Kuork

Apenas Tradutores Errantes

iLivro

Caverna misteriosa e uma luta de vida e morte!

1 Parte

Na minha vida passada nunca fui bom com lugares altos.

Principalmente em parques de diversões.

Aqui estou eu pateticamente agarrado Arian que sobe cada vez mais alto e desce como um raio para em seguida fazer Safira dar uma cambalhotas no meio do ar. Arian está se divertindo muito com Safira o que me faz muito alegre também – apesar do meu medo de altura.

Aproveitei o momento para apalpar descaradamente os seios dela o que alivia um pouco meu medo.

“E-ei aonde você está pegando?!! ” Ela resmungou, eu fingi não ouvir

Llachar tem um sorriso alegre e divertido igual a de uma criança que se aventura pela primeira vez.

Depois de vários minutos aterrorizantes no ar voltamos para o solo.

Llachar recolheu a pele e núcleo mágico da pantera dragão das neves. Fiquei com a pele e deixei os núcleos para Llachar, já que não vejo nenhuma utilidade para os núcleos mágicos. As peles recolhidas planejo levar a algum artesão e criar belas vestimentas. Não e sempre que se tem a pele e escamas de uma pantera dragão o que deve ser um bom material para criar túnicas e armaduras.

Com a habilidade de [Culinária] de Llachar provamos um delicioso espeto de carne da pantera dragão das neves. Uma das especialidades dela, que são espeto de carne e ensopado – os únicos pratos que ela sabe preparar.

Eu dei um pouco de carne para Safira, me pergunto se isso pode ser chamado de canibalismo?

Depois de uma boa refeição decidimos continuar a explorar a floresta. Parece que estamos bem próximos da encosta da montanha sem nome. Uma área perigosa que a maioria dos aventureiros não ousam entrar.

Mas há sempre um tolo que tenta se aventurar por essa área – nesse caso eu.

Seguimos em frente pela encosta da montanha até minha [Percepção mágica] captar várias presenças próximas.

“Fiquem atentos, um grande grupo se aproxima! ”

“E-entendido! ” “Certo! ”

Depois de alguns minutos no horizonte apareceu figuras humanoides com quase dois metros de alturas e sua cor era um verde musgo. Vestiam peles de bestas mágicas e seguravam lanças rústicas e ao lado deles criaturas menores com no máximo um metro e trinta de altura.

Criaturas de aparência repugnante que poderia fazer uma pessoa normal vomitar. Somente seu cheiro era mais desagradável do que suas aparências.

Um grupo de quase quarenta e cinco humanoides, todos mal equipados.

Franzi a testa e perguntei:

“Llachar o que são eles? ”

“Os de peles verde são orcs e os pequenos de pele cinzenta são goblins.” Disse Llachar e completou: “Orcs são bastantes problemáticos quando estão em grupos.”

Llachar explicou que sua força é bem superior aos humanos e mais numerosos. Orcs e goblins são uma raça de demi-humanos hostis aos humanos o que não é nenhuma surpresa para mim.

Em jogos e filmes são um inimigo comum dos seres humanos.

Assim que nos avistaram correram em nossa direção com lanças em mãos quando os goblins disparavam flechas em nós.

“[Escudo fisico]! ” Conjurei uma barreira em nossa nos protegendo de uma saraivada de flechas e revidei o ataque. “[Orbe de fogo]! ”

Joguei um orbe de fogo do tamanho de uma bola de basquete contra os orcs que investiam em nossa direção.

*BOOOMMM*

O orbe explodiu nos pés dos dez orcs fazendo os em pedaços.

“Uauu, isso realmente foi uma orbe de fogo? ” Perguntou Llachar.

Apesar de ver seus camaradas em pedaços os orcs não desistiram de nos atacar. Na verdade ficaram furiosos com uma intensa vontade de matar e correram gritando palavras gutural. Criei mais orbes de fogo, bombardeando o grupo de orcs e goblins espalhando várias partes queimadas por toda encosta.

Milagrosamente sobreviveram cinco orcs.

“Deixa comigo! ” Gritou Llachar e avançou para cima dos cinco orcs com sua enorme espada gigante de prata.

Um dos orcs percebeu o avanço dela e brandiu sua lança para interceptar seu movimento.

Quando a lança iria perfurar a cabeça de Llachar ela desapareceu como uma miragem, aparecendo atrás do orc com a espada erguida descendo como um raio de prata dividindo o orc no meio espalhando sangue e tripas no solo.

