MCHHS: Capítulo 116


Capa MCHHS

Main Character Hides His Strength

Autores: Road Warrior (로드워리어)
Tradutor: Pyown

Cidade Sobre o Rio (3)

Os olhos do velho se arregalaram quando viu o anel azul de pedras preciosas. Ele cobriu o anel com as duas mãos enrugadas e falou em um aviso.

“Isso não é algo para se tirar levemente.”

Sua voz cheirava a álcool, mas como Sungchul sabia que o homem não tinha má vontade, Sungchul guardou o anel no bolso e olhou para ele com indiferença.

“Me diga mais.”

O velho era cauteloso com o que o rodeava, especialmente os caçadores, enquanto falava com cuidado.

“É um segredo da espécie deles; o anel azul de pedras preciosas é usado como isca para os Carbuncles.”

“É a primeira vez que eu ouvi falar disso.”

“Não é surpreendente. Usar o anel azul de pedras preciosas para caçar Carbuncles é único na região Panchuriana.”

“Qual é a razão por trás disso?”

“Como os humanos, que escolhem seus parceiros de acordo com a atratividade da aparência do outro, os Carbuncles têm uma tendência a dar importância à clareza e ao croma da joia em sua testa. Pode-se dizer que as pedras são sua medida de beleza. A luz refletida pela pedra preciosa azul é considerada semelhante à sua cor favorita.”

“Então, a pedra preciosa azul funciona como isca para atrair os Carbuncles.”

“Exatamente. Se não fosse por isso, seria bastante difícil encontrar os Carbuncles; muito menos caçá-los. Eles são pequenos e também usam magia, tornando-os sobrenaturalmente indescritíveis.”

A primeira impressão do velho era pobre, mas suas palavras agora pareciam confiáveis. Isso era especialmente verdade, pois as palavras do velho pareciam estar relacionadas ao texto que Sungchul mal decifrou.

‘Bonitinhos… Pequenos animais… anel… adoram… Eu lembro de ver essas palavras. A parte sobre os animais bonitinhos poderia estar se referindo a Carbuncles. O anel deve estar se referindo ao anel azul de pedras preciosas.

No entanto, não ficou claro como os Carbuncles estavam relacionados ao Multilançamento. A verdade sobre o Multilançamento ainda estava velada em um nevoeiro, mas foi o suficiente para obter essa pequena dica.

Sungchul entregou ao velho uma única moeda de ouro como compensação.

“Compre algumas bebidas para você.”

O velho estava atordoado quando colocou as duas mãos na moeda de ouro e colocou-a nos lábios.

“Quanto tempo passou desde a última moeda de ouro? Ah, essa luz sedutora imutável!”

Ele não tinha notado nada de suspeito, mas Sungchul decidiu parar a conversa com o homem por agora. Ele não estava feliz que o velho fosse bem conhecido o suficiente para captar os espiões interessados ​​em alguns espectadores e o fato de que os caçadores que haviam completado o negócio mais cedo sussurravam entre si enquanto olhavam na sua direção também incomodavam Sungchul. Em um lugar sem lei como Panchuria, não era benéfico se o rumor de um viajante desconhecido carregado de ouro se espalhasse. Sungchul perguntou-lhe onde ele morava antes de prometer se encontrarem novamente e depois saiu do estabelecimento.

Quando o sol se pôs, Sungchul dirigiu-se para a casa do velho. Sua casa era um pequeno barco ancorado como se tivesse sido encalhado perto de uma floresta de junco na área ao lado da cidade. Para viver neste lado pobre da cidade em uma cidade como Panchuria, onde o esgoto e o lixo das casas eram despejados direto no rio, significava que ele estava realmente vivendo uma vida pobre. Foi porque o esgoto que vinha dos bairros mais ricos descia em direção a essa seção. O cheiro era algo, mas ainda havia falta de saneamento. Isso era especialmente verdadeiro durante os dias chuvosos, quando a imundície era mais extrema.

