Kuork

Apenas Tradutores Errantes

iLivro

Um demigod chamado Apollo!

1 Parte

 

Só havia uma resposta desde o inicio.

Tudo que eu sou, tudo que eu fiz, minhas decisões inconsequentes, minha paixão pela magia, paixão pelo conhecimento e meus amores. Tudo isso me levou a tomar essa decisão: não escolho nenhum dos dois.

Não escolho nem o fogo e nem a luz, eu respondi com seriedade.

Não deseja nosso presente? Perguntaram em uníssono como se fosse uma só entidade.

Não escolho nem o fogo e nem a luz, mas sim a fusão dos dois! Eu falei aproximando minhas duas mãos espirituais das esferas do fogo e da luz.

Não recomendamos que você funda nossos corações do fogo e da luz, as chances de você conseguir fundir são de 1% e em sua falha seu espírito será rasgado e perdido para sempre.

Eu vou conseguir! Respondi com convicção.

Porque tem tanta certeza de que vai ter sucesso quando tudo determina sua falha? Perguntaram eles com uma tênue curiosidade e interesse.

Segurei a esfera de fogo e a esfera de luz, sentindo a energia pulsando como se fosse dois corações. Aproximei lentamente e as duas esferas pulsando freneticamente, oscilou e as esfera de fogo soltou uma labareda e em resposta a esfera de luz lançou um tentáculo de luz em direção da labareda de fogo, se encontraram e se entrelaçaram e começaram a se fundir. A energia resultante fez todo meu espirito tremer e senti as duas forças me puxando e rasgando.

Me concentrei na fusão e respondi com um grito imponente:

Eu vou conseguir porque eu sou um super gênio! Porque eu sou Apollo!!!!!!!!! Gritei aquelas palavras irracionais e presunçosas enquanto sentia que alguém estava me cortando em vários pedaços e depois colando de novo e voltando a repetir um ciclo contínuo – a dor de ser cortado por uma espada de metallium era um carinho quando comparado com a dor que estou sentindo agora e sabia que se eu me render aquela dor a fusão iria falhar.

Irracional, disse o fragmento de luz.

Irracional, concordou o fragmento de fogo.

Então os dois oscilaram e mudaram para uma forma humanoide, emitindo um poder ancestral e os dois falaram uníssono:

Irracional, mas é isso que faz você ser quem é Apollo, disseram e entrelaçaram suas mãos com um carinho aparente e apontaram para mim e ao mesmo tempo toda aquela dor e pressão foi diminuindo.

O processo de fusão continuou o que pareceu anos até finalmente as duas esferas se fundir e se tornar um glorioso sol em miniatura, uma estrela pulsante disparando labaredas de fogo dourado; um fogo divino!

Como esperado de você, obteve sucesso aonde a falha era uma certeza! Disse os dois em uma só voz.Seus alunos estão tentando de puxar de volta para o plano mortal.

Ele apontou para uma linha colorida que se estendia sem fim aparente e notei um pouco de força me puxando através da linha colorida. Somente aqueles pirralhos da classe olimpo seriam capazes de fazer algo assim.

Apollo, qual é sua decisão? Perguntaram eles.

Eu já respondi, os dois, porém vocês vão ter que ir na frente e um dia eu irei atrás de vocês, vou percorrer o caminho de um deus verdadeiro!

Então iremos na frente Apollo, vamos estar te esperando na décima terceira dimensão. Disseram os dois como se para ver eles eu teria que apenas pegar um elevador e chegar até o décimo terceiro andar.

Décima terceira dimensão? Perguntei perplexo.

Sim, no universo há vinte e seis dimensões conhecidas, treze negativas e treze positiva.

Explicou tudo eu iria dizer mais perguntei sobre o que significava que ele acabaram de me dizer, eles respondeu:

…Veja o universo como vinte e seis folhas de papel uma em cima da outra. As treze primeira são as dimensões positiva povoada pelos filhos da ordem suprema. As treze embaixo das positivas são as dimensões negativas povoados pelos filhos do caos supremo.

