iLivro

Magusgod: Logo aviso que o capítulo será curto – com 1295 palavras. Para aqueles que esperavam um luta, sinto muito por decepcioná-los. Por que a única coisa que você vai ler nesse capítulo e um abate unilateral.


Bloodbath! (2 Parte Final)

 

 

A jovem Rainha, Emma, puxava a corda de seu arco dourado, materializando uma flecha de ouro. O sol nasce entre as longínquas cordilheiras de montanha de picos brancos, banhando o mundo com sua luz calorosa e revelando o vasto exército que marcha pela planícies desoladas.

Emma respirou fundo, apontou a ponta da flecha em direção ao exército, surgindo uma série de círculos mágicos.

“Lafina reuna-se com os clérigos e comece abençoar nossos homens!” a bela elfa de túnica verde meneou com a cabeça, esporeou seu cavalo, passando por suas forças até os clérigos.”Magos, preparem suas magias! Todos portadores de pergaminhos, formem uma fileira. Assim que eu iniciar o ataque, liberem as magias selada!”

A voz da jovem rainha era dura e sem qualquer gentileza. Mas por dentro estava com medo. Nunca havia liderado um exército antes, e agora tinha o destino de 20 mil homens em suas mãos.

Quarenta portadores de pergaminhos formaram uma linha e retiraram a elegante fita azul, desenrolando o pergaminho mágico contendo as magias seladas por seu rei.

Apontaram em direção ao exército e aguardaram o ataque de sua comandante.

Desde a queda de Sollunn desejou poder. Agora o tem, e toda sua responsabilidade também. Arthur havia a tornado uma 【Arquidemônio】e confiado a liderança do ataque contra as forças secundárias dos reis bruxos. Não se sentia apta, mas Arthur acreditava nela.

E todos seus homens acreditavam no julgamento de seu rei.

Havia uma única razão para Emma ter ganho o comando de um exército. Quando se tornou uma【Arquidemônio】adquiriu uma magia única.

E pela primeira vez vai utilizar sua magia única.

“De forma inconsciente, sempre se agarrando em pequenas ilusões, a pequena garota seguiu em frente. Dentro de um redomoinho infinito do desespero, encontrou paz na luz pálida da lua. Mas a lua era distante demais, mas, mesmo assim, com as pequenas mãos sem poder, que nunca alcançaram nada, que nunca seguraram nada. Agarrou aquela pequena ilusão! Transformá-la em realidade! Alterando! Distorcendo! Criando uma miríade de ilusões! Confundindo as centenas de reflexos do espelho com a realidade! 【Mundo Distorcido】!”

Diante dela, o ar distorceu, alterando o tempo e espaço, aparecendo uma imagem do vasto exército. A jovem rainha, soltou a corda do arco, disparando a flecha de outro, passando pelos diversos círculos mágico, transformando-a em mil flechas de ouro.

“Mirem na distorção! Ataquem agora!” ordenou.

Em uníssono, todos portadores de pergaminhos mágicos liberaram as magias seladas.

“【Trovão Negro Feroz】.【Mundo Branco】.【Vórtice Negro】.【Sol de Gelo】.【Vórtice Infernal】.【Mil Lanças de Gelo】.【Tempestade de Fogo】…………”

Seguido dos portadores de pergaminho. Todos magos iniciaram seu bombardeio mágico até todo seu poder mágico esgotar. No meio do vasto exército, os Reis Bruxos Hyll, Bryd, Newydd, notaram a distorção na camada da realidade ao redor do exército. Levantaram suas defesas mágicas, mas nada aconteceu. Tentou conjurar outras magias, mas nada aconteceu. Algo estava interferindo com suas magias, suspeitavam que era relacionado com a distorção temporal que envolvia seu exército.

De repente, sem que pudesse fazer qualquer coisa. As mil flechas de ouro disparado pela jovem rainha, tornou-se cinco mil, chovendo sobre o vasto exército inimigo. Dentro da magia única【Mundo Distorcido】todas magias dos aliados foram quintuplicados e as magias inimigas anuladas! Era apenas o começo do bombardeio infernal. Tempestades de fogo e gelo, chuvas de lanças de gelos, trovões escuros, vórtices de todos tipos elementais aniquilava e destroçava o vasto exército.

Mesmo os poderosos Reis Bruxos que aterrorizaram o norte por incontáveis anos, foi abatido de forma tão fácil que muitos guerreiros e ex-escravos que observavam o abate, beliscavam suas bochechas vendo se não era um sonho.

