Breakers: Capítulo 211


Capa Breakers

Breakers

Autores: Chwiryong (취룡)
Tradutor: Kokori

Encontro #2

Um tempo se passou. Foi um pouco mais do que um dia.

Cada grupo estava se movendo em direção a um objetivo. Haviam vários movimentos diferentes, com lutas travadas.

Então era a hora…

Agora, não havia volta.

 

&

 

O 1º Príncipe Baikal Ragnaros respirou fundo enquanto olhava para o castelo. O frio intenso além da Linha de Limite era obviamente ameaçador, mas os corpos fortes dos draconianos já haviam se adaptado completamente.

Os pulmões de Baikal já se estabilizaram contra o frio. A amabilidade e a gentileza que Anastasia tanto gostava brilhavam em seus olhos.

Haviam centenas de cavaleiros draconianos ao seu lado. Eles usavam capas pretas e estiveram com Baikal há mais de uma década, então podiam respirar como um só.

Baikal não sabia muito sobre o Arch Lich Shutenberg. Ele só sabia que Shutenberg era um inimigo formidável, uma vez chamado de Meio Rei, bem como um poderoso lich que tinha vivido desde a Era das Lutas.

No entanto, Baikal pensou que isso era suficiente. Ele era apenas um inimigo a ser removido. Era fácil esquecer devido ao temperamento calmo de Baikal, mas ele continha o sangue do Rei Zanskal, que era famoso entre os governantes draconianos.

Um campo de neve estendia-se para além da nevasca, e no final do campo de neve havia um enorme castelo feito de gelo. Ele sabia intuitivamente sem que ninguém lhe dissesse que este era o castelo do Arch Lich Shutenberg.

Sua capa ondulava ao vento, e Baikal respirou fundo. Em vez de olhar para trás, ele desembainhou a espada. Em meio a intensa nevasca, houve um rugido que anunciou o início da batalha. 100 draconianos usando o Estilo do Dragão avançaram, com a aura se erguendo ao redor deles como chamas.

Então, Shutenberg respondeu. A neve caiu sobre a feroz investida do Estilo do Dragão. Toda rajada de vento mudava a aparência do campo de neve.

Baikal entendeu, e Sektum tremia enquanto olhava o castelo de Shutenberg de longe.

Arch Lich Shutenberg, ele era a pessoa que fez Sektum um morto-vivo. Ele era o maior necromante do mundo!

“Eu estou de volta. Estou de volta! Shutenberg!”

Quando Sektum ergueu o punho, milhares de mortos-vivos brilharam enquanto se preparavam para a batalha. Eram os mortos-vivos que ele fez com os corpos dos soldados e criaturas que morreram além da Linha de Limite.

Sektum ordenou uma investida, e os mortos-vivos correram para o castelo. Ao mesmo tempo, o campo de neve se moveu também. Dezenas de milhares de mortos-vivos se levantaram da neve.

Até agora, era como esperado. Era um número que podiam enfrentar. No entanto, Sektum percebeu algo. Não eram apenas dezenas de milhares. Não tinha sido o vento que mudou a aparência da neve. Todo o campo de neve se moveu, revelando que a neve cobriu todos os mortos-vivos. Centenas de milhares…

Um enorme número de mortos-vivos avançou ao mesmo tempo como um enorme tsunami.

 

&

 

O Cavaleiro da Guerra correu, e a mulher vermelha abraçou os ombros do Cavaleiro da Guerra.

As chamas da guerra estavam aumentando. Ninguém poderia pará-los agora.

Guerra pensou em conquista. Ela lembra do rosto da mulher branca que ela tanto amava e odiava, e um sorriso encantador surgiu.

 

&

 

Ele não gritou.

Baikal a sua frente. Ao invés de ser dominado pelo tsunami de mortos-vivos de Shutenberg, ele olhou para todo o campo de batalha.

Havia uma luz estranha, e ele sentiu um poder mágico forte do campo de neve enquanto os mortos-vivos se levantavam.

‘Não pode ser.’

Baikal não tinha certeza, mas tentou negar sua intuição. No entanto, ele não podia. Ele já entendeu.

Sektum engoliu um grito e se lembrou de por que fugiu em vez de lutar contra Shutenberg.

