iLivro

Enxurrada #3

A ruína que Silvan descobriu era localizada no fundo de uma densa floresta. Karamis, a área que Silvan defendia, estava localizada no sudeste do Mundo Demônio e estava em contato com o Grande Deserto, uma das zonas de separação com o Mundo Humano.

Como o nome sugeria, o Grande Deserto era uma área desértica incrivelmente grande. Apesar da proximidade com o deserto, Karamis era uma terra rica em vegetação verde devido ao clima anormal causado pelas linhas mágicas únicas no Mundo Demônio.

O Dragão da Chama Negra voou lentamente por uma hora ou duas antes de pousar em uma área aberta no meio da floresta. A posição das árvores parecia não natural, como se fosse um ponto de aterrissagem criado artificialmente.

“Além dali, é a entrada das ruínas. Estava tão escondido que não teria encontrado isso se não fosse por coincidência.”

Sepira disse enquanto desdobrava as escadas para descer do Dragão da Chama Negra. Silvan já havia pulado.

“Como vocês acharam isso?”

Perguntou Felicia enquanto olhava as costas de Silvan.

Sepira riu desajeitadamente.

“Alguém foi atingido por uma criatura e caiu na entrada das ruínas. Era uma entrada bem profunda.”

Era uma história divertida, mas Felicia pensou o contrário. Ela franziu a testa e perguntou,

“Essa pessoa, ela está bem?”

“Sim, relativamente. Os seus ombros e o pescoço ainda estão rígidos.”

Sepira riu desajeitadamente novamente, e Felicia entendeu o porque as orelhas de Sepira estavam vermelhas durante toda a história.(Kokori: Isso seria mais a cara do Silvan, mas né.)

‘Não, ela não queria falar sobre isso em primeiro lugar.’

Quando ela pensou nisso, a história não deveria ser engraçada, e qualquer desejo de rir logo desapareceu.

Naquele momento, a escada foi completamente aberta. Felicia já estava pulando e apressou-se para alcançar Silvan. Uma vez que chegou à entrada, ela entendeu por que Sepira enfatizou que foi um acidente.

A entrada da ruína estava muito bem escondida. Não, se ela tivesse se deparado com isso, ela teria pensado que era apenas um buraco profundo.

Uma passagem circular com um diâmetro de aproximadamente 1,5 metros estava aberto  verticalmente semelhante a um poço. A terra estava irregular, como se tivesse sido formada naturalmente, e muitos arbustos estavam ao redor da entrada.

Felicia se ajoelhou na beira e olhou para dentro do buraco enquanto o cheirava. Havia um aroma evidente, mas claro. Um lugar onde o poder mágico era concentrado emitia um bom cheiro.(Kokori: Esse e o último cap estão estranhos, muitas coisas ‘cheirosas’…)

“É verdade. Existe o aroma do poder mágico.”

Isso não era tudo. Havia um brilho suave dentro do buraco profundo, e a luz estava vazando por dentro.

Enquanto Felicia olhava cuidadosamente, Silvan rapidamente estendeu a mão.

“Agora, Felicia. Por favor abrace o Oppa. Eu irei entrar.”

Silvan riu enquanto Felicia, que se afastou reflexivamente, lançava um feitiço.

“Levitação.”

Felicia caiu lentamente no buraco, enquanto os ombros de Silvan caíam com desapontamento. Depois de cair quase 12 metros, uma grande passagem estava visível. Era uma passagem muito antiga, mas ela passava uma sensação de ser artificial.

Depois que os dois desceram, Sepira, Delia e os cinco membros da tripulação também desceram. Felicia preferiu explorar ruínas com um pequeno grupo de elite, desde que grandes números era incômodo.

Haviam duas luzes na passagem. Uma era uma luz fraca que parecia vir do fundo, enquanto a outra era uma luz fraca proveniente de pequenas pedras embutidas no teto.

Era muito agradável, mas era difícil prosseguir com a exploração com esta iluminação. Felicia puxou uma vara com uma luz brilhante no final dela que havia preparado com antecedência. Eles estavam em uma grande cripta que lembrou as que ela havia visto durante a subjugação da tribo Relâmpago Vermelho.

