MCHHS: Capítulo 69


Capa MCHHS

Main Character Hides His Strength

Autores: Road Warrior (로드워리어)
Tradutor: Pyown

Tumba do Rei Aviário (3)

Podemos nos tornar fadas se cruzarmos além dessa porta -yeyo?”

“Podemos tirar esses elmos pesados ​​e fedidos quando nos tornarmos fadas -yeyo! Eu quero rapidamente me tornar um senhor que governa os humanos -yeyo!

“Senhorita Mimi! Vamos ignorar esse humano e continuar por esse caminho -yeyo!”

Os Homúnculos começaram a gritar animadamente. Mimi bateu no chão com seu cajado e falou com raiva.

“Todos fiquem quietos.”

Em sua repreensão, os cinco Homúnculos engoliram em medo e ficaram calados.

“Peço desculpas. Meus familiares eram excessivamente barulhentos.”

Mimi deu um sorriso pretensioso enquanto dava um pequeno aceno em direção a Sungchul. Sungchul apontou para a porta de obsidiana.

“Você pode abrir essa porta?”

“Sim. Eu posso abrir a porta. Não só essa porta, mas também posso abrir as portas da antiguidade que estão além dessa porta. Esse será o meu presente pelo seu trabalho com aqueles malditos golems.”

Sungchul estendeu a mão para receber o símbolo que ele inseriu na fenda do altar.

[Aquele de sangue nobre, você pode entrar] 
[Sua Alteza aguarda impacientemente] 
[Para a restauração dos Nahak]

Os olhos da estátua aviária se iluminaram e a porta se abriu com um pequeno tremor.

“É bastante perigoso a partir do quarto andar. Eu te desejo sorte. Mesmo se nos encontrarmos na tumba do rei, vamos nos abster de lutar. Estamos buscando coisas diferentes.”

O som de botas militares foi então ouvido à distância. Sungchul e Mimi olharam para trás. Os Mestres da Espada do Reino Antigo e os membros sobreviventes da Unidade Suicida entraram no terceiro andar.

“Encontrem Mimi Azrael! Ela deve estar em algum lugar por aqui!”

O líder do grupo não era Willie Gilford, mas seu filho Mikhael. Ele estava cerrando os dentes.

‘Eu tenho que obter resultados desta vez; caso contrário, o pai dará meu direito de primogênito ao meu irmão mais novo e eu serei jogado ao relento.”

Willie Gilford teve três filhos. Todos eles haviam se tornado brilhantes Mestres da Espada, mas o relacionamento deles não podia ser considerado amigável. Era bem sabido que o segundo filho, Mikhael, era muito carente em termos de talento entre os três. Ele era inferior em todos os sentidos a seus irmãos; em caráter, em intelecto, e até em habilidade com a espada. Mikhael não era alguém que escutasse esses rumores, mas também podia sentir que a devoção e as expectativas paternas do seu pai estavam diminuindo nos últimos tempos. Ele havia se jogado nesse calabouço para recuperar seu valor. Para o calabouço, onde quase toda a expedição de poderosos guerreiros veteranos e magos do Antigo Reino quase foi eliminado.

“Mestre, não se apresse. Enquanto o Mestre Willie ficar na saída, Senhorita Azrael é apenas um rato em um canto. Não se apresse, rastreie-a com cuidado e você eventualmente poderá encontrar aquela maga.”

Mordomo Odrias era o único aliado de Mikhael. Mikhael, que era arrogante e hipócrita, assim como seu pai, ouvia a palavra do velho mordomo sem hesitação.

“Temos um convidado indesejado. Pode ser melhor nos dividir.”

Quando Mimi fez um gesto, um de seus Homúnculos murmurou um encantamento que os cobriu em uma névoa invisível. Ela usou uma magia de teletransporte dentro do nevoeiro e desapareceu para outro lugar. Seu destino não pôde ser determinado.

Sungchul também escondeu sua presença e se derreteu na escuridão. Uma escada em espiral que se estendia até o quarto andar esperava por ele. Sungchul desceu rapidamente para o quarto andar.

Quando chegou ao pé da escada, lampejos de luz de cor esmeralda brilhavam de todas as direções.

“Wow….”

Bertelgia não pôde deixar de sussurrar em admiração. Havia aglomerados de joias verdes alinhadas em todas as paredes ao longo do porão do quarto andar, incluindo o teto.

