Amizades e Inimizades

Xi não soube o que dizer perante tamanha demonstração de desprezo por uma única pessoa. Muh era o exemplo perfeito de um nobre prepotente e mimado, alguém acostumado a ter o que quer quando quer, alguém acostumado e ser obedecido e não contestado. Ao lado de Xi a reação dos três plebeus foi fácil de descrever. O jovem de trança estava vermelho de raiva enquanto os primos Q’wem recuaram cautelosamente para trás de Xi.

  • Vocês da escoria precisam entender quem possui o poder no mundo – continuou a falar o jovem Muh sem perceber o desconforto que suas palavras traziam – só com o apoio de uma família nobre vocês poderão crescer na vida. Então aproveitem o momento para se curvar antes que comecem a se tornar um incomodo.

  • Vocês não tem vergonha de andar ao lado dele? – perguntou o garoto de trança para os dois plebeus que acompanhavam Muh.

Os dois garotos trocaram olharas resignados e deram de ombros como se não valesse a pena responder a pergunta do jovem.

  • Esses dois só estão aqui grassas ao patrocínio de minha família – comentou o jovem Prata despreocupadamente – E a divida de suas famílias para com o apoio dos Xao será paga com os serviços deles para comigo.

  • Sinto pena de você – o garoto de trança olhou com desprezo para Muh enquanto se virava para ir embora.

  • Escoria! Como ousa! – Muh começou a avançar em direção ao garoto de trança – Eu sou um Xao! Sou um Prata! Quem diabos é você para me insultar assim?

  • O que diabos vocês ainda estão fazendo aqui ?

Todos se viraram para ver Gon saindo de sua sala com uma bandeja vazia e uma expressão impaciente.

  • Parem de encher o corredor na frente de minha sala e vão estudar – Gon rapidamente passou pelos meninos gingando suas banhas pelo corredor – E tomem uma banho pelo amor do Criador.

Os sete alunos acompanharam com os olhos o gordo Instrutor  até que ele girou numa curva dos corredores.

  • Bem. Acho que já vamos também – Disse Xi arrastando os primos Q’wem.

  • Espere um pouco, Bronze! – exclamou Muh voltando sua atenção para o grupo – eu quero falar com esse projeto de gente aí.

Swam se encolheu onde estava quando Muh apontou para ele.

  • Você parece que é um pouco esperto. Que tal implorar para ficar aos meus serviços? Nós, os Xao, cuidamos muito bem de nossos servos e recompensamos muito bem aqueles que se destacam. Vamos, escória. Se ajoelhe.

  • Meu primo e eu já temos nosso patrocinador – se intrometeu Buco ficando entre Muh e Swam, escondendo o pequenino atrás de seu corpo avantajado.

  • Ninguém de perguntou nada balofo.

  • Acredito, Muh Xao – sussurrou Buco.  Sua voz estava fria como uma promessa de morte na neve do inverno – que deveria estudar muito o início do Império.

Xi não pôde deixar de sorrir com a referência que Buco estava usando para contra atacar as palavras do Prata.

  • Qual a graça aqui, Bronze ?

Muh rapidamente mudou seu foco dos primos para Xi. O jovem Prata encarou Xi por um momento vendo pela primeira vez um possível obstáculo em seu caminho. Esse jovem Bronze tinha ficado entre os cinco melhores alunos. Parecia ser inteligente e um bom combatente. E agora ainda estava recrutando servos. Isso na mente de Muh transformava Xi em seu maior rival depois de Ling.

  • Cuidado com quem desafia, Bronze.

Com essas palavras o Prata deu as costas aos jovens fazendo seu longo cabelo balançar como uma capa sobre sua costas. Rapidamente os dois plebeus que se curvaram a família Xao o acompanharam.

  • Esse maldito me dá nos nervos – comentou Buco cuspindo no chão.

  • Ele foi muito mimado – ponderou Xi – Isso será a ruína dele no futuro se ele não mudar a maneira de agir.

  • É mais provável que acorde com uma faca entre as costelas – O jovem da trança olhou feio na direção que Muh tinha seguido e se virou para seguir seu próprio caminho.

  • Espere! Como você se chama ?

Xi tinha criado verdadeiramente um interesse pelo jovem. Se ele não tinha se enganado, o jovem tinha sido o segundo melhor aluno da classe plebeia e parecia ter uma personalidade forte. O tipo de pessoa que o jovem Zhang queria como companheira.

  • Me chamo Ryu Hon – respondeu o jovem simplesmente – Irei me graduar sem me ajoelhar para ninguém. Se ficarem em meu caminho, irei esmagar vocês.

Com essas palavras o jovem Ryu fez seu caminho para longe dos garotos deixando um curioso Xi para trás ao lado de um Buco levemente enfurecido e um Swam desanimado.


