MCHHS: Capítulo 65


Capa MCHHS

Main Character Hides His Strength

Autores: Road Warrior (로드워리어)
Tradutor: Pyown

Aqueles Que Engoliram Namak (2)

Boom! Boom!

Sungchul continuou da mesma maneira que fez no primeiro andar. No entanto, ele notou algo diferente em comparação com as paredes do primeiro andar enquanto ele trabalhava. Havia ossos que pareciam pertencer a algum animal ou até mesmo humano.

Uma pilha de ossos surgiu entre a parede de tijolo e argamassa. Considerando que mais do que alguns ossos estavam saindo, Sungchul não pôde deixar de ser curioso.

Ele parou de trabalhar por um momento para olhar a superfície de onde ele quebrou a parede. Havia inúmeros esqueletos empilhados dentro. Sungchul segurou a superfície com a mão e facilmente a separou, e quando o fez, descobriu um esqueleto que conseguia manter sua forma original intacta.

“…”

As pupilas de Sungchul encolheram. Esses eram esqueletos humanos presos entre as paredes. Eles não eram da raça aviária. Talvez, eles foram enterrados vivos enquanto construíam esse calabouço. Não foi apenas uma ou duas pessoas, mas milhares a dezenas de milhares de pessoas que compunham esse cemitério.

Sungchul finalmente disse: “Parece que os Nahak foram uma raça bastante cruel.”

“Segundo a lenda, os Nahak eram conhecidos por serem uma raça arrogante e cruel. Mais do que tudo, eles não tinham um pingo de misericórdia para as outras raças. Esses cadáveres provavelmente foram escravos.”

Bertelgia voou sobre o esqueleto intacto e explicou o que ela sabia.

“Mesmo se fosse esse o caso, eles faziam algo inimaginável; enterrando todas essas pessoas vivas dentro de uma parede. Aqueles cérebros de passarinho.

“Por que eles fizeram isso?” Perguntou Sungchul. Havia uma fúria suave sob sua voz.

“Não poderia ser para reunir seu poder mágico? Você sabe, usando sua dor e angústia como alimento?”

“Eu realmente gostaria de ver um Nahak vivo.”

Sungchul apertou o martelo enquanto murmurava. Seu trabalho começou novamente. A parede caiu e os esqueletos foram derramados no chão. Isso repetiu várias vezes até chegar ao final do segundo andar. Sungchul encostou as costas em uma rocha e descansou um pouco. Fazia um tempo desde que ele havia usado sua força assim, e ele estava com um pouco de fome.

“Devo fazer uma refeição?”

No entanto, esse não foi um bom lugar para comer. Sungchul não comia em qualquer lugar.

Ele voltou para o caminho que ele havia criado, mas depois testemunhou uma ocorrência estranha ao longo do caminho. Algo estava encolhido na escuridão distante, comendo os ossos no chão.

Crunch. Crunch.

Bertelgia enrijeceu o corpo ao som definido de mastigação de ossos vindo de longe.

“Uuu… O que é dessa vez? Eu realmente quero sair daqui agora.”

Sungchul foi até a criatura em questão sem outra palavra. A criatura levantou a cabeça quando Sungchul se aproximou, depois soltou um grito estridente.

“Kiiiii— !!”

Era um som que não era nem humano nem bestial, mas quase mecânico por natureza. Sungchul reconheceu as complexidades do som, mas se concentrou mais na aparência da criatura. Parecia bastante humano, mas a pele era pálida, e o rosto era tão grotescamente e distorcido que era difícil olhar sem fazer caretas.

As características mais marcantes da criatura eram os espaços vazios onde os olhos deveriam estar e as fileiras do que deveria ser chamado de dentes. Os dentes cresceram aleatoriamente e caoticamente por toda a boca, e alguns até perfuraram e saíram do tecido do rosto.

“Hiii…”

Bertelgia caiu do ar como se tivesse desmaiado quando viu a aparência hedionda do monstro. Sungchul levantou-a do chão e colocou-a no bolso antes de encarar a criatura.

“Suma daqui.”

Mas a criatura não se moveu. Deixou escapar um grito monstruoso e atacou-o

Wham!

Seu martelo destruiu o crânio da criatura e enviou-o voando de volta para a escuridão. Os dentes quebrados se espalharam e fizeram sons estridentes quando caíram no chão.

“…”

Sungchul olhou para a escuridão. Um número incalculável dessas criaturas se aproximavam desse local; silenciosa e furtivamente.

