Confronto épico! (2 parte)

 

Apenas com um soco daquele demônio, estava me sentido como se tivesse sido atingindo por carro em alta velocidade. Minha imortalidade trabalhava em meu corpo, regenerando ossos fraturados e órgãos feridos. Estava atordoado, visão embaçada, e a cabeça zunindo. Se ele quiser me matar poderia ter acabado comigo com apenas um soco. Por algum motivo ele me atacou, mas, não com toda sua força.

Talvez ele tenha subestimado minha resistência?

Não sei quem é esse cara – nem minha onisciência consegue ver através do véu que o protege. Por algum motivo, talvez um instinto adormecido, me faz tremer e desejar correr e se esconder no local mais afastado possível. Mas, esse cara teve ser como aqueles filmes de terror, aonde não importa o quanto corra, o vilão sempre te alcança.

Se eu quiser sobreviver vou ter que lutar com toda minha força.

Droga, não gosto desse cara. Aparecendo do nada. Roubando todas as atenções e ainda vem pagando de protagonista principal? Quem ele pense que é? Só existe um herói e vilão nessa história, e eu ocupo os dois papéis!

“「Downtime」!”

Desacelerei o tempo em um raio de três quilômetros. Na escuridão, os flocos de neves estavam parados no meio do ar. Me tornei um borra de luz, avançando, desferindo um soco, visando o rosto do demônio. Eu acertei o soco, mas, passou pelo seu rosto como ele se fosse um fantasma. De repente, ele apareceu do nada ao meu lado, me acertando com um soco no rosto. Minha visão se tornou breu, minha cabeça zunindo e mais uma vez cai no chão.

Arquejei de dor, consegui me levantar, as pernas tremiam e o gosto de sangue preenchia minha boca.

O tempo retornou ao normal e a neve voltou a cair.

“Downtime consegue desacelerar o tempo de tudo ao redor. Mas, nunca use em um deus hierarquia superior. Posso evitar essa magia como se fosse uma brincadeira de criança. Na verdade, qualquer um com um pouco de conhecimento básico de magia tempo e espaço, ou espiritual, aplicando os conhecimentos básicos da estrutura tridimensional e as leis que regem o tempo e espaço pode escapar desse pequeno truque.”

Ele explicava como se fosse algum tipo de mestre, além de insultar minha magia de “pequeno truque”, ele me irritava.

“Pequena formiga, vou te mostrar um truque bem legal” seus lábios formaram um sorriso assustador. Socou o ar com seus punhos cobertos por uma chama escura.“「Dimensional Reflection」!”

Naquele momento que ele socou o ar, eu fui atingindo por cinco poderosos socos ao mesmo tempo, fraturando meus ossos, cuspi um bocado de sangue. Não consegui ver o ataque, nem sabia como era possível ele ter me socado cinco vezes sem sair do lugar. No banco de dados da árvore da sabedoria não havia uma magia ou técnica parecida com a que ele acabou de usar.

“Q-Que droga de magia é essa?!” resmunguei, enquanto lutava para me manter de pé.

“Não é magia” disse ele com um sorriso prepotente.”Dimensional Reflection é uma técnica de Qi, que usa energia da natureza e do cosmo, refletindo meu soco em cinco dimensões diferentes. Ei, formiga, está me escutando? Ah, você está vivo, um corpo bem resistente. Um deus maior já teria sido desintegrado com o primeiro soco. Pelo menos sabe como apanhar!”

Ele avançou novamente, dessa vez eu morreria. Meu corpo não se recuperou e não estava em condições de aguentar um soco se quer.

Roaaaarrrr!!!

Álfar rugiu, avançou contra o demônio, atacando com suas garras douradas cobertas por magia Feérica. As garras acertou sua pós-imagem, movendo-se como um fantasma evitando as garras de Álfar. Vendo que seu ataques físicos eram inúteis, parou, puxou todo ar e soprou chamas brancas, transformando a terra ao redor em um mar de chamas brancas.

Aproveitei o momento para acelerar o processo de regeneração do meu corpo. Teia surgiu, me ajudando com o processo de regeneração. Eos, e Hipérion apareceram analisando a situação desesperadora.

[Mestre, eu criei a lápide de seu túmulo, deseja que eu escreva alguma palavra em especial?] (Eos)

[Meste, como pode morrer sem construir um corpo de carne e osso para nós?] (Hipérion)

[Mestre, em dois minutos seu corpo estará 100% curado. Hipérion e Eos vão ganhar tempo para o mestre!] (Teia)

[Eh? Porque? Ele vai morrer de qualquer formar! A melhor estrategia a ser adotado nesse momento e mudar de lado!] (Hipérion)

“Não é necessário, fiquem de guarda ao meu lado” eu disse. Materializei o terceiro salmo.”Invocar:「Rubi」!”

