Duque de Nótos!

1 Parte

 

Seguimos para mansão do Duque Barion.

A mansão era esplendida. Vasos, lustres e quadros enfeitavam as parede da sala, ricas tapeçarias forravam o piso da mansão. Uma escadaria requintada leva para o anda superior.

Com meus sentidos aguçados não precisamos averiguar cada quarto e seguimos direto para a sala secreta do Duque Barion. No caminho encontramos soldados e magos, porém caíram como folhas secas perante um vento forte. Não fizemos qualquer esforço com Arian, era criava lâminas de água ou apenas afogava os soldados com esferas de água. Levou menos de uma hora para limpar toda mansão e encontrar o Duque Barion.

Ele lutou bravamente, mas não era páreo para nós. Levamos ele e toda sua família para o palácio real.

Antes de voltar entrar vestimos simples túnicas para esconder nossa nudez.

A sala do trono estava cheia de cavaleiros dragão, magos e nobres que discutiam. Na lateral esquerda estava os argonautas junto com a diretora Engelil Taflen. Todas vozes se silenciaram assim que adentramos o salão seguindo até a rainha – que infelizmente voltou a sua aparência loli. Ela estava com sua tipica aparência entendiada e assim que notou meu retorno com o Duque Barion seus olhos brilharam em aprovação.

Quando as atenções se voltaram para Arian, todos no salão suspiraram admirados, louvando e contemplando sua beleza.

Llachar e Anna esperaram atrás de nós segurando o traidor e sua família, enquanto nos ajoelhamos perante a rainha.

“Como prometido, o lixo foi varrido das ruas da capital real Cysgod!”Eu disse a ela e continuei: “Capturamos o traidor e sua família, pensei em os executar no local. Mas acreditei que a rainha desejaria aplicar a punição pessoalmente ao traidor!”

Ela ficou de pé em cima do trono, segurando seus quadril, estufou o peito e falou:

“Fez muito bem em trazer esse traidor até mim, pirralho!”Disse ela com um sorriso satisfeito. “Admito que pensei que iria falhar, se livrar de todos inimigos antes do amanhecer é digno de meu louvor!”

Ela pulou do trono e materializou com sua magia uma espada de gelo, exalando uma névoa congelante. Ela apontou sua espada congelante para mim, todo meu corpo tremeu ao sentir o intenso frio.

“Lyam Marwe por seu grande serviço ao reino, eu, primeira e única rainha de Argus. Concedo toda costa sul até as cordilheiras Ffyrning! A partir de hoje você será conhecido como Duque de Nótos!” Disse ela com um sorriso travesso.

Murmúrios explodiram por todo salão do trono. Toda região sul que vai do litoral até as cordilheiras Ffyrning e chamado de Nótos – área mais problemático e perigoso de Argus. Além dos bárbaros que infestam a região, o litoral era outro problema e os piratas que sempre atacam as cidade e aldeias próximas do mar gelado de Éxallos.

As cordilheiras de Ffyrning era covil de vários monstros e bárbaros além de quase isolar toda região sul do resto do reino.

Para todos presentes receber o título de Duque Nótos era o mesmo que está sendo punido. Porém acredito que rainha quer me usar para estabilizar a região e trazer prosperidade para o povo do sul.

“Sou grato por sua generosidade, Vossa Majestade!”Disse com sinceridade.

> Título de nobreza adquirido: Duque!

> Território adquirido: Nótos!

>Habilidade desbloqueada: [Aura nobre]

Oh, eu não sabia que isso acontecia quando se recebia um título de nobreza.

“Não é necessário gratidão pirralho!”Disse como uma criancinha arrogante. “Concedi o título Duque de Nótos a ti porque acredito que você será capaz de trazer as terras do sul!”

Eu entendo o que ela quis dizer. Argus era grande e mesmo para alguém poderosa como um dragon lord era impossível manter paz e ordem em todo seu reino. Vai ser uma ótima oportunidade para minha ordem e as cordilheiras podem oferecer ótimos recursos minerais!

“Não vou desapontar suas expectativas, Vossa Majestade!” Disse com extrema reverência.

“Pare com toda essa formalidade, você está me assustando!” Ela gargalhou e caminhou até o Duque Barion e sua família.

