Prólogo

Eu odeio os seres humanos.

Quando eu lembro de ter sido traído por eles eu simplesmente não posso confiar mais neles. Por esta razão eu tenho evitado a criação de uma vida social, tanto quanto possível. Devido a isso, embora eu já tenho 29 anos, eu não tenho qualquer amigos ou uma namorada.

Há uma razão para eu me tornar uma pessoa anti-social.

Esta é uma história de quando eu ainda era um estudante da escola primária na sexta série, e como eu fui falsamente acusado de roubar dinheiro de outra pessoa no almoço.

Quando a bolsa contendo o dinheiro do almoço de um dos meus colegas de classe desapareceu a classe tentou procurar por esta bolsa juntos, no entanto, depois de procurar por um tempo ainda não conseguiram encontrá-la. Isto é, quando a garota que se tornou o representante de classe, de repente gritou. Aparentemente, a bolsa com o dinheiro do almoço foi encontrada em minha mesa. Foi tudo um plano maligno de um dos meus colegas de classe, que esta com a suspeita que abrigo até o dia de hoje.

Na verdade, até aquele dia infeliz eu tinha sido um garoto muito popular. Eu suspeitava que este foi o trabalho de um dos outros garotos da minha turma, que tinham sido com inveja de mim porque a representante de classe tinha se confessado para mim(e eu aceitei, é claro). No entanto as crianças não pensam sobre as consequências de seus atos. Esse evento se transformou em uma experiência muito cruel para mim, por enquanto eu neguei fervorosamente mas ninguém acreditou em mim quando eu disse que não roubei o dinheiro. Os meus colegas de classe, meu professor de sala, nem mesmo meus próprios pais acreditaram em mim.

A partir desse dia, meus colegas de classe começaram a me evitar. Eu esperava que meus amigos seriam, no mínimo, acreditar em mim e ficarem ao meu lado, mas eles também não quiseram ouvir e começaram a me evitar ativamente e não se envolver. Devido a isso mais e mais pessoas começaram a me evitar. E como resultado? Bem, eu aprendi a desconfiar de seres humanos a partir de um evento desde a idade jovem.

Enquanto em estava um júnior, no ensino médio, e até mesmo na faculdade eu continuava evitando outras pessoas. Eu continuei a ser uma pessoa solitária longe dos outros. Mesmo agora, quando eu já sou uma parte da sociedade normal, trabalhando para uma empresa eu tento evitar todos os eventos sociais para o melhor de minha capacidade.

E no ano passado, ao ir ao trabalho em um trem, eu de alguma forma tornei-se o culpado de um incidente de molestar alguém (que eu, é claro, não cometi). Eu continuei a insistir que eu era inocente. Ninguém acreditou em mim. O juiz considerou-me culpado, ninguém, ninguém acreditou em mim. Isso fez com que a minha desconfiança na humanidade para alcançar novos níveis de gravidade.

O julgamento arruinou a minha vida. Perdi meu emprego e meu relacionamento com minha família que já estava perto de inexistente deixei de existir completamente.

Agora, quase um ano depois, sem ter sido capaz de obter um emprego devido as circunstâncias, eu tinha sido comendo minhas economias. Claro que isso não foi suficiente e eu tinha-se tornado algo próximo a um cadáver ambulante.

Um dia, ao tomar um passeio pelo parque à noite eu ouvi uma mulher gritar. Eu imediatamente corri na direção de onde o grito veio, bem a tempo de testemunhar uma jovem mulher quase sendo estuprada por um homem empunhando uma faca. Eu hesitei, mas senti que tinha que ajudar a mulher.

Corri para o homem e tentei salvar a mulher, resultando em uma luta. Esta luta, infelizmente, acabou com a faca perfurando meu peito. Pedi desesperadamente a mulher para chamar uma ambulância.

No entanto, ela fugiu gritando em vez de chamar uma ambulância. Talvez ela estava em pânico devido à confusão, no entanto, isso está além de cruel. O homem tirou um telefone celular, mas percebendo o que ele tinha feito ele simplesmente fugiu em vez de chamar uma ambulância também.

Eu fui deixado sozinho.

Não demorou muito antes de meus olhos começarem a ficarem sombrios, minha consciência começou a se desvanecer, e, desse jeito, que eu morri.

O último pensamento que passou pela minha cabeça enquanto morria foi como um monte de merda a humanidade realmente é.

Comentários