iLivro

Agravamento #2

Curtis tinha um número bastante grande de tropas do Palácio do Rei Demônio posicionadas lá.

Em comparação com outras áreas, Curtis tinha muita chuva, então o solo não secava. O contrário de Evian, que era um deserto, Curtis era uma terra abençoada.

Na parte ocidental que tinha contato direto com a Linha de Limite do Oeste, o clã Paran era o eixo principal do exército. O número de membros do clã atingia 1.000, e quase todos eles faziam parte do exército do Rei Demônio. Eles eram gigantes, então cada um poderia exercer a força de centenas de soldados.

Ao sul da Linha de Limite do Oeste, os homens-lagarto residiam em uma enorme área pantanosa que limitava a grande floresta. Ao contrário dos homens-lagarto que viviam perto das Montanhas Jishuka, estes eram leais ao Palácio do Rei Demônio por um número significativo de anos. A superioridade do clã Paran era grande, de modo que os homens-lagarto ficaram relativamente subvalorizados. No entanto, eles possuíam excelente coragem e habilidades de combate excepcionais.

Na parte leste de Curtis, o exército consistia principalmente de orcs. Os orcs ocupavam uma proporção considerável de quase toda a área de Curtis, não apenas o leste, mas o oeste e o sul também. Se o clã Paran e os homens-lagarto fossem órgãos importantes, os orcs eram o sangue que os faziam funcionar adequadamente.

A floresta, onde os caçadores Gullam estavam localizados, era a área mais distante do oeste e leste de Curtis, e apenas um pequeno número de soldados foram colocados lá. Como era a retaguarda com pouca chance de enfrentar o inimigo, apenas uma pequena unidade era necessária para patrulhar e manter a segurança.

À medida que a parte oeste de Curtis desembarcava nas mãos dos bárbaros do oeste, o 3º Príncipe Victor e o chefe dos Paran, Berkintox, seguiram para o sul e o leste, respectivamente.

O objetivo de Victor era obter os homens-lagarto. Em uma situação em que a traição da tribo Paran fosse evidente, ele colocava mais esperança no sul do que no leste. Era provável que os homens-lagarto, que geralmente estavam em condições ruins com o clã Paran, não concordassem com uma rebelião.

Como Victor esperava, Berkintox não se aliou com os homens-lagarto. Assim, Berkintox dirigiu-se para o leste em vez do sul. Ele usaria os orcs, que se revoltaram no oeste, para absorver os orcs do leste e transformá-los em aliados. Simultaneamente, eles interceptariam a conexão entre o Palácio do Rei Demônio e Curtis.

Era uma noite extrema. Toda Curtis foi abalada pela destruição das formações de transporte.

Berkintox sentou-se na parte de trás de um poderoso monstro e olhou para o leste. O monstro parecia um cavalo, mas tinha seis pernas, e cresceu além da Linha de Limite do Oeste. Foi um presente especial que os bárbaros prepararam para Berkintox.(Kokori: O cara deve ter pelo menos uns 10 metros, imagina um cavalo pra ele, é um colosso…)

A vida de Berkintox foi marcada pela luta com os bárbaros. Ele tinha vivido uma vida como um guerreiro fiel do Palácio do Rei Demônio.

Então, não era de admirar que Anastasia nunca teria imaginado a traição do clã Paran. Nas centenas de anos desde que o Palácio do Rei Demônio foi estabelecido, o clã Paran sempre foi leal. Muitos anos se passaram sem mentiras.

Além disso, não havia nenhum motivo para o clã Paran trair o Palácio do Rei Demônio. A parte oeste de Curtis pertencia originalmente ao clã Paran. Eles viveram na terra e lutaram contra os bárbaros além da Linha de Limite antes que o Palácio do Demônio tivesse sido estabelecido. Eles não foram obrigados a se juntarem ao exército do Rei Demônio.

As pessoas do clã Paran não eram tão tolas como as várias espécies encontradas em todo o Mundo Demônio— Berkintox e seus antepassados ​​não esqueceram um fato.