O grupo de Silvan já havia explorado o primeiro andar, então eles se apressaram. Depois de chegar a um lugar que era como um corredor central, os caracteres desconhecidos que Sepira havia mencionado foram revelados pela primeira vez.

“Realmente, eles são realmente como os caracteres que vi. Talvez… a lenda pode ser verdade?”

Felicia disse enquanto olhava para as letras gravadas nos tetos altos, no chão e nas paredes. Sepira estava confusa e perguntou,

“Sua Alteza, a lenda?”

Como sempre, perguntas curiosas contentavam Felicia, e ela respondeu espalhando seu conhecimento.

“Depois de ir ao covil de Kaltein na última vez, fiz algumas pesquisas. No entanto, não tive tempo de estudar muito desde de que a hora até a partida foi tão curto.”

Não era apenas o Shutra que havia investigado depois de retornar ao Palácio do Rei Demônio.

Felicia olhou para os caracteres e disse outra vez,

“Na verdade, isso não foi algo que descobri através da pesquisa. É uma história que peguei enquanto investigava ruínas.”

Havia um ponto de interrogação acima da cabeça de Sepira. Felicia riu e perguntou a Sepira uma nova pergunta,

“Sepira, quanto você sabe sobre a história do Palácio do Rei Demônio?”

“Eu sei que foi criado há 500 anos.”

Este ano era obviamente o Ano 512.

Felicia esticou-se e disse,

“Sim, apenas 500 anos. Antes disso, apenas a Era das Lutas durou aproximadamente 3.000 anos.”

A Era das Lutas referia-se à época anterior ao rei demônio, quando todas as espécies haviam estado em guerra umas com as outras. O Mundo Demônio da época não era diferente do que estava além da Linha de Limite. Todos os dias, uma guerra cruel ocorria.

“Então, que tipo de civilização havia nos velhos tempos?”

Antes da Era das Lutas—

O passado distante antes da Fortaleza do Trovejar da Destruição ser construída…

“Nós não sabemos. Não importa de quão longe os registros dos elfos negros viessem, é apenas até 6.000 a 7.000 anos. Não é um exagero dizer que não sabemos muito sobre as civilizações e como as espécies viveram antes desse tempo.”

7.000 anos era realmente, muito tempo para os elfos negros. Sepira contou em sua cabeça por um tempo antes que suas longos orelhas se alargassem.

“Sua Alteza, se fosse 7.000 anos atrás… não teria sido difícil ter uma civilização adequada?”

Os elfos negros também eram diferentes há 7.000 anos atrás, e eles eram primitivos de muitas maneiras.

Felicia assentiu.

“A maioria das pessoas pensa assim. Eles pensam que foi uma época sem um país adequado, onde as espécies apenas lutaram em grupos tribais. Mas eu não penso assim. Se não houvesse uma civilização próspera naqueles dias, não devemos encontrar seus traços depois de terem morrido há tanto tempo.”

Tinha muito mais velho do que 7000 anos. Talvez fosse um passado ainda mais antigo.

“Chamamos essa lenda de espécies indígenas. Embora haja pouca evidência, acho que faz sentido.”

Felicia disse com um sorriso. Sepira olhou os caracteres gravados no chão.

“Sua Alteza, esses caracteres pertencem às espécies indígenas?”

“Vamos ver, devemos descobrir a partir de agora?”

Felicia respondeu com uma risada.

 

&

 

Do norte, ele dirigiu-se para o sul.

Seus passos eram lentos, mas estáveis.

O dia e a noite passaram, até chegar a um lugar onde a vegetação era espessa— uma terra chamada Karamis no Mundo Demônio.

 

&

 

Felicia terminou a pesquisa do primeiro andar e dirigiu-se ao segundo andar subterrâneo. O segundo andar era significativamente diferente do primeiro andar. À medida que a cripta continuava, surgiram espaços que poderiam ser chamados de salas, mas não tinham estrutura especial.

O cheiro do poder mágico que vindo do fundo da masmorra tornou-se mais forte, e a luz do teto era mais brilhante do que a do primeiro andar.

Como o primeiro andar, o segundo andar tinha uma estrutura simples, então o tempo de exploração foi rápido.

Felicia dirigiu-se para o terceiro andar.

 

&

 

Ele entrou em Karamis, e seus passos se tornaram um pouco mais rápidos.(Kokori: Sei lá quem é esse.)