O céu começava rapidamente a escurecer sobre o Monte Fuu  conforme os altos picos das montanhas em volta iam barrando a luz do sol. Xi e os primos Q’wem estavam em uma sala sentados diante de uma grande mesa lendo um grande e grosso livro cada.

Xi não podia deixar de suspirar, sua cabeça ainda doía após a aula com o Instrutor Lee que forçava cada aluno a usar todo o seu conhecimento nas aulas de estratégia militar. Xi tinha se saído muito bem na aula, mas os primos tinham sido o completo oposto da aula de Gon.

Agora os garotos estavam reunidos em uma das salas da Biblioteca da Academia, pesquisando sobre a formação do Império.

  • É tanta coisa que nem sei por onde começar – murmurou Xi.

Seu livro falava sobre os primeiros anos do Império. Isso era na época que as províncias de Coração da Tempestade e Montanhas Baixas ainda eram governadas por seus respectivos Ouros.

  • Como sempre o que mais me interessa na fundação do Império é a Fúria dos Bronzes – comentou Buco.

  • Por isso disse aquilo para Muh?

Perguntou Xi se inclinando para trás na cadeira. Buco permaneceu um momento em silêncio enquanto Xi e Swam o observavam na expectativa da resposta.

  • Para nós, plebeus – começou a falar o gorducho – a revolta intitulada como Fúria dos Bronzes simboliza o início de uma nova era. Aqui nesse livro – ele apontou rapidamente para o livro diante dele – está detalhado como aconteceu e o motivo.

  • A revolta que deu início a um império – murmurou Xi, lembrando-se das histórias.

  • No ano 197 D.C (depois da calamidade) as Terras Altas ainda estavam divididas em cinco províncias governadas por seus respectivos Ouros – continuou Buco.

  • Chuvas Cortantes. Picos Brancos. Coração da Tempestade. Montanhas Baixas e Cavernas Douradas. – Recitou Swam em um sussurro.

  • E foi em Cavernas Douradas que tudo começou – continuou Buco tomando ares de contador de história – Naquela época a diferença social era muito mais gritante que agora.  Nobres como Muh seriam considerados gentis. Os Ouros reinavam em suas províncias com uma tirania avassaladora sobre as castas inferiores. Os Pratas se consideravam divinos e a cima da lei. E os Bronzes mal eram considerados nobres enquanto a plebe era tratada como animais – Os olhos de Buco fitavam a parede, como se estivessem vendo a antiga história que ele contava – um longo inverno se abateu no final de 197 D.C trazendo a morte e a fome para o povo enquanto os nobres se entocaram em seus palácios e castelos onde a comida estava bem estocada. Um Bronze ao ver o povo de sua aldeia morrer aos poucos se revoltou com a falta de humanidade dos Pratas e Ouros.

  • Yki Shishi! – sussurrou Swam com admiração.

– A chama da revolta – Xi conhecia bem a história de Yki. O primeiro homem a quebrar as fronteiras entre as castas.

  • O líder da família Shishi levantou em suas terras um exército de desesperados e famintos. Uma horda que se unia com um único objetivo. Sobreviver. Rapidamente Yki moveu seu exército até a propriedade do Prata que era seu senhor e antes que alguém percebesse o que estava acontecendo a primeira batalha que daria inicio a Fúria dos Bronzes teve inicio. – os olhos de Buco agora brilhavam com uma luz fanática – Yki Shishi foi considerado por muitos um enviado pelos Quatro Padrinhos. Um ser divino. Essa suposição do povo foi o que impulsionou a força de seu exercito. Rapidamente plebeus e Bronzes se uniram as forças dos Shishi nas propriedades do Prata derrotado e durante aquele inverno muitos outros nobres considerados Tiranos tiveram suas vidas tomadas.

  • Mas temos que lembrar que não foi assim tão fácil – argumentou Swam batendo seu indicador contra o livro aberto diante dele – As batalhas em Cavernas Douradas duraram dois anos para terminar. Nesse meio tempo milhares morreram tanto do lado dos Tiranos quanto dos revolucionários. Só no meado do segundo ano que Yki conseguiu tomar a cabeça do Ouro de Cavernas Douradas e se autoproclamar senhor da província.

  • O primeiro passo – Xi conhecia os acontecimentos que se seguiram após a reivindicação de Cavernas Douradas, o que levou a mudança de castas de dezenas de nobres e à ascensão de alguns plebeus para a nobreza Bronze – O primeiro passo para o Império foi dado com essa proclamação e o gênio conhecido como Yki Shishi, sabendo que os Ouros das terras vizinhas iriam tentar aproveitar esse momento de mudanças para tomar alguns lucros, mandou seus homens para as outras províncias para incitar no povo uma revolta assim como ele tinha feito. Desde então foram longos vinte anos até que Chuvas Cortantes e Picos Brancos serem conquistadas pelo Senhor dos Shishi.