O clã Paran era forte, mas o Palácio do Rei Demônio do Rei era mais forte. Mesmo que o clã Paran se revoltasse e tomasse Curtis, só duraria pouco tempo. O clã Paran não seria capaz de aguentar quando o Palácio do Rei Demônio se movesse para recuperar Curtis. Era um fato que eles se sentiram mais fortes devido à pertencerem ao exército.

Mais uma vez, não havia motivo para traição, pois as consequências da traição seriam terríveis. Por que eles incitariam uma rebelião apesar de saber disso? Qualquer um que duvidasse da tribo Paran eram loucos. É por isso que a Anastasia não sentiu nenhuma dúvida, e tampouco Victor poderia imaginar a traição do clã Paran.

Berkintox fez cálculos na cabeça dele. Ele descobriu o tempo que levaria para o Palácio do Rei Demônio descobrir que as formações de transporte haviam sido destruídas e o tempo que levaria para despachar o exército.(Kokori: Esse gigante ai é um reencarnado? O cara não era pra ser um guerreiro? Como ele ta parecendo ser tão esperto?… perguntas e mais perguntas.)

Então Berkintox concluiu que era o suficiente. Ele poderia lutar contra o Palácio do Rei Demônio e vencer.

Era impossível apenas com o clã Paran. Este era um objetivo que não poderia ser realizado mesmo que eles se juntasse aos bárbaros. Mesmo que todos os poderes em Curtis fossem reunidos, seria apenas um sonho.

No entanto, Berkintox sonhou com o impossível. Ele realmente pensou que era possível.

Era devido à pessoa que ele conheceu. Era graças a ele que Berkintox e os bárbaros do oeste poderiam unir forças.

Seu plano, seu objetivo…

A queda do Palácio do Rei Demônio. Era inevitável que uma nova ordem dominasse o Mundo Demônio.

Berkintox produziu a energia vermelha da Guerra. Como apóstolo da Guerra, ele espalhou as chamas da Guerra.

&

A noite se aprofundou.

Os bárbaros que cercavam a fortaleza central não atacaram instantaneamente. Eles apenas gritaram de forma estranha a noite toda.

Era um ato inteligente.

Havia organização nos movimentos dos bárbaros, que parecia desordenado à primeira vista. Eles se moveram em turnos. Havia um grupo que uivavam para assustar a fortaleza central e um grupo que descansava. O comportamento dos bárbaros era para ocultar várias coisas.

Primeiro, era comprar tempo suficiente para reunir mais bárbaros. Os bárbaros ainda estavam vindo de além da Linha de Limite do Oeste. Os bárbaros que ajudaram a tribo Paran, a dominar as outras fortalezas, estavam se movendo para a fortaleza central.

O segundo era para incomodar a fortaleza central. Os bárbaros sabiam que não haveria luta durante a noite. Também era praticamente impossível que as tropas posicionadas na fortaleza central começassem a batalha primeiro.

No entanto, a fortaleza central não sabia desses fatos, que significava que eles não podiam descansar facilmente por um momento durante a noite. Além disso, ficar acordado a noite toda causaria tensão e fadiga que enfraqueceria o exército.

Em terceiro lugar, a noite era a hora dos nightmares. Os bárbaros não eram noturnos. Era o dia, não a noite, que era familiar para eles.

A noite era a hora dos nightmares. Anastasia e suas tropas de nightmares poderiam exercer mais poder durante a noite do que durante o dia. Então, do ponto de vista dos bárbaros, era natural evitar uma batalha noturna. Lutar contra o inimigo naquele momento, quando eles eram mais fortes, seria um ato tolo que nem mesmo um monstro faria.

Anastasia descobriu tudo isso, mas mesmo que ela lhes dissesse que não haveria luta hoje à noite, os soldados da fortaleza central não poderiam descansar. No final, era apenas um palpite. Além disso, se os soldados não fossem vistos nas paredes, os bárbaros atacariam. Os bárbaros detinham a iniciativa nesta luta.

Anastasia pensou positivamente. Comprar mais tempo não era apenas útil para os bárbaros. Embora Victor tenha abandonado Anastasia, ela não desistiu. Ela aguentava. Se ela sobrevivesse por um tempo, ainda havia esperança.

