Primeiro dos seis! (3 Parte)

 

Dentro da barreira temporal.

Por dez dias e dez noite.

Sem comer, sem beber, sem mulheres.

Eu absorvi lentamente a essência do deus menor Mørk.

Meu corpo e alma foram fortalecidos em um nível que poderia bater de frente com um dragão adulto e não temer ser ferido por suas garras. Não somente fortaleceu como eu adquiri experiência e conhecimento sobre as terras de Aayós que eu nunca visitei. Sobre os deuses nos tronos de suas cidades sob as nuvens algodão. Sobre diversas ruínas e labirintos que Mørk explorou.

Meu conhecimento foi tão enriquecido que eu mal percebi a passagem dos dias.

Quando eu havia absorvido toda essência divina, minha pele se tornou mais suave e brilhosa, minha força não era inferior ao de um transcendental. Me senti mais esclarecido com o conhecimento de Mørk.

O véu da ignorância que me cegava foi retirado.

Eu havia atingido o nível 100!

“Agora o momento da verdade” eu disse, enquanto peguei um dos frascos com o sangue refinado do lorde dragão negro Frykt.”Estou com o pressentimento que vou morrer se eu beber esse sangue refinado!”

De forma involuntária minha mão tremeu.

Apesar de eu ter morrido duas vezes e não temer a morte como a maioria das pessoas comuns, eu ainda sentia um pouco de medo. Se eu morresse deixaria muitas coisas inacabadas para trás e me tornaria uma alma penada.

Sem um corpo, como eu poderia fazer o que eu mais amo?

Só te pensar em me tornar uma alma penada e não poder fazer atos físicos e carnais me aterroriza.

Respirei profundamente, acalmando meu coração.

“Como tudo na vida, como tudo tem sido até agora, depósito minha vida em suas mão, senhora sorte!”

Bebi em um único gole o sangue refinado do lorde dragão negro Frykt.

No mesmo instante cair no solo rochoso.

A dor era atordoante.

Não havia palavras para descrever exatamente a dor que eu estava sentido naquele momento. Dentro de mim, posso sentir músculos sendo rasgados, órgãos sendo dissolvidos e ossos sendo quebrados.

Vomitei um bocado de sangue.

Mesmo refinado, o sangue de um lorde dragão negro era algo muito poderoso.

Se fosse um homem comum eu já teria virado uma poça de sangue e carne no mesmo momento em que bebi o sangue refinado.

Só não tive o mesmo destino graças a minha Alta resistência total Lv.6 diminuindo os efeitos nocivos do sangue refinado, e minha Alta regeneração Lv.8 regenerando rapidamente meu corpo danificado.

Minha visão ficou turva e logo não conseguia mais pensar em nada.

Tudo que havia em minha mente era a dor torturante de meu corpo sendo despedaçado e sendo regenerado, tudo em único instante.

Um ciclo de destruição e regeneração perpétuo.

A dor contínua era enlouquecedora.

Se houver um inferno no mundo, seria o momento em que estou passando agora.

Eu queria gritar, mas voz alguma saia. Eu queria chorar, mas não conseguia. Não conseguia fazer nada além de me retorcer no chão rochoso, enquanto meu corpo era apunhalado por adagas frias e rasgado em incontáveis pedaços.

Por quando mais tempo aquela tortura continuaria?

………Quando tempo se passou?

……..Pelo que eu estava lutando?

……..Meu nome……Qual era meu nome?….

Eu estava enlouquecendo, esquecendo quem era ou porque estava passando por toda aquela dor.

Eu estava morrendo, minha alma sendo devastada.

Eu fui engolido pela escuridão. Havia chegado o momento que eu havia adiado por tanto tempo. Diferente da Luxúria, Orgulho não aceitava minhas novas virtudes.

Na escuridão dois olhos brilhantes como o sol me encarava.

“Finalmente estou livre!” rugiu a escuridão.”Não há nada que você seja capaz de fazer, em breve morrerá, heroizinho!”

Ele estava certo, estava morrendo, fraco, a mercê de sua fúria.

“Prometi no dia da minha liberdade, estraçalhar você em mil peças. Prometi incinerar sua consciência e soprar para o esquecimento!” o farfalhar de seus passos ecoava na escuridão se tornando cada vez mais próximo de mim.