Milhares de mortos-vivos entraram em confronto com centenas de milhares de mortos-vivos. Enquanto eles pisavam e se destruíam, os draconianos liderados por Baikal avançaram.

O dragão de gelo, Quanta soltou seu sopro de gelo, e suas grandes asas sopraram os mortos-vivos. Enquanto isso, os magos de Zephyr entoavam centenas de feitiços mágicos ao mesmo tempo.

Era uma visão legal. Centenas de milhares de mortos-vivos foram destruídos em um instante. Centenas de feitiços mágicos caíram do céu e varreram os mortos-vivos. Em uma única colisão, milhares de mortos-vivos foram destruídos. O inimigo pode ter números esmagadores, mas a qualidade das tropas de Baikal era muito superior.

No entanto, Sektum estava desesperado. Ele havia se esquecido de criar novos mortos-vivos enquanto olhava para o círculo mágico, que cobria todo o campo de neve, começou a brilhar. Não haviam feitiços ou entoamentos. Os mortos-vivos despedaçados e destruídos de Shutenberg foram criados de novo. Os ossos quebrados do esqueleto foram restaurados, enquanto os ghouls ganhavam novos corpos.

O tsunami não parou, e o exército do Rei Demônio engoliu em seco.

 

&

 

O Cavaleiro da Morte deu um passo à frente e pegou a espada criada há 1.000 anos. Ao vestir a armadura azul e preta, ele só pensava em uma morte.

 

&

 

A investida de centenas de milhares de mortos-vivos era como um tsunami. Parecia não haver nada que pudesse detê-los. Seu futuro era serem destruídos por esse tsunami.

No entanto, eles não poderiam pensar de forma diferente. Comparados com esse grande tsunami, eles estavam em muito poucos e cansados.

Os mortos-vivos correram. Eles se pisotearam. Os mortos-vivos despedaçados se levantaram novamente para continuar esse enorme tsunami.

Mesmo os guerreiros draconianos de Baikal, que tinham muita experiência, sentiram medo.

No entanto, havia uma pessoa que não sentia medo. Ele ficou na frente de todos, pegou o punho de sua espada e recebeu os mortos-vivos mais próximos.

Então o tsunami atingiu. Ao mesmo tempo, ele desembainhou sua espada.

Duque da Espada Ishgard…

Ele cortou o tsunami.

 

&

 

Era como se uma ilha se formasse nessa área. A nitidez foi suficiente para cortar o tempo e espaço. No entanto, uma catástrofe, que deveria destruir o céu e o chão não aconteceu. A atmosfera também não se despedaçou.

Havia apenas o barulho de uma espada afiada que se espalhava pelo campo de neve. Os mortos-vivos na frente sucumbiram e o investida assustadora parou. Todos eles foram divididos.

O Duque da Espada ajustou sua mão na espada. Ele balançou sua espada novamente antes que os corpos dos mortos-vivos pudessem ser levantados. Desta vez, os mortos-vivos um pouco mais longe foram afetados pelo movimento do Duque da Espada, e o vento atravessou os mortos-vivos.

Se ele tratasse deles um por um, não haveria fim. Então, o Duque da Espada considerou fazer um ataque frontal. Ele iria destruir o núcleo do círculo mágico para parar a ressurreição dos mortos-vivos.

Baikal entendeu o plano do Duque da Espada, e seus draconianos se atiraram para abrir um caminho para o Duque da Espada. Sektum mais uma vez criou mais mortos-vivos, enquanto os 100 magos de Zephyr e 200 cavaleiros se tornaram uma fortaleza no campo de batalha. A Santa Sombria Altesia começou a rezar. Ela estava chamando os grandes poderes de Erebos para a terra.

Quanta atingiu os mortos-vivos do céu, e Zephyr olhou para baixo, enquanto em suas costas. Pela primeira vez desde que entrou no campo de batalha, ele gritou para o Duque da Espada.

O Duque da Espada ouviu o grito de Zephyr. Simultaneamente, ele confirmou com seus próprios olhos. Havia uma pessoa se erguendo entre os mortos-vivos. Ele montava um cavalo negro gigante e estava segurando uma espada gigante em sua mão.