Fiquei confuso sobre o papo de dimensões e sobre ordem suprema e caos supremo. Não levei esse assunto a diante e fitei o pequeno astro brilhante.

O que vai acontecer depois que eu assimilar esse poder? Eu perguntei vendo o desconhecido e as inúmeras possibilidades no astro brilhante.

Você vai se tornar um demigod dragão celestial e todos seus poderes mágicos e divinos serão perdidos, surgindo no lugar a magia dos deuses. Agora coloque o novo poder em seu coração espiritual e renasça como um dragão celestial e tenha cuidado com o guerreiro que se veste como um lobo, ele é um deus falso. Tenha cuidado também com as forças do caos eles estão sempre a espreita tentando destruir a ordem e se um dia os encontrar não hesite em os destruir.

Tive um péssimo pressentimento e antes que eu pudesse perguntar, a escuridão se dobrou e eles passaram pelo portal rumo as estrelas e outras dimensões.

Sem mais nada fazer eu coloquei o astro brilhante no local do meu coração espiritual. Meu corpo tremeu, oscilou e meu coração se tornou um sol brilhante iniciando a mudança do meu corpo espiritual e deixei que a linha colorida me puxasse de volta para meu corpo e uma vez que eu retornasse meu corpo irá renascer como um dragão celestial.

 

2 Parte

 

Ponto de vista Charlotte

 

Cotas de suor estava presente na testa de todos quatorze alunos. Se passou uma hora desde que começamos a puxar o espirito do instrutor Lyam. Era como tentar puxar uma montanha de volta e estamos chegando ao nosso limite.

Sentimentos de tristeza e pesar dominou jorraram em minha mente e sabia como todos estavam se sentindo. Llachar e Anna sentiram a presença de intrusos e deduziram que poderia ser os mesmo que mataram o instrutor Lyam. Ela foram para fora da mansão enfrentar os intrusos e comprar tempo.

Mas no fim foi inútil, não aguentamos o estresse mental e o modo [Alcateia] se desfez.

Eos disse:

[Não temos mais como ……]

Ele parou de falar.

Eos, Teia e Hipérion começaram a mudar e exalar chamas douradas.

Teia falou confunsa:

[Algo está vindo, estamos mudando!]

Hipérion falou entusiasmado:

[Uou, cara esse poder avassalador!]

Eos ficou em silêncio, fitando o corpo de Lyam que começou a exalar uma aura dourada e seu corpo começou a convulsionar e uma poderosa luz dourada irritante como o sol começou a pulsar violentamente e envolver lentamente todo corpo do instrutor Lyam.

Seus olhos se abriram e os azuis celestes se tornaram dois sois brilhantes exalando luzes e labaredas de fogo dourado. O piso embaixo do seu corpo afundou e rachou e a terra vibrou causando inúmeras fissuras por todo salão.

Ele se levantou nos fitou e abriu a pouca movendo seus lábios tão rápido que as palavras que saíram eram incompreensíveis e de sua boca soltou um jato de chamas douradas. Que atingiram a parede lateral passando pela parede criando um buraco incandescente.

“O que está acontecendo com ele?!” Perguntou Eda assustada.

“Parece que tivemos sucesso em o trazer de volta, mas ele esta se transformando em algo! Olha aquelas chamas douradas estão devorando seu corpo!” Gritou Roc.

“Problematico, irritante, esse e meu odiado Lyam!”Gritei derramando lágrimas de alívio, apesar de seu corpo está sendo devoradas por chamas.

Senti uma pontada em minha cabeça seguida por uma voz familiar:

…Se afastem desse lugar, saíam da mansão e vão para o pátio! Ecoou a voz de Lyam em minha mente. Todos se entreolharam e ficaram parados, com caras de bobos fitando Lyam.

……Vão agora seus inúteis, antes que eu chute essas bundas preguiçosas! Vão! Gritou ele e dessa vez corremos para fora da mansão. Corremos para longe até encontrar Llachar e Anna em uma luta difícil com mais de cem guerreiros. Llachar sangrava com inúmeros cortes e Anna parecia estar em seu limite, arfando constantemente, mal se mantendo em pé.