Consegui levantar a cabeça em meio a dor e ver seus olhos dourados como o sol me encarando, hesitando, ou talvez esperando por algo.

Por mais que minha dor torturante entorpecer-se meus sentidos, eu o encarei de volta, meu corpo estava fraco, mas ainda sim, havia determinação inabalável em meus olhos azuis celestes.

Roaaaaaaaarrrrr!

Ele rugiu, continuei em silêncio o encarando sem medo.

“Eu odeio o que se tornou!”

“Eu gosto do que eu me tornei.”

“Eu jamais aceitarei você, nosso novo eu! Não há orgulho algum dentro de ti!”

“Há sim, você, o meu Orgulho selado nas profundezas da minha mente.”

Orgulho se tornou silencioso, fechou seus olhos, o mundo se tornou mais escuro do que já era.

De repente voltou abrir os olhos dourado e falou:

“Você vai morrer, seu corpo não vai suportar o sangue refinado de um lorde dragão.”

“Eu vou sobreviver!” respondi com uma confiança inabalável.

“Es um tolo se acredita que vai sobreviver! De onde vem toda essa confiança?” ele perguntou, rugindo, enquanto andava em círculos ao meu redor.

“Vou sobreviver, porque eu acredito nesse fato. Se eu acredito, se eu assim desejo, então assim vai ser. Nem mais e nem menos. Se meu destino e diferente das minhas palavras, então, o destino se curvará diante minha vontade.”

Orgulhou soltou pequenas labaredas de fogo dourado.

“Tão arro…” Orgulho não completou suas palavras.

Mas eu completei:

“Arrogante? Orgulhoso? Prepotente? Sim, sou tudo isso até um certo nível, mas ainda sou incompleto sem você, Orgulho, sem o poder tirânico e opressor que pode colocar um reino abaixo!”

Houve silêncio e olhos dourados desapareceram.

Clap! Clap! Clap!

Som de palmas ecoou pela escuridão. De repente o mundo se tornou puro branco, revelando um homem alto, forte, pele como mármore polido. Seus cabelos eram longos, cor ouro branco.

Seus olhos eram como sol resplandecente.

“Parabéns, você passou pelo meu teste” disse a voz orgulhosa do homem.”Se você tivesse sido o garotinho assustado de nosso primeiro encontro, eu jamais iria conceder meu poder a você. Mas, após recobrar parte de sua memória, se tornou diferente, mas parecido com nosso antigo eu, porém mais equilibrado, mais maduro de certa maneira.”

Eu fui surpreso pela mudança repentina dele, desde o começo Orgulho havia sido intimidador.

Era muito suspeito.

“Você deve ter mais 30 minutos de vida antes que sua alta regeneração falhe e você vire uma poça de sangue e carne. Não duvido que você encontraria uma forma de retornar dos mortos, mas, vamos trilhar um caminho em que não termina com a nossa morte.”

“Existe uma maneira?” perguntei desconfiado.

“Claro que sim, é simples, eu vou usar o resto do meu poder para fortalecer seu corpo com uma linhagem dragonica. Dessa forma, diminuindo os efeitos nocivos do sangue refinado do lorde dragão negro, e ao invés de destruir seu corpo, vai alimentar a linhagem dragonica. Te transformando em um poderoso dragão celestial!”

“Luxuria havia falado que era impossível voltar a ser um dragão celestial.”

“Antes sim, mas agora a situação é diferente. Você é um Nefilim, uma raça celestial, com a linhagem dragonica alimentada com o sangue refinado do lorde dragão, você vai voltar a ser um dragão celestial e com o sangue de deus menor, se tornará um deus dragão celestial menor. Nem posso calcular a extensão de seus poderes como um deus dragão celestial menor!”

Ele soltou um longos suspiro e falou:

“Esse é meu adeus, nada orgulhoso, meu fim nada glorioso! Aceite o que restou de meu poder, e as memórias que te faltam.”

Seu corpo se tornou um rio de fogo, fluindo para mim, me banhando, fortalecendo meu corpo e alma. No mesmo momento as lacunas de algumas memórias foram preenchidas. Momentos de alegria e tristezas. Meu duelo com Arian, Llachar e Anna. A noticia de Arian gravida…..A batalha contra a sétima legião da luz….Depois a vinda do rei demônio e a batalha feroz….Sua captura pelo terceiro salmo negro…..É finalmente o momento em que Fenrir, meu filho do futuro, drenou parte dos meus poderes e selou minhas memórias.

