Kuork

Apenas Tradutores Errantes

iLivro

Armamento Demoníaco Rabbit Busty

 

 

A chuva cessou no dia seguinte. Os primeiros raios do sol passava pela brecha da cortina iluminando meu rosto. Estava sentado sobre uma pele de lobo que enfeitava o piso de madeira do quarto. Tinha acabado de sair de uma noite inteira de meditação. Havia recuperado 3% do meu poder mágico, pouco para um deus, mas da perspectiva de um mago mortal seria poder mágico o suficiente para conjurar dez vezes uma magia de alto nível. No total, junto com os cinco anos que eu estava em hibernação, eu tinha recuperado apenas 23% do meu poder total.

“Mesmo com habilidade passiva 「Um com o cosmo」, a taxa de recuperação é baixa demais. Não há problemas em usar magias básicas, mas sem pensar posso usar magias nível deus que exige uma vasta quantidade de poder mágico” disse para mim mesmo segurando meu queixo com as mãos. Após a meditação, circulando o poder mágico pelo corpo estava me sentindo bem melhor do que anteriormente.“Hoje a noite vou adentrar o território da Horda e recuperar meu tesouro enterrado pelos membros da Guilda Raganarok.”

Fechei os olhos, lancei minha consciência para meu espaço dimensional. Listei todos itens que não foram roubado pelo deus cara de fuinha. Felizmente ele não levou o Martelo Sagrado de Aurorus assim como grimório dos deuses do caos Terceiro Salmo. Sinceramente não compreendo o por que ele não levar meus itens mais valiosos. Listei os materiais de fabricação; gemas mágicas; peles e escamas de monstros; ossos; lingotes de diversos minerais; plantas especiais para poções alquímicas; e diversos materiais de fabricação experimental.

“Me lembro de meu espaço dimensional ser preenchido por uma montanha de moedas de prata, ouro e joias preciosas. Dinheiro reunido com meu trabalho duro em Argus, e agora não vejo nem um punhado se quer da minha antiga fortuna! Aquele desgraçado! Quando eu for forte o suficiente vou tirar tudo dele e não vou se quer deixar com as roupas do corpo!”

Da minha antiga riqueza havia no espaço dimensional apenas dois sacos cheios, estourando de moedas de prata de Argus. No total havia cem moedas em cada saco. Em comparação com as moedas de prata de Aayós, as moedas de Argus são maiores e mais pesadas, pela minha analise superficial cada moeda de Argus deve valer entre duas a três moedas de Aayós.

“Talvez seja um exagero dizer que eu estou totalmente quebrado. Mas se eu quiser construir uma cidade e atrair seguidores vou precisar da fortuna enterrada. Se não me falha a memória, deve haver quarenta a cinquenta milhões de moedas de ouro de Aayós e duzentas mil de prata. Sem contar as centenas de lingotes de ferro, aço…etc….É as diversas cota de malha, espadas, lanças, machados e escudos forjados por Tio.”

Seguindo meus instintos eu havia reunido várias armas e uma verdadeira fortuna. Nesses tempos caóticos somente a força e dinheiro irá valer alguma coisa.

“A primeira coisa que vou fazer depois de recuperar o tesouro enterrado e abandonar a aldeia torre e construir uma cidadela num ponto estratégico. De lá vou expandir minha influência, recursos, dinheiro e restaurar um pouco de ordem nessa caótica Aayós. Nesse processo irei recuperar todo meu poder mágico, fazer uma boa ação, e retornar para casa!”

Havia planejado tudo. Era simples e fácil. Pelo menos era o que eu pensava. Mal poderia imaginar que retornar para casa poderia ser mais difícil do que eu havia planejado. Não acreditava no destino, mas não acreditar, não tornar algumas coisas menos reais. O destino existia e o meu parecia empenhado em me ferrar.

