iLivro
Qualquer erro de ortografia ou incoerência, deixe nos comentários. Aproveitem a leitura =)

O início da batalha

Quando alcançam os sete, as crianças mais velhas deixam o orfanato e começam sua aprendizagem como mercador novato, trabalhador novato o empregada em treinamento.
Aqueles que não deixam o orfanato ganham dinheiro na aldeia, e pelas regras uma parte do ganhando vai para o orfanato, enquanto o resto vai para suas economias.

Aqueles que tentam manter fundos deixam o orfanato aos dez anos, e suas economias são manejadas pro eles mesmos, para que desenvolvam independência e autoplanejamento.

Quando alcancei os sete, também tentei encontrar trabalho na aldeia pelo orfanato e meu futuro, mas fui detido por Elle-sensei. Já havia juntado montes de dinheiro, pelo GO e outros brinquedos, e se com tudo isso eu ainda fosse trabalhar, é possível que os outros perdessem a motivação, pensando “não estaria bem se não trabalhamos e ganhamos igualmente”.

Com respeito à meus fundos para quando eu deixe o orfanato, Elle-sensei tinha estado colocando uma parte das ganância, pelos direitos do GO e outro brinquedos, aos fundos do orfanato, e o que sobrava ela colocava nas minhas economias.

Como parecia ser muito dinheiro para uma criança de dez anos, Elle-sensei fez uma exceção e cuidava de minhas economias. Agora que alcancei os sete, ela me entregará para que os gerencie por mim mesmo.

Primeiro não quis, já que não precisava receber de volta o que eu tinha dado, mas sensei me forçou a aceitá-lo dizendo “são as regras”.

Se perguntassem o que realmente penso, é que, é uma enviada divina. Ultimamente, queria uma caixa para as balas e um cinturão para o revolver, por isso abaixo minha cabeça, digo obrigado e recebo o dinheiro.


Neste mundo, há cerca de 360 dias em um ano, com trinta dias cada mês, doze meses em um ano. Há alguns dias a mais ou a menos dependendo do ano, mas é basicamente assim.

Além do mais, o continente Feérico-humano em que eu vivo, tem um ciclo de quatro estações, equivalente a primavera, verão, outono e inverno. Há algumas diferenças minúsculas, mas como não me dou bem com o calor, me alegra que tenhamos um clima tropical.

O ardente verão passou e está começando o outono.

Minhas tarefas recentemente tem sido: Ajudar, pelas manhãs, a Elle-sensei com suas aulas, e à tarde, praticar com o revólver e fabricar munição.

Snow, por ter talento mágico, se dedica a fazer trabalhos de meio período nas manhãs e durante à tarde faz o treinamento básico de mago.

“Lute-kun!”

Em meu caminho para a zona de práticas de tiro, que estava atravessando o jardim traseiro, ela me saúda com uma cara sorridente. Ter uma linda garota como amiga de infância é o que mais tem me feito feliz desde que reencarnei; ainda que o revolver que levo na cintura parece desagradar ela.

“Hoje vai experimentar dispositivos mágicos outra vez?”

“Os experimentos acabaram no verão. Agora é prática”

Depois do incidente da falha catastrófica, ela parece querer que eu pare de desenvolver meu revolver, já que parece querer que não faça mais coisas perigosas. Mas desde esse incidente tenho estado tomando medidas de precaução apropriadas para evitar-me o problema, ainda que Snow não parece aceitar e faz um bico com seus lábios. Sem pensar muito evito suas palavras.

“Si quiser pode tocá-lo. Se tentasse disparar, definitivamente, apreciaria as vantagens deste dispositivo”

“Estou bem. Não quero tocar um brinquedo tão perigoso. Além do mais, pare de fazer brinquedos estranhos sem se preocupar”

“Agora está tudo bem, a explosão não voltará a ocorrer. Eu a fiz boa e segura, olhe”

Snow põe suas mãos na cintura, e da um longo suspiro.

sn1

De qualquer modo, seja cuidadoso.“Eu estarei bem, já que tenho a sensei a meu lado, mas você não, assim que não faça nada perigoso”

“Eu entendo, eu entendo. Bom Snow, dê o melhor de si nas aulas”

Quando alcançou os sete, Snow começou a referi-se como “eu” quando tinha outros perto, mas quando estamos sozinhos, ela continua se referindo a si mesma em terceira pessoa… Mas como é tão linda, não há problema.

Então, Elle-sensei aparece dizendo que já é hora.

“Bom, crianças, vamos começar as aulas básicas de mago”

“Te vejo depois Lute-kun. Se cuida”

“Te vejo depois”

Minha linda amiga de infância me vê partir e com uma aparência luxuosa, vou só ao campo de tiro.