“Eu o poupei quanto era pequeno, acreditei que não seria tolo o suficiente para seguir os passos de seu pai! Mas, aqui está você, um cão que mordeu a mão te quem o permitiu viver!” Ela balançou a cabeça disse com uma voz fria e decepcionada: “Pensei que toda sua tramoia me renderia mais diversão do que o tolo de seu pai, mas os dois são uma grande decepção!”

O rosto do Duque Barion se tornou vermelho de raiva.

“Quando a sétima legião chegar na capital, seu reinado de terror irá acabar! Grave bem minhas palavras rainha monstro!!!”Gritou ele furioso.

“Oh, tu me chamaste de monstro?” Seus olhos verdes selvagens brilharam em fúria, sua mão se moveu como um borrão branco e ao mesmo tempo o salão foi preenchido pelo uivo de dor do Duque Barion. Seu braço direito foi decepado, manchando o piso branco de vermelho.

“…S-seu monstro!!!”Disse ele gritando de dor, no mesmo instante seu braço esquerdo foi decepado, tingindo o piso de vermelho.

“Vou permitir que sua família o veja mais uma vez antes que eu o deixe seu rosto irreconhecível!”Ela pegou o Duque pela túnica e arrastou até sua esposa, filhos e outros parentes do clã Barion.

Ela jogou o corpo diante de sua família e falou com uma voz fria:

“Aproveite minha generosidade, Duque Barion, vou permitir que todos façam uma viagem juntos para o mundo dos mortos! Cavaleiros lanças! Matem esses traidores!” Ela gritou e os cavaleiros dragões avançaram e formaram um circulo ao redor de toda família, suas lanças perfuraram todos membros do clã Barion. “Que sirvam de exemplo para mostrar como eu trato traídores!”

Ela voltou a se sentar no trono e todos se ajoelharam e gritaram vivas e continuaram até era dizer chega. Naquele dia tive um deslumbre do que acontece com aqueles que a traem e a brutalidade que ela trata seus inimigos.

Eu tenho muito o que aprender!

2 Parte

Com a destruição da nossa mansão na academia mágica. Ficamos hospedados em um dos vários quartos reais. A cama era luxuosa e macia e os travesseiros de penas. Teto enfeitado por um deslumbrante lustre de cristal e a decoração requintado arrebatava o ar dos convidados.

Eu planejei estrear o quarto e meu novo corpo com Arian. Mas nem tudo sai como queremos. Arian ficou ao lado da rainha discutindo algumas questões. Os mantos azuis pareciam bem felizes com a volta dela. Llachar foi patrulhar a área com os cavaleiros e os argonautas.

Logo amanheceria, não me sentia sonolento, apenas cansado por usar tanta magia dos deuses em uma única noite.

Eu me sentei na posição de meditação iniciando a recuperação da magia dos deuses.

Temos três dias para se preparam a chegada da sétima legião do império santo. A rainha loli me contou que um inquisidor está no mesmo nível de um lorde demônio e não se podia subestimas um herói convocado. Os dois juntos e uma legião de seis mil soldados não eram boas noticias. Mas eu estava aqui e seria um ótimo exercício testar meus titãs e um magia de destruição de larga escala que eu ganhei ao me tornar um dragão celestial.

Mas antes eu iria lutar contra o herói e o derrotar – meus instintos dizem que são japoneses. Nas histórias eles sãos os únicos a irem para outro mundo. Então não há dúvidas que seja um japonês.

(Aviso: a seguir cenas de sexo, se for menor de idade pule essa parte)

*Toc! Toc! Toc!*

Uma batida suave me tirou do meu devaneio. Abri a porta curioso e para minha surpresa era um anjo!

“Anna, algo aconteceu?”Eu perguntei.

Anna não me olhava diretamente nos olhos. Suas pernas tremiam, seu rosto demonstrava nervosismos.

Ela não respondeu.

“Anna?”Perguntei preocupado.

Seus ombros tremeram quanto falei seu nome. Ela moveu seus lábios, tentando falar algo, mas seu nervosismo atrapalhava.

“Ei, está tudo bem?”Eu coloquei minhas duas mãos em seus ombros trêmulos.

Ela levantou sua cabeça baixa, me encarando com seus belos inocentes olhos cor de mel. Lábios pequenos e úmidos e belas maçãs do rosto avermelhadas.

“Posso entrar?”Perguntou ela nervosa.