**********

“Hipérion” chamei depois de um longo suspiro. Ele apareceu num clarão de luzes vermelhas e flutuou até mim. Hipérion foi o único Solis deixado comigo, aquele desgraçado havia levado Eos e Teia meus Solis mais eficazes. Na teoria todos deviam ter o mesmo nível de inteligência, na prática, Hipérion era um idiota cheio de piadas sem graça.“Hipérion, alterar forma, transforme-se no modelo T-003 e inicie o processo de tecelagem. Material utilizado: linha demoníaca. Modelo de vestimenta: Vestido de empregada de batalha tipo assassina.”

Todos meus Solis tem a habilidade de alterar de forma. Não cheguei a usar muito essa habilidade. Na maioria dos casos usava os Solis para imitar alguma ferramenta de produção. Nesse caso pedi para transformar-se numa máquina de Tear. Havia três tipos de modelos de maquina de Tear. T-003 era usado especificamente para criar vestimentas com linhas demoníacas – linha demoníaca é um tipo de linha muito resistente e leve, parecido com Kevlar. Vestimentas criadas a partir de linha demoníaca são dez vezes mais resistente do que aço.

[Como desejar mestre! Quais são as medidas? Deixa eu adivinhar….Humm……Sim, só pode ser a coelha peituda, mestre….Temo que o vestido de empregada de batalha tipo assassina seja discreto demais! Que tal um vestido de empregada de batalha tipo Sexy! Ah, só de pensar aquele corpo num vestido apertado……]

Se fosse Eos ou Teia teriam feito o que pedi sem dar conselhos inúteis. Sinceramente não consigo imaginar quem Hipérion puxou.

“Negado. Use as medidas de Ania, faça da forma que eu mandei. Use o espaço dimensional para tecer o vestido de empregada de batalha tipo assassina. Se você fizer algo diferente do que eu pedi, vou mandar você para reciclagem!”

Hipérion resmungou e voltou para o espaço dimensional. Lá alterou sua forma para uma maquina de tear, iniciando o processo de criação de um vestido de empregada de batalha tipo assassina.

“Hipérion vai levar no mínimo uma hora para tecer o vestido. Por hora vou cuidar da outra parte da criação” materializei Martelo Sagrado de Aurorus e escamas de dragões negros. Usaria as escamas de um dragão negro para fabricar um sapato de ótima qualidade e luvas demoníacas. Materializei também um pedaço de carvalho branco e um cinzel para esculpir uma máscara.“Como Ania vem comigo, não posso a negligenciar……Apesar que fazer um armamento demoníaco seja um pouco exagerado.”

Armamentos como as armas existem dez níveis: Pobre, Comum, Raro, Lendário, Épico, Fantasma, Demoníaco, Sagrado, Espiritual, Deus.

O que é esse tal “armamento” Lyam sensei? É o que estão se perguntando.

Armamentos são um conjunto completo de vestimenta e armas. A principal diferença e que somente deuses podem criar armamentos, por que é necessário a benção de um deus e outros processo chatos. Para Ania vou criar um armamento nível demoníaco. Em meu estado enfraquecido eu posso acabar sendo atacado por algum inimigo perigoso. Eu sou um verdadeiro imã para problemas. Por esse motivo vou criar um armamento demoníaco para Ania o que vai lhe dar uma grande poder para se proteger e me proteger caso for necessário.

Segurando o martelo e cinzel, comecei a esculpir o bloco de carvalho branco. Usava força mínima e controlava constantemente o fluxo de poder mágico e poder espiritual usado em cada martelada. No processo estava usando três habilidade ativas: Domínio da Magia, Domínio Espiritual, Domínio da Criação. Era um trabalho delicado que exigira tempo e paciência. Não seria exagero dizer que eu estava criando uma obra de arte.

“「Visão das Estrelas」, 「Audição Élfica」, 「Inteligência Superior」, 「Predição Demoníaca」….” acrescentei bençãos enquanto o cinzel dava forma de uma máscara para o bloco de carvalho branco. Depois de longos trinta minutos havia terminado de esculpir, acrescentei detalhes visuais embelezando a máscara.“Hum….Está ótimo….Para finalizar uma gota do meu sangue” cortei meu dedo, pinguei uma gota de sangue divino na máscara tornando a matriz do armamento demoníaco.“Terminei o processo mais chato da criação de um armamento.”

