MCHHS: Capítulo 105


Capa MCHHS

Main Character Hides His Strength

Autores: Road Warrior (로드워리어)
Tradutor: Pyown

Oferta de Redenção (5)

Murmúrios divergentes ondularam através da Frota Aliada do Império Humano que se organizou no pico da Cordilheira Harupaya. A fonte desse descontentamento foi o comandante da frota, Dimitri Medioff. Ele havia posicionado três frotas no pico para manter o Exército Demônio sob controle enquanto o resto do exército recebia ordens de perseguir Sungchul, mas uma pessoa completamente inesperada foi indicada para liderar a perseguição.

Aquele que recebeu a ordem foi o próximo homem mais odiado ao lado do Inimigo do Mundo. Aquele homem não era outro senão Martin Breggas; o covarde que havia abandonado a linha de frente do Reino Demônio sem pensar duas vezes, apesar de seu papel de Comandante Chefe.

Os homens sussurravam atrás das costas de Dimitri que ele estava sofrendo de febre da diplomacia. Mas ninguém se atreveu a se opor abertamente a suas decisões.

“Tudo isso é a vontade do Grande Imperador.”

Foi porque o próprio imperador havia emitido essa ordem. Martin havia lutado ferozmente nessa frente. Ele implorou pela cooperação do Império Humano, oferecendo um enorme tributo, direitos econômicos e obediência absoluta na reunião do conselho mundial do próximo ano.

Martin desejou apenas uma coisa: restaurar seu nome. Como um lorde que havia deixado de lado todos os seus subordinados e territórios, precisava de uma vitória grande o suficiente para lavar seus pecados. A subjugação do Inimigo do Mundo foi sua única chance de limpar o quadro.

Ele tinha apenas uma preocupação. De acordo com rumores, Sungchul se tornou uma potência transcendente. Todos aqueles que o testemunharam lutar, disseram que o Inimigo do Mundo é um Transcendente… não, ele se tornou algo mais.

Mas Martin nunca tinha visto Sungchul lutar com seus próprios olhos.

“Não posso deixar de aceitar que Sungchul se fortaleceu até certo ponto, mas esse homem ainda é humano. Os mortais não são perfeitos; ele deve ter uma fraqueza.”

Martin liderou duas frotas do Império Humano pelo céu e pela Milícia de Trowyn, junto com poucos soldados veteranos da elite por terra, enquanto ele seguia para o nordeste para perseguir Sungchul. Ele havia habilmente reduzido os locais possíveis onde Sungchul poderia estar se escondendo graças ao seu conhecimento da área circundante como o Comandante Chefe da Frente de Batalha do Reino Demônio e rapidamente começou a busca.

Sungchul, que estava dando uma rara parada, logo confrontou os perseguidores. O rugido de um Wyvern voador atravessou o céu. Dezenas de Cavaleiros Wyvern passaram pela fenda nas rochas através da qual ele observava o céu. Os perseguidores também conseguiram alcançá-lo por terra.

“Ele não poderia ter ido muito além! Não deixem uma pedra solta nesta área e encontrem-o.”

Elfos arqueiros montados em cervos de três chifres atravessaram a área vasculhando.

“Mm. Não importa como você veja, não acho que é hora de desenhar?”

Bertelgia parou de trabalhar. Sungchul também teve o mesmo pensamento.

“Eles estão sendo tão incômodos.”

No entanto, ele não pretendia matá-los. Eles eram meros peões seguindo a vontade dos que estavam no poder, e não era o jeito de Sungchul matar os inocentes, ao contrário daqueles em organizações malignas como os Seguidores da Calamidade.

Sungchul levantou o corpo da rocha e apontou para Bertelgia.

“Vamos.”

“Para onde?”

“Nordeste.”

Sungchul estava pensando em ir para a Frente de Batalha da Tempestade. O Grande Cinturão Florestal da Aliança Tribal Varan-Aran era o melhor para se esconder, mas pode não ser tão grande quando os Elfos, que estão familiarizados com a floresta como a palma da mão, começam a segui-lo. Sungchul, que decidiu seu destino, avançou sem pensar duas vezes.

A cena de uma cordilheira familiar se abriu diante de seus olhos. Abaixo, o acampamento dos anões pegou os últimos raios de luz do pôr do sol, fazendo-o brilhar com uma luz misteriosa e profunda. Essa era a área que supervisionava a Frente de Batalha da Tempestade. Era uma região montanhosa extremamente difícil, conhecida como a “Fonte de Todas as Montanhas”.

Sungchul acampou em vários pontos ao longo desta área. Foi a única opção que restou ao homem que foi expulso sob chamado de Inimigo do Mundo. Ele se dirigiu para um dos acampamentos que ele havia preparado no passado. Ele estava localizado na borda do penhasco da montanha que dava para uma fortaleza chamada Archon Crack. Era um lugar escuro e úmido devido à forma geológica única da montanha que nem sequer permitia que uma única hora de sol atingisse o solo.