Sungchul brevemente levou um momento para criar estratégias. A questão era se matar todos os monstros que vinham ou simplesmente se retirar daqui. No final, ele escolheu apagar sua presença e retirar-se deste lugar. Ele estava se sentindo um pouco faminto, e isso poderia reduzir seu apetite há muito esperado lidando com os monstros grotescos. Ele colocou as criaturas reunidas atrás dele e subiu de volta pelo buraco que ele havia criado antes. Havia vários membros da unidade exploratória vagando do lado de fora do buraco. Quando viram Sungchul, fizeram uma pergunta surpresa.

“Q-quem é você?”

Sungchul olhou para todos os rostos deles. Havia cinco ao todo. Um grupo composto por dois magos e três soldados. Ele não podia ver Mikhael ou Mimi. Sungchul apontou para o pedaço de tecido preso a ele e depois falou.

“Eu sou o Número 34.”

“Número… 34? O que você está fazendo aqui em um lugar como esse?”

“Acabei de descer porque vi um buraco. Algumas coisas divertidas parecem estar rastejando por aqui.”

“Algumas coisas divertidas? Você está falando sobre os esqueletos dos Nahaks?

Sungchul sacudiu a cabeça.

“Os monstros eram cegos e tinham uma forma humanoide, rastejando em massa…”

Os rostos dos membros da unidade exploratória que ouviram as palavras de Sungchul fizeram caras azedas.

“Parece que ele viu os Elfos das Cavernas.”

“Elfos das cavernas?”

“Bem, eles já foram existências conhecidas como Elfos das Cavernas para ser exato. Sua raça foi escravizada e brutalmente explorada pelos Nahaks, mas depois de sua extinção, são os Elfos das Cavernas que controlam o calabouço agora. Eles são fortes, persistentes e inteligentes. Eles são extremamente perigosos.”

Foi nesse momento que um grito estridente soou.

“Kiii!”

Foi o grito dos monstros cegos. Os membros da unidade exploratória ficaram pálidos como lençóis e correram para deixar o local.

“V… vamos voltar rapidamente. Batedores, voltem, estamos todos prestes a morrer!”

Os membros da unidade exploratória desapareceram na escuridão como se suas calças estivessem em chamas. Sungchul lhes deu uma pequena ajuda. Ele bloqueou o buraco com uma grande pedra apenas no caso das criaturas cegas passarem por ele. Depois de bloquear sua entrada pessoal, Sungchul continuou a seguir o caminho que ele criou.

O lanchinho do dia foi peixe. Sungchul pulou na água gelada com um arpão na mão. Havia enormes criaturas sombrias nadando na água sombria. Eles eram conhecidos como Peixes Demoníacos e eles viviam nos mares ao longo das linhas de frente do Reino Demônio. Eles eram tão grandes quanto um homem adulto. Um dos peixes descobriu Sungchul, abriu a boca e saltou em sua direção.

Stab!

O arpão perfurou sua testa. O sangue saindo de sua ferida se dissipou na água como fumaça. O peixe grande se contorceu uma ou duas vezes, mas quando o punho de Sungchul desceu sobre sua cabeça algumas vezes, desistiu.

Sungchul pegou o peixe enorme que era do seu tamanho apenas com os braços. Um enxame de tubarões que cheirava sangue na água começou a se reunir. Agarrou as guelras do peixe para arrancar a cabeça, que ele deu de comer aos tubarões, depois se dirigiu para a praia. Os utensílios de cozinha já foram mantidos preparados em terra.

“Ótimo. Pelo menos você é diligente em preparar comida.”

Bertelgia, que não conseguia consumir comida, falava assim enquanto se agitava no ar.

“…”

Sungchul tirou uma lâmina de seu Armazenamento da Alma. Pela luz azulada que emitia, tinha que ser alguma espada lendária. Havia um símbolo belamente gravado de um leão representando o império humano em suas garras. Foi um presente do Imperador que era cobiçado por todos os cavaleiros do Império Humano, mas para Sungchul seu uso era apenas para cozinhar. A lâmina de cor azul mergulhou nas escamas prateadas do Peixe Demoníaco, então balançou de uma maneira chamativa fazendo com que todas as escamas caíssem rapidamente. Quando o peixe foi descamado, Sungchul segurou o peixe e se dirigiu para a panela fervente.

Dentro da panela havia verduras secas, peixe, cogumelos e várias outras coisas para um caldo de sopa. Sungchul usou uma concha para provar o gosto.

“Mmm.”

O aroma foi adequado. Sungchul cortou uma fatia de carne do peixe, cortou finamente o papel e depois colocou-o em cima de um prato. Os pauzinhos apareceram de dentro do seu Armazenamento da Alma.