Após terminar a criação do sapato de escamas de dragão negro acrescentei a benção: 「Passos Silenciosos」e「Movimento sobrenatural」. Após terminar a criação das luvas de escamas de dragão negro acrescentei a benção: 「Força Dragonica」, 「Mãos Fantasma」.

Limpei uma gota de suor em minha testa após terminar de criar partes do armamento. Nesse simples processo havia gasto 2% de poder mágico e assim que o vestido de empregada de batalha tipo assassina estivesse pronto eu vou aplicar bençãos. Sem dizer que eu teria que gastar meu escasso poder espiritual para unir os equipamentos.

“Hum….Falta criar uma arma……Se não me engano, Ania tem experiência com adagas” apesar de Ania ser uma cozinheira mágica, todos membros da guilda recebia um treinamento mínimo de combate marcial e com armas.

Sem perder tempo, criei duas adagas leves e afiadas suficiente para cortar cotas de malhas e escamas resistentes. Não muito tempo depois Hipérion terminou de tecer o vestido de empregada de batalha tipo assassina. Acrescentei bençãos, e usando as habilidade ativas「Domínio Espiritual」e 「Domínio da Criação」, criei um vínculo espiritual entre cada peça do armamento. De olhos fechados, me concentrei na criação do vínculo espiritual. Era um processo delicado que exigia total concentração e controle espiritual. Um único pensamento errado ou uma distração e o processo de criação do vínculo seria um fracasso.

O fogo da lareira se apagou e o sol estava se pondo tingindo o céu de uma cor alaranjada. Havia se passado três horas e estava quase finalizando a criação do vínculo espiritual. Suor cruzava meu rosto. Felizmente por ser um deus, mesmo estando enfraquecido, o frio cortante da sala não me afetava e poderia ficar meses sem comer e beber água – comer era mais um hábito do que necessidade. Só não era imune a mulheres bonitas e ouro, o resto poderia viver sem por longos períodos de tempo.

Houve um estalo em minha mente e uma distorção espacial ao redor das peças do armamento, logo desapareceram, surgindo no lugar uma pulseira de prata entalhado com imagens vívidas de coelhos e duas adagas cruzadas.

“Finalmente terminei com sucesso a criação de um armamento demoníaco!” exclamei com alegria. Peguei o bracelete, precisava nomear o armamento demoníaco.“Tem que ser um bom nome……Hummmm…….Não vejo nome melhor….Nomeio de: Rabbit Busty!”

(Magusgod: Rabbit Busty significa Coelho peituda)

Depois de criar o armamento demoníaco Rabbit Busty chamei uma serviçal para trazer um pouco de lenha e comida. Desy devia estar patrulhando ou resolvendo algum problema na aldeia torre. A serviçal reascendeu a lareira enquanto eu devorava um pedaço de pão duro e queijo. Mais tarde foi servido o jantar e Desy apareceu, visivelmente cansada, jantamos juntos e conversamos sobre os problemas da aldeia torre.

“A cada dia a comida fica mais escassa” resmungou ela para mim naquela noite fria.“O rio mais próximo que pode fornecer peixes fica dentro do territória da Horda. Os animais na planície são escasso, acho que caçamos todos e o solo não é próprio para plantio.”

“É um milagre você ter mantido esse lugar por cinco anos” disse num tom cheio de admiração.“Mas não se preocupe, logo o problema com alimentos será resolvido” havia dúvidas e preocupação em seus belos olhos violetas.“Não me pergunte como, em breve você saberá. Não faça essa cara preocupada, eu não vou realizar nenhuma loucura ou fazer chover comida do céus.”

Ela não me perguntou mais nada. Logo dormimos – fingir dormir -, assim que ela estava em sono profundo eu sai de fininho da cama. Desy seria uma grande ajuda nessa busca, mas ela já trabalhava demais e não desejava roubar seu único momento de descanso. Fora que seria uma viagem rápida e fácil.

Com tudo pronto chamei Ania em seu quarto, como fantasmas, deixamos a aldeia torre.

Comentarios em HDUM arco 3: Capítulo 2

Categorias