Eu havia me lembrando de tudo.

Meu coração se tornou mais pesado e a urgência em retornar cresceu ainda mais. Pior do que a dor de ter o corpo sendo rasgado, era a dor de imaginar o que elas estavam sentindo com a nossa separação.

“Agora você se lembra de tudo e sabe a urgência de retornar para casa. Seja sempre orgulhoso e arrogante, prepotente, veja o mundo abaixo de seus pés! Sua casca mortal será destruído e quando acordar será o terror de deuses e mortais!”

Sua voz cessou e um novo poder explodiu em meu corpo. Minha mente se tornou turva, minha visão escura, enquanto meu corpo passava por um novo processo, eu havia desmaiado, sonhando com meu amores de outro mundo.

……………………

Quando abri meus olhos.

O mundo havia se tornado menor; as montanhas ao meu redor; as ruínas de uma cidade próxima; as estradas eram finas linhas de terra que se estendem até o horizonte longínquo; e o céu não parecia tão alto quando antigamente.

Olhei para minhas mãos. E vi garras poderosas, cobertos por escamas cintilantes, como magníficos diamantes lapidados. Virei meu longo pescoço, vendo meu enorme corpo escamoso e duas imponentes asas de dragão, e outra duas de anjo – penas de diamante.

Eu havia me tornado uma dragão celestial, não era um semideus, mas a felicidade por voltar a ser um dragão celestial não tinha preço.

“Álfar!” eu rugi num tom profundo.

Alto no céu, Álfar, surgiu voando próximo de meu corpo. Ele também havia crescido, seu tamanho era de um dragão adulto, penas brancas magníficas e garras e chifres dourados.

….Altíssimo, em que posso servir? Perguntou Álfar num tom orgulhoso.

Altíssimo era forma dos dragões Feérico tratar os dragões celestiais de maior hierarquia.

“Minha transformação está incompleta e vai levar dias para me transformar em um deus dragão celestial menor. Vá até as garotas, avise que eu vou demorar e fique com elas, as protegendo de qualquer perigo!”

…Seu desejo é uma ordem, Altíssimo! Álfar inclinou seu corpo, batendo suas asas em direção a pousada labirinto.

“Vamos beber o restante do sangue refinado do lorde dragão negro Frykt!” eu disse para mim mesmo.

Bebi mais cinco frascos do sangue refinado do lorde dragão negro Frykt. Por eu ser um dragão a dor não foi implacável como anteriormente. Meu poder se tornou maior, minhas escamas mais brilhantes e resistentes, meu corpo se tornou muito maior.

Após três dias de transformação contínua segurei o fraco com o sangue divino de um deus menor.

“É a hora da verdade, se eu não explodir vou me tornar um deus dragão celestial menor!” Engoli de uma vez o sangue divino de um deus menor.

Dentro de mim, o sangue divino liberou tanta energia que eu fui pego de surpresa.

Acreditava que o pior já tinha passado, mas estava enganado. A dor causada pelo sangue divino de um deus menor era 100 vezes maior. Não só meu corpo gritava, mas minha alma também.

Meu corpo de dragão estava sofrendo uma mudança em nível atômico.

Se o sol pudesse ser encolhido no tamanho de uma pequena bola de gude e um homem adulto a engolisse, acredito que seria a mesma dor. A diferença de mim para um homem adulto, e que eu sou um dragão celestial e posso resistir as explosões de poder divino dentro de mim.

Já um humano comum simplesmente explodiria em milhões de pedaço.

Minhas escamas liberaram um fulgor dourado, pulsando, lançando rajadas de pressão ao redor da montanha, esmagando pinheiros e pulverizando rochas. Acima de mim uma tempestade se formava, raios cortava os céus caindo em diversos pontos do meu campo de visão.

Por sete dias e sete noites eu passei por uma transformação. Minha mente era preenchida por rios de informações, me tornando mais sábio e hábil em manipular a magia e os elementos da natureza. Minhas classes, habilidades e talentos inatos estavam evoluindo com base do meu conhecimento sobre os três mundos.

No sétimo dia eu havia despertado.

Eu me tornei um deus dragão celestial menor.

Naquele momento eu pensei: I am a God!

Comentários