Nos juntamos a elas e tratamos as feridas delas com magia cura e poções de recuperação de stamina. Iniciamos um combate contra os guerreiros, lançando magias. mas era inútil eles estavam usando metallium.

“Magia não vai funcionar! Usem as espadas dada pelo instrutor Lyam!” Gritou Roc e todos ele desembainharam uma espada curta de feita de aurerum. Eu usava uma espada curta negra.

Llachar se aproximou e perguntou:

“Vocês conseguiram o trazer de volta?”

“Nós falhamos, mas ele de alguma forma retornou por si mesmo….Porém algo estranho está acontecendo com seu corpo….” Eu respondi.

Llachar fez ma careta e olhou em direção a mansão.

“Estranho como?” Ela perguntou.

Um um grande estalo ecoou pelo pátio e….*BOOOMMM*……A terra tremeu e a mansão foi a baixo, seguidos por colossais labaredas douradas destruindo os escombros, então um cintilante raio disparou para os céus dispersando as nuvens de tempestade.

“Estranho como aquilo!”Eu apontei para a mansão destruída.

“Uuull…Ei vocês duas parem de conversar e me ajudem!” Gritou Molly sendo cercada por vários guerreiros.

“Vamos lá antes que ela vire picado!”Eu disse.

Llachar saltou dois metros no ar caindo no meio dos guerreiros, fez uma varredura com sua espada classe divina cortando seis guerreiros de uma vez. Ela ergueu a espada, fez um arco de cima para baixo em um corte vertical, criando uma meia lua de fogo, cortando e reduzindo uma duzia deles no mesmo instante.

“Não posso ficar parada, vou descontar minha raiva em vocês!!!”Eu rugi expandindo minhas asas e me agachei retesando os músculos da perna. Eu saltei em cima de um guerreiro trajando uma armadura de couro, estoquei a espada em sua garganta, outros dois me cercaram, retirei a espada, girei meu corpo, minha espada curta desceu sob o ombro esquerdo do guerreiro – minha espada negra rasgou sua proteção de couro, rompendo músculos e ossos – minha cauda serpenteou o ar e se enroscou no pescoço do segundo, houve um estalo e o guerreiro caiu como uma marionete que deve as cordas cortadas.

Molly girava sua espada cortando, saltando, rolando pelo piso do pátio. Todas espadas passavam centímetros de seu corpo e com movimentos ágeis e rápidos. Roc, Eda e Rensa lutavam juntos em perfeita sincronia, protegendo as costa uns dos outros. Niel, Jeff e Thae lutavam com cautela, usando táticas e truques. Nos quinze eramos divididos em cinco grupos de três alunos e cada um tinha seu codinome. O meu grupo era eu, Molly e Alice – uma garota bastante excêntrica – nosso grupo tinha o codinome de GD – garotas demônios.

Quase cortei sua garganta por dar um mome tão irritante ao nosso grupo, mas Moly e Alice gostaram do nome.

A batalha continuou intensa, Eu dava cobertura para Moly e Alice, Llachar chamava a atenção de grande parte dos guerreiros. Anna era como o vento, por onde o vento soprava, guerreiros caíam sem vida.

*ROOOAAAAARRRRRRR!!!!!!*

Um rugido de perfurar os tímpanos ecoou na noite. Todos pararam em seus lugares e voltaram seus olhos para as labaredas douradas. Ranger de dentes era audível e vários deles deixaram cair suas espadas e lentamente começaram a correr.

A principio não compreendi o temor dos guerreiros, mas logo vi a monumental silhueta sair das labaredas douradas. Seu longo pescoço de serpente se projetou para fora do fogo dourado, revelando longo focinho e uma poderosas mandíbulas. De sua cabeça projetava-se longos chifres azuis espectrais e chifres menores da mesma cor saindo do queixo e aos arredores de seus olhos brilhantes como o sol.

Minha mão começou a tremer instintivamente e minhas pernas ficaram bambas.

Era um dragão.