Eu assenti e ela entrou com passos atrapalhados, até ela de alguma forma inexplicável pisou em suas asas, levando a queda mais engraçada que eu vi na vida. Tive que lutar para não rir – não precisei me esforçar muito. Ela caiu bruços no chão, a saia de seu vestido puro branco de seda estava na altura da bunda, revelando suas pernas curtas e delgadas. Na tentativa de se levantar ela ficou de quatro e a saia foi empurrada para cima, para minha surpresa ela não usava roupa íntima!

Engoli em seco, controlando as chamas do desejo em meu corpo.

Ela se levantou e se sentou na beirada da cama. Ela parecia tremer e seus cabelos cor ouro branco brilhavam sob a luz do lustre. Eu me agachei na frente dela, olhei em seus olhos cor de mel e aguardei ela falar.

Depois de vários minutos ela falou:

“Eu vim para te agradecer por me dar asas!”Disse ela.

“Não precisa me agradecer Anna, somos companheiros e companheiros se ajudam!”Eu respondi com sinceridade.

Ela balançou a cabeça e falou:

“Eu sei, mas tenho que o agradecer mesmo assim. Você salvou minha vida, me tornou forte, me presenteou com uma boa armadura e uma nova família e agora me tornou esse ser poderoso!”

“Fiz tudo isso porque somos companheiros, uma família e além disso porque você é uma boa garota!”

Ela segurou suas próprias mãos trêmulas, havia algo errado, algo que eu deixei passar. Mas o que era? Será que me tornar um dragão me deixou cego para outras coisas?

Ela me encarou nos olhos e disse com determinação:

“Eu quero te agradecer, fazer algo por você!” Ela se levantou e tirou a alça do vestido, caindo lentamente no chão, revelando seu corpo nu. Seus seios pequenos e sua barriga definida arrebatava meu fôlego.

“Anna….O que você está fazendo?!”Eu perguntei mantendo o pouco do controle que me restava.

“Eu perguntei a Llachar algo que eu pudesse te dar que o tornaria feliz. Ela me disse que somente o corpo de uma donzela virgem o tornaria feliz……Eu não posso ser sexual como Llachar ou ter o corpo delicado da Arian….Mas eu tenho meu próprio charme!”Gritou ela nervosa e virou de costas, mostrando sua bunda firme.

Minhas mãos se moveram trêmulas, meu alto controle estava ruindo como um castelo de cartas, mas, eu não podia fazer algo assim com ela. Não por esse motivo, seu eu a tocasse seria como se eu estivesse abusando dela.

É o que Llachar anda falando para essa garota?!

“Sabe Anna se eu a tocasse eu estaria apenas tirando vantagem de você por se sentir grata a mim. Não quero receber amor de alguém apenas por gratidão, e você tem que fazer amor com uma pessoa importante, alguém que você ame!” Eu a encarei nos olhos falando o que eu realmente acreditava.

Ela abaixou a cabeça e falou:

“Não é apenas por gratidão, na verdade é apenas uma desculpa. Você é importante para mim, sempre que penso em nosso beijo, sinto meu corpo quente!” Seu rosto era puro vermelho, depois ela se levantou e com os punhos cerrados ela gritou: “Eu quero que pare te me tratar como uma garotinha! Me trate como uma mulher!”

Realmente eu venho tratando Anna como uma garotinha nesses cinco anos.

Droga como eu pude me tornar tão insensível?

Eu a envolvi em um abraço, pressionando seu corpo contra o meu.

“Me desculpe Anna, eu vou não vou mais te tratar como uma garotinha!” Eu disse a ela e a beijei. “Somos companheiros, família e eu gosto de você!”

Seus olhos brilharam e ela falou:

“Eu gosto de você Lyam, vou estar para sempre ao seu lado!”Ela disse suavemente e se deitou de bruços na cama.

Eu tirei minha túnica e montei em cima dela, acariciei cada contorno de seu corpo, sentindo a pele de seda e suas deslumbrantes asas. Beijei sua nuca, suas costas e fui descendo a satisfazendo e depois de seus gemidos abafados, nossos corpos se uniram em um só, inicialmente suave, depois mais intenso e continuamos até a cama se quebrar.

Llachar apareceu depois, se unindo a nós.

Foi um dia sem descanso.

Dois dias restantes para a chegada da sétima legião do império santo.

Comentários