Qualquer erro de ortografia ou incoerência, deixe nos comentários. Aproveitem a leitura =)
Capítulo em

 AK-47

Depois de afugentar os goblins, Elle-sensei nos examinou para vê se estávamos feridos, sendo a única com um raso corte a garota que desmaiou; felizmente, com a magia de Elle-sensei ela se recuperou em um piscar de olhos, e depois disso fomos levados até o orfanato.

Um grupo de guardas foi chamado da aldeia para servir de vigias, e durante esse tempo Elle-sensei entrou na floresta e eliminou os goblins que escaparam. Olhou ao redor da floresta, procurando por qualquer monstro que podia ser perigoso, e ao não encontrar nada, além dos goblins, saiu novamente.

Essa noite houve uma reunião na casa do prefeito, por causa do ataque dos goblins. Aparentemente, havia tido casos onde esses monstros atacavam aldeias, sozinhos, mas foi a primeira vez que atacaram em grupo.

Para começar, monstros ferozes, como os goblins, nunca tinham sido encontrados nas florestas, sendo este o primeiro caso desde a fundação da aldeia.

Um aldeão disse brincando “Não é a ressurreição do rei demônio”

O prefeito lhe repreendeu pela indiscrição, e ele se calou.

O lado bom é que, graças a Snow e a mim, não tiveram baixas, apesar de haver umas poucas feridas, foi um final bastante afortunado, mas não se pode esperar que a sorte fosse boa sempre.

Foi decidido que a cada trinta dias um grupo de guardas e Elle-sensei iriam até a floresta, patrulhando para se assegurarem que não houvesse monstros perigosos.

Essa noite o grupo de guardas tomou turnos para vigiar os limites da aldeia, só pelo acaso de ocorrer algo.

Também, até o dia seguinte nos chegavam palavras de agradecimento, tanto a mim quanto a Snow.


Depois do incidente (ataque dos duendes), a opinião que as pessoas tinham sobre mim teve uma mudança radical.

Originalmente, entre os aldeões, eu tinha uma má reputação… era o estranho garoto que, mesmo que tenha se tornado o maior contribuidor do orfanato pelo GO e outros jogos, gastava o dinheiro fazendo investigações suspeitas com o MLM.
[NT: Metal Liquido Mágico será abreviado para “MLM” a partir de agora – desu]

Pessoalmente, já que eu tinha me aprofundado tanto no desenvolvimento do revolver, não me dei conta dessa reputação.

Mas depois do incidente, me tornei “O gênio sem poder mágico, mas que compensa com dispositivos mágicos”.

Realmente, uma mudança radical…

A mudança do prefeito uma das mais radicais, já que a garota que salvamos acabou por ser filha dele e, além disso, ela se apaixonou a primeira vista por mim; através do prefeito, ela me pressionou para ser seu marido, assim como ele também sugeriu que eu me casasse com ela para proteger a aldeia no futuro.

Obviamente, recusei-me a fazer. Gosto da aldeia, mas protegê-la pelo resto de minha vida não é algo que eu queria.

Eu me alegrava por ser parabenizado, mas em termos de experiência de combate ainda havia muitos pontos falhos.

Posso controlar minha mana como quiser durante as práticas, mas o controle se torna um pouco ruim em combate, por isso terminei gastando poder inutilmente.

Também notei que as velocidades de recarga do revolver, números de tiro e poder de fogo, são insuficientes. Me saí bem, já que o número de oponentes era pequeno, mas se na próxima vez tiver mais deles, não creio que serei capaz de proteger Snow e os outros, o que me dá calafrios só de pensar.

Antes do incidente, o “S&W M10” não era mais que o protótipo para a “S&W M19 Magnum de Combate”, carregada com as mais poderosas munições .367 Magnum.

Me dei conta que isto não era mais um hobby. Adiei temporariamente a M19, e decidi começar a trabalhar em um rifle de assalto.


Depois de almoçar, voltei para o quarto dos garotos, com objetivo de preparar as coisas que preciso para fabricar um rifle de assalto na área de testes.

Desde o incidente, por decreto do prefeito, as crianças não podiam ir brincar no rio sem adultos, embora eu tenha recebido permissão pelo bem de continuar os experimentos com o dispositivo mágico. Devido a sua tendência superprotetora, Elle-sensei fez uma expressão amarga, mas já que fui eu quem derrotou os goblins, ela deu seu consentimento tácito.
[NT: Tácito – adj. Implícito; que está subentendido e, por isso, não precisa ser dito; que não se pode traduzir por palavras]

Obviamente não há maneira de que eu vá fazer um rifle de assalto no orfanato, e mesmo se Elle-sensei pensa que é indesculpável, todos os dias, depois de fazer minhas tarefas, vou para o campo de tiro.

