iLivro

Estudioso Meng Hao

—–!! —–
TRADUTOR: Espreom (RpxZERO)
REVISOR: Espreom (Nagare)

Veja esse capitulo Na Espreom >Cap 1<
—–!! —–

O Estado de Zhao era um país muito pequeno. Como os outros pequenos países do Continente Nanshan, sua população admirava o Grandioso Tang, que se localizava nas Terras do Leste, e o Chang’an. Não somente o rei carregava essa admiração, mas até mesmo todos os sábios e estudiosos em Estado de Zhao também. Eles podiam ver isso, quase como se estivessem no topo da Torre de Tang na capital, oh tão distante.

Esse Abril não era nem extremamente frio, nem escaldante. Ventos fracos acariciavam a terra, passando pelo Clã Qiang Di no Deserto do Norte, e soprando sobre as terras do Grandioso Tang. Sobre o céu crepuscular, o vento levantava uma névoa de poeira, e enquanto girava e torcia, chegou ao Monte Daqing, no Estado de Zhao, onde ele desceu sobre um jovem que estava sentado ao topo da montanha.

Ele era um jovem magro que vestia um limpo robe azul de estudioso e segurava uma pequena cabaça de água. Ele parecia ter cerca de dezesseis ou dezessete anos. Não era alto e sua pele era um pouco escura, mas seus olhos brilhantes exibiam inteligência que parecia estar escondida pela carranca em seu rosto. Parecia perdido.

“Falhei novamente…” Ele suspirou. Seu nome era Meng Hao, um aluno normal do Município de Yunjie, que se localizava ao pé da montanha. Anos atrás, seus parentes desapareceram, e não deixaram muito para trás quanto à questão financeira. Educação custava caro, então ele estava quase falido.

“Eu entrei nos exames imperiais três anos seguidos. Em todas as vezes, li livros escritos por sábios até me dar vontade de vomitar. Talvez este realmente não seja o caminho que devo seguir.” Cheio de auto depreciação, ele mirou a cabaça novamente com olhos desolados.

“Meu sonho de me tornar um oficial e ficar rico fica apenas cada vez mais distante. Eu poderia esquecer também de tentar alcançar o Grandioso Tang… Que inútil é ser um estudante.” Ele riu amargamente. Sentado ali no topo silencioso da montanha, observando a cabaça em suas mãos, ele parecia cada vez mais perdido. Ele começou a sentir medo. O que faria no futuro? Para onde deveria ir?

Talvez um oficial de alto escalão se interessasse por ele, ou uma bonita donzela se tivesse sorte. Ou teria ele que continuar a fazer exames, ano após ano?

Não existia resposta para essa questão. Ele era apenas um adolescente, e essa sensação de se sentir perdido o devorou como uma boca gigante e invisível. Ele estava realmente assustado.

“Até mesmo os professor na cidade podem conseguir apenas alguns poucos pedaços de prata. Isto é pior do que o Tio Wang com sua carpintaria. Se eu tivesse percebido isso antes teria aprendido carpintaria com ele. Ao menos não estaria morrendo de fome como estou agora.” Ele ficou silêncio por um tempo.(NN: Até nas histórias os professores ganham pouco).

“Eu não tenho muita comida ou dinheiro restantes em casa. E devo ao Steward Zhou, três peças de prata. O que eu faço? ” Ele levantou sua cabeça e olhou para o céu, azul e grandioso. Era tão largo que não se podia ver o fim. Muito semelhante a como ele não podia ver seu próprio futuro.

Depois de um tempo, Meng Hao sacudiu sua cabeça e pegou um pedaço de papel de seu robe. Ele leu isso cuidadosamente, colocou na cabaça, levantou-se e jogou-o montanha a baixo.

No pé da montanha, do outro lado da cidade, havia um grande rio que nunca congelava durante o inverno, que diziam ir o caminho todo até o Grandioso Tang.

Meng Hao ficou no topo da montanha, assistindo a cabaça ser carregada para mais e mais distante junto a corrente do rio. Ele encarou sem nem ao menos piscar. Por um momento, ele pareceu vislumbrar sua mãe, e os momentos de felicidade da sua infância. A cabaça carregava seus sonhos e sua esperança para o futuro. Talvez um dia, alguém a pegasse, abriria e leria o bilhete.

“Não importa o que eu faça, seja estudo ou trabalho, eu continuarei vivendo”. Esta era sua personalidade: Inteligente e determinado. Se ele não fosse dessa maneira, não sobreviveria após seus parentes o deixarem.

