JNH: Capítulo 8


Capa JNH

Because Janitor-san Is Not a Hero

Autores: Péng huā xún píng (棚花尋平)
Tradutor: Pyown

Besta Mágica ⑥

Um breve rugido ecoou na ravina.
O que poderia estar procurando?
Ele continuou a olhar para o local onde seu pai foi visto pela última vez.

Kurando também pensou em ir até lá.
Mas, os dois caberiam naquela área pequena.
Kurando deu meia volta em seu pensamento.
É a lei da natureza. Com seu poder sozinho era impossível. O que ele poderia ter feito? Não havia nada que pudesse ter sido feito. Em primeiro lugar, não havia nada que Kurando pudesse ter feito.
Mesmo agora, com seu poder atual, Kurando morreria se tentasse atravessar o vale.
Ele tinha uma razão para ir, mas a verdade era desconfortável. Kurando não queria apenas sentar e deixar o mal passar.

Nesse ponto, a besta mágica filhote caiu para trás.
Kurando estendeu reflexivamente sua mão, embora, não tinha nenhuma convicção.
A besta mágica filhote tinha se desgastado e depois dormido; Seu pequeno peito se expandiu e contraiu.
Enquanto ele o levava de volta para a caverna, Kurando abraçou o filhote em seus braços.
Ele procurou um lugar para ele se deitar.
Por enquanto, Kurando tirou seu casaco e dobrou-o antes de colocá-lo sobre o pescoço do filhote.
Em seguida, Kurando procurou alguma comida para encher seu estômago.
Ele foi procurar na sala onde a carne de veado  tinha sido preservada . Havia três novas luas desde que Kurando viu carne de veado pela última vez. Como sempre, a temperatura ambiente tinha ficado baixa. Decidiu desmantelar o veado; Não foi planejado de antemão.

「Fogo」
A luz do dia acabaria antes da carne de veado seria descongelada.
Mesmo com um balanço largo de uma faca, o gelo não mostrou sinais de ser cortado.
A faca não é suficientemente afiada.
Kurando lembrou de repente que os espíritos do fogo podem formar um revestimento que pode proteger contra o frio.
Ele decidiu canalizar o maryoku para a faca com a intenção de reunir espíritos do fogo. Os espíritos do fogo que pairavam ao redor da lâmina tornaram a faca quente ao toque.
Gradualmente a quantidade de maryoku na faca foi aumentada.
A faca ficou vermelha. Kurando tentou cortar novamente; O gelo derreteu.
Não era uma espada mágica; Simplesmente, a magia foi usada para aquecer a faca.
Sem querer, Kurando tinha cortado uma das pernas do veado.
Kurando retornou ao seu quarto, e com a magia do espírito da terra fez uma depressão no chão. Em seguida, ele dividiu a perna do veado antes de colocá-la dentro. (Nota: depressão no chão é um buraco)
Por último, Kurando usou os espíritos do fogo da faca e começou uma lareira. Ele desmaiou.

É perigoso deixar uma chama sem vigilância.
Seu maryoku não foi restaurado. Às vezes, Kurando sentia que sua força de vida tinha sido drenada, mas como ele se acostumou a isso a dor diminuiu. Não foi fácil para ele. Nem todos da Terra podem ser atletas olímpicos. Kurando não precisava ser lembrado dessa amargura.
Atualmente, ele se tornou uma pessoa comum neste mundo alternativo.