Sungchul cavou uma caverna nesse local sombrio e fez um depósito para comida fermentada. A caverna estava cheia até a borda com Jeotgal feito com ostras salgadas, que entram na estação durante a primavera, e peixes salgados de várias espécies capturados por todo o Reino Demônio que ele havia preparado com um senso de experimentação.

Sungchul começou um fogo e preparou comida quando o sol começou a se pôr. Ele enfiou um dedo em um dos potes cheios de salmoura nas prateleiras enquanto cozinhava arroz e imediatamente mergulhou em seu sabor requintado. Bertelgia estava sentada sob a luz fraca de uma lamparina a óleo enquanto ainda desenhava retratos de Vestiare. Ela conseguiu completar apenas cinco até agora a uma taxa de um por hora. Bertelgia também fez uma pausa entre cada desenho que durou de trinta minutos a uma hora, fazendo com que ela desenhasse um único retrato a cada duas horas de forma realista e também fizesse uma birra dizendo que não podia desenhar mais de quatro páginas por dia.

Sungchul não a apressou. Ele estava bem ciente de que seria muito mais rápido ganhar a Intuição simplesmente aguardando a conclusão da missão através das pinturas.

‘Eu esperei 8 anos. É uma gota no poço esperar mais uma semana.’

Sungchul afirmou esses pensamentos enquanto enchia uma colher de arroz com um pouco de Jeotgal. O sabor quente e fofo do arroz e a delicia salgada do Jeotgal agitaram suas glândulas salivares, assim como suas papilas gustativas.

[A pontuação desse prato é… 5 pontos!]

O julgamento da Classe Chef foi duro, mas o que ele poderia fazer? Sungchul limpou a tigela de arroz com um sorriso satisfeito no rosto. Mas enquanto ele estava comendo Sungchul descobriu uma pequena, mas importante mudança ocorrendo no cenário que ele estava observando. A fortaleza dos anões, que deveria ser iluminada com tochas e lâmpadas, ainda estava mergulhada na escuridão.

“A fortaleza foi tomada?”

O recente ataque do Exército Demônio fez com que o estado da Frente de Batalha do Reino Demônio se tornasse instável em um nível sem precedentes. Foi num ponto em que o desaparecimento de uma pequena fortaleza ou duas não pareceria estranho.

No dia seguinte, Sungchul virou o sétimo retrato para a missão e se dirigiu para a direção da fortaleza no espírito de exploração. Bertelgia, que acabou de concluir um desenho, juntou-se ao descanso momentâneo.

Como Sungchul esperava, nem um único anão poderia ser encontrado dentro de Archon Crack. Ele descobriu que as paredes externas da fortaleza tinham sofrido danos severos de ataques mágicos e materiais e encontrou vários cadáveres com os restos de roupas numeradas normalmente vistas nos membros da Unidade Suicida mais profundamente na fortaleza. Mas havia muito poucos deles.

Parecia que a maioria dos anões que defendeu a fortaleza conseguiu escapar.

“Eles escaparam de forma limpa apesar de serem atacados por Demônios.”

Sungchul entrou na fortaleza como se fosse sua própria casa e foi em direção ao depósito subterrâneo. O armazenamento subterrâneo era onde a cerveja negra produzida pelos anões era armazenada. Ele roubou alguns desses barris de carvalho quando sentia sede. Felizmente, nenhum anão havia conseguido descobri-lo, então esse roubo não foi adicionado ao Livro dos Rancores dos Anões.

Sungchul sentiu uma presença desconfortável quando saiu da fortaleza com a Cerveja Negra em mãos. A aura úmida e única dos demônios se espalhava densamente ao seu redor. O jeito que essa aura fazia até o ar viciado era fora do normal.

‘Parece que esse não é um Demônio comum. Talvez um Lorde Demônio ou um demônio páreo a um Alto Demônio tenha aparecido.”

Os Altos Demônios e os Lordes Demônio eram frequentemente agrupados ao avaliar demônios poderosos, mas falando estritamente, isso não estava correto. Os Altos Demônios eram aqueles com status que ultrapassavam o que os humanos chamavam de limiares “Transcendentes” ou “Sobre-Humanos”, e entre eles, os que mantinham o território eram separados em Lordes Demônio. Não importa quão forte um Demônio se tornasse, sem terra eles simplesmente seriam referidos como um Demônio Supremo, ao passo que até mesmo um demônio mais fraco com terra era intitulado um Lorde Demônio. No entanto, a fim de se tornar um dos senhores dos ’72 assentos de poder’ no mundo dos demônios, uma grande dose de força era absolutamente necessária.

Entre as centenas de Altos Demônios, somente aqueles dentro dos 72 assentos poderiam deter o domínio sobre um território dentro do Reino Demônio, e apenas um que conseguiu subjugar todos os 72 Lordes Demônio foi capaz de se tornar o único governante dos Demônios conhecido como o Rei Demônio. No entanto, Sungchul era alguém que permanecia acima do seu rei e, portanto, essa distinção não tinha sentido. Quer fosse um Demônio Supremo ou um Lorde Demônio, todos seriam removidos deste mundo com um golpe do seu martelo.