Hoje também, peguei o barril que continha o MLM no canto do quarto. O revolver carregado vai à minha cintura, para autodefesa, e levo uma caixa de madeira cheia de balas .38Special9x29mmR por prevenção.

Pondo a caixa de madeira sobre o barril, vou ao campo de testes através do jardim traseiro do orfanato.

No caminho, enquanto passava pelo jardim, os estudantes já haviam se reunido para as lições básicas de magia. Uma deles, Snow, me viu e se aproximou agitando sua cauda.

“Lute-kun!”

Me abraçou, pulando em cima de mim, sem nem hesitar e fez com que eu derrubasse tanto o barril como a caixa de madeira.

“Snow! Isso foi perigoso, não te disse para não abraçar-me do nada?”

“Okay~~ Serei cuidadosa da próxima vez”

“Isso foi o que disse da ultima vez… Oye, para de me cheirar, faz cócegas”

“Mas o cheiro do Lute-kun é tão bom que me acalma”

Sem escutar minhas demandas de autocontrole, ela enterra sua cara em meu peito e me cheira. Suas orelhas de lobo, suas bochechas sedosas, e sua respiração realmente causam cócegas.

Snow é uma garota abandonada, da minoritária tribo Lobo Branca que vive no continente norte. Como se esperaria de uma espécie canina, ela gosta de cheirar coisas que a agradam, e recentemente tem estado subindo em cima de mim para me cheirar.

Suspiro, pego o barril e a caixa, e acaricio de forma rude a cabeça de Snow, que ao invés de recusar a ação, parece gostar e sorri.

“Ehehehe”

Sua atitude também mudou radicalmente depois do incidente. Antes ela estava a distancia de uma melhor amiga de infância, às vezes ao nível de “Huh, ela acaba de se apaixonar por mim”. Mas desde o incidente, ela tem estado mostrando favoritismo por mim, está sempre comendo comigo, seguindo-me, e nunca deixa meu lado sempre que tem tempo, ainda que ela tenha se rendido quando perguntei se planejava me seguir até o banho.

A frequência do contato físico aumentou absurdamente. Sobe em cima de mim como agora, mas também segura minhas mãos, e quando faço a manutenção do revolver abraça minha cabeça por trás, e cheirando-me em todas essas ocasiões.

Snow gosta muito do meu cheiro… escutei isso das garotas do orfanato, mas parece que ela se apossa das camisas que não cabem mais em mim, e tem estado cheirando-as para dormir desde então.

Ella se queixou quando lhe disse que era irritante que fizesse isso, e queria continuar fazendo sem importar o que.

Quando tentei persuadi-la de que deixasse de cheirar minhas coisas à noite, sua cara parecia dizer que o mundo ia acabar, suas orelhas se viam caídas e sua cauda se movia tristemente, o que me levou a fazê-la prometer a “cheirar discretamente para não irritar ninguém”. Eu pego muito leve com Snow…

Isto deve ser só meu pensamento conveniente, mas no começo Snow não sabia que me favorecia, mas a partir desse incidente, se deu conta disso.

Que esta linda e naturalmente amável amiga de infância está apaixonada por mim… estava extremamente feliz de ter reencarnado nesse mundo. Se é que tinha um problema, seria…

“Lute-kun, aonde vai?”

“Ao campo de tiro, para ver se posso fazer uma nova arma”

“Posso ir com você?”

“Você não pode ir agora. Têm as lições básicas de magia neste momento”

“Uuu, isso é verdade, mas….”

Se Snow vem comigo, suas prioridades se invertem. Só um pouco mais e ela se tornaria uma idiota.

“Estarei no campo de tiro ate à tarde, assim que venha quando as aulas acabarem”

“….Okay. Quando eu for, posso atirar com seu revolver?”

“Sim, mas preste atenção adequadamente em suas lições, okay?”

Snow se interessou no revolver depois do incidente, e depois que ela perdeu o medo de armas de fogo, ensinei-a a disparar, afim de que ela pudesse se proteger quando mais precisasse, como quando seu poder mágico se esgotasse. Planejo fazer uma arma de defesa pessoal para Snow, em um futuro próximo.

Elle-sensei apareceu no pátio.