As escamas do dragão eram da cor de ouro branco, cintilando como os primeiros raios do sol. Dois par de asas e outro segundo par de asas menores se expandiram e *Bum* bateu suas asas lançando uma poderosa rajada de vento, castigando meus olhos e apagando as chamas douradas. O corpo do dragão parecia ser feito dos raios do sol, escamas cor ouro branco exalando uma aura que eu nunca senti em toda minha vida.

Suas poderosas garras de suas patas e seus dentes adagas eram azuis espectrais como se fossem feito das jóias mais belas do mundo.

O dragão caminhou para frente, afundando suas garras na pedra dura do pátios, parou alguns metros de nos – paralisados pelo medo – e abriu sua imponente mandíbula e formou o que pareceu um grande sorriso aterrador.

“Sinto o cheiro de medo!” Sibilou o dragão de escamas de ouro branco.“Sinto o cheiro de sangue!”

Ele moveu-se como um felino e virou sua cabeça em minha direção e ao mesmo tempo o martelar do meu coração parecia tambores de guerra. Lentamente aproximou seu focinho de mim e suas narinas puxaram o ar, farejando-me e soltou um ar quente em meu rosto.

Seu olhos brilhante se concentraram em mim e a criatura sibilou vagarosamente:

“Sinto……O……Aroma de uma garota demônio! Mufufufu!” Soltou uma gargalhada parecida com uma trovoada e sua língua bifurcada e pegajosa se projetou para fora lambendo meu rosto e a retirou lambendo o redor de sua mandíbula.“Um ótimo gosto, garota demônio! Vou te devorar!!!!”

Ele rugiu e Llachar saltou a minha frente empunhando sua espada e Anna a seguiu apontando sua lança para o glorioso dragão.

O dragão mudou seus olhos brilhantes para Llachar e Anna, como eu, suas mãos e pernas tremiam. Somos mais fortes do que um mago comum, mas um dragão era algo que jamais poderíamos derrotar.

Sua aura de terror foi o suficiente para nos paralarisar

O dragão farejou o ar ao redor das duas e as lambeu, deixando seus rostos pegajosos.

“Uma raposa ganaciosa e uma jovem águia….Virgem…Meu ofato e paladar e tão sensível a ponto de sentir cada sabor delicioso vinda de vocês….Ah….Hoje terei um banquete; uma garota demônio; uma raposa gananciosa; e uma jovem águia virgem! Mufufufu!” Gargalhou a voz de trovão e seus olhos brilhavam em cobiça por nós.

Llachar tentou erguer sua espada, mas mal conseguia a mover, como se tivesse uma pressão invisível a pressionando para baixo.

Molly arregalou seus olhos e seus lábios tremeram, ouvir o som de ela engolir a saliva, então ela falou:

“V-você por acaso é o instrutor Lyam?!”

O dragão congelou e rapidamente falou:

“Está enganada, a mocinha deve ter me confundido com outra pessoa!” Disse o dragão.

Llachar franziu a testa e perguntou:

“Lyam? É você?!”Perguntou ela perplexa.

“Não, pessoa errada eu sou……Back o terror branco!” Disse o dragão virando sua longa cabeça para todos lados.

“Você acabou de criar esse nome….Seu bastardo……É você…….Como você se tornou um dragão?!” Eu gritei furiosa e ao mesmo tempo aliviada.

A pressão cessou e todos puderam se movimentar livremente.

“Adivinha quem é? Tem escamas douradas, é bonitão e todos amam?” Perguntou o dragão Lyam.

“O bastardo do nosso instrutor!!!!” Gritou todos alunos em uníssono, chorando aliviados.

“Quem é bastardo, seus inúteis? Eu observei a luta patetica e vocês vão precisar de uma boa dosse de treinamento! Talvez cinco dias sem descanso perseguidos por um dragão!” Rosnou Lyam soltando pequenas labaredas pelas narinas.

“Lyam!!!!” Gritou Lachar e Anna correndo até uma das patas do dragão e o abraçando – tentando abraçar.

