Kuork

Apenas Tradutores Errantes

iLivro

Eu te odeio, idiota!!!

1 Parte

 

Acordei sentindo uma sensação suave e quente em minha mão. Como eu não poderia reconhecer essa sensação suave e agradável? Claramente é impossível eu não saber a sensação de apalpar seios!

Porém não reconheço esse formado de seios, claramente não é o de Llachar, Arian também não, ultimamente tem se tornado bem raro ver meu doce amor.

Para poder examinar melhor aquele formado de seios desconhecidos eu apalpei suavemente para confirmar a consistência e se eu alguma vez jpa os toquei.

“~Hummm~” um gemido baixo pode ser ouvido.

Abri meus olhos e descobri que os seios que eu estava apalpando era os da garota demônio!

Ela estava agarrada firmemente em meu corpo, acabei relembrando que testamos o protótipo mecha prometeu-oo4 e acabei desmaiando de cansaço devido a passar vários dias sem dormir.

“Essa garota é uma graça quando não esta gritando que me odeia, apesar que eu sei que ela me ama.” Eu falei para mim mesmo e olhei para os painéis de controle e as telas de cristal que exibem informações operacionais do mecha.

Todos devem está se perguntando os acontecimentos que levaram a eu criar um mecha e os solis?

Resumindo em poucas palavras a chave para toda essa tecnologia: Arquiteto espiritual.

Estudando energia espiritual com o grande espiritualista Euraidd Mulki, compreendi melhor a profissão [Arquiteto espiritual] dada por Aurorus. Eu aprendi a criar uma matriz espiritual simples que permiti a criação de estruturas sólidas. Um bom exemplo e uma arena com a cúpula de cristal criada a partir da energia espiritual de Euraidd. Pode parecer simples, mas na realidade requer muito esforço mental e compreensão da estrutura que vocês está criando, uma mera distração durante a formação da estrutura pode ocasionar todo o colapso da estrutura sendo criada.

Eu falhei dezenas de vezes até consegui criar com sucesso minha primeira matriz espiritual.

Após a criação da minha primeira matriz espiritual, com minha habilidade [Manipulação espiritual] e os pergaminhos de projetos de uma interface de inteligência artificial eu criei com sucesso uma matriz espiritual de inteligência programada.

Após criar a matriz espiritual de inteligência programada eu precisava de uma fonte de energia. Depois várias manipulações e testes com os núcleos mágicos eu consegui alterar sua estrutura molecular e acrescentar informações, funções e até habilidades, para o núcleo mágico modificado eu dei o nome de reator mágico.

Com as duas peças fundamentais escolhi um projeto de Aurorus que era sobre um Drone que funcionava como um terceiro olho para o usuário.

Então eu pensei: não seria interessante se não fosse também um tipo de celular? Fazer videos chamadas, ter as funcionalidades de um computador e pudesse falar como aqueles animais mágicos de filmes!

Dessa forma nasceu solis, a varinha mágica inteligente.

Foi bem mais do que uma simples varinha mágica inteligente, na verdade eu imprudentemente desenvolvi um método de expansão mental, que expande e aumenta a capacidade mágica e inteligência do usuário. Porém a capacidade de nosso cérebro não iria aguentar a pressão mental e acabaria transformando as pessoas em um vegetal.

Então tive a ideia perigosa de usar solis como um hardware externo.

Por que é perigoso?

Por que havia chances de eu cometer um erro e acabar destruindo a mente da pessoa no processo que eu nomeei de batismo, fora que caso eu tivesse sucesso eu não fazia a miníma ideia como a parte da mente transferida para o solis iria se comportar ou se iria quebrar os protocolo de segurança estabelecidos na matriz espiritual de inteligência programada.

Com todos riscos em mente eu resolvi arriscar e usei eu mesmo como cobaia e expandi minha mente para o solis e com a transferência ganhei a habilidade [Sincronizar] o que eu não havia programado e além disso meu solis criou uma personalidade e falava como se fosse um humano normal.

Eu meio que acabei mudando a matriz espiritual de inteligência programada de um modo estranho, era como uma pseudo consciência humana. Um resultado inesperado, mas foi um sucesso e com isso desenvolvi a matriz espiritual pseudo consciência humana, para ficar mais fácil e mais breve nomeei como matriz espiritual de inteligência artificial.

O solis são muito úteis, ajudando em muitas tarefas e escaneando pergaminhos, livros, adquirindo um vasto conhecimento que eu poderia sincronizar e aprender sem precisar ficar horas lendo ou tentando compreender o conteúdo.

