Magusgod: aventureiros, esse é o penúltimo capítulo do primeiro arco. Gostaria de convidar todos que gostam dos meu trabalhos a ler Arauto Negronovel que eu postei recentemente. bom, esse e o fim da minha breve propaganda kakaka

Boa leitura a todos!

__________________________________________________

Final inesperado!

 

1 Parte

 

Ponto de vista rei demônio

Eu corria sem olhar para trás, o que me perseguia era muito assustador. Em outra situação eu teria escapado através da magia demoníaca. Porém de alguma forma ele selou todo meu poder demoníaco com sua espada divina falsa.

Eu nasci das trevas e do caos primordial.

Em todos meus milhares de anos de existência. Lutei contra deuses verdadeiros, anjos, armamentos divinos e demoníacos. Eu era cultuado como deus em vários mundos, rei das trevas, flagelo do universo e outros títulos que mal lembro.

Eu sou um ser imortal, como meus irmãos que nasceram das trevas e do caos primordial. Mesmo que nossos corpos sejam destruídos iremos renascer e surgir novamente. Mesmo os deuses e seus anjos não podem nos derrotar.

Porém milênios atrás encontrei essa terra de mortais. Para nós demônios primordiais o que nos interessa e a evolução. Não importa os meios, e para evoluir almas eram a melhor forma de alcançar a evolução. Eu e minha horda devastamos a ponto de levar os seres daquela época a beira da aniquilação.

Na minha arrogância e prepotência, abaixei minha guarda e cai em uma armadilha que me selou.

Não poderia morrer e ou sair daquele selo.

Quantos milênios se passaram desde que fui selado? Após ser selado conheci a outra face da escuridão. Séculos sem comer ou ver qualquer luz me levaram a muitas vezes a beira da loucura.

Foram tempos terríveis, qual eu me amaldiçoei por ser imortal e um tolo por cair naquela armadilha.

Depois de ganhar minha liberdade, estou diante de um jovem que carrega o terceiro salmo negro.

Apesar de sua idade jovem, seus poderes e habilidades são assustadores. Mesmo eu estando enfraquecido pelo selo, eu deveria ser capaz de lidar facilmente com aquele deus incompleto. Mas, sua tenacidade, habilidade e com seus poderes estranhos conseguia bater de frente comigo.

Um jovem interessante……Mas a situação mudou.

Atualmente estou correndo, tenho que fugi para o mais longe desse planeta, do sistema solar, desse universo. Posso ser imortal, mas, o terceiro salmo é um grimório dos deuses do caos. Habilidade do terceiro salmo e assustador, uma vez que eu for capturado pela magia do grimório, minha alma será presa para sempre e terei que o servir.

“Se renda pacificamente e sua morte será menos dolorosa!” Gritou ele, sentando acima da cabeça principal de um ser monstruoso com dez cabeças e centenas de metros de altura. Sua aparência e aterradora, posso sentir a magia do grimório na criatura, o que significa que deve ser uma fusão de várias bestas mágicas.

Eu não respondi, continuei a fugir pelos escombros.

“Se eu fosse você eu não iria por esse caminho, é perigoso!” Ele me advertiu, eu o ignorei. No caminho a frente surgiu uma pantera dragão bípede, suas escamas eram com cristais de gelos. Seu corpo poderoso exalava uma aura dominadora, gélida, fazendo o frio do espaço não significar nada.

Sem minha magia demoníaca eu era como um mortal – exposto aos elementos da natureza.

Brandi minha espada em sua direção, sem medo a criatura chutou o chão, bateu suas magníficas asas, avançando como uma flecha de gelo. A criatura era rápida, suas garras cortavam o ar, congelando tudo em frente. De forma hábil conseguia evitar minhas greves poderosas de espada, contra atacando com suas garras gélidas. Usei a lâmina da espada demoníaca para me defender, se fosse qualquer espada de nível inferior com certeza teria sido cortado pelas garras da criatura.

Minha situação piorou, no meu campo de visão surgiu uma magnífica criatura de fogo. A criatura tem três cabeças de lobo guarnecido por uma juba de fogo carmesim. Suas bocarras disparavam bolas de fogo incandescente, explodindo tudo em volta, liquefazendo o solo aos meus pés.

Eu enfrentava gelo e fogo, ambos poderosos demais. O grimório além de capturar poderia fortalecer e evoluir as criaturas capturadas. Por essa habilidade assustadora que os verdadeiros deuses entraram em guerra com a trindade obscura e seus lordes do caos – batalha tirânica que devastou mundos inteiros e universos.

