Solitária!

Eu fiz minha escolha.

「Criador de Labirintos」

Criador de Labirintos, foi a nova classe que surgiu, os deuses eram bons comigo. Essa classe me concederia conhecimento e o poder de criar meu próprio labirinto. Dessa forma eu posso construir um labirinto para arrecadar dinheiro, itens, e aprimorar as habilidades das garotas.

Toquei no icone da classe Criador de Labirintos. No mesmo instante fui envolvido por uma luz branca, meu corpo estremeceu. Notei minha mão se tornarem macias, meu cabelo escuro e olhos azuis adquiriu uma cor mais brilhante. Cada músculo do meu corpo estava impregnado com o novo poder e conhecimento.

Meus olhos eram como os de uma águia sem estar usando o talento inato Visão Arcana Lv.2, posso ver a textura e cada falha na mesa de madeira e até um grão de poeira no canto da sala.

Eu exalava uma aura, diferente, um charme natural, quase hipnótico. Senhorita Kari corava, movendo sua cauda animadamente. Descobri que as garotas não tiveram uma reação diferente.

Meu poder aumentou a um nível que fugiu de todas minhas expectativas. Conhecimento sobre a nova classe, habilidades e talento inato fluíam em minha mente, como um rio sem fim.

“Dizem as lendas, que todos os grandes labirintos existentes foram criados pelos antigos, acadêmicos riam dizendo que eram apenas lendas sem fundamentos, mas agora eu sei que as lendas são verdadeiras!” disse Sr. Harrison, me fitando com olhos clínicos.

“E tão incrível assim?” Grã-mestre perguntou.

“Se é tão incrível assim? Claro que é!” Sr. Harrison exclamou.”Imagine o poder de construir labirintos e outras estruturas! Não só isso, criador de labirintos pode dar a vida a monstros e criar as regras do espaço criado! Por exemplo, ele cria uma regra no labirinto que ao derrotar um Goblin Nível 5, a uma certa quantidade de % do monstros deixar cair um item ou moedas!”

“Isso realmente possível? Se for isso não o tornaria um deus?” Grã-mestre perguntou preocupado.

“Não, não o tornaria um deus” disse Sr. Harrison com uma risada rouca.” Criadores de labirintos precisam ter MP gigantescos para poder criar labirintos, pois monstros, itens, regras e andares consomem uma quantidade assustadora de MP!”

Sr. Harrison estava certo, classe criador de labirintos exige muito MP. De acordo com a informação que fluía em minha mente. Para construir um labirinto simples com um andar, vinte monstros no máximo Nível 15 e um chefe Nível 20 custaria quase todo meu MP atual!

Verifiquei minhas novas habilidades passivas:

  • Regeneração Lv.2 se tornou Alta regeneração Lv.2
  • Alta resistência a ataques elementais Lv.2
  • Alta resistência a ataques Físicos e mentais Lv.2
  • Conhecimento de Arquitetura Lv.2
  • Conhecimento de Geografia Lv.2
  • Conhecimento de Labirintos Lv.1
  • Conhecimento de Monstros Lv.5

Eu adquiri as seguintes habilidades ativas:

  • Criação de labirinto Lv.1

Talento inato:

  • Drenar Alma
  • Mestre do Labirinto

Todo conhecimento era instintivo, recebido no momento em que escolhi a classe criador de labirinto. Agora eu tinha um conhecimento básico de estruturas, solo, monstros. Para aumentar o nível das habilidades passivas de conhecimento, precisava estudar e desafiar ruínas e labirinto e derrotar novos monstros.

Sr. Harrison continuou falando sobre a classe criador de labirintos, magos, bruxos, arquimagos e os poderosos feiticeiros e Sábios. Falou sobre níves de magias e o poder de cada uma delas. Sr. Harrison e o Grã-mestre Zacky eram aventureiros, companheiros de equipes. Se aventuraram em muitas ruínas, adquirindo um grande conhecimento sobre assuntos mágicos. Em Elba ele é uma das maiores autoridades quando se trata de conhecimento mágico.

