Advento# 5

Na história, a cavalaria poderia ser dividida em dois tipos.

Haviam aqueles que usavam a sua mobilidade para atacar e afastavam-se, repetidas vezes ou aqueles que se uniam como uma cavalaria de pedra poderosa para empurrar atrás das linhas inimigas…

Os centauros da tribo Fogo Poderoso estavam mais próximos à cavalaria de arqueiros.

Os centauros, incluindo Olhos Ferozes, puxaram seus arcos e dispararam. Disparando um arco de um cavalo era uma tarefa que necessita de elevado treinamento, mas não era necessário para os centauros.

In-gong precisava que eles chamassem a atenção dos casios, não derrotá-los.

Como os casios tinham mais números do que eles, Olhos Ferozes não queria avançar de forma imprudente nos casios. Então, ele disparou flechas em vez disso. As flechas voavam em um grande arco.

A chuva de flechas caindo do céu era o suficiente para causar pressão, mas os casios apenas correram para a frente e não evitaram as flechas.

Os da frente foram atingidos pelas flechas, mas um número muito maior de casios passou pela chuva de flechas. Eles estavam sendo controlados ou não se importavam com a morte. Alguns deles até mesmo pegou as flechas em suas bocas.

Os centauros escutaram uns aos outros e dispararam flechas em sucessão. Dezenas de casios morreram quando a chuva de flechas caiu. No entanto, a distância entre os casios e os centauros estava diminuindo rapidamente.

Após a terceira flecha, Olhos Ferozes mudou de um arco para uma lança. Os casios tinha uma mobilidade comparável ao centauros porque eles estavam correndo para suas mortes.

Eles não se preocupam com o combate corpo a corpo.

Olhos Ferozes gritou com raiva.

Seu rugido sacudiu os céus e a terra, mas In-gong não olhou para trás para Olhos Ferozes e o campo de batalha. In-gong utilizou o mini-mapa para direcionar o draco.

Uma parte do grupo de casios se separou e foi em direção ao templo. Parecia que In-gong não seria capaz de evitar uma luta.

‘Há um monte deles.’

Ele supôs que havia dezenas deles. Era possível porque em comparação com In-gong e os centauros, os casios tinham números superiores.

Carack, que estava no draco ao lado In-gong, perguntou-lhe:

“Príncipe! Você apenas tem que entrar no templo? ”

In-gong tinha que fazer precisamente isso. Vento Verde não lhe disse as capacidades do poder, apenas que o poder estava dormindo no pequeno templo.

No entanto, In-gong apenas acenou a cabeça. Ele respondeu como um rei falando com os seus homens.

“Sim! Nós seremos vitoriosos, se chegarmos ao templo! ”

Carack riu com as palavras de In-gong. Ele segurou o machado anão e gritou com entusiasmo,

“Então vamos atravessá-los! ”

Carack aumentou a velocidade do draco e deu um grito de batalha como uma formação de cunha centrado ao redor de In-gong formou naturalmente.

“Karaha! ”

Era o grito de um guerreiro que levantou os espíritos dos aliados. In-gong esfaqueado o ar com um punhal anão.

“Abaixo da Bandeira do Rei! ”

Foi a primeira vez que ele tinha usado Abaixo da Bandeira do Rei desde que obteve a Bigorna Trovão da Luz. O nível de Conquista e Abaixo da Bandeira do Rei haviam subido.

Uma grande bandeira feita de pura luz branca desdobrou-se pelas costas de In-gong. A luz espalhou para cobrir Carack, bem como Karma e os centauros correndo com In-gong.

Karma, que estava dentro do alcance de Abaixo da Bandeira do Rei, sentiu uma descarga de vitalidade através de seu corpo. Os centauros foram à loucura e saltaram contra o vento.

In-gong sentiu a mudança. Todos aqueles afetados por Abaixo Bandeira do rei havia se tornado um.

“Atravessem-os! ”

“Karaha! ”

Carack respondeu à ordem de In-gong. Rodeado por luz branca, as tropas de In-gong eram como uma flecha penetrante.

Os 33 casios e três criaturas, que pareciam ser ogros drakes, eram como uma ilusão bloqueando In-gong de chegar a Vento Verde. Em vez de desacelerar, Carack apenas balançou seu machado tão forte quanto podia.(Kokori: Tem o ‘draco’ que pelo jeito é um lagarto que é usado como montaria, e esse ogro ‘drake’, que são aqueles bichos misturados, no inglês ambos estão ‘draco’ e ‘drake’.)