Era surreal o que acabei desenvolvendo rapidamente o mecha com ajuda do primeiro solis que eu dei o nome de Eos, nome do titã da inteligência da mitologia grega. Ele adquiriu uma forma espectral quase como um espirito, um sol espiritual.

Graças sua ajuda o que eu levaria mais cinco anos para desenvolver o mecha, eu o desenvolvi e apenas dois anos e agora que foi testado pela garota demônio esta pronto para ser utilizado!

Sinceramente estou muito animado, pilotar um robô gigante era um sonho que eu tinha na minha vida passada, que ironicamente vou realizar nessa vida.

Magia, mulheres bonitas e mechas, como um homem não pode ser feliz com tudo isso?

Deixando isso de lado, esqueci de apresentar meu outros solis, Hipérion e Teia.

Eu imprudentemente tentei expandir minha mente mais uma vez, o que eu consegui graças a orientação e ajuda de Eos eu expandir mais duas vezes o que era o limite que minha mente aguentava.

Eos disse que minha mente é anormal e que um humano comum aguentaria apenas uma expansão de acordo com seus dados. Eu acredito que isso foi possível por eu controlar três tipos de energia diferente que deve ter transformado minha mente e corpo, pois meu crescimento era anormal. Eu tenho 14 anos e a aparência de alguém de 20 anos!

Será que minha vida será curta?

Com essa dúvida eu perguntei para Eos:

“Eos, com base nos seus dados do meu crescimento e a influência das energias do meu corpo, você consegue estabelecer uma expectativa de vida?” Eu perguntei ansioso.

[Sim, mestre! De acordo com os dados e calculos……Sua expectativa de vida é de aproximadamente 957 anos á 1.350 anos]

Fiquei de queixo caído, por que um ser humano normal não tem uma expectativa de vida tão grande!

“Eos tem certeza?!”

[Sim, mestre! Porém se for incluir as variáveis como imprudência e mulheres, na melhor das hipóteses você vai viver por mais cinco anos]

Foi como jogar um balde de água fria na minha cabeça.

“Eos como assim mulheres?” Perguntei eu confuso, para mim o amor de uma mulher e mais vital do que água e comida.

[Mestre, você tem um relacionamento com a senhorita Arian, Lachar e de acordo com seus dados comportamentais e mentais você pode iniciar um relacionamento com Anna e Engelil, com a situação atual á chances da senhorita Charlotte estar apaixonada pelo mestre. Com todos esse dados a grandes chances de uma das partes não ficar satisfeita e tentar retirar a vida do mestre]

Nunca pensei que Eos poderia fazer até mesmo um calculo como esses, mas, é agora o que faço?

Eu pensei em duas opções:

1 opção: Eu fico com Arian e dispenso todas as outras.
2 opção: Eu me tornou sacerdote e abandono todos desejos carne.

Eu falei sobre meus pensamento para Eos e ele respondeu:

[Qualquer uma das opções diminui sua expectativa de vida para uma semana……recalculando para um dia de vida]

Não eram boas opções!

“Eos, qual delas tem a maior tendencia a querer me matar?” Eu perguntei.

[Há 80% de chances que a senhorita Charlotte tente o matar em cinco anos]

Caramba, pode ser seu amor por mim tão profundo a ponto de não querer me dividir com ninguém?

“Eos, tem uma forma de lidar com esse problema pacificamente, sem que eu acabe morrendo por uma delas?”

[Há sim mestre, a melhor opção e tornar a senhorita Charlotte sua amante e realizar o contrato dos amantes!]

Eos, um conselheiro amoroso, salvador de vidas!
Eu estou profundamente tocado pela inteligência de Eos, quem sabe aconteceria comigo se eu não tivesse o criado!

“Eos você salvou minha vida, obrigado!” Eu o agradeci.

[Fui criado para isso, mestre, não é necessário agradecimentos]

Disse ele friamente, mas mesmo assim eu agradeci e naquele momento a voz feminina de Teia interviu falando:

[Eos é muito tímido!]

Com a voz animada de Hipérion, ele falou:

[Teia você devia curar a timidez dele kakaka!]

[Cale-se sua bola de metal repugnante!]

[O que você disse? Senhorita boazinha demais! Talvez eu deva dar um trato em você!]

Hipérion se aproximou de Teia, a luz carmesim de seu núcleo mágico ficava cada vez mais vermelha como se tivesse querendo intimidar ela.

[Não se aproxime mais caso não queira ser desintegrado até o último átomo!]

Com isso aconteceu uma briga entre Teia e Hipérion, Eos se afastou ficando como um mero espectador.

2 Parte

Ignorei a briga, voltando minha atenção para a bela mulher adormecida em meu peito. Sua aparência era a de uma garota de sua idade, devido aos treinamentos e exercícios seu corpo era definido e belo – nada exagerado como músculos.