―Meow, meow, meow
Algo suave e macio esfregava contra o rosto de Kurando; Ele instantaneamente acordou.
O estômago da besta mágica filhote está vazio, assim, ele tentou persistentemente acordar Kurando.
O cheiro de comida queimada permanecia no ar ea fumaça preta encheu parcialmente a sala.
Alguns espíritos do fogo podem ser vistos ao redor da lareira. Kurando levantou-se abruptamente e segurou o filhote.
Há restos carbonizados sobre a carne de veado. Apesar da carne não ter sido virada cada lado da carne é completamente queimado. Talvez, os espíritos do fogo estivessem sendo travessos.
Ou, talvez os espíritos do fogo estavam tentando ajudar, cobrindo toda a carne com fogo.
Kurando forneceu o maryoku aos espíritos do fogo com a intenção de cozinhar a carne. De qualquer forma, a vontade destes espíritos não é algo que se possa ver visualmente. Eles não podem ser controlados. Esses seres podem até se materializar em salas fechadas hermeticamente fechadas.
Coincidentemente, há espíritos do fogo aqui em um lugar onde eles devem ser escassos.
A besta mágica filhote miou, “meow, meow” , como ele estava no lugar. Kurando pegou a faca.
Sem levar em consideração a camada externa queimada, ele cortou a perna do cervo.
Kurando afastou a camada queimada dos restos. Em seguida, ele testou uma fatia fina da carne sob a superfície queimada.
Embora não haja sal, ele apreciou a sensação de carne depois de um longo tempo. Ignorando o cheiro queimado, Kurando rasgou um pedaço da carne e alimentou a besta mágica filhote.
O filhote engoliu a carne sem prová-la.
Ele queria mais carne em vez de querer saborear o sabor.
A besta mágica filhote não pode viver sem comer carne.
Era comum para a besta mágica pai trazer de volta a carne para alimentar os seus filhotes. Foi o que Kurando pensou.
Mas, sem o pai para trazer carne para a criança, a criança vai morrer.
O pai tinha confiado a criança a Kurando. Ou, talvez, quisesse que ele tivesse piedade da criança e a adotasse.
Ele não tem certeza da intenção verdadeira da besta mágica pai. Em primeiro lugar, talvez nunca houvesse intenções claras. Uma besta é apenas uma besta.
Kurando pensou nisso por um tempo.
Deixou de lado um pouco de carne para a criança e saiu brevemente para fora.
Kurando voltou imediatamente com a mão cheia de neve.
Mais espíritos do fogo foram usados ​​para fortalecer o fogo na lareira. De sua mochila, Kurando pegou um pedaço de pão francês para comer com sua refeição. Ele derreteu a neve com a faca aquecida e dissolveu-a em água.
Nos últimos 180 dias, Kurando tem consumido a comida que lhe foi dada pela Deusa. Ele ficou surpreso com o fato de ser bastante nutritiva. Kurando não teria sido capaz de sobreviver sem ela; Ele está feliz a comida não era ruim para sua saúde.
Ele agitou a neve derretida com sua faca. Kurando então suavemente escavou um pouco de água e esfriou-a, abanando-a com a mão antes de levá-la para a boca da besta mágica filhote.
Fazia sons de uma criança tomando.
De alguma forma, é semelhante a um bebê amamentando.
Kurando repetiu a ação muitas vezes.
Por que Kurando foi levado a essa caverna? Por que eles dormiram juntos? Por que o pai tinha morrido e tinha deixado sua carne e criança? Por que lutou e morreu? Kurando pensou nessas coisas.
Por confiança?
Para ser dada?
Mas, não há nenhum método mútuo para se comunicar entre ele e o filhote.
Há integridade parece, embora, não há respostas.
Durante muito tempo, Kurando pensou sobre a incerteza enquanto procurava uma solução. Sem mudança, a besta mágica filhote continuou a dormir.
Kurando dobrou suas roupas de trabalho e as colocou em cima do filhote. A ação o ajudou a esfriar suas emoções.
Havia muito tempo desde que sentiu isso relaxante; Seu eu interior estava satisfeito.

Depois de ter terminado de comer, Kurando sentiu sono. A brisa fresca causada pelos espíritos do vento e espíritos do fogo balançou para a frente e para trás.
Kurando esfregou os olhos; Esqueceu-se descuidadamente de fechar a cobertura da caverna para que então ele se levantasse.
Essa noite não há lua lá fora. Apenas o fogo de uma lâmpada pode ser visto no lado da montanha.
Mais uma vez, ele pensou um pouco sobre o futuro. Kurando usou algum maryoku para invocar alguns espíritos do vento.

Comentários