 

&

 

A estrutura do terceiro andar era mais simples que a do segundo andar. Era apenas uma grande sala com tetos altos e escadas que levavam ao quarto andar.

A luz do teto tornou-se mais brilhante e o aroma do poder mágico mais forte.

Felicia estava imersa em pensamentos enquanto copiava todos os caracteres nas paredes.

Já passou algum tempo desde que eles entraram na ruína. Mesmo se eles se apressassem, ficaria completamente escuro quando deixassem a ruína.

Então, seria bom voltar para um lugar seguro no segundo andar e dar uma pausa.

No entanto, ainda havia um pouco mais de tempo. Cada vez que desciam as escadas, a estrutura tornava-se mais simples.

Eles poderiam continuar indo para baixo.

Silvan disse que seguiria a vontade de Felicia como sempre. Depois de um breve momento angustiante, Felicia desceu as escadas levando ao quarto andar subterrâneo.

 

&

 

Era tarde da noite.

Os membros da tripulação de Silvan, que estavam guardando a entrada da ruína, montaram fogueiras e fortaleceram o perímetro.

O forte poder mágico era uma forte atração para as criaturas. Eles não sabiam se o poder mágico saindo da entrada das ruínas tentaria qualquer criatura.

Como Silvan e Sepira estavam ausentes, o primeiro oficial, Tirion, era o responsável pela segurança. Ele observava a escuridão com um cigarro na boca. Então o som de sussurros perturbava seus ouvidos.

Tirion virou os olhos para o som.

 

&

 

O terceiro e o quarto andares eram completamente diferentes. Era claramente um espaço mais complexo do que o primeiro andar. A ruína era enorme.

Por que esse local existe? E por que não havia nada em um espaço tão grande? Apesar do abundante poder mágico, mesmo a criatura mais pequena não podia ser vista.

Graças à luz do teto, o interior da ruína estava iluminado como o dia, e Felicia estava determinada a aprofundar.

 

&

 

As nuvens esconderam a lua e, na escuridão, ele avançou. Haviam sinais claros de sua passagem.

Todos os que guardavam a entrada da ruína tinham desaparecido.

O processo pelo qual os membros da equipe morreram foi diferente, mas o resultado era o mesmo. O corpo de Tirion foi privado da vida e seu corpo esmagado.

Tudo em seu caminho virou o pó. Ele deu um passo à frente. Lembrando as memórias de 1.000 anos atrás, respirou fundo e a fragrância do poder mágico atingiu o nariz.

“Drenar.”

O homem disse.

Ele proferiu como o Cavaleiro da Fome.(Kokori: Agora sabemos quem é, pelo jeito os Cavaleiros tiveram algum envolvimento com o que aconteceu 1.000 anos atrás.)

 

&

 

A luz do teto enfraqueceu momentaneamente.

Felicia olhou para o teto reflexivamente.

Silvan virou-se. O olho esquerdo descoberto estreitou enquanto olhava em uma certa direção.(Kokori: Carai mano, ele tirou o tapa olho, agora o negócio vai ficar sério.)

O ar mudou. Era algo que não podia ser expressado.

Felicia sentiu isso também. Era um instinto.

Alguém estava se aproximando.

“Shutra.”

Felicia olhou para as Lágrimas de um Elfo Negro em seu dedo quando a escuridão engoliu a ruína.

 

&

 

In-gong abriu os olhos. Ele ergueu a parte superior do corpo, buscando por ar como se tivesse tido um pesadelo. Ele olhou reflexivamente para as Lágrimas de um Elfo Negro pendurado em seu pescoço e levantou de repente.

As lágrimas roxas de um elfo escuro perderam sua luz. Não havia mais nenhum brilho.

Por quê?

In-gong não pensou mais e gritou para Águia Branca.

 

&

 

Coincidência e inevitabilidade—

Eles estavam uma confusão emaranhada.

O Cavaleiro da Morte olhou para o sul.

O Cavaleiro da Guerra sentiu o combate que estava por vir.

Muito longe…

Não havia muito tempo.

O Cavaleiro da Fome levantou o pé na entrada da ruína.

Ele deu um passo para dentro.(Kokori: Tan tan tannnnn.)

Comentarios em Breakers: Capítulo 137

Categorias