O Duque da Espada mudou a direção de sua espada apressadamente e cortou para a direita em vez da frente. Sua espada varreu os mortos-vivos, mas ele não conseguiu cortar o cavalo negro. A pessoa que andava no cavalo negro bloqueou o ataque do Duque da Espada. Era a primeira vez que o Baikal viu o homem no cavalo negro. No entanto, ele imediatamente percebeu quem era, e ele gritou,

“Rei Invernal!”

Era o rei dos bárbaros do norte…

A presença que não permitiu que os capitães deixassem o Portão Aegis!

Uma energia azul estava surgindo de todo o seu corpo, que estava envolto em uma armadura negra. Então o Duque da Espada mudou a direção de sua espada. Ele atacou o Rei Invernal.

 

&

 

O poder do Arch Lich Shutenberg excedeu as expectativas. Ninguém esperava que o Rei Invernal aparecesse aqui.

O círculo mágico de Shutenberg ainda estava sendo mantido. Baikal e seus 100 draconianos tentaram desesperadamente atravessar os mortos-vivos, mas não foi fácil. A batalha entre o Duque da Espada e o Rei Invernal estava devastando a área circundante, e ninguém ousou interferir com sua luta.

‘Por quê?’

O Duque da Espada pensou enquanto lutava contra o Rei Invernal. O Rei Invernal atacou enquanto estava sentado em seu enorme cavalo, e o ataque era pesado e violento. Era impossível comparar o Rei Invernal com o Rei Demônio, mas o poder do Rei Invernal ainda era suficiente para abater um capitão do Palácio dos Demônios.

Ele nunca imaginou que haveria um contato entre Arch Lich Shutenberg e o Rei Invernal. Se eles fossem aliados, por que apenas Shutenberg atacava o Santuário? Por que o Rei Invernal não veio diretamente?

Era difícil imaginar a relação entre Shutenberg e o Rei Invernal. As auras lançadas pelo Duque da Espada e o Rei Invernal explodiram um contra o outro e foram em direções diferentes. As centenas de mortos-vivos na área cercada se transformaram em pó instantaneamente.

O Rei Invernal estava coberto de uma energia azul, mas não era apenas uma mera aura. Era o tipo de poder que o Duque da Espada havia encontrado em Fortaleza do Trovejar da Destruição.

O Cavaleiro da Morte…

Não, o Rei Invernal não era o Cavaleiro da Morte. Ele estava definitivamente em um estágio inferior!

Kwang!

Um rugido vibrou aos seus ouvidos. Simultaneamente, a oração de Altesia foi completada. Altesia, que estava coberta de suor, gritou com uma voz vigorosa,

“Des-trua!”

Sua voz se espalhou pelo campo de batalha. Talvez este fosse um milagre de Erebos, o Deus da Escuridão.  (Kokori: Não lembro se das outras vezes era ‘da Escuridão’ ou ‘das Trevas’. :/)

Um poder negro, que era o oposto da juventude de Altesia, se espalhou ameaçadoramente pelo céu. Tirando a falsa vida dos mortos-vivos e lhes deu a verdadeira morte. Dezenas de milhares de mortos-vivos voadores retornaram ao chão em um instante. O poder sombrio de Erebos afetou temporariamente o círculo mágico de Shutenberg. Os mortos-vivos que voavam no céu caíram no chão e não conseguiram voltar a aparecer. (Kokori: E os do Sektum? O poder é tão OP que dá pra escolher tão bem os alvos?)

A razão de o ataque de Altesia ocorrer no céu, e não no chão, foi para criar uma abertura. Enquanto se apoiava em um longo cajado, Altesia olhou para o céu. Enquanto isso, o dragão de gelo Quanta estava correndo para o centro do círculo. No entanto, era um enorme círculo mágico com um diâmetro de vários quilômetros. Mesmo a aproximação pelo ar não fazia sentido.

Quanta apontou seu sopro de gelo para o chão. Os mortos-vivos que estavam usando o poder do círculo mágico estavam congelados. Zephyr preparou um feitiço poderoso enquanto nas costas de Quanta. Mesmo que fosse Zephyr, era impossível esmagar um círculo mágico desse tamanho com um só golpe. Era melhor evitar a ressurreição dos mortos-vivos destruindo funções-chave.

Zephyr entoou seu feitiço rapidamente. Quanta quase alcançou o centro do círculo. Naquele momento, uma enorme mão subiu do chão. Feito de dezenas de milhares de mortos-vivos, a mão gigante agarrou o pescoço de Quanta e os mortos-vivos correu pelas suas costas. Quanta lutou, mas não conseguiu escapar da mão gigante.