Caminhar desde o jardim traseiro até a costa do rio me leva dez minutos. No lado oposto está a entrada aos bosques, onde as crianças não podem ir sozinhas, já que os monstros aparecem ali.

Os monstros gostam de comer a suave carne das crianças e seus órgãos, mas raramente saem dos bosques, e nos arredores, praticamente, não há monstros que possam sair e atacar as pessoas.

Caminho ao longo do rio, sem cruzar e depois de cem metros, chego ao campo de tiro ao lado oposto do rio. Olho os penhascos, de 30 metros, em minha frente e pratico minha pontaria. A terra neles é suave, ao pondo de que se você chuta, a terra seca se desmoronara, o que evita os riscos da bala ricochetear.

Como o alvo, uso figuras humanas que desenhei com uma vara de madeira, e mesmo se desapareçam com a chuva ou o vento, só tenho que desenhá-las outra vez.

Quando a água não está alta, o rio não é muito fundo, assim que reforço me corpo e aproveitando-me de uma área pouco funda, rapidamente, posso cruzar de ida e volta.

Não preciso fazer sacos de areia graças aos penhascos, o que me poupa o esforço. Pondo meu equipamento em um canto, tiro o revolver descarregada do meu cinturão e pega uma caixa metálica nos equipamentos, dentro da qual estão embaladas várias caixas de madeira.

Abrindo uma, dentro tem balas,.38Special9x29.5mmR, para 6 recargas com os detonantes na parte da frente, em grades de 6×6.
[NT: Uma S&W M10, tem um cilindro que comporta seis balas, assim que tinha 36 balas dentro da caixa]

Pego 6 balas da caixa e as coloco, rapidamente, no cilindro do revolver, também pego mais 12 e as deixo em meu bolso.

Seguro o revolver e aponto para uma das figuras humanoides a 30 metros de distância. Puxo o cão, na posição de disparo, aponto a cabeça e dou só um tiro.

“Kuu”

Como esperava o recuo, da pólvora sem fumaça, reproduzido pela mana é perfeito para um corpo de sete anos.

Movo a manda dentro de meu corpo, apenas cobrindo todo o necessário para disparar; pernas, mãos, ombros, costa, e uso o reforço corporal.

BANG! BANG! BANG! BANG! BANG!

Disparo repetidamente, recolocando manualmente o cão depois de cada tiro, chegando a gastar todas as balas do cilindro na cabeça do objetivo.
Praticamente não há imprevistos, comparado com antes, e graças ao reforço corporal, posso suprimir o recuo e aumentar minha pontaria.

Tiro as capsulas do cilindro com o ejetor, e recarrego rapidamente.

Mais uma vez aponto para a cabeça, ainda que desta vez não reposicionei o cão manualmente, só disparo. Os barulhos, de disparos contínuos, se escutam sem sucessão. Comparado com a vez anterior, os tiros estavam mais dispersos devido ao recuo.

Mais uma vez, carrego as balas rapidamente, o que me foi possível graças ao reforço corporal.

Desta vez libero momentaneamente o reforço corporal. O seguinte é um saque rápido.

Deixo o revolver em meu cinturão, e volto a uma postura natural.

“————————-FU!”

Instantaneamente aplico reforço corporal enquanto exalo! Desta vez também pus mana em meus olhos. Meu campo de visão, reflexos e visão cinética se reforçam.

Aponto para a cabeça, da forma humanoide, no penhasco e disparo, com a bala atravessando como se fosse devorada.

Libero o reforço corporal, deixo o revolver no cinturão, e de novo pratico o saque rápido até que as balas do cilindro se acabam.

Depois de repetir os exercícios até que minhas balas acabem, começo a fabricar munição. Primeiro reunos as cápsulas caídas, ponho um pouco de metal liquido mágico que eu trouxe.

Das partes que compõe a cápsula, seu tamanho é 9×29.mmR. Introduzo mana na parte da camada, enquanto imagino a denotação, o arder, a explosão da pólvora sem fumo, então o comprimo e solidifico.

Além do mais, na ponta crio o núcleo da bala, e quanto às propriedades do metal, imagino chumbo e logo a cubro com uma pequena camada. Finalmente, ponho o detonante capaz de provocar uma pequena explosão na parte inferior, cubro tudo e a bala está pronta.

Se chegasse a acabar o metal liquido mágico, ainda me restam economias, pelo GO e outro brinquedos, assim que poderia pedir ao mercado, Malton, mais um pouco; mas como é um item raro, deveria economizar e economizar o que tenho. É Devido a isto, que, reutilizo as cápsulas.