“Aquilo foi uma finta? ” Arian perguntou surpressa e depois disse: ”Ela nem usou uma arte marcial ou reforço físico para cortar aquele orc no meio! ”

“Parece que ela não é uma simples espadachim! ”

Llachar avançou para os quatro orcs atordoados e com um movimento rápido e fluido fez um arco horizontal fluido como prata com sua enorme espada cortando os quatro orcs restantes.

Llanchar era um monstro também!

Eu e Arian aplaudimos sua performance brilhante. Sabia pouco sobre técnicas marcial, mas era obvio que ela era uma grande guerreira.

Nesse mundo como os seres humanos sendo uma das raças mais fraca, técnica marcial reforçam o corpo e aumenta suas habilidade dando a possibilidade de poder enfrentar seres mais fortes.

“Llachar você foi impressionante com sua espada! ”

“Ahh, não foi nada, esses orcs não eram de nada! ” Ela respondeu com um sorriso humorado.

Procuramos por coisas de valor, não encontramos nada e seguimos em frente de onde os orcs vieram. Encontramos pequenos grupos de orcs e goblins e derrotamos todos com minha magia e as técnicas de espada de Llachar.

Depois de alguma horas andando pela encosta da montanha encontramos uma caverna estranha.

2 Parte

A entrada da caverna era grande o suficiente para um gigante passar o que nos levou a suspeita de que fosse o covil de algum monstro perigoso.

“Uma caverna dessa só pode ser lar de alguma besta mágica perigosa o que significa que deve haver tesouros! ”

Llachar estava babando quando proferiu essas palavras.

“Parece interessante, quem sabe não encontramos alguns equipamento mágicos raros! ”

“Sim, sim, sim! ” Gritou Llachar e a segui para dentro da caverna com os olhos cheios de expectativas.

“V-vocês dois parem de babar!! ”Arian resmungou em quando correu para o nosso lado.

A caverna era bem espaçosa e larga com os tetos cheios de estalactite que pareciam poder cair em cima de nos a qualquer momento.

Caminhamos com cautela e criei uma orbe de fogo para iluminar o local. Encontramos alguns esqueletos humanos e de bestas mágicas, provavelmente de aventureiros que entraram na caverna com a esperança de encontrar tesouros.

Tolos gananciosos – como nós.

Llachar fez um ritual estranho em seguida saqueou os corpos dos aventureiros encontrando alguns núcleos mágicos e alguns equipamentos que podem ser vendidos na cidade.

Continuamos seguindo em frente repetindo o mesmo processo com todos cadáver. Dado pela grande quantidade de esqueletos o que os matou deve ser uma terrível besta mágica.

O que me fez ficar ansioso por encontrar o que matou esses aventureiros.

Por sorte ou azar não demorou muito para encontramos com o que matou os aventureiros.

De longe ouvi um barulho estranho como um chiado baixo e agudo. Enviei o orbe de fogo para frente iluminando a área na frente. Minha percepção mágica não captou nada mas ainda podia escudar aquele chiado estranho e conjurei um escudo mágico e físico para nos proteger.

Sem aviso fomos atacados por uma enorme centopeia vermelha que devia ter um dez metros de cumprimento três de largura.

Estava bem acima de nós, pegando todos de surpresa.

A enorme centopeia vermelha atacou do teto, graças aos reflexos rápidos de Llachar e meu escudo magico e físico conseguimos nos proteger do ataque mortal.

“Agora entendo como todos aqueles aventureiros morreram.” Disse Llachar enquanto limpava o suor de sua testa e quando percebeu que iria usar magia de fogo ela gritou: “Melhor não usar magia de fogo, caso aconteça um incêndio podemos morrer sufocados pela fumaça! Fada azul essa é uma centopeia de fogo! Use magias elemento água enquanto vou distrair esse inseto!!! ”

Llachar correu para frente e brandiu sua espada causando apenas leves arranhões superficiais na carapaça da centopeia vermelha. A centopeia investiu impiedosamente se movendo como uma cobra, usando sua milhares de pernas que eram como laminas afiada.

“[ 20 Flechas mágicas de água]! ” Arian disparou várias flechas de água, atingindo e perfurando a carapaça da centopeia vermelha que escorria um liquido verde que ao pingar no chão, derretia como ácido.

“Shishishi!!!! ” A centopeia soltou um som agudo ao ser atingido pelas flechas mágicas, voltando sua atenção para Arian, se erguendo no alto e disparando um liquido verde que suspeitei ser ácido.

“Cuidado!!!! ” Gritei para Arian.