O nome do velho que vivia nessa floresta de juncos cheia de fedor e lixo era Kruut Asaam. Ele começou a falar sobre várias coisas que não lhe foram perguntadas, como pertencer a uma família que fazia parte do capítulo que formou a pedra fundamental da Cidade Livre de Panchuria, e uma vez comandou influência suficiente para trazer uma mudança visível para a cidade. O cerne de sua história começou quando uma ou duas das lâmpadas que iluminavam levemente a cidade no rio começavam a se acender.

“Há muitas especulações diferentes sobre as origens desta cidade, mas nada é correto. Apenas aconteceu. Alguém especulou que a cidade foi formada pelas pessoas que fugiram da invasão do Exército Centauro de uma era anterior ao rio, mas é apenas um rumor como qualquer outro na minha opinião.”

O velho apresentou várias teorias postuladas pelos acadêmicos amadores, seguido por suas próprias opiniões sobre elas. O velho era sincero e bastante entusiasmado em sua explicação, mas para Sungchul o assunto não importava de um jeito ou de outro.

Ele começou a bocejar depois de ouvir muitas histórias secas.

“Isso realmente não parece ser o tipo de história que você deve pagar para ouvir.”

Ao ouvi-lo, Kruut pensou por um momento antes de tomar uma decisão por conta própria. Ele começou a falar com um tom sutil.

“Não parece que você está tão interessado. Que tal agora?”

O velho começou a agitar o braseiro entre Sungchul e ele mesmo com a barra de metal para aumentar as chamas; então ele olhou em volta com cautela antes de falar novamente.

“Tudo o que eu disse até agora eram as teorias de acadêmicos sem nome falando sem experiência, mas a história que estou prestes a contar agora é algo único que eu, Kruut Asaam, passei três dias na biblioteca flutuante de Lagrange nos meus próprios dois pés cavando incontáveis ​​livros para encontrar.”

Sungchul não tinha expectativas reais, mas ainda assim, ele escolheu se inclinar para ouvir mais atentamente. Kruut expôs algo único como ele havia afirmado antes.

“Até este ponto, todas as teorias foram feitas com a premissa de que os ancestrais de Panchuria eram refugiados ou errantes do norte e escritos com o propósito de apoiar essa afirmação. Mas do jeito que eu vejo, está tudo errado.”

Kruut empurrou seu rosto enrugado para perto de Sungchul enquanto ele sussurrava discretamente.

“Aqueles que fizeram panchuria vieram do sul.”

“O sul?”

Sungchul teve uma resposta morna. O sul era o território dos lizardmans. Havia centauros, orcs, ogros mais ao sul, e não havia nada além de raças beligerantes de selvagens vivendo nas terras desoladas. Não importa onde eles estivessem no sul, não era possível os humanos morarem lá. O que o velho estava dizendo não era viável por essas razões.

“Parece que você não acredita em mim. Sabe, todos tiveram a mesma resposta. No entanto, acredito que há um reino perdido além da Cordilheira do Grito da Borda da Espada, no território dos Lizardmens.”

“Sua prova?”

O rosto do velho ficou ressentido com a pergunta de Sungchul e soltou um suspiro profundo. Ele abriu uma única garrafa de bebida rolando em torno de um canto de seu barco e esvaziou-a em sua garganta antes de continuar.

“Eu já gastei muito dinheiro procurando essa prova. Como você sabe, é preciso um investimento considerável para investigar o território dos Lizardmens.”

“Parece que você chamou mercenários?”

O velho assentiu e falou com um gemido.

“Graças a isso, perdi todo o dinheiro que herdei. Eu perdi meu status. Eu não fui capaz de consertar meu relacionamento com meu filho quando tive a chance que fez minha neta se ressentir de mim. É por isso que estou preso morando aqui cheirando a merda e mijo.”

Era um conto típico de fracasso que se podia ouvir em qualquer lugar. Sungchul não sentiu nem um pouco da empatia pelo velho. Tudo havia sido causado por seus próprios esforços. Onde mais ele poderia colocar a culpa?

Sungchul sentiu esgotamento em vez de pena e fez um esforço para se levantar.

Então, nada liga essa cidade a Sajators? Bem, é verdade que Sajators viveu milhares de anos atrás. Mesmo que ele tenha visitado aqui, não teria sido nada além de uma breve passagem.

