solo.

Lilith olhou novamente para a figura e seu rosto claramente demonstrava descrença.

“I-impossível!! Como ele pode ter se tornado um demon lord?!” Lilith caiu no chão em estado de choque por ver que o garoto que tinha desaparecido até pouco tempo tinha se tornado um demon lord.

Liz estava surpresa pela aparência diferente dele, mas, estava eufórica e sentiu seu coração bater freneticamente. Não podendo conter mais aqueles sentimentos Liz pulou do navio [Adorável morte] descendo em queda livre na direção de Arthur confiando que ele ira a pegar em seus braços.

Enquanto caía seus olhos se encontraram e o que parecia ser um sorriso se formou em seu rosto.

Em resposta Liz sorriu, um sorriso cheio de encanto e charme.

Um sorriso de uma pequena fada.

Comentarios em AUMDA: Capítulo 12



15

Índice×

  1. 1
    Nova Vida!
  2. 2
    Liz a Druida
  3. 3
    Batalha nas cordilheiras (1 parte)
  4. 4
    Batalha nas cordilheiras! (2 Parte Final)
  5. 5
    Técnica de Qi? Lilith? Azura? (1 Parte)
  6. 6
      Técnica de Qi? Lilith? Azura? (2 Parte Final)
  7. 7
    AUMDA: Aviso sobre lançamento
  8. 8
    AUMDA: Capítulo 7
  9. 9
       Crise dos elfos negro (Parte 2)
  10. 10
      Crise dos elfos negro (Parte 3 final)
  11. 11
      Ascensão (Parte 1)
  12. 12
       Ascensão (2 Parte final)
  13. 13
    Viajando para as terras desoladas do norte!
  14. 14
    Antes da batalha!
  15. 15
    Batalha de um demon lord e um rei bruxo! (1 Parte)
  16. 16
    Batalha de um demon lord e um rei bruxo! (2 Parte final)
  17. 17
    Segredo dos elfos negro e planos para o futuro!
  18. 18
    Intermissão
  19. 19
    Três anos depois (1 parte)
  20. 20
    Três anos depois (2 parte final)
  21. 21
    A procura pelos anões!
  22. 22
    Sobre AUMDA e HDUM
  23. 23
    Um monstro chamado Milaine!
  24. 24
    A jovem rainha! (1 Parte)
  25. 25
    A jovem rainha! (Parte 2)
  26. 26
    A jovem rainha! (3 Parte final)
  27. 27
    Reencontro impossível! (1 Parte)
  28. 28
    Reencontro Impossível!(2 Parte Final)
  29. 29
    A caminho de Ryfhel! (1 Parte)
  30. 30
    A caminho de Ryfhel! (2 Parte Final)
  31. 31
    Ryfhel, a mais gloriosa cidade de Arcádia!
  32. 32
    Jantar com a família real! (1 Parte)
  33. 33
    Jantar com a família real!(2 Parte Final)
  34. 34
    Antes do torneio
  35. 35
    Vencedor!
  36. 36
    Intermissão
  37. 37
    Tempo de guerra!(1 Parte)
  38. 38
    Tempo de guerra! (2 Parte)
  39. 39
    Tempo de guerra!(3 Parte final)
  40. 40
    Bloodbath! (1 Parte)
  41. 41
    Aviso importante HDUM
  42. 42
    Bloodbath! (1 Parte)
  43. 43
    Bloodbath! (2 Parte Final)
  44. 44
    Nascimento de um rei demônio!
  45. 45
    Epílogo
  46. 46
    Aviso sobre AUMDA!
  47. 46
    Prólogo
  48. 47
    Nova Vida!
  49. 48
    Arquimago da Névoa Congelante!
  50. 49
    Ars Goetia!
  51. 50
    Aprendendo a lançar feitiços!
  52. 51
    Intermissão
  53. 52
    A Druida! (1 Parte)
  54. 53
    A Druida! (2 Parte Final)
  55. 54
    Duelo Mágico! (1 Parte)
  56. 55
    Duelo Mágico!(2 Parte)
  57. 56
    Duelo Mágico! (3 Parte Final)
  58. 57
    Intermissão 2
  59. 58
    Batalha nas Cordilheiras! (1 Parte)
  60. 59
    Batalha nas Cordilheiras! (2 Parte)
  61. 60
    Batalha nas Cordilheiras! (3 Parte Final)
  62. 61
    Epílogo
  63. 62
    A Cidade dos Aventureiros, Al-Markhen! (1 Parte)
  64. 63
    Viagem Para a Cidade dos Aventureiros! (2 Parte)
  65. 64
    Viagem Para a Cidade dos Aventureiros! (3 Parte Final)
  66. 65
    Separação!
  67. 66
    Entrando em Al-Markhen e Curando a Jovem Espadachim!
  68. 67
    Guilda dos Aventureiros! (1 Parte)
  69. 68
    Guilda dos Aventureiros! (2 Parte Final)
  70. 69
    Akai Ito, O fio Vermelho do Destino!
  71. 70
    Intermissão