Arian ficou parada sem o menor sinal de que se moveria ou medo, o que afligiu meu coração.

“[Parede d´água]! ” Uma grande parede de água surgiu bloqueando o ataque ácido e gritou com uma voz estridente: ”Sua centopeia crescida, está na hora de saber seu lugar!![ 5 Espadas da santa água]! ”

Cinco enormes espadas espectrais e reluzentes apareceram sobre a enorme centopeia perfurando e trucidando seu enorme corpo se tornando uma poça mortal de ácido verde.

Arian caiu de joelhos, ofegante com seu rosto pálido.

“Você esta bem, Fada azul? ” Perguntei preocupado verificando se não tinha sido atingida pelo ácido da centopeia.

“E-estou bem, apenas usei poder mágico demais.” Ela sorriu e disse: ”Realmente estou bem, você se preocupada demais! ”

Ajudei ela se levantar e falei:

“Claro que me preocupo, você é uma pessoa importante para mim! ”
“A-Apollo, não se preocupe ok? Somos forte e essas criaturas não um jogo para nós! ” Ela rapidamente me beijou e disse bem baixinho: “Quando retornamos para cidade, vamos passar a noite juntos novamente! ”

Com as palavras de Arian de repente senti vontade de retornar imediatamente para a cidade.

Peguei a alma da centopeia vermelha e Llachar retirou seu enorme núcleo mágico que pelo menos vale dez moedas de ouro de acordo com suas palavras.

Chamei Safira para ficar de guarda e fizemos uma pausa para Arian se recuperar. Llachar também aparentava estar cansada apesar de eu começar a sentir um leve cansaço. Me sentei em posse de meditação para acelerar o processo da regeneração do poder mágico. Não sabemos que tipo de bestas mágicas vamos encontrar por isso e bom estamos 100% para o caso de uma emergência.

3 Parte

Depois de recuperamos nossa forças seguimos em frente. A caverna dava uma leve sensação de estarmos subindo em direção ao coração da montanha.

Encontramos mais três centopeias vermelhas.

Diferente de antes não foram um ameaça para nós já que Safira restringia os movimentos das centopeias com sua magia [Geada] que cria uma névoa congelante que restringi os movimentos dos inimigos. Com essa habilidade as centopeias foram facilmente derrotadas por nossa equipe.

Llachar foi extremamente feliz pelos núcleos mágicos das centopeias vermelhas. O núcleo mágico de uma centopeia vermelha contém um rico poder mágico além do elemento fogo que pode ser usado na fabricação de armas mágicas e sua carapaça pode ser usada na fabricação de armaduras com resistência a fogo.

Chegava ser assustador ver ela desmantelando a centopeia com um enorme sorriso no rosto.

Apesar que não podemos levar tudo e começamos a descartar alguns itens para deixar espaço em nossos anéis dimensionais.

Mas Llachar não queria descartae um único núcleo que fosse, sua ganância chegava a um nível assustador.

Chegamos a uma grande galeria com vários tipo de cristais luminescente no teto que dava um ar mágico para galeria.

Dentro da galeria havia uma pequena cachoeira que caia de uma fissura na parede e seguia até uma fissura no chão que parecia ser um abismo profundo. Vários tipos de ervas cresciam no solo rochoso sem a luz do sol.

Quase fiquei sem ar com essa paisagem mágica que talvez nunca teria visto se não tivesse me aventurado para dentro da caverna.

Llachar tremia e seus olhos tinham um brilho intenso que me assustou.

“Pedras espíritos, ervas da noite, flor da geada……” Ela foi murmurando e nomeando vários tipos de ervas e minerais que pelo jeito eram raros o que poderia ser vendido por uma verdadeira fortuna.”Apollo todas essas ervas são raras e difíceis de encontrar, nem posso imaginar a pequena fortuna que as pessoas pagariam por essas ervas!!! ”

Com sua habilidade [Herbalismo] ela poderia reconhecer cada erva naquela galeria e as recolher e forma correta.

Fiquei intrigado com esse mineral chamado de “pedra espírito” então perguntei para ela que respondeu:

“Pedras espírito é um mineral extremamente raro que é apenas encontrados em áreas ricas em energia espiritual, não tem utilidade para fazer armas mágicas mais espiritualistas usam essas pedras para aumentarem seu poder espiritual! ”

Com essa explicação recolhi algumas pedras espirituais para depois fazer alguns teste. Como tenho o dom espiritual pode ser que eu possa retirar a energia dentro dessa pedras e aumentar meu poder.