“Essas são pedras verdes da luminosidade. Elas são todas feitas inteiramente de Alquimia!”

Bertelgia falou enquanto examinava cuidadosamente as pedras verdes que emanavam luz diante dela. Sungchul caminhou lentamente pelo corredor cheio de luzes esmeralda até notar algo à sua frente. O que quer que fosse, estava esperando por ele. Sungchul parou seus passos e falou para mais abaixo no corredor.

“Quem é você? Revele-se.”

Ao ouvir sua voz, uma figura sombria apareceu além das luzes brilhantes. Uma pitada de curiosidade brilhou em seus olhos. O que apareceu na frente dele foi algo inesperado. Uma criatura cega; um Elfo das Cavernas apareceu diante dele. Tinha uma aparência diferente dos Elfos das Cavernas que Sungchul tinha visto antes, usando um anel feito de bicos e um vestido decorado com penas. O Olho da Verdade de Sungchul, seu Contrato de Alma, se ativou.

“É uma ilusão?”

O que apareceu diante dele era uma ilusão de um Elfo das Cavernas, mas não era apenas uma simples ilusão; Ele respirou e soltou um fedor horrível. Foi um feitiço que ele ainda não havia encontrado.

Sungchul terminou suas conclusões da situação enquanto falava olhando diretamente para o Elfo das Cavernas.

“Eu disse para revelar sua identidade.”

Quando Sungchul falou mais firme, o Elfo das Cavernas balançou o cajado e abriu a boca.

“Kii… Eu não vim para lutar…”

Surpreendentemente, o Elfo das Cavernas falou na linguagem do Outro Mundo. Sua vocalização era arejada e o tom da sua voz soava metálico por isso era difícil de entender, mas o Elfo das Cavernas sem dúvida falava a linguagem comum deste mundo.

Sungchul olhou para o Elfo das Cavernas e falou em voz baixa.

“Qual é o seu propósito então?”

“E-eu… testemunhei completamente… sua força. Você é alguém… que nunca poderíamos nos opor… apesar disso… você não pode ir mais longe…”

“Diga a razão, cego.”

O Elfo das Cavernas tremeu como se estivesse com medo e falou com grande dificuldade em uma voz metálica trêmula.

“Além daqui… está… o rei das penas e dos bicos…”

“Rei? O rei dos aviários?”

“I-Isso… isso mesmo… O rei maldito… que não só enterrou vivo… milhões da minha espécie… mas engoliu sua própria espécie…”

“Você está dizendo que o Rei dos Aviários ainda vive?”

O Elfo das Cavernas que não estava familiarizado com a pergunta de Sungchul murmurou algo não entendível. Nem mesmo Sungchul conseguiu discernir um significado. Quando esse murmúrio indecifrável chegou ao fim, o Elfo das Cavernas continuou a falar lentamente.

“O Rei… das Penas e dos Bicos… Nem mesmo você… pode se opor a ele… Ele já superou… os limites mortais… e entrou… no reino dos semideuses… Se… essa coisa for despertada… grande desastre… acontecerá a nó…”

Essas foram as palavras finais do Elfo das Cavernas. Depois de falar, o Elfo das Cavernas desmoronou e seu corpo inteiro subiu em fumaça negra. Outro Elfo das Cavernas com uma aparência diferente estava caído em seu lugar quando a fumaça havia desaparecido.

“Ele deve ter lançado uma magia ilusória em um corpo vivo de seus parentes.”

Era magia que ele nunca tinha ouvido falar. Poderia ser a magia secreta passada entre os Elfos das Cavernas da era antiga esquecida no passado. Os Elfos das Cavernas devem estar desesperados para usar essa magia para advertir Sungchul.

É uma coisa bastante incomum. O rei dos aviários ainda poderia estar vivo, de acordo com o que os Elfos das Cavernas tinham dito, mas Mimi não havia dito uma palavra sobre isso.

Ele não conseguia determinar qual lado estava mentindo, mas coisas assim não incomodavam Sungchul. Enquanto houvesse uma maneira de ganhar mais poder, ele não tinha escolha senão avançar. Sungchul apagou todas as suspeitas de sua mente e caminhou adiante. Um novo inimigo logo bloqueou seu caminho. Eles eram os cadáveres dos aviários mumificados. Eles tinham uma aura sinistra em torno deles que era incomparável à emitida pelo enxame de esqueletos que passou no primeiro andar. Sungchul podia sentir o frio de uma magia negra insidiosa nesses cadáveres.

