GDK: Capítulo 1


Capa GDK

Great Demon King

Autores: Ni Cang Tian (逆蒼天)
Tradutor: Pyown
Revisor: Óóli

A Partir das Profundezas da Sepultura

Han Shuo lentamente abriu os olhos doloridos depois de algum tempo. Todo o seu corpo doía, especialmente a cabeça. Era como se ele tivesse uma enxaqueca severa e tinha coisas aleatórias amontoadas em seu cérebro.

Olhando ao redor, havia pilhas de ossos estranhamente brancos desarrumados espalhados pela escuridão. Houve também uma matéria negra estranha mais para dentro do quarto que fluía um cheiro nauseante.

“Ah. Então, eu estou realmente morto. Esse deve ser o purgatório.”

O coração de Han Shuo transformou-se em cinzas frias, quando ele percebeu que ele tinha morrido em uma idade tão jovem. Merda, ele estava sem sorte! Sua vida passada tinha sido um desperdício, melhor se apressar e reencarnar para garantir sua próxima vida iria ser de forma diferente.

A cabeça de Han Shuo começou a doer intensamente no momento. Depois que ele se agarrou a cabeça e gemeu de dor por um tempo, ele sentiu que tinha aprendido muitas coisas novas.

“Bryan … Bryan … Quem é Bryan?”

Meia hora depois…

Han Shuo ficou atordoado. Ele pensou que a reencarnação no corpo de outro era coisa de filmes e dramas; como poderia ter acontecido com ele? E para dar um passo adiante, ele havia reencarnado no corpo de um estrangeiro. Teve o velhote Chu Cang Lan cometido um erro com a sua magia?

Os olhos de Han Shuo haviam se ajustado lentamente para a escuridão até agora. Ele afrouxou seus membros e trouxe seu braço direito na frente de seus olhos. A mancha negra perto de seu pulso tinha desaparecido, e em seu lugar foram longas, cicatrizes sinistras rastejando como vermes nos braços. Ele estremeceu, uma sensação de frio agarrava suas entranhas.

Esse corpo realmente não era o seu. Han Shuo percebeu que tinha realmente assumido o corpo de outra pessoa …

Embora Bryan já estava morto, Han Shuo conhecia o passado de Bryan por algum motivo. Han Shuo sabia que ele não tinha reencarnado para os EUA ou Inglaterra, ou qualquer um dos países ocidentais. Ele estava em um mundo estranho chamado o Continente Profundo, em um país estranho chamado Império Lancelot. Essa era uma terra estranha com espadas e feitiçaria, aquelas em que raças diferentes viviam.

Os pais de Bryan tinham morrido quando ele era jovem, e ele tinha apenas dez anos quando seus tios tinham vendido ele a um traficante de escravos. O traficante de escravos tinha vendido Bryan por sua vez, para a Academia Babylon de Magia e Força, e sua vida tinha sido sombria desde então.

Bryan morreu quando ele tinha dezesseis anos. Ele havia sido designado para o departamento mais fraco dentro da Academia Babylon – necromancia.

Nesses 6 anos, o trabalho de Bryan era ajudar os alunos de necromancia, limpando os esqueletos, cadáveres e outros lixos depois de uma experiência mágica falha. Fora isso, ele também era responsável por tarefas administrativas aleatórias, como fazer chá, servir água, varrer o chão e matar insetos.

E outra coisa, os alunos que se formavam em necromancia, muitas vezes usavam-o como prática de alvo para testar as habilidades de batalha de seus últimos esqueletos experimentais ou ghouls, ou experimentar magias de necromancia diretamente nele.

O fraco e covarde Bryan tinha sofrido como um inferno nos últimos seis anos. Seu corpo foi coberto com inúmeras cicatrizes e hematomas. Estudantes de necromancia iriam praticar em Bryan sempre que perderam uma batalha mágica contra os dos outros cursos, mesmo se ele estava comendo comida indigesta ou completando uma de suas tarefas intermináveis.

Um jovem de 16 anos, seis anos de tormento. Como cruel isso era para uma criança?

Bryan constantemente pensou em cometer suicídio. No entanto, em sua covardia, ele não poderia mesmo encontrar a coragem de se matar. E assim ele silenciosamente suportou seis anos de tortura.