Após me tornar um deus dragão celestial maior. Todas criaturas do terceiro salmo sofreu um upgrade. Rubi se tornou uma divindade demoníaca, seu poder é imensurável e suas chamas são tão quentes que mesmo um deus menor pode ser queimado até virar cinzas. Rubi me encarou com suas três enormes cabeças com um chifre de rubi. Chamas abrasadoras sai bor sua enorme bocarra.

“Rubi, ajude Álfar contra aquele demônio!”

Auuuuuuuuuuuuuu!!!!!

As três cabeças uivaram ao mesmo tempo. Suas seis patas chutaram o chão, se dirigindo para o céu, aonde Álfar lutava contra o poderoso demônio. Álfar estava resistindo bem contra os poderosos socos e pontapés cobertos por chamas negras. Rubi disparou três bolas de fogos rubras, voou em direção ao demônio, explodindo, iluminando todo céu escuro Álfar, disparou um raio de luz, atingindo-o em cheio, porém não causou nenhum dano. Havia uma neblina escura o envolvendo, protegendo dos ataques como um manto protetor.

“Lyam! Você está bem?” pergunto Mia com um olhar preocupado.”Porque ele te atacou? Você o conhece?”

“Não o conheço e nem sei porque me atacou do nada” eu respondi sem tirar os olhos da luta.

“Eu acredito que ela saiba” disse Sofie apontando com o queixo para Desy, que estava tremendo de medo.”Assim que ele apareceu, ela começou a tremer como um gatinho assustado!”

Desconfiava que Desy fosse mais do que aparentava ser. Agora, eu tenho certeza. Era impossível uma simples garota conhecer um demônio tão poderoso, eles estavam ligado de alguma maneira. Várias conjecturas surgiu em minha mente, nenhuma delas era agradável. Se eu estivesse certo, então minha morte era inevitável.

Me levante, caminhei até Desy. Ela estava assustada, tremendo como uma criancinha. Eu segurei seus braços finos, e a puxei, abraçando-a com carinho. Afaguei seu cabelo liso, tentando acalmar ela.

“M-me perdoe, Lyam” disse ela com um tremor na voz.”Não pensei que ele conseguiria me seguir até aqui. Fiz de tudo para não deixar rastros…..Mas….No fim eu falhei e você vai morrer por minha culpa!”

Fiquei em silêncio afagando sua cabeça. Apesar de estar um pouco irritado por ter sido envolvido em algo problemático, ela agora é minha garota, e eu ajudaria mesmo que o preço fosse minha vida.

“Não importa qual seja a situação, você é minha garota, e vou te proteger mesmo que tenha que sacrificar minha vida” sussurrei em seu ouvido, pressionando com mais força, transmitindo segurança e conforto.”Para eu lidar melhor com a situação, me diga a verdade, Desy.”

“Você não pode me proteger, Lyam” disse ele com um sorriso fraco.”Nada pode me proteger, dele, e ele está furioso comigo, vai me castigar. Eu não deveria ter fugido de casa!”

“Fugiu de casa?” perguntei.”D-Desy, ele por acaso é seu pai?”

Por favor, tudo meno isso, por favor fale que não é seu pai. Que seja um inimigo do mal, mas não seu pai. Caso contrário, eu não tenho a menor chances de sair vivo dessa situação, ainda mais se ele souber todas coisas pervertidas que eu fiz com ela!

“Sim, ele é meu pai, Arthur Magnus, o sexto imperador do cosmos, conquistador de mundos. Meu nome verdadeiro é Desynaeldragon Dephes, nona princesa demoníaca.”

ótimo, uma princesa demoníaca, filha de um poderoso imperador do cosmos. Como se meu azar não fosse o suficiente, ele é o sexto deus dimensional que bateu em cinco deuses poderosos. Meu azar não poderia ser maior.

“Ele é um deus demônio supremo?” perguntei a ela.

“Não, meu pai é um deus cósmico” Desy respondeu.

Desy explicou que acima da hierarquia deus supremo, existe mais três níveis hierárquicos; deus verdadeiro, deus cósmico, e deus primordial. Um deus cósmico, controla e rege as leis de uma das vinte e seis dimensões existentes. Segundo ela, seu pai é o único deus cósmico a controlar seis dimensões negativas.