Não se sabe o que aconteceu com os salmos negros. Muitos acreditam que a trindade obscura os escondeu em mundos diferentes, outros acreditam que foram destruídos juntos com a trindade obscura.

Em meios ao meus devaneio, minhas costas queimavam como fogo em brasa. Uma lâmina branca atravessou meu peito, jorrando meu sangue escuro no solo.

“Eu te peguei!” Disse ele entusiasmado.

Minha visão gradualmente se tornou escura, antes de perder a consciência vi o jovem assustador sorrindo de orelha a orelha, saltando, e dançando como uma criança.

É pensar que eu perdi para um jovem desses……Sou uma vergonha como rei demônio.

2 Parte

Ponto de vista Lyam

Aproveitando um momento de distração eu gravei minha espada em seu coração. Minhas mãos tremiam de excitação, meu coração batia como um tambor enlouquecido.

Seu espírito saiu do corpo, fluindo para as páginas branca do terceiro salmo.

> Um dos requisitos para próxima evolução foram cumpridos!

> Título adquirido: Herói lendário de Argus!

Sério?!

Eu recebendo o título de herói de certa forma faz meu intestino se revirar. Não gosto de heróis, muito menos quero ter esse título.

Se um dos requisitos para o rank-up era derrotar um rei demônio, nem quero imaginar quais são os outros requisitos.

Mas, deixando esses assuntos chatos de lado.

“Hahaha! Eu consegui! Eu capturei um rei demônio!” Eu gritei, saltando e socando o ar.

Eos, Hipérion e Teia surgiram ao meu lado.

Teia falou:

[Parabéns mestre, seu poder, beleza e inteligência são inigualável!]

Hipérion falou:

[Sua ganancia são de fato inigualável Kakaka!]

Eos falou:

[Sinto compaixão pelo rei demônio]

Eu sou o único que foi atacado impiedosamente. Mas não vou me importar com o que esse Solis idiotas pensam. Eles ficaram flutuando a minha volta enquanto eu analisava o poder do rei demônio. Seu poder era sem igual, avassalador, muito maior do que o meu.

Será que eu vou conseguir controlar seu poder?

” Hum…..Ele é muito poderoso, se eu o nomear o que vai acontecer?” Eu perguntei para mim.

[Mestre não sabemos se no seu estado atual você terá poder para controlar o rei demônio]

[Concordo com Eos, nomear o rei demônio pode tornar ele poderoso o suficiente para se rebelar]

[Nomeia logo esse filha da mãe!]

[Sua bola de metal estúpida, qual é dessa sugestão horrível? Nosso mestre irá morrer caso o rei demônio possa se rebelar! Vejo que nossa evolução não curou sua estupidez]

Teia gritava com Hipérion por sua sugestão perigosa. Eos como sempre ficava observando a discussão de seus irmãos mais novos.

[Teia, você não entende o coração de um homem! Um homem não pensa nessa frescura e ri na cara da morte! Se meu mestre for o mestre homem que eu sei que é, ele vai nomear o rei demônio! Kakaka]

Teia começou concentrar uma energia sagrada e disparou uma bola de luz contra hipérion. Ele desviou, e conjurou várias bolas de fogo, entrando em uma batalha mágica. Eos interviu na luta conjurando uma parede espiritual impedindo que ambos continuasse sua briga infantil.

(Magusgod: A energia divina que Lyam controlava antes vou mudar o nome para energia sagrada)

Porém a uma questão importante em tudo isso, desde de quanto eles podem usar magia?

Eu os desenvolvi para replicar a magia do usuário, mas não era para eles poderem usar magia de livre e espontânea vontade. Parece que minha evolução alterou eles de uma forma que eu não esperava.

Antes que eu pudesse perguntar o que mais mudou neles. Senti um fluxo mágico estranho sob meus pés. Um frio percorreu minha espinha, eu saltei para longe do local. No mesmo instante um colossal pilar de gelo surgiu. Se eu não tivesse saído a tempo eu teria sido morto em um ataque só!

“Tsch….Seus sentidos são afiados!” Disse uma voz irritada.

Das sombras de um edifício em ruínas, ele surgiu, o cabeça de lobo prateado.