O velho de repente agarrou o braço de Sungchul quando se levantou para sair.

“Minha história ainda não acabou! O cerne da história começa daqui!”

“Seja breve.”

Sungchul falou com um tom gelado enquanto permanecia de pé.

“Eu quase havia descoberto a cidade. Além da Cordilheira Grito da Borda da Espada, eu quase encontrei a cidade perdida que havia sido formada dentro do território dos Lizardmens!”

“…”

“Eu realmente descobri a entrada! Se aquele covarde capitão mercenário não tivesse fugido naquele momento, eu estaria me gabando sobre como eu havia descoberto a cidade perdida!”

Ele desdobrou um pedaço sujo de papel depois de procurar nos bolsos. Acabou sendo um mapa desenhado à mão sob a luz. Foi mal organizado e difícil de ler o que o tornou mais um mapa áspero.

“Não é nada demais.”

Como Sungchul pensava, Bertelgia sacudiu vigorosamente o corpo do bolso de Sungchul. Sungchul pediu licença a Kruut e se dirigiu para a proa antes de falar baixinho com ela.

“O que foi?”

“Aquele mapa agora!”

“Hm?”

“Aquele mapa. Não é semelhante a esse outro? Aquele desenhado por Sajators.”

“Isso esta certo?”

Sungchul abriu o mapa desenhado na pele de Goblin e comparou-o com o que o velho segurava. Não havia nada semelhante a olho nu. Ambos foram desenhados sem escala e feitos em diferentes estilos. No entanto, os marcos importantes observados por ambos os mapas foram semelhantes.

Sungchul podia sentir essa enorme dor de cabeça que o incomodava há uma eternidade, começando a se resolver lentamente, à medida que ele começava a comparar seriamente os dois mapas. Ele encontrou vários pontos de semelhança. A rocha solitária, a corrente de água enferrujada, o habitat dos macacos brancos eram marcos que ele não conseguia localizar fisicamente apesar de todos os seus esforços, mas foram mostrados pelos dois mapas.

“Você desenhou esse mapa você mesmo?”

Sungchul perguntou a Kruut com um tom de voz ligeiramente diferente. Kruut assentiu vigorosamente.

“Eu desenhei tudo sozinho! Eu os procurei com meus próprios pés enquanto os desenhava.”

“Guie-me.”

Sungchul jogou no velho um saco cheio de moedas de ouro. O velho checou seu conteúdo antes de fazer um sorriso sutil, mas sacudindo a cabeça disse:

“Não será suficiente com isso.”

Sungchul entregou-lhe outro saco de moedas, mas o velho colocou três dedos.

“Vou formar uma equipe exploratória. Aquele com as melhores habilidades.”

“Eu não preciso de uma equipe.”

“Ahem! Que bobagem! Você não parece entender o terror dos lizardmens. Sem mencionar que você vai precisar de um guia especialista para atravessar a selva que constantemente mexe com suas direções cardeais.”

O velho defendeu apaixonadamente a necessidade de uma equipe exploratória em larga escala, com saliva voando pela boca. Enquanto ouvia suas falas incoerentes, Sungchul percebeu que o velho não tinha conhecimento sobre a selva. Kruut era nada mais que um empregador veterano do que um explorador veterano.

‘Não pode ser ajudado.’

Ele tinha muito dinheiro. Sungchul estabeleceu a condição de manter seu envolvimento financeiro em segredo antes de concordar com o pedido de Kruut.

Dois dias depois, Kruut apareceu diante da Casa do Imperador vestindo um casaco chique em vez de seu habitual pano. Ele ficou diante de dois mercenários em forma e levantou a voz para o seu anúncio antes de todos os que o observavam.

“Agora vou reunir membros para a 12ª expedição de Kruut. Aqueles que se consideram excelentes deem um passo à frente!”

Bertelgia, que assistia a essa cena por trás, fez um comentário amargo.

“Eeeh… ele fez esse absurdo mais 11 vezes? Não admira que ele tenha quebrado.”