Finalmente, no dia anterior, uma pequena bruxa chamada Lisa convocou uma aparição e invadiu a sua alma matando-o. Bryan não sentiu dor após a morte, apenas a triste alegria da liberdade.

Depois de jogar cadáveres e ossos de esqueletos quebrados por 6 anos, um outro escravo jogou Bryan para a mesma pilha de lixo.

Han Shuo tinha sentido que a sua vida já estava sombria o suficiente, mas quando comparada com a de Bryan, Han Shuo chorou um pouco. Pela primeira vez, ele sentiu que tinha vivido uma vida decente.

Agora que ele entendeu o que Bryan tinha atravessado, a voz de Han Shuo engasgou quando ele suspirou, “Como poderia, um jovem covarde como você ter vivido neste mundo louco? Bryan, o que eu posso fazer por você agora que eu já ocupei seu corpo?”

Han Shuo de repente sentiu alguns fios do que parecia como o líquido em seu corpo. Sua cabeça doía, ao mesmo tempo que algumas memórias abruptamente foram a tona. Fios de líquido lentamente circularam seu corpo como Han Shuo se perdeu em sua linha de pensamento. Muito mais conhecimento encheu sua mente, cortesia do velhote Chu Cang Lan.

Havia nove níveis diferentes de magia demoníaca, respectivamente conhecidos como o reino sólido, o reino de abrir passagens, o reino de moldar o espírito, o reino verdadeiro demônio, o reino sanguessuga, o reino separação demoníaca, o reino carnal, o domínio das nove alterações e o reino presságio. Praticantes demoníacos poderia fazer o que quisessem e matar quem eles queriam, ignorando completamente toda a moral e a ética na busca do poder absoluto.

Uma vez que um praticante tornou-se um demônio, ele teria a capacidade de mover montanhas e ver tudo.

Após sentar-se um pouco mais, Han Shuo sentiu que ele tinha aprendido muitas coisas que antes eram impensáveis. De uma coisa ele tinha certeza, algo tinha dado errado com a magia de Chu Cang Lan. Sua própria alma tinha desaparecido, mas tinha deixado todo o seu conhecimento e memórias de mágis para Han Shuo.

O fio de líquido se movendo em seu corpo era o fundamento extremamente vital e mágico, Yuan, a base para a formação da força mágica de alguém. De acordo com as memórias de Chu Cang Lan, um praticante demoníaco teria que gastar pelo menos três a cinco anos para cultivar com sucesso o seu Yuan. Han Shuo não tinha feito nada e não sabia nada, mas ele teve um pouco de Yuan que fluía em torno de seu corpo. Apesar de ter sido lamentavelmente fraco, ele sabia que era realmente um Yuan.

Os pensamentos de Han Shuo viraram-se para o velho louco Chu Cang Lan. Ele queria usar Han Shuo como um bode expiatório, mas acabou por enviá-lo para um tempo e lugar estranho. E todo esse conhecimento aleatório de como treinar sua força mágica deve ter sido deixado por Chu Cang Lan.

Embora Han Shuo tinha aprendido um pouco sobre esse estranho mundo graças a Bryan, seu conhecimento foi muito limitado, como Bryan era apenas um burro de carga humilde da Academia Babylon. Os pensamentos de Han Shuo começaram a correr enquanto ele considerava a vida pela frente.

Bryan estava morto, e Han Shuo estava ocupando seu corpo. Han Shuo era agora Bryan e Bryan tinha sido vendido a uma escola de força mágica – essa era uma marca de identidade eterna. Esse mundo estranho tinha punições cruéis e duras para escravos fugitivos, então Han Shuo não podia correr. Era possível que ele não iria conseguir sair e independentemente, ele não tinha sequer uma única moeda de cobre sobre ele.

Após cuidadosa consideração, Han Shuo decidiu voltar para a academia. Só lá ele poderia mudar sua posição de escravo e fazer algo para o lamentável Bryan.

Han Shuo estava todo dolorido. A dor atravessou seu corpo quando ele tentou se levantar, então ele rapidamente sentou-se depois de gritar: “Ai!”

Han Shuo não sentiu nenhuma boa vontade para Chu Cang Lan, que tinha forçosamente o sequestrado aqui. Han Shuo não sabia nada da vida ou o mundo de Chu Cang Lan, só que através de memórias dele, pode-se fortalecer o seu próprio corpo através da formação de sua força mágica. Com algum avanço, pode-se viajar em um piscar de olhos ou mover montanhas e mudar oceanos.