Um choque violento ocorreu. Sangue e carne dispersos no ar enquanto houve um uivo.

In-gong instintivamente percebi uma coisa – seria o fim se eles parassem. Eles tinham que continuar atravessando.

Karma pulou e pisou na cabeça dos casios. Carack moveu seu machado como um louco enquanto ele abriu o caminho, enquanto os centauros bloquearam o acesso com suas lanças.

Os casios não foram atacados em silêncio. Eles correram e derrubaram alguns centauros para o chão. Os centauros foram reforçadas por Abaixo da Bandeira do Rei, mas eles não eram invencíveis. Os dentes afiados e garras dos casios pegaram os centauros.

Gritos horríveis atingiram seus ouvidos, mas ele não podia parar. Carack rugiu alto,

“Príncipe! Vá! ”

A estrada foi aberta e o pequeno templo estava bem na frente dele.

“Kuratha! ”

Um ogro drake gritou urgentemente e tentou bloquear o caminho de In-gong, mas foi inútil. Karma saltou para pisar na cabeça do ogro drake enquanto o machado de Carack atingiu seu lado. O ogro drake, que era muito maior do que Carack, perdeu o equilíbrio e caiu de lado.

In-gong atravessou a lacuna aberta. Ele estava agora bem na frente e diante dos seus olhos, viu um ogro drake batendo na barreira de luz verde em torno do pequeno templo.

“Barreira de Vento Verde! ”

Um dos centauros seguindo In-gong gritou. In-gong correu e puxou seu braço direito. Uma luz vermelha e amarela emanou da Treme Terra enquanto o draco usado sua velocidade instantânea. O ogro drake rapidamente se virou, mas In-gong já havia atingido ele e In-gong não poupou sua aura.

O poder de uma explosão!

Aura branca amplificada pela Treme Terra atingiu o ogro drake. Ao contrário de como os casios tinha explodido, o ogro drake não explodiu, mas ele foi empurrado para trás e caiu no chão.

A parede de luz verde não bloquear In-gong e seu grupo. In-gong passou através da primeira parede, seguido por Carack, Karmas e os centauros.

Carack mais uma vez sabia o que tinha que fazer. Em vez de entrar no templo junto de In-gong, ele segurou seu machado e esperou na entrada do templo com Karma e os centauros.

Ao contrário do partido, os casios e ogros drakes não podiam atravessar a barreira, então eles estavam batendo contra ela.

‘Rápido! O equipamento de Enkidu irá guiá-lo!’

A voz de Vento Verde foi ouvida na cabeça de In-gong. In-gong desceu do draco e correu profundamente no templo com o poder mágico de Enkidu na Treme Terra guiando o caminho.

Uma grande árvore estava crescendo no meio de um lugar plano na parte mais profunda do pequeno templo. Apesar de estar no interior do edifício, a árvore com suas raízes e ramos era o suficiente para suportar todo o pequeno templo.

O poder mágico de Enkidu ressoou. In-gong estendeu seu braço direito que estava vestindo Treme Terra e o poder mágico de Ainkel foi liberado de dentro da árvore.

Em seguida, In-gong estava em pé em frente de algo que parecia uma árvore enorme, mas não era uma. Dezenas de troncos de árvores cobertas de luz verde se uniram. Parecia um botão de flor que se abria.

In-gong respirou fundo. Toda vez que uma árvore abria, o poder mágico de Ainkel tornava-se mais forte e Treme Terra emitia mais luz.

Finalmente, a coisa escondido dentro da árvore foi revelada a In-gong. Era uma pedra verde do tamanho de um punho localizado entre as dezenas de árvores. In-gong percebeu naquele momento em a que viu brilhando como uma jóia.

‘Coração de Dragão!’

Era a fonte de poder mágico que cada dragão tinha. Ele simbolizava que todos que tinham eram descendentes dos grandes reis.

Não era um pedaço completa. Vento Verde havia dito que apenas um fragmento estava aqui. No entanto, esta não era de um dragão comum; era um pedaço do dragão ancião, Ainkel.