Houve uma súbita tempestade se formando no distante Reino Antigo quando Sungchul estava formando sua equipe exploratória com Kruut. O Reino Antigo, localizado na porção noroeste do continente, tinha uma longa história como uma grande potência. A designação oficial do país é ‘Reino’.

A razão pela qual o Reino Antigo enfatiza a designação de Reino é porque o primeiro rei da história registrada, o Rei da Espada, subiu ao trono e formou o primeiro reino. O Reino adorou a espada e se distanciou da magia e gabou-se de seu poder em todo o continente com a formação de espadachins inatos conhecidos como Mestres da Espada. Eles haviam sido chamados de Reino quando eles construíram seu poder, mas quando eles se retiraram da hegemonia do continente, eles adotaram o nome de Reino Antigo para se diferenciar dos outros Reinos.

Neste dia, um convidado indesejável apareceu em Wuldmark, a capital desse Reino Antigo. Empunhando uma única espada de ferro enferrujada usada para zombar desse reino de espadas, esse homem obstruiu a estrada principal que levava à capital e começou a cortar tudo o que chamava sua atenção.

Primeiro foi assumido como sendo nada mais do que uma comoção causada por um homem louco. Mas uma vez que um mestre espadachim da Guarda Real, o orgulho do Reino Antigo, foi cortado pela espada do homem, o capitão da Guarda Real Ghenghis Aaron enviou urgentemente pedidos de reforços de todos os cantos do mundo. O aviso que ele havia enviado era o seguinte:

[Um dos Sete Heróis apareceu em Wuldmark.]

Cada país que estava chocantemente unido na defesa de sua classe dominante imediatamente enviou reforços para Wuldmark. Quando uma frota inspiradora de dúzias de aeronaves chegou acima da capital do Reino Antigo e começou o bombardeio quando milhares de soldados de elite se moveram para cortar as rotas de fuga, o espadachim desconhecido desapareceu sem deixar vestígios. Sua identidade permaneceu em segredo até o fim, mas os comandantes de alto escalão que ele enfrentou lembraram seu nome. Um nome que uma vez foi pronunciado com reverência, mas agora com repulsa.

“Dragoman dos sete heróis. Aquele que atingiu o pico da espada apareceu na capital do Reino Antigo.”

A opinião sobre a identidade do homem como Dragoman não era unânime, mas o fato de ele ser um dos Sete Heróis não tinha dúvidas.

Dentro de uma caverna escura.

Era um lugar frio e úmido onde a água turva infundida com depósito de cálcio se derramava como cascatas e as estalactites refletiam luzes fracas enquanto obstruíam a linha de visão. Um homem entrou na cachoeira para lavar suas roupas encharcadas de sangue e, em seguida, prosseguiu para uma área mais profunda da caverna. Uma voz de mulher o saudou como se estivesse esperando por ele.

“Como foi Dragoman? A resistência daqueles que vivem no presente? Não foi tão fácil como você pensou que fosse?”

Uma mão branca e pálida tocava uma harpa. Era uma peça sombria e lúgubre.

“Eu poderia ter cuidado deles por conta própria, mas eu só saí por causa de algo que eu chamo de ‘ordens do capitão’.”

O homem referido como Dragoman retirou a espada enferrujada de sua bainha. A lâmina estava encharcada de muito sangue, mas o sangue gotejando desapareceu completamente pouco depois. A lâmina havia bebido o sangue por conta própria.

“O julgamento do capitão é calculista. Não há necessidade de revelar nossa força até o momento. Há um potencial inesperado entre esses mortais; assim como foi para nós.”

A mulher parcialmente velada pela escuridão falou em uma voz encantadora. Dragoman simplesmente zombou com uma expressão infeliz no rosto.

“Que absurdo.”

“Nós também não temos essa ferramenta brilhante feita por aquele garoto?”

A melodia da harpa parou. A mulher que tocava harpa virou a cabeça e olhou para trás. Do outro lado dessa enorme caverna, havia uma figura escura tomando espaço sob uma luz fraca. Era algo massivo com uma presença opressiva que não se acreditava ser feita por mãos humanas.

Comentários