Pegamos tudo que podíamos e seguimos através de uma passagem ao lado da cachoeira.

“Llachar o que você sabe sobre espiritualistas? ”

“Não muito, apenas alguns boatos que ouvi.” Ela tirou uma pequena poção de cor verde e bebeu, depois que bebeu o cansaço em seu rosto desapareceu.

“O que é essa poção? ” Eu perguntei, pois nunca tinha visto nada assim até agora.

“Ha, isso? ” Ela tirou outra poção verde e balançou diante de mim e falou: ”É uma poção de recuperação de stamina, algo essencial para um guerreiro em longas viagens. Para acompanhar seu ritmo sobre humano tenho vindo bebendo regularmente.”

“S-sério?! Pensei que fosse normal o ritmo que estamos seguindo! ”

Llachar soltou uma gargalhada e falou:

“Você acredita que é normal usar uma enorme quantidade de poder mágico em uma luta e depois continuar caminhando horas sem demonstrar o menor sinal de cansaço? ” Ela soltou um longo suspiro e perguntou em tom sério: ”Apollo, você e a fada azul realmente são humano? ”

Arian fez uma careta e respondeu:

“Hump! Claro que somos! ”Respondeu com um som indignado.

Llachar expressou um meio sorriso e continuou falando:

“Um mago médio levaria um dia inteiro de descanso e meditação para recuperar seu poder mágico, mas você apenas descansou por apenas três hora e voltou como se nada tivesse acontecido. Humanamente é impossível sem o uso de poções de recuperação de mana e pelo que observei vocês não usaram nenhuma! ”

Fada azul ficou em silencio e seguimos adiante sem pronunciar nenhuma palavra.

Até agora pensei que fosse normal esse ritmo, mas pelo que ela explicou isso era impossível para humanos normais. Acredito que deve ser ao fato de nosso alto status que permite esse longo ritmo sem precisar de muito descanso.

4 Parte

Várias horas se passaram e chegamos ao que parecia ser o fim da caverna.

Chegamos á um enorme salão que parecia ser o coração da montanha. O salão tinha vários quilômetros que levariam no mínimo três dias sem descanso para percorrer todo seu espaço e tão alto que acredito que nem mesmo voando levaria várias horas para atingir o teto com colossais estalactite que nos esmagariam como insetos.

construída no meio do salão havia uma enorme e deslumbrante torre de cristal que emanava luzes multicoloridas. Cercado por seis estátuas de cavaleiros segurando machados com aproximadamente oito metros de altura.

Em volta dessas estátuas haviam várias ruínas de prédios que poderiam ser magníficos edifícios de uma era há muito tempo esquecido.

“O que é aquela torre? ”

“Eu não faço a mínima ideia, talvez seja da era dos deuses, se não mais antigo ainda! ” Disse Llachar com um rosto empolgado.

De acordo com o que eu li sobre a era dos deuses foi uma época em que os deuses habitavam o mundo mortal com suas poderosas armas e bestas divinas. Com as guerras primordiais aonde o mundo quase foi destruído pelos deuses foi o inicio da queda dos deuses primordiais e seu desaparecimento deixando para trás suas ruínas é armas.

Muito o que os estudiosos sabem vem das ruínas e dugeons espalhadas por todo continente que sobreviveram as guerras primordiais que ocorreu milhares de anos atrás.

É pensar que acabaria encontrando uma ruína da era dos deuses e intocado ainda! Que tesouros aquela torre de cristal guarda?

Mas aquelas estátuas estavam me dando um péssimo pressentimento e haviam seis delas, não posso colocar Arian e Llachar em perigo.

“Vocês duas ficam aqui, tenho um pressentimento que aquelas estátuas são golens que vão nos atacar assim que chegamos a torre de cristal! ”

“Então nesse caso iremos lutar juntos! ” Disse Arian com um rosto cheio de determinação e Llachar também concordou.

“Não, não quero colocar vocês duas em perigo! ” Disse em um tom sério e expliquei: ”Não sabemos a forças dessas estátuas e se mostrarem impossíveis de derrotar irei fugir, por isso não se preocupem! ”

Arian e Llachar tinham um rosto perturbado mas tentei as tranquilizar com um sorriso despreocupado.

“Invocar [Rubi][Safira]! ” Montei Rubi e disparei em alta velocidade para a torre de cristal.

Quando cheguei perto da torre de cristal senti uma opressora e tirânica aura vindo de dentro da torre.