Ele ergueu sua cabeça em direção ao céu, seu olhar teimoso parecia se aprofundar ainda mais. Ele estava a ponto de descer da montanha.

Neste exato momento, ele ouviu uma voz muito fraca vinda de um penhasco próximo. O som parecia ter sido carregado pelo vento. Enquanto passava pelos ouvidos de Meng Hao eram muito fracos, quase baixo demais para ser ouvido.

“Socorro… socorro…”

Meng Hao parou por um momento, chocado, então começou a ouvir cuidadosamente. Conforme se concentrava, o som da voz começou a ficar mais alto.

“Socorro…”

Ele caminhou alguns passos para frente até que alcançasse a borda do penhasco. Quando ele olhou por cima da borda, ele viu uma pessoa, seu corpo aparecendo de uma fenda na parede do penhasco. Com o rosto pálido e cheio de medo e desespero, ele clamou por ajuda.

“Você… Você é o Meng Hao, certo? Socorro, Estudioso Meng! Socorro! ” Era um adolescente. Assim que ele viu Meng Hao, ele expressou surpresa e felicidade, pois encontrou esperança em meio a uma situação desesperadora.

“Wang Youcai? ” Os olhos de Meng Hao se arregalaram enquanto ele olhava o jovem. Ele era o filho do Tio Wang, que tinha a carpintaria na cidade. “Como você foi parar aí? ”

Meng Hao olhou para a fenda. O penhasco era bastante íngreme e parecia impossível descer lá. Qualquer descuido faria a pessoa cair no rio lá embaixo.

Considerando a velocidade que o rio flui, se você cair nele existe noventa por cento de chances de você acabar morto.

“Não é apenas eu, também tem pessoas de cidades próximas.” Wang Youcai disse. “Nós estamos todos presos aqui. Irmão Meng, não é hora de conversar, nos ajude a sair daqui.” Talvez ele tenha estado na fenda por muito tempo. Suas mãos agarraram o ar, e se não fosse pelos seus colegas, que o seguraram pela camisa, ele teria caído o penhasco. Seu rosto ficou totalmente pálido de medo.

Meng Hao percebeu o perigo. Mas ele escalou a montanha sozinho hoje, e não tinha uma corda. Como ele poderia salvar alguém? Nesse momento, ele se virou e percebeu que o lado da montanha era cheio de vinhas.

Frágil como elas eram, ele precisou de duas horas inteiras para achar uma vinha longa o suficiente. Respirando pesadamente, ele carregou a vinha até a borda do penhasco. Chamando o nome de Wang, ele se curvou e começou a descê-la.

“Você ainda não me disse como chegou aí.” Meng Hao disse enquanto abaixava a vinha.

“Voando! ” Não foi Wang Youcai que disse isso, mas sim, outro jovem que saiu da fenda após ele. Esse garoto parecia resoluto e inteligente, e falava com uma voz alta.

“Besteira! Você consegue voar? ” Meng Hao zombou, puxando a vinha um pouco pra cima novamente. “Se você consegue voar para aí, porque não volta voando? ”

“Não dê ouvidos a esse absurdo, Irmão Meng.” disse Wang Youcai, claramente preocupado que Meng Hao não abaixaria a vinha novamente. “Nós fomos capturados por uma mulher voadora. Ela disse que nos levaria a algum Sect para ser servos.”

“Mais besteira? ” Disse Meng Hao descontente. “Apenas os Imortais das Lendas podem voar. Quem acreditaria nisso? ” Nos livros que ele leu, haviam histórias de pessoas que ficavam ricas após conhecerem um Imortal, mas era tudo mentira.

Assim que a vinha alcançou a fenda, Wang agarrou-a. Porém, de repente Meng hao sentiu um vento gelado atrás de si mesmo. Pela temperatura em sua volta, parecia que inverno havia retornado. Ele estremeceu. Ele lentamente se virou pra olhar para trás, depois gritou e deu um paço a frente pisando no nada, começando a cair do penhasco.

Ele viu uma mulher em um longo robe prateado e com um rosto pálido, parada ali olhando para ele. Era impossível descobrir sua idade. Ela era extremamente bonita, mas irradiava tanta frieza que fazia as pessoas pensarem que ela tinha acabado de sair do túmulo.

“Às vezes, quando você encontra certas coisas com certas qualidades, é apenas destino.”

Quando a voz chegou a suas orelhas, pareciam ossos se esfregando um nos outros. Essa mulher parecia possuir algum tipo de poder estranho, e quando Meng Hao olhou em seus olhos, seu corpo todo sentiu um frio gelado, como se ela pudesse ver através dele. Como se ele não pudesse esconder nada dela.