Fabricar a munição é surpreendentemente difícil e requer sensibilidade, já que, se não tenho uma imagem clara, não faço boas cápsulas, a quantidade de poder mágico deve ser justa, nem muita nem pouco, se não imagino a combustão perfeitamente, não tem um poder satisfatório.

Deixando de lado o problemático, se não as faço agora, não posso fazê-las no orfanato a noite. Especialmente, não posso fazê-los perto de crianças pequenas, já que se acontece o pior, seria muito tarde.

Depois de terminar a última bala, terminei organizando-as.

Molho uma toalha, a torço e limpo meu suor com ela, limpando todo meu corpo até estar limpo e volto para o orfanato, contendo meu estomago faminto, sendo banhado na luz do sol.

“Deveria provar um combate de verdade em vez de só alvos? Quero provar quão efetivo e quanto poder tem”


Poucos dias depois, na tarde, quase de noite, no típico ligar de práticas de tiro, termino de fabricar balas.

Depois de me assegurar de não ter balas dentro do cilindro como medida de precaução, ponho o revolver em meu cinturão, ponho as caixinhas de munição em sua caixa e ponho a tampa.

“Lute-kun!”

Dou uma volta para saudar Snow, que vem sorrindo enquanto agita suas mãos e vai rio acima, creio que veio me avisar que o jantar está pronto.

Nestes momentos as crianças da aldeia estão brincando no córrego atrás de Snow, retorno o cumprimento e termino de guardar as coisas antes que ela chegue.

“Kyaaa!”

Minhas mãos que embalavam se detêm por múltiplos gritos, o que me faz olhar confuso aos garotos que brincam 100 metros rio acima, para logo começar a correr dando a costa ao bosque.

Os goblins estão saindo com uma avalanche do bosque, sendo uns quinze, e se parecem com chimpanzés sem cabelo, com grandes cabeças, vestindo trapos e 10 vezes mais malignos. Todos eles estão armados com arcos e flechas, machados, espadas, adagas e escudos em suas mãos, e apesar de não medir mais de um metro, são extremamente velozes, com três deles já tendo alcançado o rio.

(A comida favorita dos monstros é a carne suave das crianças), penso enquanto a excitação deixa os goblins mais velozes. Desse jeito muitas crianças serão capturadas e se converteram em vítimas antes de chegar ao orfanato.

“……!”

Imediatamente aplico reforço corporal, tiro a tampa da caixa de madeira e carrego os seis tiros do cilindro, enquanto encho meus bolsos com o resto. Uma vez terminada as preparações, reforço minhas pernas e começo a correr.

Uma garota de três ou quatro anos cai, enquanto corria e bate a cabeça, e toda a força abandona seu corpo instantaneamente.

Merda, ela desmaiou.

Snow corre até a garota, e a esconde atrás de suas costas. Para ela é possível carregar a garota e correr graças a técnica de reforço corporal, mas os goblins cercaram-na antes que ela começasse a correr.

Protege a garota com suas mãos, sem mover-se uma pulga diante a maré de goblins.

“Dance em minhas mãos, espada de gelo! Ice Sword!”

sn

Junto à seu encantamento, uma espada de 1 metro se formou em cada mão e foram atiradas. Com sua boa pontaria, as espadas atravessaram dois goblins em frente a ela, mas enquanto preparava outra, um goblin disparou uma flecha para não ser alcançado pela espada de gelo.

É uma pequena oportunidade depois do encantamento, com a flecha coando até seu peito. Se esquiva, machucará a garota, e não há técnica para expandir a resistência por reflexo.

Através de minha visão reforçada, vejo a cara desesperada de Snow, que por um momento se parece com a do meu amigo de minha vida passada, e exilo esse pensamento escuro para gritar.

“SNOOOW!”

Afundar ou nadar, seguro o revolver, me posiciono para disparar. Está a uns 4 metros, aponto para a flecha em caminho, aumento minha visão cinética, eu pratiquei até agora, a distância é menor que o usual, me auto convenço para fazê-lo. Prevejo a posição da flecha e segurando a respiração aperto o gatilho.

ls

BANG!

Um som de disparo desconhecido para este mundo e a flecha se rompe ao eu não ter errado o tiro.

“Yosshaa!”

O tiro foi tão certeiro que não posso me segurar e dou um grito involuntário, sem necessidade, foi um golpe de boa sorte. As pernas dos goblins se deterão diante o som e permaneceram vigilantes, o qual aproveito para reforçar minhas pernas e parar em frente à Snow.

“Lu-Lute-kun, o-obr…”

“Não importa os agradecimentos, Snow, mantenha-se perto e não vá se mover!”

“E-Entendido!”