Embora Han Shuo pensou que Chu Cang Lan foi um pouco louco, Han Shuo estava convencido da legitimidade de suas memórias, devido ao fato de que Chu Cang Lan tinha levado os dois diretamente para a lua voando.

Sentindo que não tinha nada a perder, Han Shuo recordou os encantamentos complexos necessários para treinar sua força mágica. Concentrou-se de acordo com o primeiro princípio do reino sólido e procurou controlar esse pouco e fraco yuan mágico.

Quando ele tinha construído sua concentração e tentado controlar o yuan mágico de acordo com as leis do reino sólido, o yuan mágico fez exatamente como foi dito, assim como Chu Cang Lan disse.
Secretamente satisfeito, pensou Han Shuo, que apesar das excentricidades de Chu Cang Lan, as memórias do velho eram úteis. Ele começou a meditar novamente e começou a movimentar o yuan mágico em torno de seu corpo de acordo com a lei do reino sólido.

Han Shuo só veio a si mesmo quando seu estômago começou a roncar. Ele não tinha ideia de quanto tempo ele tinha meditado, apenas que as dores em seu corpo tinham muito diminuído e ele ganhou alguma força nova. Ele tinha visto os resultados depois de apenas meditar por um tempo curto. Esse velhote Chu Cang Lan tinha treinado por quem sabe quanto tempo; não admira que ele até se atreveu a ir para a lua. Han Shuo só podia imaginar como dominador o velhote tinha sido quando ele estava vivo.

Han Shuo notou algo estranho quando ele fez uma pausa no treinamento – que o seu pouco yuan mágico não circulava de acordo com a lei do reino sólido, mas foi realmente circulando através da pele, músculos, ossos e membros de seu corpo inteiro.

O objetivo do reino sólido era a melhoria do corpo físico, um aprimoramento dos músculos, pele e ossos. Além da lenta construção do yuan mágico no reino sólido, havia alguns fanáticos que iriam prejudicar-se a fim de construir simultaneamente seus corpos e o seu yuan. Já que o treinamento simultâneo produziu os resultados mais rápidos.

“Esse método de treinamento é basicamente uma forma de auto-mutilação! Bem, uma vez que Bryan fez coisas semelhantes, talvez o meu progresso no reino sólido seria mais rápido quando eu voltasse para a academia. Talvez não seja tão ruim sendo esse Bryan!”

Han Shuo refletiu com simpatia e planejava para deixar imediatamente o lugar. De repente, ele pensou que era realmente estúpido da parte dele ter ficado tanto tempo no túmulo fedorento; ele não podia suportar por mais tempo.

Uma fraca luz emitiu a partir do topo. De acordo com as memórias de Bryan, Han Shuo sabia que havia uma grande caverna acima dele na qual esqueletos quebrados e cadáveres foram jogados. Ele estava todo doído quando ele se levantou, coberto de cicatrizes. Seis anos de tormento havia muito desgastado corpo de Bryan, para não mencionar sua má alimentação. Como resultado, ele estava desnutrido e magro, com apenas um metro e sessenta centímetros.

Han Shuo estava em cima de algum musgo e se esforçou para puxar seu corpo fraco para cima. Depois de um tempo e cinco ou seis quedas, ele finalmente saiu do túmulo. Han Shuo sentiu uma profunda alegria por estar vivo novamente ao ver raios da lua iluminando a terra e jorrando em todo o cemitério.

Tranquilizado pelo yuan mágico ainda circulando através de seu corpo, Han Shuo pensou positivamente que o que não o matou o fez mais forte. E não era como se ele estivesse sem uma carta escondida. Esse Chu Cang Lan tinha deixado para trás métodos secretos de treinamento que poderiam ser de alguma utilidade, e ajudar Han Shuo a realizar os sonhos que nunca tinha ousado sonhar antes.

No entanto, Han Shuo não tinha ideia de que o yuan que Chu Cang Lan o deixou não só ajudaria a treinar, mas também foi uma semente. Essa semente iria mudar seus pensamentos quando ela mudou seu corpo. Sua mente estava cheia de maus pensamentos antes, mas ele não ousava faze-los. A semente poderia vir a ser sua ruína, como seria incitando o Han Shuo perder o controle de seu próprio eu.

Comentários