Ele pegou uma fatia de peixe, mergulhou-a brevemente na sopa fervente e colocou-a na boca. O sabor profundo da sopa, juntamente com o sabor rico do peixe derretia deliciosamente juntos em sua boca.

[O resultado dessa receita é… 63!]

A pontuação apareceu diante dos seus olhos, mas ele não se importou. Ele solenemente olhou para fora, observando a paisagem do Reino Demônio enquanto continuava sua refeição sozinho. Quando terminou com o aperitivo, Sungchul acrescentou macarrão seco à sopa de peixe que foi deixada a ferver e começou a ferver a panela.

Uma vez que o macarrão amoleceu, Sungchul moveu-o para uma tigela e despejou a sopa em cima. Soprando no macarrão fumegante, ele engoliu em seco.

“Mmm.”

Tinha um ótimo sabor. Ele podia sentir sua mente e corpo sendo revigorados.

“A dedicação à comida. Mesmo. Toda refeição.”

Quando a refeição terminou, Bertelgia começou a fazer cara feia como se estivesse esperando por ele o tempo todo.

“É importante comer bem.”

Sungchul pegou o peixe meio comido pela cauda e jogou-o na direção do oceano. Ele espirrou na água e fez algumas ondas. Ele então apagou o fogo debaixo de sua panela e lavou seus pratos no oceano. Foi uma experiência maravilhosa cozinhar, mas lavar a louça era sempre tedioso. Sungchul não gostava particularmente de fazer isso.

“Eu gostaria de ter um familiar para limpar meus pratos.”

Sungchul murmurou para si mesmo enquanto limpava a penela e a colocava em seu Armazenamento da Alma.

“Hmph! Do que você está falando?! Eu sou uma senhora privilegiada que nunca sujou os dedos com as tarefas da vida!”

“Isso realmente não soa como algo para se vangloriar.”

“Mantenha um ou dois homúnculos se quiser alguém por perto para lavar a louça.”

“Eu não tenho um hobby de manter por perto essas coisas barulhentas.”

“Que tal um Elfo das Cavernas? Acho que eles ficarão quietos enquanto não estiverem gritando.”

“Bem … Esses monstros podem ser preferíveis a um homúnculo quando se trata de barulho.”

Sungchul de repente se lembrou da mulher cercada dos cinco homúnculos. Ela possuía o título de Capitã da Unidade Exploratória, mas ela era simplesmente uma marionete. A autoridade real parecia ser mantida pelo filho de Willie, Mikhael.

‘Aquela mulher. Seus olhos eram ferozes.’

Ele ainda tinha visto suas habilidades, mas para ser colocada como Capitã da Unidade Exploratória por Willie, pessoalmente, significava que suas habilidades seriam comparáveis ​​a um mago da corte. Alguém desse nível silenciosamente sofrendo insultos de um Mestre da Espada novato era inédito, e isso é mesmo depois de levar em consideração as características do Reino Antigo. Esse grupo estava fadado a ter problemas no futuro. Não que ele se importasse de um jeito ou de outro.

Sungchul, que satisfez sua fome, voltou para o calabouço. No entanto, o calabouço a que ele retornou mudou em vários aspectos. Os monstros cegos estavam agora presentes em todos os cantos.

“…”

Os monstros não podiam ver Sungchul que estava na frente deles. Eles não tinham olhos. Em vez disso, os monstros diferenciavam objetos através do som e do cheiro.

“Sniff sniff!”

O nariz arrebitado dos monstros começou a cheirar o ar. Sungchul passou por eles como um fantasma e se dirigiu para a entrada do segundo andar. A pedra ainda estava no lugar onde ele estava. Isso significava que nada havia saído por esse buraco.

Sungchul mudou seu caminho para descer as escadas. Havia uma grande quantidade de Elfos das Cavernas ficando ao redor das escadas. Ele passou silenciosamente para o segundo andar. Quando chegou ao segundo andar, descobriu por que os Elfos das Cavernas haviam sido arrastados para o primeiro andar. Foi porque a porta preta imóvel tinha sido aberta. Havia uma marca esférica de Nahak colocado no buraco. A marca esférica de Nahak emitia uma luz brilhante quando estava em cima do altar.

Quando Sungchul tirou o símbolo de Nahak do altar, a porta da obsidiana imediatamente se fechou novamente. Ele guardou o símbolo no bolso e começou a refletir sobre uma questão.

“Quem acabou de abrir essa porta?”

Nada foi confirmado. Foi nesse momento que um grito alto começou a se intensificar no andar de cima.

Comentários