Então Altesia começou a entoar uma nova oração. Zephyr deu um comando a Quanta, e ela se transformou em um gandharva.

Zephyr chutou o ar e usou Telecinese para ficar lá. No meio do ar, Quanta virou seu corpo. Ela voltou a aparecer na forma do dragão de gelo gigante e balançou a cauda fazendo uma grande varredura. Quanta não parou por aí enquanto usava o poder mágico em seu corpo para devastar os arredores.

Zephyr mais uma vez chutou no ar. Ele ainda estava bem longe do centro do círculo.

Chwaaaaak!

Milhares de morcegos se reuniram diante de Zephyr. Estes eram vampiros mortos-vivos anciões que não haviam se mostrado até agora. Eles eram uma antiga espécie de vampiro, diferente dos Andarilhos Diurnos. Os vampiros assumiam a aparência de morcegos e usavam magias poderosas. Em um instante, rajadas de relâmpagos, ventos e gelo voaram em direção a Zephyr. (Kokori: ‘Day Walkers’, que andam sob o sol/dia, a tradução não ficou muito legal, eu sei, mas né… é o que pude fazer.)

Então Zephyr viu alguém no centro do círculo mágico, além dos vampiros. Assim como Yosarina, era outra dos subordinados de Shutenberg. Ela era chamada Cabellina, a Monarca da Geada.

Ela tinha cabelos prateados, pele branca e olhos azuis fixado em Zephyr. Naquele momento, Zephyr tomou uma decisão em uma fração de segundo. Ele soltou a magia, que ele preparou de antemão, aos vampiros vindo ​​em sua direção.

Houve uma feroz tempestade de poder mágico, e a magia dos vampiros foi varrida e destruída. Os vampiros não conseguiram mais manter a forma de morcegos e caíram no chão. Eles foram fortemente afetados pela tempestade mágica e vomitaram sangue.

Os mortos-vivos também foram afetados. Todos os mortos-vivos em um raio de 100 metros em torno de Zephyr sucumbiram. Dentro da influência da poderosa tempestade mágica, até os encantamentos de Shutenberg não poderiam erguer os mortos-vivos novamente.

No entanto, Cabellina apenas riu alto. Foi porque ela pensou que uma quantidade tão grande de magia seria impossível de ser produzida novamente. Ela ordenou aos mortos-vivos que atacassem. O centro era protegido por muitos mortos-vivos antigos, e muitos cavaleiros da morte levantaram suas espadas. (Kokori: Cavaleiros versão não-apocalíptica. :D)

Zephyr solto o ar e se levantou. A onda de mortos-vivos apareceria novamente depois que a tempestade mágica desaparecesse, mas ele não perdeu a compostura. Em vez de observar Cabellina, Zephyr virou o olhar para outro lugar. O Duque da Espada, que estava lutando contra o Rei Invernal, sorriu por um momento.

Uma onda de vento estava vindo do sul. Não, era mais rápido do que o vento. Sem perceber, Altesia parou sua oração enquanto olhava nessa direção. Quanta e Sektum não eram diferentes.

“A melhor bateria santa!” (Kokori: Ele não poupa ninguém que saiba magia de recuperação, a não ser ele mesmo.)

Havia um grito desconhecido. Naquele momento, uma bandeira branca apareceu atrás de um orc que deu um alto grito de guerra. A massa branca acelerou. Eles não diminuíram a velocidade e literalmente atravessaram os mortos-vivos. Da frente da massa branca avançando, o som de centenas de batidas de asas podia ser ouvido.

Chwaaaaaack!

A fumaça azul-escura cruzou centenas de metros de mortos-vivos, e os mortos-vivos foram todos destruídos pelas lâminas negras. Então, a fumaça azul escuro terminou. Haviam duas pessoas ali. Um era um guerreiro que segurava uma poderosa espada, enquanto o outro apertava o punho e encarava Zephyr.

Zephyr olhou para In-gong…

E In-gong olhou para trás. Então, ao mesmo tempo, as duas pessoas voltaram os olhos para o centro do círculo mágico.

“Espiritualismo.”

Era o príncipe mais forte e o deus gandharva.

Comentários