Suas palavras ainda flutuavam pelo ar quando ela mexeu suas largas mangas e, de repente, uma rajada de um vento esverdeado levantou Meng Hao que desceu o penhasco junto com ela. Sua mente ficou em branco.

Quando eles chegaram à fenda, a mulher mexeu sua mão e jogou Meng Hao dentro, junto dos outros. Quando ela parou de se mover, o vento esverdeado cessou também. Wang e seus dois amigos correram para trás em um susto.

A mulher ficou parada ali, sem dizer uma palavra. Ela levantou sua cabeça e olhou para a vinha.

Meng Hao estava tão nervoso que começou a tremer. Ele se levantou, olhando em volta rapidamente. A fenda não era grande, na verdade era bem estreita. Mesmo com poucas pessoas dentro, ainda parecia apertado.

Seus olhos detectaram Wang e os outros dois jovens. Um era o garoto inteligente, e o outro era um garoto meio rechonchudo. Ambos tremiam, parecendo que poderiam chorar a qualquer momento.

“Eu estava com uma pessoa a menos.” disse a mulher pálida. Agora ela olhava para Meng Hao ao invés da vinha. “Acho que você servirá”.

“Quem é você? ” Perguntou Meng Hao, escondendo seu medo. Ele era uma pessoa educada e tinha uma personalidade forte. Mesmo estando com medo, conseguia se controlar e não entrar em pânico.

A mulher não disse nada. Ela levantou sua mão direita e sacudiu-a, e então o vento esverdeado apareceu de novo. Isso levantou todos os jovens, e eles saíram da “caverna” junto com a mulher, voando através do ar. Eles desapareceram. Para trás estava apenas o Monte Daqing, que ficou parado ali, alto e imóvel, misturando com a escuridão do crepúsculo.

(NN: Ainda bem que o Monte ficou para trás. Imagina se ele sai voando junto…).

Meng Hao ficou com um rosto mortalmente pálido. Ele se viu ao meio do vento verde, atravessando o céu. Conforme ele voava, vento entrava em sua boca e o sufocava, tornando o simples ato de respirar impossível. Uma palavra apareceu em sua mente.

“Imortais? ” Ele segurou sua respiração pelo tempo que normalmente levaria pra respirar 10 vezes, até que ele não podia segurar mais. Ele desmaiou.

Quando ele abriu seus olhos, ele se viu em uma plataforma feita de pedra verde, metade do caminho ao topo de uma montanha. Mais montanhas os cercavam. Nuvens e neblina estavam em todo lugar. Esse definitivamente não era o mundo mortal. Os picos das montanhas que os cercavam pareciam muito estranhos.

Wang e os outros dois acordaram, assustados e tremendo. Eles olhavam para as costas da mulher.

Na frente dela estavam dois Cultivadores vestindo robes longos e verdes. Pareciam ter cerca de vinte anos. Eles tinham olhos fundos com pupilas verdes assustadoras.

“Excelente trabalho, Irmã Xu.”(NT: Elder Sister Xu) Disse um dos homens, bajulando a mulher. “Você encontrou quatro bebês talentosos.”

“Leve-os para os quartos dos servos.” Disse a mulher. Seu rosto frio, nem ao menos olhando para Meng Hao e os outros. De repente, seu corpo todo se transformou. Ela se tornou um arco-íris e desapareceu nas montanhas.

(NN: Virou um arco-íris, que lindo. Já da pra participar do My Little Pony).

Neste momento, Meng Hao já tinha recuperado sua compostura. Ele observava atordoado o local onde a mulher desapareceu. Uma expressão apareceu em seu rosto que nunca tinha aparecido em seus outros 16 anos. Seu sangue estava fervendo.

“Servos? ” Ele pensou. “Se o trabalho for para Imortais o pagamento deve ser bom.” Agora que ele sabia que essas pessoas não queriam mata-lo, ele deu um passo à frente.

“Irmã Xu já atingiu o sétimo Level de Condensação de Qi.”, lamentou o segundo Cultivador. “O Sacerdote do Sect a conferiu uma Flâmula do Vento, o que significa que mesmo que ela não esteja na Fase de Estabelecimento de Fundação ela pode voar.” Ele olhou arrogantemente para Meng Hao e os outros.

“Você e você.” Ele disse apontando para Wang e o jovem inteligente. “Sigam-me para os Quartos dos Servos do Sul.”

“O que é esse lugar? ” Wang perguntou. Sua voz e corpo tremiam, já que o imortal apontava para ele.

“O Sect Reliance.”

Comentarios em ISSTH Capítulo 1

Categorias