Como eu suspeitava assim que me aproximei da torre as estátuas começaram a se mover e cobraram em uma velocidade que não esperava. Em questão de segundos as seis estátuas estavam sobre mim com seus colossais machados descendo em minha direção.

Rubi acelerou e desviou dos seis machados que ao atingir o solo causou um enorme estrondo seguido por um tremor de terra como se a montanha toda fosse balançada pelo ataque.

“Não posso ser atingindo, se não posso ser esmagado com um simples ataque dessas coisas! ”Rubi continuou correndo com os golens da torre me seguindo com uma velocidade que não condizia com seu tamanho.

“Safira, use sua magia [Geada] para restringir seus movimentos em seguida use o [Raio de gelo]! ” Gritei bem alto para Safira que estava voando no alto.

Safira usou sua habilidade [Geada] criando uma intensa névoa branca que se espalhou por toda área. Os golens começaram a ficar mais lento e Safira disparou sua magia [Raio de gelo] atingindo um dos guardiões o congelando. Safira disparou para o alto e depois entrou em queda livre como se fosse um relâmpago branco em direção ao golem congelado o atingindo destruindo em inúmeros pedaços de cristais de gelo.

“Isso!!! ” Gritei feliz, agora era um a menos.

Mais minha alegria não durou muito.

Após o golem ser destruído, os cinco restantes pararam de me perseguir e começaram a mudar se tornado guardiões de gelo. Apontaram seus machados para mim e dispararam raios de gelos em minha direção.

“Merda, isso é trapaça [Retorne Safira]! ” Retornei Safira pois não seria mais útil na luta. ”[Aura rubra][Barreira tripla]! ”

Os cinco raios de gelo atingiram minha camada de barreiras protetora e rachaduras começaram aparecer na primeira camada de barreira e logo foi destruída.

*Crack crack*

A segunda barreira começou a rachar e gradualmente foi se quebrando e o raio de gelo passou pela segunda barreira deixando apenas uma barreira.

O raio de gelo perdeu bastante sua força e a terceira barreira aguentou firmemente até o ataque cessar.

“Use seu sopro infernal sobre aquele grupo de guardiões assim que eu atacar! ”

Como o raio de gelo não funcionou imediatamente cobraram para cima de mim. Felizmente por causa da transformação em golens de gelo não eram tão rápidos quando antes, mas não podia os subestimar.

Seus ataques eram mais lentos, porém mortais e impiedosos.

Quando os cinco ficaram muito próximos gritei:

“Rubi, agora!!! ” Com meu comando Rubi soprou um fogo abrasador sobre os golens de gelo e não perdendo a oportunidade conjurei a magia [Pilar infernal] transformando o fogo de Rubi em um vórtice de fogo escarlate que se erguia a mais de vinte metros de altura.

Os cinco golens de gelo estavam em um mar de chamas infernais.

“Será que eu consegui? ”

Fiquei atendo as chamas, quando de repente as chamas explodiram me lançando para longe de Rubi. Com a força do impacto senti uma dor lancinante por todo meu corpo. Antes que pudesse me recuperar, em cima de mim havia dois golens vermelhos com seus machados em chamas cobrando sobre mim.

No desespero gritei:

“[Rugido do Leão branco]! ”

Uma chama branca e fria como uma estrela morta me envolveu em um vortex e explodiu destruindo tudo em volta e mesmo os golens de fogo foram destruídos como se fossem nada e o solo da caverna se tornou vitrificado.

Lancei um olhar rápido aos redores e não havia mais nenhum golens.

Eu tinha derrotados os seis golens!

“Uhuhu, consegui! Consegui! ” Gritei ofegante pois esse último ataque tinha consumido boa parte do meu poder mágico.

Rugido do leão branco é uma magia secreta do clã Marwe que requer uma quantidade absurda de poder mágico o que é um dos motivos que quase ninguém pode aprender essa magia.

Me levantei e acenei para Arian e Llachar que tinham uma expressão aliviada.

Mas, então seu rosto se tornou pálido e seus olhos arregalaram-se de terror. Quando eu menos percebi uma sombra desceu ao meu lado me atingindo com uma enorme escudo negro e a pancada me lançando vários metros a distância.

Com o impacto senti vários dos meus ossos se quebrando e meus órgãos internos feridos. Minha mente ficou turva e aos poucos fui perdendo a consciência.

Antes de perder a consciência vi um golem enorme com asas e uma cabeça de corvo segurando uma maça e um escudo.

Havia um sétimo guardião.

Comentarios em HDUM: Capítulo 9

Categorias