(Magusgod: Para refrescar a memória, no capítulo 35 do primeiro arco, os fragmentos da luz e fogo falam que existe vinte e seis dimensões, sendo treze negativas e treze positivas)

Enquanto conversava com Desy, mantinha parte da minha consciência atento a luta. Álfar estava seriamente ferido e Rubi estava lutando com toda sua força, tingindo o céu de vermelho com suas chamas infernais. Arthur, voava pelas chamas, imune, sem nenhum ferimento. Com um gesto de mão, vários pilares de gelo negro surgiram perfurando Rubi, a derrotando facilmente.

Álfar avançou, Arthur materializou um martelo de guerra de gelo coberto por uma densa névoa branca, golpeando Álfar, lançando-o centenas de metros no ar, fazendo-o colidir contra uma montanha. Ele não se levantou, perdeu a consciência.

“Vejo que está se dando bem com minha filha, rebelde” disse ele com um sorriso frio, e olhos brilhando em fúria ao ver ela em meus braços. Ela incrível a maneira que ele conseguia esconder sua fúria. Se eu não fosse um bom leitor de expressões faciais, acreditaria que ele fosse indiferente.

“Papai, chega! Eu não sou mais garotinha!” Desy gritou com os olhos úmidos, a beira das lágrimas.”Eu não vou voltar para casa, vou ficar com Lyam e o seguir até os confins do universo e nem você e a mamãe vão me impedir!”

“Minha filha, você sabe como é perigoso o universo e se meus inimigos descobrirem que está andando por ai sem proteção, vão sem dúvidas te sequestrar e te usar contra mim. Ele, não pode de proteger das coisas terríveis lá fora! Sabe que sua mãe me esfolaria vivo se você se machucar!”

“Eu não vou voltar!” ela gritou.

“Ah, vai sim!” respondeu ele.

“Não vou!” ela gritou de volta.

“Para de ser teimosa! Você é igualzinha a sua mãe!” Arthur respondeu demonstrando um traço de emoção.”Você vai voltar comigo! Se insistir em ficar, vou aniquilar seu namoradinho e todo esse planeta junto!”

Desy arregalou os olhos e começou a tremer. Mia e Sofie estavam assustadas, tremendo com a possibilidade da destruição do planeta.

Desy me encarou com seus olhos violetas, transbordando de lágrimas, quase implorando para ficar. Senti meu sangue subir e ficar quente, meu coração se tornou furioso. Desy desejava ficar e eu não permitiria, mesmo sendo seu pai, levará de volta. Basta Godheim que eu tive que abrir mão, não vou permitir que me roubem novamente.

Foda-se que ele é um deus cósmico!

“Desy, Mia, Sofie, vão para dentro da pousada e sob hipótese alguma olhem para fora. Eu vou assumir minha forma divina” falei para elas e sem hesitar correram para dentro da pousada. Encarei Arthur, eu estava com raiva.”Não me importo quem você seja, nem se e pai dela, Desy agora é minha mulher e não vou abrir mão dela! Vou chutar seu traseiro até mudar desistir da ideia de levar ela!”

“Você disse sua mulher?” disse num tom grave e aos poucos seu cabelo branco flutuou no ar e seus olhos se tornou chamas negras. “Seu garotinho prepotente, eu vou te ensinar uma lição que nunca vai esquecer!”

Seu corpo emanou uma névoa escura e suas doze asas voltaram aparecer, se expandido e ficando cada vez maior até cobrir todo céu. Aos poucos sua forma foi se transformando, até a sumir o que parecia a mistura de uma fênix e um dragão. Seus enormes olhos cinzentos me encararam e suas garras afundou na terra, criando ravinas.

“Eos, coloque um belo poema em minha lápide, ok?” eu disse baixinho.

[Mestre, foi um prazer servir você! Vou sentir saudades!] (Eos)

[Mestre, nunca haverá mestre mais honrado e sábio!] (Teia)

[Sabe, mestre, não sou bom com esse papo de menininha, mas sabe que no fundo desse meu coração eu te respeito…..Bom, deixando tudo isso de lado. Posso ficar com o que restar do seu corpo? Apesar que eu não acredito que vá sobrar muita coisa] (Hipérion)

Após essa despedida de tocar o coração. Assumi minha forma divina de um deus dragão celestial maior. Minhas escamas de diamante cobertas por um fulgor dourado era como os raio do sol. Meus olhos se tornaram duas fendas cor ouro líquido e eu tinha seis asas, três de dragão e três de anjo com penas de diamante.

A coroa de diamante coberto por chamas dourada flutuava sob minha cabeça entre os longos chifres dragonicos.

Eu avancei para minha morte, para o pai de Desy, um deus cósmico.

Comentários