Após uma longa conversa sobre magia, perguntei:

“Sr. Harrison pode me indicar um local que venda livros de habilidades, magias e sobre labirintos?”

“Na casa dos leilões e o melhor local para adquirir livros de habilidade, mágicos e sobre arquitetura, para ajudar em sua nova classe” Sr. Harrison explicou como funciona e itens raros conquistados em labirintos ou encontrados nas ruínas podem ser leiloados, muitas vezes sendo vendidos por uma valor absurdo.

Para cada venda, a casa dos leilões ganha 5% do valor do item.

Havia lojas que vendem livros mágicos, mas seriam apenas de magias iniciais. Segundo ele, livros de habilidades e livros mágicos de níveis superiores era encontrado somente na casa de leilões.

“Obrigado pelas informações!” agradeci. Me despedi do Grã-mestre Zacky, senhorita Kari e do Sr. Harrison.

Seguimos para a casa dos leilões.


A casa dos leilões era localizada no centro de Elba- um grande edifício nada inferior as mansões dos nobres de Elba. Mia explicou que em cada cidade do reino há uma casa dos leilões.

Passamos por uma fonte de água fresca e esculturas de animais estranhos. Antes de entrar dentro da casa dos leilões, falei com Álfar.

Álfar, pode me dar uma de suas penas? perguntei mentalmente.

Sim, meu mestre, respondeu ele e no mesmo instante revelou sua forma gloriosa. Abriu suas asas, deixando cair uma pena cintilante.

Obrigado, Álfar! agradeci do fundo do meu coração.Alias, você cresceu? Você parece maior do que o normal e mais pesado.

Meu ombro estava dolorido, era como se um grande cachorro estivesse empoeirado em meu ombro.

Sim, quanto mais forte você se tornar, mais rápido será meu crescimento. Mestre veja a invocação familiar arcano, já está no Lv.2, quanto atingir o Lv.6 vou estar grande o suficiente para você poder mondar em mim.

Eu não tinha notado, mas era verdade. A invocação familiar arcano atingiu Lv.2.

Guardei a pena cintilante em um dos sacos mágicos. Subimos os degraus de mármore da casa dos leilões. A entrada era protegido por dois cavaleiros, trajando placas de armaduras completa e capas vermelhas esvoaçantes. Notei conjuradores próximos, segurando seus cajados adornados com joias e runas mágicas.

Passamos por eles, seguindo até a recepção. Atrás de um balcão de carvalho marrom, estava vários funcionários, bem arrumados, tratando com gentileza os fregueses que entrava e saiam da casa dos leilões.

“Sejam bem vindos a casa de leilões!” disse um dos funcionários com um sorriso cortês, nos avaliando do pés a cabeça. Seu sorriso desapareceu após verificar nossas roupas surradas, então perguntou com má vontade.”Em que posso ajuda-los?”

“Desejo adquirir livros de habilidades, mágicos e sobre arquitetura” respondi, depois acrescentei:”Desejo leiloar um item.”

“Em duas horas será leiloado livros de habilidades e livros mágicos” respondeu com desanimo, e apontou para um outro balcão com uma jovem mulher de cabelos loiros.”Fale com ela sobre o item que desejar leiloar.”

Apesar da atitude fria, agradeci. Seguimos até o balcão da jovem mulher de cabelos loiros.

“Desejo leiloar um item” eu disse a ela.

“Certo, posso verificar o item em questão, por favor?” perguntou ela gentilmente.

“Sim!” retirei a pena cintilante de Álfar, entregando para a jovem mulher.”Pena de dragão Feérico.”

Ela usou alguma habilidade analítica sobre a pena. Seus olhos se arregalaram, suor frio escorreu por sua testa. Pediu para aguardamos alguns minutos, disparando para uma sala no final do largo corredor ricamente decorado com tapeçarias, quadros e esculturas requintadas.

A jovem retornou com uma bela senhora de vestido azul escuro, elegante e suave, valorizando cada curva de seu corpo. Seus cabelos escuros era preso por presilhas de ouro adornados com joias. Parecia estar no auge dos trinta anos, cheia de um charme maduro.