O Império Izar nasceu em 219 D.C quando as províncias de Cavernas Douradas, Picos Brancos e Chuvas Cortantes foram unidas sob uma única bandeira. O conquistador Yki Shishi deu ao povo comida e proteção o que fez com que seu pequeno império prosperasse, mesmo com os confrontos contra Coração da Tempestade e Montanhas Baixas.

  • O Instrutor Gon realmente nos deu um assunto muito abrangente para trabalhar – comentou Xi – Podemos passar a noite toda falando sobre a formação do Império e ainda teremos conteúdo para falar amanhã.

  • Verdade – concordou Buco – Seja a Fúria dos Bronzes, a conquista das Províncias do Norte ou o Casamento com o Coração. As historias que englobam a fundação do Império são muitas.

  • Buco, você disse que gosta da Fúria dos Bronzes. Eu particularmente prefiro o Resgate das Montanhas. E você Swam? Qual sua historia preferida da fundação?

  • As Dez Espadas Imperiais!- respondeu o baixinho com um sorriso tímido.

As Dez Espadas Imperiais, o mais poderoso grupo militar do Império formado pelos dez mais habilidosos guerreiros do Império. Dois para cada província de Izar com a uma única função. Fazer valer as palavras do Imperador e manter a ordem no Império.

  • As Dez Espadas é mesmo uma ótima historia – concordou Xi sorrindo para o amigo – mas há um problema ai.

  • Qual? – perguntou Swam franzindo a testa.

  • As Dez Espadas foi fundada pelo Imperador Yzal Shishi, o filho de Yki Shishi – respondeu Buco sorrindo para o primo – Yzal reuniu os dez melhores guerreiros da época e fez uma proposta a eles. Abandonar seus nomes, suas famílias e suas terras para servir diretamente ao Império e ao Imperador. Após a morte do primeiro Imperador havia uma pequena chance do Império se fragmentar novamente, por isso Yzal escolheu pegar homens habilidosos de todas as províncias e lhes dar poder para evitar qualquer possível rebelião. Esses homens ofereceram suas vidas para o Imperador pela honra que ele lhes dava.

  • Falando nisso quem são os atuais Dez Espadas? -perguntou Xi reclinando-se em sua cadeira – Se não me engano os mais velhos são Teylong O Forjador de Espadas, Chim A Tempestade e Lun A Bela Mortal, que já não deve ser tão bela agora.

  • Se não me engano temos Quon A Estrela Ascendente e Chun A Flor Branca – Buco disse calmamente, ele nunca tinha ligado muito para os Dez.

Foi nesse momento que para a surpresa de Xi e Buco o pequeno Swam se levantou com um brilho estranho nos olhos e começou a falar como eles nunca tinham visto.

  • Vocês são uma vergonha- disse o pequenino – Em primeiro lugar vocês deveriam saber pelo menos quem são os dois dos Dez responsáveis por Chuvas Cortantes.

  • Tá bom, Tá bom – Buco levantou as mãos assumindo uma posição defensiva enquanto Swam falava.

  • Não esta nada bom, Buco. Teylong O Forjador de Espadas e Quon A Estrela Ascendente são nossos representantes e vocês deveriam saber pelo menos isso, enquanto Chim A Tempestade e Jaw Lamina Dançante são os responsáveis por Montanhas Baixas a mais de dez anos. Chun A Flor Branca e Kun O Devastador cuidam dos Picos Brancos a mais tempo ainda. E Lun A bela Mortal faz sua dupla em Cavernas Douradas com Li O Estrategista, o mais novo dos Dez.

  • Fique calmo, Swam – pediu Xi – É difícil gravar o nome dos Dez já que eles abandonam o nome de suas famílias e mudam pelo menos a cada vinte anos.

  • Nem todos. Teylong, Chim e Lun estão a mais de trinta anos em seus postos. E a dupla que protege Coração da Tempestade e mantém a guarda pessoal do Imperador estão a exatos vinte cinco anos no serviço.

  • Ah! lembrei – disse Buco de repente – Os últimos dois são os mais excêntricos dos dez.

  • Isso mesmo – Cortou Swam chamando a atenção de volta para si – Wong e Wang O Gêmeo da Direita e o Gêmeo da Esquerda. Dois irmãos que se tornaram membros dos Dez no mesmo dia. Dizem os rumores que são parentes distante do Imperador.

Conforme a noite progredia os três continuaram conversando sobre as historias do Império desde os acontecimentos da fundação até os dias atuais. Xi uma hora ou outra citava alguma das batalhas dos izanitas contra os povos das terras baixas, enquanto Buco sempre levava as conversas para alguma revolta que mudou o Império e o pequeno Swam falava sobre os feitos dos Dez que ele parecia ter decorado o nome de cada um que já existiu. Xi não pôde deixar de sorrir, fazia tempo que ele não encontrava alguém que para conversar livremente sobre assuntos que ele gostava. Realmente, ele tinha simpatizado com esses primos.

Comentários