Um animal selvagem instintivamente perseguirá a presa que lhe dá as costas e escapa, por isso que quero evitar emocionar aos goblins e que se inicie uma segunda luta. Paro de falar e aponto a arma aos goblins que se detiveram.

Aponto para o mais perto e disparo. Mesmo se é um monstro, é um ser vivo, mas para proteger a Snow e a outra garota não hesito e aperto o gatilho. A bala atravessa a cabeça, e o sangue não sai como nos filmes ou as séries, só cai como um pedaço de pano cortado.

Não posso derrotar aos goblins com um tiro, em base ao poder do meu atual revolver, se não dou tiros na cabeça, por isso que elimino a quatro com as balas restantes.

Ainda restam oito. Para eles, cinco companheiro foram eliminado em um instante, e rapidamente começo a carregar de novo.

“Oooooooooo!”

Seu rugido com instinto assassino atravessa minha pele, e com força de vontade, detenho o tremor do meu corpo e movo minhas mãos rapidamente. Tiro as cápsulas do cilindro em grande velocidade e ponho outro grupo de balas.

Por ordem de prioridade, aponto primeiro aos goblins com arcos, capazes de ataques a distância.

Primeiro, elimino ao goblin mais perto, que levava uma espada enferrujada e um escudo de madeira. Ele se esconde atrás de seu escudo, mas é inútil. Contra uma força capaz de atravessar portas de carros, um escudo de madeira não é um obstáculo, e a bala atravessa facilmente o escudo, acertando a cabeça.

Com seu companheiro derrotado, outra vez se detiveram, e aproveitando o momento, aponto para o seguinte.

“……Su~”

Dou um pequeno respiro.

O seguinte é um que está apontando um arco e flecha para nós. Graças a minha cisão cinética reforçada, seus movimentos se vêm em câmera lenta, mas meu coração bate muito rápido como se tivesse moscas em minha orelha.

Exalo para me acalmar e disparo como havia praticado, acertando-o entre os olhos antes que pudesse disparar. Como uma máquina de precisão, esvazio meu revolver contra as cabeças dos goblins.

Disparei seis vezes, ainda me restam dois goblins.

Notando sua inferioridade numérica, ambos dão as costas e correm para o bosque. Recarrego para ter certeza, e só restavam dois tiros em meu bolso direito.

Se tivesse tido mais de oito goblins no caminho…

Examino a situação por um momento e não parece que eles voltaram com reforços. Libero meu reforço corporal e dou um longo suspiro.

Mesmo se no máximo, a batalha durou três minutos, minha cabeça está banhada em suor. Sinto-me cansado, já que usei mais da metade de minha mana e também, esta é a fadiga de minha primeira batalha.

Solto o gatilho e me viro para ver como está Snow, a quem eu estava protegendo.

“Snow está ferida? Dói em algum lugar?”

“Lute-kun! Eu estava com tanto medo! Lute-kun!”

Snow me abraça enquanto disse meu nome. Já que nossa altura não é tão diferente, sua cabeça está enterrada na parte traseira do meu pescoço, que está pegajoso.

Apesar de chamar-se Snow, seu corpo está banhado pelo calor. Vendo-a a salvo, me sinto mais aliviado do que imaginava, e amorosamente acaricio sua cabeça uma e outra vez.

“Snow é admirável. Apesar de estar assustada, ficou para trás para que todos pudessem fugir…. É realmente admirável”

Em uma situação de vida ou morte, foi capaz de fazer o que eu não, e aos sete anos, por isso que a parabenizo desde o fundo do meu coração, mas enquanto está enterrada em meu peito, ela sacode a cabeça e contendo a lágrimas disse,

“Você tambpem Lute-kun, protegeu a mim e as crianças. Obrigado…”

Snow disse palavras de gratidão.

“…………”

Sem importar o quanto eu tenha ajudado, não muda o que fiz em minha vida passada, esse pecado jamais desaparecerá. Mas, ouvir essas palavras… sinto que o peso no fundo do meu coração, há diminuído um pouco.

“Também te agradeço… obrigado Snow”

A abraço com força. É quente, está viva.
Com esses sentimentos, ela agarrou meus dedos. Suas lágrimas caíram por minhas bochechas.

Depois disso, as crianças que escaparam antes foram até Elle-sensei e ela correu até aqui, mas até esse momento, continuamos nos abraçando, confirmando o calor do outro.


Notas Finais:

Traduzido/Revisado/Formatado por: KooZ

| Conheça as partes de um Revolver |

revolver

OBS: Cilindro é nome alternativo do Tambor

Comentarios em Gun-Ota: Volume 1 Capítulo 8

Categorias