3 Parte

O cabeça de lobo trajava uma magnífica armadura prateada com ilustrações vividas de lobos uivando. O desing era bastante parecido com o da armadura de Llachar. Sua capa cor azeviche ondulava com a brisa suave.

Ele desembainhou uma espada com a forma de katana, sua lâmina roxa espectral era coberto por uma poderosa aura espiritual.

Caminhou com passos largo em minha direção. Sua mão tremia, através da viseira do seu elmo em forma de lobo podia ver os belos olhos azuis celestes – duas adagas afiadas e gélidas.

Ele parou diante de mim, seus olhos penetrantes continham um ódio avassalador. Não sabia quem ela, porém suspeitava da sua identidade.

“Odeio sua atitude complacente perante um inimigo” disse ele em um uivo raivoso. ” Odeio esses olhos brilhante, esse sorriso despreocupado como se nada no universo fosse um problema para você!”

Com cada palavra seu corpo exalou uma aura congelante. Ele moveu sua katana, apontando a ponta da lâmina em meu pescoço. Moveu sua mão na placa peitoral e seu elmo em forma de lobo desapareceu, revelando um rosto jovial – a metade de seu rosto pelo menos. A outra metade era como papel dobrado, marcas de uma terrível queimadura.

Eu forcei um sorriso.

Fitei seus olhos tão familiares.

“Diga alguma coisa!!!” Gritou ele furioso.

“Em meu mundo e falta de educação não se apresentar” Eu disse, sorrindo. “Eu me apresentaria, mas, você deve saber quem eu sou.”

Ele mordeu seus lábios a ponto de sangrarem, sua mão tremia violentamente.

“Eu me chamo Fenrir……” ele se apresentou, depois de vários segundos completou: “Filho de Apollo e Arian a Fada Azul!”

Eu soltei um longo suspiro.

“Era como eu suspeitava…..Após ouvir o rei demônio descrevendo sua aparência, suspeitava que tinha algo relacionado com viagem no tempo….Sinceramente são tantas reviravoltas que eu não vou ficar surpreso com mais nada!” Eu deixei meus ombros caírem desanimados. “Então meu filho do futuro, por que guarda tanto ódio em direção a mim?”

“Não me chame de seu filho!” Ele gritou enfurecido, todo seu corpo tremia. Ele trincou seus dentes e falou: “Você a matou! Matou ela! Matou aquela que eu amo, diante de mim! Destruiu um planeta inteiro!”

Lágrimas fluíam sem parar por seu rosto.

Eu estava surpreso, não conseguia me ver matando uma pessoa amada por meu filho, muito menos destruir um planeta inteiro.

“E….Por que se vingar de mim?” Perguntei não entendo o porque se vingar de mim e não do meu eu do futuro.

Ele mordeu seus lábios novamente e falou:

“É impossível te matar, sua guarda imortal formada pelos mais poderosos deuses do sistema solar o protege fielmente. Mesmo por algum milagre eu conseguisse passar por sua guarda imortal, se por algum milagre eu o derrotasse você não morreria. Você iria apenas se transformar em energia espiritual e recriar outro corpo!”

Uau, eu pensei impressionado. Mas, que tipo de monstro eu me tornei? Uma guarda imortal, deuses do sistema solar, eu um imortal……Cara, se ele não fosse meu filho eu bateria nele por me dar spoilers.

Ele continuou:

“Meu ódio era grande demais, para aceitar minha impotência diante seu poder. Quebrei o tabu da viagem no tempo, e retornei para uma época em que você ainda não se tornou um deus, uma época em que eu possa te derrotar! Se eu te matar irei me vingar por ela e por todas pessoas queridas por mim que você matou ao destruir aquele planeta!”

“Oh, então é isso…..Eu realmente não compreendo bem, mas se me matar irá trazer paz em seu coração, então siga em frente e tenha sua vingança.”

Ele me olhou com suspeita, sua testa estava encharcada de suor. Apesar de toda sua raiva ele estava hesitando em tirar minha vida.

“Porque?!” Ele gritou. “Porque, não luta? Porque está sorrindo tão tranquilamente?!”

“Não é obvio?” Eu disse a ele. “Como um pai, eu sacrificaria minha vida por aqueles que amo. Se minha vida vai tranquilizar seu coração, e meu dever como pai garantir essa paz, mesmo a custa da minha vida.”

Lágrimas desceram sem parar. Ele segurou a katana espiritual com as duas mãos, a lâmina trêmula desenhava um arco horizontal, pronto para decepar minha cabeça.