Anastasia ordenou que os nightmares descansassem e também os soldados nas paredes dormissem em turnos. Os nightmares usavam magia de sono, única deles, para os soldados que não podiam dormir devido à tensão e ao medo.

Depois de subir ao topo das paredes, Anastasia olhou para os bárbaros. De acordo com suas estimativas, seu número ultrapassava 20 mil.

Por quanto tempo ela poderia aguentar?

Anastasia não calculou. Nas poucas horas que antecediam a batalha, ela preparou tantos feitiços mágicos quanto possível.

Então, na madrugada, o sol começou a nasceu para sinalizar a manhã.

Os bárbaros começaram a se mover.

&

O rugido de um monstro anunciou o início da batalha. Seguido do som de chifres que abalou toda a fortaleza central.

Os bárbaros eram fiéis ao básico. Haviam 20.000~30.000 guerreiros, então eles escolheram os meios de ataque mais efetivos quando cercavam uma fortaleza. Eles correram de todos os lados da fortaleza central com gritos que pareciam rasgar o céu.

As paredes da fortaleza central eram grossas e altas. Mesmo que o clã Paran tivesse uma altura média de 10 metros, as paredes altas tinham pelo menos 30 metros de altura. Além disso, soldados do exército do Rei Demônio estavam presentes. Embora fossem insuficientes, em comparação com os 30 mil inimigos, eles não perderam os nervos enquanto lutaram bravamente.

“Disparar!”

Os soldados dispararam flechas da fortaleza. Os bárbaros levantaram seus escudos acima de suas cabeças e atravessaram a forte chuva de flechas. O número de flechas era menor do que o número de bárbaros que estavam vindo das quatro direções.

Os bárbaros se colaram às paredes. Alguns estavam carregando ganchos e escadas recuperadas das fortalezas perto da Linha de Limite.

As tropas do Rei Demônio derramaram óleo fervente e pedras de cima das paredes. Já era uma situação em que não podiam disparar flechas enquanto os bárbaros subiam as paredes.

Kwang!

Houve um rugido e as paredes tremeram significativamente. Era o som de um monstro, cujo corpo tinha cerca de 20 metros de comprimento, batendo contra as paredes. A cabeça do monstro era muito grande e forte.

Os soldados estavam confusos com a existência de tal monstro. Eles não podiam imaginar como lidar com isso. Originalmente, o clã Paran seria o único a lidar com esses monstros. Então, era duvidoso que os ataques de monstros comuns funcionassem.

No entanto, não eram apenas os monstros que atingiram as paredes, o que tornou as coisas difíceis. Bárbaros montando nas costas de wyverns cobriam o céu. Alguns dispararam tiros de energia em direção às paredes, enquanto outros desceram e levaram soldados.

Nesta situação terrível, a única coisa em que eles podiam acreditar era magia. Os 200 nightmares enviados para Curtis, juntamente com Anastasia, derramaram magia em direção aos bárbaros.

No entanto, não foi eficiente. A magia mental, que era a melhor especialidade dos nightmares, estava sendo bloqueada. A aura vermelha em torno dos bárbaros significava que eles não caíam na atração dos nightmares. Os nightmares não tiveram escolha senão responder com feitiços de ataque.

Anastasia estava na parede oeste, que estava recebendo os ataques mais pesados. Ela vestia armadura e procurou o chão e o céu com olhos frios.

Ela era uma das três crianças mais próximas a se tornar o Rei Demônio, e a posição do Rei Demônio não era algo que ela pudesse obter apenas pela força de suas poderes.

Anastasia disparou relâmpagos no céu, e houve um som alto como uma tempestade. Um relâmpago branco brilhou, e um enorme raio atingiu um wyvern. O wyvern caiu no chão sem gritar, e o relâmpago continuou. Ele saltou e atingiu outro wyvern.

Anastasia não observou a sequência de mortes. Quando o relâmpago atingiu, surgiram grandes chamas de suas mãos. A barreira do fogo varreu do chão até o topo da parede, queimando impetuosos os bárbaros pendurados na parede.

Havia gritos de alegria dos soldados do Rei Demônio. Em vez de se alegrar, Anastasia prendeu a respiração. Ela criou uma nova cadeia de relâmpagos depois que a última corrente se desfez no quinto wyvern.