Sua cauda negra entrou no meu campo de visão e com curiosidade eu peguei sua causa negra sentindo uma macies estranha e ao mesmo tempo ela abriu seus olhos.

Charlotte olhou para todos os lados e quando seus belos olhos vermelhos se encontraram com os meus ela entrou em pânico e percebeu que eu estava segurando sua cauda, tornando seu rosto avermelhado.

“B-bastardo solte, solte, solte minha cauda!” Gritou ela histericamente.

Eu ia soltar sua cauda, mas o meu solis Eos se aproximou e falou em um tom baixo em que somente eu pudesse escutar:

[Mestre, essa é a hora perfeita para fazer o contrato dos amantes! Ela está no ápice de sua paixão pelo mestre!]

Eu desconfiei um pouco das palavras de Eos, pois ela não parecia está no ápice de sua paixão. Eos em seguida me dize que ela não consegue falar a verdade, então ao invés de falar “eu gosto de você” ela fala “eu te odeio”, então tudo fez sentindo em minha mente.

Então eu pensei: vamos jogar seu jogo!

A partir de agora eu serei o Bad Lyam, interpretando meu papel eu falei:

“Oh, garota demônio tem certeza que deseja que eu solte sua cauda? Esse rosto vermelho diz o contrário, nada honesta ein!” Fiz minha melhor voz de homem mal e acariciei sua cauda.

“Pare com isso, solte minha cauda, eu te odeio e não me chame de garota demônio, é Charlotte!!!” Seu rosto se tornou mais vermelho, seu corpo trêmulo, vibrando com cada vez que eu acariciava sua cauda.

“Tch, nada honesta ein! Dessa forma vou ter que te punir, garota demônio!” Eu aproximei meu rosto do seu e mordi a ponta de sua orelha.

“Pare com isso seu bastardo….ahhh….Eu…Te odeio ahhh….Pare droga…Eu me chamo Charlotte!” Gritou ela em meios aos gemidos eróticos, essa garota é surpreendentemente erótica nesse estado.

“Ora, ora, admita que me ama e eu paro, vamos diga.” Eu segurei seu queixo encarando aquele par de olhos vermelhos trêmulos, mas ainda sim brilhavam com as chamas indomáveis.

“Eu……Te odeio, bastardo, demônio, seu, seu, seu…ahhh.” Antes que ela pudesse terminar eu voltei a apertar sua cauda o que provoca gemidos altos, parece que a cauda e como um ponto sensível para ela.

“Vamos, diga, diga que me ama, diga que me deseja.”

“Eu te odeio, eu não te desejo, idiota!” Ela gritou para mim.

Ela dificilmente irá admitir seus sentimentos e melhor mudar minha tática de combate.

Eu fiz um sorriso desinteressado e soltei sua cauda, falando:

“Você realmente é uma garota sem graça, vou deixar você ir por hoje.” Encostei na cadeira da cabine e fingi perder o interesse nela.

Seu corpo todo tremeu e pude sentir algo molhado em minhas pernas, ela se levantou, ficando em pé na minha frente e seus ombros tremiam, suas unhas se transformaram em garras. Ela se aproximou de mim e apontou para meu peito, seu olhar era estranho, a situação estava seguindo um rumo muito estranho.

Naquele instante Eos falou:

[Mestre, me desculpe…Eu errei em meu cálculos, ela realmente não gostava do mestre….Sua chances de sobrevivência são de 1%]

Maldito, eu quase grite, mas foi culpa minha por seguir seu conselho cegamente.

Droga, nunca confie em uma maquina, mesmo que seja uma boa maquina.

Respirei fundo, forcei cada neurônios do meu cérebro pensar em uma forma de sair daquela situação com apenas 1% de chances de sobrevivência.

Vamos você é o grande Lyam, aquele que sobreviveu após ofender os pequenos seios da rainha, eu gritava desesperado dentro da minha mente.

É eu encontrei um modo de sobreviver, não era algo que um super gênio pensaria, mas sim um homem desesperado.

Não podia morrer e causar a infelicidade das mulheres desse mundo, com esses pensamentos tomei uma decisão: vou subjugar essa garota demônio!

Com um olhar despreocupado eu bufei ao falar:

“Hump….O que está esperando, você não deseja me cortar com suas garras?”

Suas garras parou sob meu peito, seu olhar ainda era estranho, mas suas garras tremiam em hesitação, controlando sua vontade de me cortar. Eu peguei suas garras que hesitavam e coloquei sob meu peito e a movi fazendo linhas sangrentas surgirem em meu peito.