Em um tom maduro e educado ela se apresentou:

“Sou Lady Nilly, responsável pela casa de leilões de Elba” ela ofereceu a mão, dedos cheios de anéis com joias.

Segurei sua mão, a beijando suavemente e me apresentei:

“Sou Lyam….BlackWolf, é um prazer te conhecer Lady Nilly!” desenhei meu melhor sorriso.

Ela sorriu de volta.

O restante da equipe se apresentou para Lady Nilly. Ela verificou a pena cintilante de Álfar, como a funcionaria seus olhos se arregalaram.

“Uma pena de dragão Feérico…..Iten nível Épico……” disse ela vagamente, me fitando.”Jovem, aonde conseguiu essa pena de dragão Feérico?”

Todos congelaram no local com a palavra nível épico. Não fazia ideia de que as penas de Álfar fossem tão valiosas. Senti que sai perdendo com a troca com o ferreiro Tio.

“Foi me dado por um dragão Feérico.”

Lady Nilly me avaliou de cima a baixo, como se tentasse decifrar um enigma. Balançou a cabeça suavemente.

Seus olhos afiados caíram sob a funcionaria.

“Por que está parada? Se mexa, avise os funcionários para cancelarem todos leilões do dia! Mande mensageiros para as principais casas nobres, sacerdote, conjuradores e grandes comerciantes de Elba! Avise que hoje a noite vai ocorrer o maior leilão de Elba! Vai ser leiloado uma pena de dragão Feérico nível épico! Rápido, vamos ter muito trabalho a frente!”

A jovem funcionaria loira correu a passos largos, avisando todos funcionários. Logo murmúrios e sons de passos de um lado para o outro, preparando o local para o grande leilão a noite.

“A jovem que os atendeu, me informou que você desejava adquirir livros de habilidades, magias e sobre arquitetura.”

“Sim, esse foi meu principal motivo para visitar a casa de leilões.”

“Compreendo” disse ela pensativa, com estralo de seus dedos, funcionários surgiram sabe-se lá de onde. Ela emitiu ordens e voltou sua atenção para nos:”GrayWolfes, me sigam, vou vender os livros que seria leiloados hoje.”

“Esta tudo bem em fazer isso?” perguntei.

Lady Nilly, soltou uma risada divertida e falou:

“Não há problema, jovem, a venda da pena de um dragão feérico vai nos render um ótimo lucro!”

Seguimos Lady Nilly até uma sala espaçosa enfeitadas por ricas tapeçarias e quadros de pinturas exóticas. Sentamos no sofá de couro vermelho. Fomos servidos com chá e doces requintados, um verdadeiro tesouro para o paladar de quem só comeu ensopado de coelho por quatro dias.

Sofie chorava ao comer o doce, exclamando “delicioso”, já Mia tomava o chá com uma expressão calma e o Bardo Sam, se divertida vendo a expressões das garotas.

Três funcionários bem vestidos entraram na sala, cada um segurava um pano escuro. Deixaram sob a mesa de carvalho escuro e se retiraram da sala privada.

“Esses três livros foram conseguidos por uma equipe de aventureiros de grande renome na cidade Elegast, nas ruínas de Hreidmar!” esclareceu Lady Nilly, retirando os panos que envolviam os livros com extremo cuidado.”Esse livro é de perícia de artes marciais, contém a técnica Punhos Trovão Lv.6, esse outro livro possui informações sobre a arquitetura usada nas eras passadas. O terceiro e último e também o mais raro, livro arcano, contém magia barreira temporal Lv.5!’

Quando vi o livro arcano, sorri, minha sorte era do tamanho da lua.

“Eu desejo comprar os três, qual o preço?” perguntei, um pouco impaciente.

“O livro de perícia marciais, são 5 moedas de ouro. Livro de arquitetura, 20 moedas de ouro, e o livro arcano…..40 moedas de ouro….No total seria 65 moedas de ouro, para negócios futuros, vou te vender os três livros por 45 moedas de ouro!”