Como esperado de uma criança do Rei Demônio. Ela era um raio de esperança para os soldados. Actius, o rei dos bárbaros ocidentais que observava a visão de longe, sorriu alegremente.

Poderosa magia era necessária para derrubar um wyvern com um ataque. Quantas vezes ela poderia usar essa magia? Embora ela fosse uma criança do Rei Demônio, ela era apenas uma mulher no começo de seus 20 anos. Mesmo que suas realizações mágicas fossem excelentes, ela claramente tinha limites.

Actius deu um comando.

‘Continuem.’

Ele não se importava com o número de sacrifícios, desde que ele pudesse cuidar da bela filha do Rei Demônio.

Não era que os bárbaros não tinham medo da morte. Era comum que eles hesitassem se fossem mortos por um feitiço mágico terrível. Anastasia sabia desse fato, e era por isso que ela estava usando alguma magia extrema, apesar de não ser sensato.

No entanto, algo inimaginável estava ocorrendo. Após a ordem, os bárbaros correram para a frente sem nenhum medo. Eles ofereceram suas vidas generosamente. Era devido à aura vermelha da Guerra. Ao contrário daqueles paralisados ​​pela razão, eles absorveram a loucura da Guerra e não temeram a morte.

Os ataques foram repetidos, e numerosos bárbaros foram mortos pela magia brilhante. No entanto, a onda de bárbaros nunca parou.

Enquanto continuavam a correr para a frente, a magia dos nightmares tornava-se mais fraca. O uso irracional de magia corrompeu o espírito de alguns dos nightmares. Além disso, usar uma magia tão forte em sucessão drenou o poder mágico deles.

Anastasia ainda parecia forte, mas era apenas uma questão de tempo. O intervalo em que ela usou a magia tornou-se um pouco mais longo, e o número de soldados que começaram a empunhar uma espada, em vez de magia, para os bárbaros aumentou gradualmente.

Actius sorriu animadamente para esta visão enquanto observava Anastasia euforicamente.

Algum tempo se passou

Os soldados nas paredes estavam exaustos. Um minuto parecia como um longo tempo, e as intermináveis ​​ondas de bárbaros exaustaram o espírito do exército do Rei Demônio.

O suor escorria pelo corpo de Anastasia. Ela havia matado mais de 20 wyverns, mas ainda haviam mais no céu. Cinco bárbaros montando wyverns zombaram de Anastasia.

Ganchos foram presos nas paredes. Os bárbaros envoltos em energia vermelha estavam subindo rapidamente nas paredes. Ironicamente, a parede oeste, que continha Anastasia e a defesa mais forte, seria a primeira a cair.

Anastasia apertou os dentes. Mesmo que sua magia mental não funcionasse, ela não poderia deixar isso terminar assim. Ela não podia tolerar o fato de que ela nem poderia durar um dia.

Ela espremeu seu poder mágico. Ignorando a fadiga mental, Anastasia bebeu poções para restaurar seu poder mágico. Finalmente, ela apontou Flecha de Fogo para a cabeça de um bárbaro que chegou ao topo da parede.

Mais uma vez, sua magia não a traiu. A Flecha de Fogo não parou ao perfurar a cabeça do bárbaro e a queimou também. O bárbaro gritou e caiu da parede.

Naquele momento, a visão de Anastasia ficou vermelha. Era uma incapacidade temporária causada pelo uso excessivo de poder mágico.

Ela se recuperaria em alguns segundos no máximo, mas esse tempo era fatal em um campo de batalha. Enquanto os olhos e as orelhas de Anastasia eram cobertos por alguns segundos, muitas coisas aconteceram. Alguns bárbaros subiram pela parede e brandiram suas armas contra os soldados cansados.

Então um monstro atingiu a parede. A terra tremeu, e os wyverns gritaram no céu. Anastasia cambaleou. Uma vez que ela recuperou a visão, levantou a cabeça. Naquele momento, ela mal conseguiu se conter de gritar enquanto de joelhos.