“Você sente prazer em me machucar?” Eu sorri maliciosamente, mas por dentro estava gritando de dor. Puxei seu corpo para perto do meu, ela sentou-se no meu colo, de frente para mim e a sua outra mão arranhou meu peito, fazendo outra linha sangrenta surgir. Ela abaixou sua cabeça, lambendo todo sangue do meu corpo, cada corte feito em meu peito.

“Como eu pensava, Charlotte você é uma pervertida!” Eu fiz um sorriso zombeteiro.

A luz estranha desapareceu de seus olhos desapareceram e suas garras voltaram a ser mãos normais, mãos que tremiam sob meu peito.

“O-oooque eu fiz?!….Eu não queria fazer isso….E-euu não desejava te machucar.” Disse ela.

“Oh, verdade? Então por que me arranhou? Não era seus desejos reprimidos? Uma forma de você demonstrar seu amor?”Eu perguntei.

“………” Ela não respondeu.

“Charlotte, você é um pervertida sádica, uma pervertida que me ama, estou certo?”

“….Eu……Não sei….”

Ela não confirmou mais também não negou, era o suficiente para mim.

Em um movimento hábil e rápido eu virei meu corpo jogando ela para cadeira e eu fiquei por cima dela encarando, seus pelos olhos vermelhos.

Segurei seu queixo e aproximei meus lábios……Em seus ouvidos e sussurrei:

“Eu gosto de você sua pervertida!” E fiz meu melhor sorriso e sai de cima de seu corpo.

Seu rosto estava em estado de choque como se tivesse recebido uma bomba, mas em poucos segundos ela se recuperou, envolvendo meu pescoço com seus braços firmes, com um rosto avermelhado ela falou:

“E-eu te odeio, idiota!”Disse ela com um rosto vermelho.

Eu soltei um riso divertido vendo o rosto avermelhado daquela garota nada sincera e falei:

“Eu sei, Charlotte, me odeie, mas, seja minha!” Aproximei meus lábios na intenção de a beijar, mas ela colocou suas mãos em meus lábios impedindo o beijo.

“Não serei sua, mas você será meu!” Ela retirou sua mão e selo meus lábios com o seus, em um beijo desajeitado.

Eu retribui o beijo, mostrando a maestria de um verdadeiro beijo, chupei seus lábios e nossas línguas se emaranhou, fui completamente hipnotizado por seu beijo entrando em um estado de êxtase completo. Pressionei seu corpo contra a cadeira e gentilmente segurei sua cintura, sua cauda balança extasiado.

Nossos lábios se separaram e seus rosto vermelho, ofegante, era muito erótico.

Naquele momento uma voz pode ser ouvido.

> Contrato dos amantes realizado com sucesso!

Uma chama azulada fria como as estrelas de uma noite estrelada envolveu Charlotte criando uma conexão entre nós.

Uma voz profunda e fria falou:

> Adquirido Arconte das chamas demoníacas 2/3, Charlotte senhora das chamas demoníacas! Habilidades desbloqueadas:[Afinidade com fogo][Resistência a fogo][Ataques mentais causam mais danos][Portal demoníaco] Magias desbloqueadas:[Modo: Astartes][Chamas devoradoras][Possessão][Lua dominante][Escuridão ancestral]

>Requisitos para rank-up completos! Charlotte vai evoluir para demônio da lua!

> Título adquirido: Amante da lua!

O corpo de Charlotte emanou uma luz pálida e gradualmente sua forma foi se alterando. Suas asas ficaram maiores do que antes, sua pele mais pálida, dois grande chifres se estendem formando uma coroa em torno de sua cabeça e na ponta de cada chifre e na ponta de sua cauda e visível pequenas chamas azuladas.

A pressão que ela estava emitindo era poderosa demais!!!

Ela evoluiu!!!

Cara estou com inveja, eu quero evolui também!

“O-oque aconteceu?” Perguntou ela confusa.

Eu comecei a explicar para ela sobre minha habilidade [Contrato dos amantes] e falei que nossas almas estão ligadas para sempre.

“E-eu compreendo, mas você é realmente um humano?” Perguntou ela.

Eu soltei um suspiro e acariciei seus belos cabelos roxos e respondi:

“Quem sabe?” Me fiz de bobo e pulei para fora da cabine do mecha.

Meu status diz que eu sou humano, mas será realmente verdade?

“Eos, eu sou um humano?”

[Mestre é impossível determinar]

Com essa resposta foi levantada uma grande dúvida sobre qual é minha verdadeira raça, por que se nem Eos pode determinar minha raça com certeza não deve ser uma raça qualquer.

> Título adquirido: Domador de demônios!

Como sempre meus títulos que eu recebo são os piores.

Comentarios em HDUM: Capítulo 23

Categorias