Eu sorri, no mesmo instante retirei do saco mágico 45 moedas de ouro, adquirindo os livros.

“Hoje será leiloado a pena de um dragão Feérico, retorne amanhã para retirar o dinheiro obtido!”

Nos despedimos. Voltamos para as ruas de Elba.


Fomos até a oficina do Tio. Ele estava trabalhando na forja, rosto coberto por fuligem. Me pergunto que Tio realmente é, não importa quantas vezes eu o veja, ele não parece ser uma pessoa comum. Talvez esteja se escondendo de algo, de algum inimigo, poderoso o suficiente para o fazer se esconder no subterrâneo de uma casa velha.

“Oh, GrayWolves!” saudou ele animadamente, me encarou e falou:”Escutei as histórias de sua incrível façanha, jovem BlackWolve, imaginei que estariam em breve, bom, chegaram na hora certa, venham, venham, vou te mostrar algo interessante!”

Havia uma passagem oculta dentro daquela sala mal iluminada. Tio nos guiou por passagens estreitas, mal iluminadas, até uma porta pesada de ferro negra. Tirou uma chave presa em seu cinto, destrancou a fechadura, nos convidou a entrar.

Quando entramos no salão, perdi o fôlego, meus olhos se arregalaram com as maravilhas a minha frente; vitrines lotadas com espadas gravadas com runas mágicas; peças de armaduras mágicas; elmos plumados e coroas adornados com joias entalhadas com runas antigas; e uma variedade sem precedentes de equipamentos mágicos.

Era o reino de deus para um aventureiro, até Sam que sempre se mantém calmo tinha olhos arregalados.

“Sejam bem vindos a minha verdadeira oficina!” disse ele com um sorisso largo.”Imagino que tenham muitas perguntas, muitas qual eu não posso responder, por isso sem perguntas e vocês estão proibidos de contarem a alguém sobre a existência desse local, entenderam?”

Engolimos a saliva enquanto assentimos. Ele satisfeito, acenou para que eu o segui-se. Mas adiante paramos diante uma espada com aproximadamente um metro e vinte de comprimento, o cabo da espada era adornado por uma safira azul. A lamina era azul, cristalino, fincada na peça de mármore escuro entalhado com várias runas. Havia mais quatro espadas fincadas na peça de mármore escuro, espadas parecidas, a diferença era na cor; vermelha como rubi; branca exalando aura santa; outra roxa contendo relâmpagos; e uma espada negra coberto por uma aura profana.

“Não existe nada no mundo que meus olhos não possam ver. Quando o vejo, jovem BlackWolve, vejo um enigma, um completo mistério qual não consigo decifrar” disse ele com uma voz grave.”Acredita em destino, jovem BlackWolve? Acredita que todos encontros, amores, sorte e azar que encontramos na vida foi predestinado acontecer?”

Meditei, refletindo sua pergunta.

“Não” respondi convicto.”Acredito que as pessoas moldam seu próprio caminho através de suas ações. Um homem colhe aquilo que planta, se não colheu o devido, e porque não semeou o suficiente.”

Tio alisou sua barba trançada, pensativo e falou:

“Muito bem falado!” Tio gargalhou.”Também não acredito que somos fartados a seguir um caminho predeterminado, porém, acredito que alguns encontros são predestinados, encontros que muda as pessoas e o mundo.”

O fitei, perguntei:

“Aonde você quer chegar?”

“Acredito que nosso encontro não foi ao acaso, era predestinado você me conhecer e eu receber a pena de um dragão Feérico que eu precisava. Assim como foi predestinado você estar nessa sala, diante dessas espadas, minhas obras primas, forjadas para serem as melhores espadas do mundo.”

Tio tinha um olhar paterno, como se contemplasse uma filha amada.

Fiquei em silêncio, aguardando o desfecho da história.

“Eu vou permitir que tente retirar uma delas” disse ele com olhos relutantes.

“Tentar?” perguntei.

“Elas são minhas obras primas, mas serviram apenas a quem julgar ser digno, outros retiraram minhas filhas” apontou ele para pontos no mármore negro, aonde uma vez existiu uma espada fincada.”As usaram para grandes feitos, outros para grande maldades.”