“Bem, todo mundo, iremos iniciar as aulas básicas de mago agora”

“Olhe Snow, Elle-sensei está começando a aula”

“Mais um pouco, quero ficar perto de você mais um pouco”

“Não seja assim, todos estão esperando. Olhe, vá de uma vez”

“Uuuu…… Lute-kun é mesquinho”

Relutantemente, ela me deixa ir enquanto reclama.

“Bom, até logo. Não cause problemas a Elle-sensei e aos outros”

“Okay, até logo”

“……Snow, suas ações e palavras não condizem. Deixe-me ir”

Ela se agarra na borda de minha camisa, resistindo de forma inútil. Sua expressão estava tímida quando me afastei, mas no final, ela me deixou ir com um sorriso e correu de volta para Elle-sensei.

Peguei o barril e fui para o campo de tiro.

Ao chegar, deixei todas minhas coisas no chão, exceto o barril, para evitar que me causasse problemas. Abro a tampa e introduzo minhas mãos dentro do barril. Sinto o frio toque do metal em minha pele, que parecia saborear, e penso na arma que farei.

A arma que farei agora é um rifle de assalto AK-47, uma peça mestre criada na união soviética.

Mesmo se há muitas variações melhoradas como a AKM, por agora irei fazer a AK-47 por prevenção.

Por que de todos os rifles de assalto eu escolhi a AK-47? É devido a sua fácil estrutura. Além do mais, falando dela no geral, ela é firme, capaz de funcionar sem problemas no frio ártico, no deserto africano, nas selvas do sudeste asiático, e mesmo sem manutenção adequada depois de ficar coberta de barro.

Se há chegado ao extremo, de que, uma deteriorada e suja AK-47, que havia sido enterrada em um campo de arroz e desenterrada depois de meio ano, ela poderia ser usada sem problemas. Como resistência à sociedade e o povo, um poder de fogo capaz de efetuar 600 tiros por minuto, uma estrutura pensada para o mal, e ser capaz de disparar sem manutenção por décadas, é esse tipo de rifle de assalto resistente.

Devido a essas vantagens, no meu mundo anterior, ela foi copiada e apareceu por todos os cantos da terra, como nas bandeiras e notas de vários países, é uma arma que redesenhou o mapa geopolítico do mundo depois da guerra fria, caindo nas mãos de guerrilheiros e grupos antigovernamentais ao longo do globo.

Diz-se que, centenas de milhares de pessoas, perdem sua vida devido a esta arma, por isso que ela ganhou o apelido “Pequena ADM”
[NT: ADM= Arma de destruição massiva]

Essa é a razão para pensar que é o rifle de assalto mais apropriado para este mundo paralelo pouco desenvolvido, ainda que tenha dois problemas.

Primeiro: Mesmo com uma estrutura simples, continua sendo uma arma automática. Usa um sistema operado por gás, onde a munição seguinte se carrega usando o gás produzido quando se dispara a primeira munição, que na AK-47, é feito por um pistão de gás na parte de cima do barril.

Esse é o chamado “sistema operado por gás” e não sei se posso fabrica-lo ou não…
Eu aprendi enquanto fazia o revolver, mesmo sabendo como fazer, a diferença entre a teoria e a pratica é como o céu e a terra.

Segundo: As munições.

O cartucho do rifle é muito diferente na aparência e nos seus conteúdos, já que, a parte exterior é alargada e fina, com um gargalo de garrafa perto da extremidade. A pólvora no seu interior queima mais lentamente que as das pistolas (ainda que só sejam uns centésimos de segundo).
Como a combustão é mais lenta, a pressão dentro do barril aumenta, e pode disparar a velocidades mais altas e com maior potência.
Para reproduzir uma pólvora parecida, são necessários experimentos extraordinários.

“Bom, conheço a forma final, Desde que não preciso testar e errar para conseguir a resposta, é fácil”

O desenho da bala é muito mais complexo que o corpo da arma em si, ao ponto que desatou ardentes batalhas entre os especialistas balísticos, já que pequenas mudanças no peso da bala, forma da ponta, e a quantidade de pólvora, podem provocar armas completamente diferentes.

“….Se consigo fazê-la, será uma arma excepcionalmente confiável”

Exalo mais uma vez e fecho meus olhos, usando ao máximo o poder da imaginação, cultivado enquanto fazia o revolver.

“A primeira parte que eu deveria fazer é…”

Suavemente, ponho minhas mãos no frio metal liquido.


Comentários