“Eu estou de volta, Llachar e Anna!”Disse ele em um sibilar baixo.

“Bem vindo de volta, o que aconteceu com você? Essas escamas parecerem serem bem valiosas……Não vai fazer mal retirar um delas né? Você tem centenas delas!” Disse Llachar já com uma adaga na mão pronto para tentar retirar uma das escamas brilhantes.

“Estou feliz por você estar vivo!”Disse Anna com olhos lagrimejados.

“O que achou do meu beijo?” Perguntou ele gargalhando.

“Eca, aquilo foi nojento!!” Gritou Anna com seu rosto avermelhado.“Se for me beijar de que ser igual quando você beija Llachar!”

E mais uma vai para a lista: vou me tornar amante do Lyam.

Ele não respondeu e voltou a lamber o rosto dela, a deixando furiosa. Todos começaram a rir e eu falei para ele:

“Idiota não morrem, se morrem acabam voltando e devo dizer que o corpo de dragão combina com sua personalidade vaidosa, arrogante e de um cretino cheio de luxuria……Mas estou feliz por estar de volta….”Eu disse a ele.

Ele abaixou seu focinho e voltou a farejar o ar a minha volta:

“Seu aroma e delicioso garota demônio, posso sentir seus verdadeiro sentimentos em seu aroma….No suor de sua pele……O calor em suas pernas a enlouquecendo em desejo por mim………”

“Chega!!!!” Eu gritei com o rosto em brasa.“Droga, seja mais discreto……Tudo bem….Eu admito, eu o desejo….Feliz?”

Ele assentiu com a cabeça e soltou uma pequena labareda pela enorme boca de dentes adagas.

“Quando eu disse que ia te devorar não era piada!” Disse ele gargalhando e lançou um olha sob todos:“Meus maravilhosos alunos, eu estou de volta! Agora se alinhe e vamos dançar a dança da vitória!”

Todos soltaram um suspiro de lamento e deixaram seus ombros cair em desanimo.

“A-aquela dança estúpida…” Resmungou um dos alunos.

“Se é uma dança da vitória, qual vitória vamos comemorar?”Perguntou Molly.

Lyam o dragão puxou todo ar, estufando seu poderoso peito e soltou um magnífico jato de fogo dourado, iluminando tudo ao redor, após acabar sua exibição ele falou:

“Vamos comemor minha vitória sob a morte! Sejam gratos!” Disse ele arrogante e metade dos alunos desejaram que ele tivesse permanecido morto.

Lyam bateu suas asas e ficou em sob as patas traseiras, o tornando muito maior.

“Comigo, dois pulos para direita!”Rosnou ele e o idiota dragão pulou duas vezes, fazendo a terra tremer e com dificuldade conseguimos o imitar.“Agora dois passos para esquerda e joguem as mãos assim!”

*BUM! BUM!*

Ele pulou duas vezes nos derrubando e jogou suas poderosas patas para o lado contrário, sua longa e grossa cauda derrubou uma torre, estátuas e inúmeras árvores no caminho de sua cauda.

Esse idiota é um perigo para o mundo.

Continuamos a dança da vitória até Lyam sentir-se satisfeito.

Esse bastardo!!!!!!!!!!!!

“Deixando a brincadeira de lado, as coisas parecem estar feias……Presumo que Arian…”

Antes que ele terminasse sua frase três deslumbrantes Solis apareceram. Dois deles era cor de um ouro líquido e o terceiro era da cor das escamas de Lyam. Seu tamanho eram poucos maiores.

“Teia, Hipérion e Eos…”Sibilou Lyam e os três confirmaram.

O Solis de voz feminina, começou a falar junto com os outros dois, relatando o estado atual das coisas na capital Cysgod. Lyam ficou preocupado e lançou um olhar para o palácio e falou:

“Todos vocês subam, vamos para o palácio real!”

Nos quinze montamos no Lyam e seguramos firme em seus espinhos azuis espectrais e com o poderoso bater de asas disparamos em direção do palácio real.

Comentarios em HDUM: Capítulo 35

Categorias