Sungchul tomou a presença deste poderoso Demônio e caminhou até a direção da fonte enquanto segurava o barril de carvalho calmamente; corajosamente fazendo sua presença conhecida. Logo, uma sombra sinistra pairou sobre a fortificação enquanto um demônio se revelava diante de Sungchul. Os olhos de Sungchul vacilaram no momento em que ele viu o demônio.

“Esse cara é…?”

Sua aparência havia mudado drasticamente, tornando difícil reconhecê-lo, mas não havia dúvida. O demônio maciço que estava diante das paredes em ruínas do castelo era alguém que Sungchul já conhecia.

Elijah Breggas.

Ele ouviu através de rumores. Era a história de um demônio sem olhos que atacava uma fortaleza dos anões. Dizia-se que ele gritava um som estranho enquanto levava o corpo de uma bela mulher em suas costas.

“Então ele estava nesse tipo de lugar.”

Elijah ainda tinha que sentir a presença de Sungchul, então Sungchul o observou do lado de uma sombra feita por uma muralha de castelo. O ar juvenil de sua forma adolescente não podia mais ser encontrado. Em vez disso, ele tinha a figura de um demônio furioso cujo torso tinha 4 metros de comprimento, e as órbitas oculares que ele esvaziou estavam cheias de escuridão que era desconfortável de se ver. Suas costas seguravam um cadáver de uma mulher amarrada em correntes de metal. O rosto dela estava coberto pelos cabelos, mas olhando para as roupas virtuosas do cadáver de uma cavaleira, não era difícil adivinhar que era o corpo de Sophia Breggas.

“Aquele demônio. É o irmão não é?”

Bertelgia deve ter descoberto a identidade do Demônio depois de ver o cadáver de Sophia. Elijah estava ocupado empilhando pedras na parede desmoronada com seus braços maciços. O demônio falou.

“Sophia. Veja! Nosso castelo está sendo concluído. Quando as muralhas do castelo forem reparadas um pouco mais, poderemos manter a terra sem a ajuda desse homem!”

O cadáver de Sophia que estava pendurado atrás dele não respondeu. Ele balançava frouxamente de um lado para o outro junto com o movimento do Demônio, mas Elijah continuava a falar com uma voz animada por algum motivo.

“É aí que tudo começa. A partir desse castelo, vou assumir todos os castelos nesta área, um por um. Então eu vou te dar um castelo também. Nós vamos fazer um país, só nós dois! Que tipo de país? Eu ainda estou pensando nisso. Eu gosto do Império Humano que os Invocados criaram, mas eu também gosto muito da hegemonia que o mal “Reino da Santa Lúcia” teve.

O Demônio sem olhos que estava empilhando pedras ficou de pé e coçou a cabeça enquanto dava um sorriso grotesco antes de falar.

“Independentemente, qualquer país que eu fizer será melhor do que aquele homem.”

Sungchul, que estava observando de longe, percebeu que a mente de Elijah havia sido completamente devorada pela carne do Demônio. Ele ergueu o carvalho estéril cheio de Cerveja Negra e silenciosamente deixou a fortaleza.

Enquanto subia a estrada da montanha que levava a seu acampamento, Berltegia apareceu para falar.

“Foi Sophia? Aquela garota… ela é tão patética.”

“…”

Bertelgia cutucou o ombro com um dos cantos quando ele não disse uma palavra.

“Você não poderia ter acabado de salvá-la? Que terrível!”

“Morrer foi o melhor recurso para ela.”

Sungchul falou com voz firme.

“Há momentos em que a realidade é muito mais dura que a morte.”

Foi nesse momento que seus olhos viram algo que ele não estava muito satisfeito em ver. Em direção ao céu do sudoeste, a frota do Império Humano atravessou as nuvens escuras. Eles eram os que o perseguiam. Havia também um exército segurando uma bandeira com um crânio alado marchando abaixo deles. Sungchul, que os observava se aproximar com olhos indiferentes, descobriu uma única figura entre eles e estalou a língua.

“É mais provável que o Inimigo do Mundo tenha se escondido aqui. Não importa quantos dias ou noites são necessários. Virem todas as pedras e procurem em todas as cavernas. Nosso trabalho em breve será recompensado.”

Aquele que estava fazendo o discurso em direção ao exército marchando na liderança não era outro senão o pai que os irmãos Breggas odiavam tão carinhosamente. O Lorde Marquês Martin Breggas.

Ele olhou para a distante fortaleza dos Anões e conduziu seu exército em direção a ela; inconsciente do que estava esperando pela frente.


Nota: Jeotgal é um tipo de comida em conserva coreana feita com criaturas aquáticas (peixes ou ostras, etc). Normalmente, a comida seria salgada, mas é aí que os pontos em comum terminam. Alguns Jeotgal são feitos em pó, outros são feitos em pasta úmida. Alguns adicionam especiarias onde outros só usam sal. Embora possa ser comido puro, também é frequentemente usado como aromatizante para outros alimentos, sendo o mais famoso o camarão Jeotgal usado em muitas receitas de kimchi.

Comentários