Tio falava como se as espadas fossem seres vivos.

“Vamos jovem, tente retirar uma delas!” disse ele me empurrando para frente.

Cada uma das cinco espadas exalava uma aura de poder única. A príncipio a espada vermelha despertou um interesse em mim. Porém as outras espadas despertaram um interesse maior.

Fechei os olhos, senti o aroma no ar, o fluxo de poder mágico vindos da espada. Escolhi a espada que emitia o mais belo fluxo mágico, uma energia pálida como a luz da lua cheia. Por um instante a espada em questão me pareceu uma garota solitária, me fitando com olhos gélidos.

Uma garota solitária, vivendo nessa sala, sem amigos, sem saber como é o mundo. Meu coração se tornou pesado.

Fiz minha escolha.

Eu vou tira-lá daqui, foi meu pensamento sincero.

Eu sorri para ela, ofereci minha mão, seus lábios tremeram, gradualmente, hesitando, sua mão segurou a minha, mãos frias, porém gentis, eu a puxei para meu lado.

Quanto eu abri os olhos, estava empunhado uma espada de lâmina de cristal azul, coberto por chamas brancas congelantes, alimentadas pelo meu poder mágico.

  • Solitária– Categoria: espada inteligente. Nível: épico. Bônus: nunca quebrar/nunca perder o corte/chamas congelantes/Imunidade ao elemento gelo. Especial: uma vez por dia pode invocar magia campo de gelo com 300 metros de comprimento.

Gratidão, alegria e entusiasmo fluíam da espada para minha mente. Olhei emocionado, para aquela magnífica espada e beijei a lâmina em sinal de gratidão.

As chamas brancas se agitaram, mas não me feriram.

Tio me olhava com olhos incrédulos.

“Logo a solitária, chamas congeladas!” gritou ele.

“Solitária?” perguntei confuso.

“Sim, essa e o nome dela, Solitária, chamas congeladas!” disse Tio, e completou:”Solitária, rejeita aqueles que procuraram seu poder, jurou nunca escolher um mestre, mesmo que o sol morresse, a terra vira-se pó, jamais concederia seu poder a nenhum mortal ou deus!”

Eu sorri encabulado.

“Não procurei seu poder” enfim falei.”Por um momento a vi, senti o frio de sua solidão, e pensei comigo “tenho que tira-lá daqui e lhe mostrar o mundo”, foram meus sinceros sentimentos.”

Tio fitou solitária, após vários segundos balançou a cabeça e me entregou uma bainha branca, adornada com o símbolo da lua. Embainhei Solitária. Tio tocou meu ombro, murmurou encantamentos e no mesmo instante meu equipamento foi restaurado.

“Deseja alterar a cor de seu tabardo?” perguntou ele.

“É possível fazer isso?”

“Não para um ferreiro medíocre!” respondeu com uma risada.”Para sua sorte eu não sou um ferreiro medíocre, então jovem quer alterar a cor de seu tabardo?”

Fiz que sim com a cabeça, falei a cor que eu desejava, em um instante meu tabardo escuro se tornou branco, uma lua de prata cruzada por três raios surgiu no tabardo. Retirou minha capa azul, colocando outra capa cor vermelho escuro – pelo de lobo infernal.

O capuz da capa era no formado da cabeça de um lobo assustador.

“Pronto, agora combina com minha filha, Solitária!” exclamou ele.

Eu assenti alegre, sorrindo como um bobo por ganhar a nova espada. Tio restaurou os equipamentos dos GrayWolves e presenteou cada um com uma arma mágica Nível raro. Saímos da oficina retornando para pousada coração partido.

Descobriria no futuro que o destino existe e era algo poderoso.

Retornando para a pousada coração partido, detectei a presença de inimigos esperando nas sombras.

“Inimigos a frente!”eu disse lhes em um sussuro.

Um sorriso involuntário surgiu em meu rosto.

Estava na hora do batismo de sangue da Solitária.

Comentários