*Clang!*

Um ruído metálico ecoou pelo setor sul. Diante de mim surgiu uma figura trajado armadura cintilante como se fosse ouro líquido. Sua lança de cristal bloqueou a trajetória da lâmina. Fenrir se afastou com passos rápidos para trás, ela girou revelando o simbolo em sua placa peitoral – dois leões segurando um sol cruzado por dois raios.

Ela tocou a placa peitoral, fazendo seu elmo em forma da cabeça de um leão desaparecer. Revelando uma bela mulher de cabelos dourados e um rosto de traços finos e elegante. Seus olhos cinzentos lembravam Arian e seus lábios vermelhos desenharam um sorriso aliviado.

“Eu cheguei a tempo!” Disse ela aliviada e voltou a olhar para Fenrir: ” Fenrir chega com seu ato tolo de vingança! Nosso pai não vez nada de errado! Apenas fez o que era melhor para o universo!”

Fenrir rosnou e gritou:

“Sekhmet, como matar aquela que amo possa ser para o bem de todos? Como destruir um mundo inteiro, possa ser algo bom?!”

Os lábios dela tremeram.

“Eles estavam usando você, ela não era nada mais do que um peão de tártaro! Todo aquele mundo era uma arma em si, prontos para destruir a paz que nosso pai lutou por milênios para estabelecer!” Rugiu ela de volta.

Fenrir não responde e sacou outra Katana coberto por uma névoa branca congelante. Sekhmet brandiu sua lança disparou em um borrão de luz, Fenrir se transformou em um borrão prateado e um luta qual eu mal conseguia acompanhar aconteceu diante de mim.

Cada colisão provocava ondas de choque, transformando os edifícios em ruínas em pó. A luta continuou sem fim aparente, no horizonte surgiu Arian e as demais garotas vindo em minha direção.

“Não venham!!!” Eu gritei para elas.

Arian pareceu notar a luta titânica entre a luz prata e a luz dourada. Mas, ela continuou avançando em minha direção.

“Droga essa idiota!” Eu corri em sua direção gritando para se afastar.

De repente ocorreu uma explosão ensurdecedora. Minha visão ficou turva, meus passos cambaleantes. Sekhmet foi lançada contra um monte de entulhos, Fenrir fitou Arian e me olhou em seguida, desenhando um sorriso desagradável.

Ele avançou em direção dela, eu usei todo meu poder dos deuses em minhas pernas e disparei, tão rápido de tudo parecia um borrão. Fenrir chutou o chão, mudando sua trajetória, voando em minha direção exalando uma poderosa aura espiritual. Suas manoplas em forma de garra criou braços espirituais, ele passou por mim, quanto as mãos espirituais tocaram meu corpo, toda minha força esvaiu.

Não conseguia me levantar ou me mover, sua manopla em forma de garra segurou minha cabeça, me erguendo.

“Te matar não será o suficiente!” Ele rosnou para mim. “Olhe aquela que ama, olhe bem para cada uma delas, pois e a última vez que irá as ver!”

Meu corpo foi se tornando fraco e minha aparência foi se alterando. Meus cabelos cor de ouro branco escureceram até se tornarem escuros como a noite, e meus olhos se tornaram azuis celestes. Meu corpo era fraco como a de um adolescente da minha idade.

“Eu selei todos seus poderes de demigod, agora não passa de um simples humano! Mas ainda não é o suficiente, vou apagar todas suas memórias, vivera uma vida sem saber quem es!”

Após suas palavras fui atingindo por uma terrível dor de cabeça nauseante, como se alguém estivesse abrindo minha cabeça. Todas memórias preciosas foram desaparecendo, meu conhecimento, todas pessoas que eu conheci, todos aquele que amo…..Ele estava tirando tudo de mim…………Tudo que amo…….

………..Minha ultima lembrança foi Sekhmet vindo em minha direção. Fenrir rasgou a camada do espaço, abrindo um portal,que mudava a cada segundo e me lançou em um outro mundo desconhecido.

Eu cai no portal, as lágrimas dele rolar por seu rosto.

Minha mente se tornou branco aos poucos…………Até eu perder completamente minha consciência.

Quando eu voltasse acordar não saberia quem eu era, não me lembrarei delas, muito menos que tenho um filho.

E, eu que pensei que teria um final feliz, acabei perdendo tudo.

Comentários