Não era mais uma luta! Era uma massacre unilateral! Era como porcos no abatedouro!

No fim do bombardeio, o que uma vez foi um vasto exército de fazer terras e céus tremerem, foi aniquilado cruelmente. Os poucos sobreviventes, arrastavam-se pelos corpos congelados ou carbonizados de seus amigos. A cena era cruel demais, era como um inferno na terra, todos corpos mutilados, carbonizados e congelados fez até os guerreiros veteranos endurecidos por várias guerras tremerem e vomitaram.

“250 mil homens derrotados em menos de um minuto” falou a jovem rainha para seus homens.”Esse é o meu poder! Poder de seu rei! Poder que vai contra os céus! Que esse dia se espalhe pelos quatros ventos, que todos saibam o que acontecerá com aqueles que ousarem desafiar o rei negro! O rei do Norte!”

Gritaram enlouquecidos, comemorando sua vitória sobre os três Reis bruxos. Naquele dia a jovem rainha se tornou uma poderosa comandante.

************

 

Ao sul da Nova Lilac.

“Disparem as flechas! Matem esse monstro!” gritava o Rei Bruxo Ewythr para o que sobrou de seus 250 mil homens. Seu rosto estava distorcido em ódio, tentando imaginar como era possível existir um poder tão absurdo quando a do monstro a sua frente.

A menos de cem metros, andando sozinha por incontáveis cadáveres, estava uma pequena garota de vestido branco como as penas de um anjo. Suas pequenas mãos, eram garras ensaguentadas assim como as pontas das penas de suas quatro asas brancas. Arqueiros, dispararam, escurecendo os céus com suas flechas. Goetia, foi atingida, entretanto nada aconteceu. Nem mesmo um único arranhão podia ser visto.

A flechas simplesmente não eram fortes o suficiente para penetrar ou se quer arranhar sua pele.

“Cavalaria! Atacar!”

O rei Bruxo Ewythr esporeou seu cavalo demoníaco, um Kishi enorme, avançou junto com sua cavalaria contra a pequena garota a sua frente. O chão tremeu como um terremoto por causa galope e o som lembrava trovoadas de um dia de tempestade.

A cena era surreal.

Goetia estendeu a mão, irradiando uma luz equivalente ao de uma estrela, a luz tornou-se sólida, transformando-se em uma imensa trombeta de ouro enfeitado com joias e runas sagradas. A trombeta tinha mais de vinte metros de comprimento.

Goetia segurava como se fosse a pena de uma pássaro.

Virou a imponente trombeta de ouro em direção a cavalaria do Rei Bruxo. Cantou uma canção melódica e estranha, em uma língua que nenhum homem, sábio, ou rei pode falar. Cantava na língua dos anjos. Tamanho era o poder de suas palavras que o mundo ser curvava para si.

Terminou o cântico de sua magia única:

“【Quinta Trombeta】!”

Goetia encostou seus pequenos lábios rosados na trombeta.

Uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuooooooooooooooooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!

A terra tremeu. O céu tremeu e rachou revelando uma miríade de estrelas vermelhas. Todos que escutaram a trombeta ficaram surdos, e aqueles que eram surdos voltaram a ouvir. Uma das estrelas vermelhas piscou, e caiu diante a cavalaria, abrindo um abismo na terra, e subiu uma fumaça escura, como a de uma grande fornalha, e da fumaça colossais pinças como obsidianas surgiram, golpeando a cavalaria do Rei bruxo.

“Que infernos é esse monstro!” gritaram.

Da fumaça surgiu um gigante, metade do seu corpo era como a de um escorpião. A outra metade era de um homem. No lugar de mãos havia pinças e seus dentes era como o de leões. E rugiu como um leão e avançou como a fumaça escura ao seu redor, devorando toda cavalaria inimiga. Tão poderoso era a criatura, que nenhuma magia, espada ou lança o afetava.

Goetia voou para uma pedra, sentou-se nela, vendo os montes de corpos e a terrível criatura matando tudo que via pela frente.

“Espero que o papai, fique satisfeito e me elogie” falou ela com um raro sorriso em seu rosto inexpressível.”Talvez eu deva pedir para afagar minha cabeça, é uma boa recompensa. Sim, sim, uma boa recompensa.”

Quando a matança foi finalizada. A última colheita de almas foi feita e o ritual de ascensão demoníaco estava completo.

Logo Arthur e tornaria um【Rei Demônio】e o rei supremo do norte.

Comentarios em AUMDA: Capítulo 39

Categorias