Um wyvern estava bem na frente dela. As garras afiadas estavam dirigindo-se a ela como um falcão agarrando uma presa. Ela precisava usar magia. Pelo menos, ela deve mover seu corpo e evitá-lo. Anastasia se moveu desesperadamente, soltando descargas aleatórias de poder mágico enquanto rolava pelo chão.

Kiaack!

O wyvern voou e evitou a explosão de poder mágico. Anastasia rolou pelo chão e levantou-se apressadamente. Então um bárbaro se aproximou e balançou um porrete para a cabeça de Anastasia. A assessora de Anastasia, Chandra, gritou, e Anastasia torceu seu corpo. Depois de evitar o porrete, Anastasia agarrou as costas do bárbaro e soltou o poder mágico, derrubando-o.

Anastasia ofegou fortemente antes de endireitar sua postura. Chandra suspirou com alívio, mas naquele momento, o Wyvern anterior descobriu Anastasia novamente e voou para a frente com a boca aberta.

Era um tiro de energia. Anastasia sentiu-se incapaz de evitá-la desta vez. O desespero e o medo foram vistos em seus olhos pela primeira vez.

Ela teve que se mover e se mover e evitar esse ataque de alguma forma!

Kwakakakakang!

Houve um barulho alto. Anastasia tremeu, mas depois viu.

Um enorme pilar de luz estava atravessando o wyvern. O pilar de luz brilhava um verde intenso. Não era possível compará-lo ao tiro de energia do wyvern.

Anastasia cambaleou, então de repente, havia um braço forte enrolado em torno de sua cintura. Uma névoa azul escura se espalhou por ela. Pouco depois disso acontecer, Anastasia percebeu que estava nos braços de alguém.

Anastasia, que pensou em Baikal por um momento, piscou, olhando fixamente para a figura diante dela. Ela ficou tão surpresa que levou um momento para recordar o nome dele.

“Sh-utra?”

Em vez de responder, seus olhos afiados olharam para o campo de batalha. Anastasia voltou a ficar confusa. Ao longo dos últimos meses, Shutra ganhou algumas conquistas brilhantes. Nos encontros tribunais, ele mostrou uma aparência diferente de seu antigo eu. No entanto, ela não podia deixar de se surpreender.

Ele parecia assim? Não, esse realmente era o Shutra?

Ele era alto, seus braços estavam firmes, e a aura e o poder mágico estavam transbordando dele.

Anastasia se recuperou. Enquanto ela permaneceu nos braços de Shutra, ela restaurou o raciocínio o máximo possível.

Shutra estava aqui. Os reforços já chegaram? Felicia liderou os Gullam aqui?

A alegria se disparou de dentro dela, mas, ao mesmo tempo, ficou confusa.

Era impossível— a distância era muito grande. Era simplesmente impossível que Felicia e reforços chegassem aqui.

Anastasia olhou para o céu. Ainda estava cheio de bárbaros andando em wyverns. Naquele momento, Anastasia entendeu.

Shutra estava sozinho. Shutra foi o único que chegou à fortaleza central.

In-gong lsoltou Anastasia de seus braços. Enquanto suas pernas falhavam, Anastasia olhou fixamente para In-gong. Ela não conseguiu entender.

‘Por que Shutra veio a esse lugar? ’

‘O que ele pode fazer sozinho? ’

In-gong olhou para Anastasia. Parecia que ela tinha falado involuntariamente esse último pensamento.

In-gong sorriu em vez de responder. Ele ativou Sangue de Dragão e seu núcleo quádruplo ao mesmo tempo.

Treme Terra deu um rugido enraivecido, e um tremendo poder subiu do corpo de In-gong. Era um poder que parecia que poderia sobrecarregar os arredores apenas por ficar ali. Era como uma resposta a sua pergunta sobre o que ele podia fazer sozinho.

Anastasia abriu a boca inconscientemente. Então In-gong se virou. Ele observou a energia da Guerra que cobria todo o campo bárbaro e desencadeou o poder da Conquista.

“Abaixo da Bandeira do Rei.”

In-gong pegou a bandeira branca.

O poder da Conquista se espalhou com cada passo que In-gong dava.

A luta do Cavaleiro da Conquista começou.

Comentarios em Breakers: Capítulo 159

Categorias