A luz verde que rodeando as árvores tomou a forma de Vento Verde. Ela apareceu na frente de In-gong e explicou em uma voz urgente,

“Há muito tempo atrás, a Sentinela Ainkel fez as Planícies Enger um deserto usando uma grande magia. Esse templo está localizado no centro daquela magia.”

Tinha sido de fato o feito de um dragão ancião. Vento Verde agarrou a mão de In-gong e disse,

“Eu vim do fragmento de Ainkel mas eu mudei ao passar de tantos anos desde que eu nasci. Por favor, acorde magia de Ainkel que permanece neste templo. Ela deixou a mágica para vigiar as Planícies Enger e suas crianças.”

Uma vez que a mão de Vento Verde o tocou, In-gong foi capaz de compreender a situação fora do pequeno templo. A barreira de luz verde ao redor do templo estava à beira do colapso e um confronto feroz estava ocorrendo entre os centauros de Olhos Ferozes e os casios.

In-gong respirou profundamente e recordou o incidente com a Bigorna da Luz do Trovão

Desta vez, ele não tinha Felicia e Caitlin mas ele tinha que fazer isso, mesmo se ele estava sozinho.

In-gong esticou o braço direito e levantou a mão sobre a pedra verde que era um pedaço de Ainkel.

&

Desde o início dos tempos, havia seis grandes dragões do mundo.

Um deles…

Ela tinha nascido a partir do vento que varreu o mundo.

Seu nome tinha sido Ainkel, que assistiu. Ao contrário de Enkidu, que era um tirano, ela era uma mulher gentil e bela, que assistiu os nascidos na terra.

In-gong viu uma ilusão de um dragão coberto de escamas verdes. Não havia nenhum sentimento de intimidação e medo como quando ele tinha visto Enkidu. Ela era enorme, mas também bonita e natural. Ela tornou-se como uma nuvem no céu ou uma ilha no mar como ela se tornou parte da paisagem.

Seus olhos verdes emitiram uma luz quente quando ela olhou para In-gong. Ele fechou os olhos pelo calor daqueles olhos verdes.

[Escrita dos Dragões Lv1 foi aprendido.]

A voz clara foi ouvido em sua cabeça. Ao mesmo tempo, In-gong entendeu um pouco da magia deixado para trás por Ainkel.

In-gong acordou através do poder mágico de Enkidu e ouviu o vento. O novo poder mágico foi envolvido inteiramente em torno do pequeno templo.

Vento Verde abraçou seus ombros. Tinha sido um longo tempo desde que ela sentiu a magia de Ainkel, então ela ficou emocionada.

Ela olhou para as Planícies Enger do céu. O milagre que ela esperava estava acontecendo. Grandes troncos de árvores brotaram por todo o pequeno templo. Os soldados de Ainkel levantaram do chão e começaram a moldarem-se.

Eles eram treants.

Tudo começou com um, mas logo se expandiu para dezenas. Eles ainda não tinham desenraizado e dado os primeiros passos, mas era apenas uma questão de tempo.

Os casios e ogros drake estavam visivelmente confusos. Os ogros drake, que tinham estado lutando contra os centauros ferozmente, rapidamente viraram-se para o templo, mas dezenas de treants já estavam entre eles e o templo.

Tornou-se assim. Tinha sido arriscado, mas foi bem na hora. Tinha havido um grande sacrifício, mas as Planícies Enger agora estava segura.

Vento Verde suspirou de alívio e voltou para o templo. Ela deu um profundo reverência de gratidão para com In-gong.

No entanto, ela ficou chocada quando ela voltou ao templo. Sem perceber, ela gritou de espanto.

In-gong ainda tinha as mãos sobre o pedaço de Ainkel. Embora o feitiço já havia sido ativado em resposta a magia de Enkidu, a conexão entre In-gong e o pedaço de Ainkel não foi cortada. O poder mágico restante no pedaço de Ainkel estava sendo sugado para as mãos de In-gong.

Por quê? O que estava acontecendo?

Houve apenas uma resposta.

Conquista.

Era a voz da mulher branca.

Ela usava uma coroa de ouro e apreciou o choque de Vento Verde. Ela sussurrou na alma de In-gong.

Governe.

Faça-os submeterem-se.

Mesmo que seja um dragão ancião, faça-os se ajoelharem diante de você.

‘Você, o Cavaleiro da Conquista.’

In-gong não parou. Ele dominou o poder deixado para trás no pedaço de Ainkel.



15

Índice×