Cassandra, a arma demoníaca, fez outra aparição do Armazenamento da Alma.

Fwick!

O golpe pesado do chicote deixou os cadáveres em pedaços.

Naquele mesmo momento, outra batalha estava acontecendo em algum lugar próximo. Sungchul podia ouvir uma explosão bem perto junto com o grito dos Homúnculos. Ele se dirigiu para o barulho.

Mimi olhou para os cadáveres frouxos dos aviários com um olhar frio. Não havia um arranhão nela, mas ela não estava sem perdas. Um dos Homúnculos perdeu a perna e rastejava pelo chão.

“Senhorita Mimi… Senhorita Mimi… deixe para trás este Chefe de Investigações Ujira! Eu não posso continuar.”

O Homúnculo se arrastou em direção a Mimi quando sangrou do seu membro decepado e sussurrou em voz baixa enquanto pegava sua saia. Mimi parecia hesitante, mas logo decidiu.

“Eu sinto muito.”

Mimi olhou para o outro Homúnculo.

“Novo Chefe de Investigações Ujichu! Você estará lançando o véu dessa vez.”

Ela desapareceu na escuridão com os outros quatro Homúnculos.

Quando a presença deles se desvaneceu, Sungchul aproximou-se do Homúnculo que perdeu a perna. A máscara de ferro que cobria o rosto do Homúnculo tinha sido esmagada, revelando uma parte de seu rosto horrivelmente distorcido. Ao ver isso, Sungchul começou a se perguntar se esses Homúnculos haviam sido formados por algum outro método além daquele com o qual ele estava familiarizado.

“Homúnculo aprimorado… pobrezinho.”

Bertelgia falou em uma voz triste. O Homúnculo que ouviu sua voz olhava na direção de Sungchul.

“Por que você está olhando para mim -yeyo? Você talvez esteja com pena de mim mesmo que você seja apenas um humano -yeyo?”

O Homúnculo revelou uma atitude completamente oposta, cheia de hostilidade e agressividade de quando falava com Mimi.

“…”

Sungchul não repreendeu e jogou uma atadura para a criatura. Era um utensílio de cura barato.

“Eu não preciso dessas coisas -yeyo! Eu não preciso de piedade barata -yeyo!”

Os olhos arrepiantes do Homúnculo revelados através da máscara de ferro amassada começaram a se contrair, mas o homúnculo aplicou o utensílio em direção ao ferimento crítico. Deve ter sido uma dor insuportável quando soltou um grito peculiar de agonia.

“Te-eeeee !!!”

Depois de aplicar o utensílio, o homúnculo começou a rastejar apressadamente para a escuridão com seus dois braços.

“Eu devo… devo retribuir a Senhorita Mimi por nos dar a vida yeyo… eu devo…”

Mais resmungos podiam ser ouvidos do incansável Homúnculo que desapareceu na escuridão. Sungchul deixou a cena.

Na frente do calabouço, havia incontáveis ​​cadáveres aviários à espreita. Essas existências vazias de um tempo antigo não tinham pensamentos nem medo, pois tinham suas almas roubadas por meio de alguma magia negra sinistra. Eles só sabiam exterminar qualquer um que se atrevesse a invadir a tumba do seu rei.

“Não há fim neles.”

Ele poderia lutar contra eles o dia todo, mas perderia muito tempo. Ele decidiu mudar seu método. Sungchul tirou Fal Garaz do seu Armazenamento da Alma. Ele segurava Cassandra a arma demoníaca na direita e Fal Garaz à esquerda.

Wham!

O martelo não atingiu os aviários, mas a parede de pedra. A parede desmoronou para abrir um caminho que permitia incontáveis ​​mais aviários a avançarem contra ele.

Fwick!

Cassandra, a arma demoníaca, dividiu o ar com um som ensurdecedor. Dezenas de cadáveres foram despedaçados no ar quando foram atingidos pela força opressiva do chicote.

Wham!

Quando o chicote desceu no bando, ele derrubou outra parede. Outro bando de aviários apareceu, e Cassandra chiou para desmontar seus inimigos mais uma vez. Sungchul repetiu esse processo até ter náuseas. Finalmente, ele se deparou com o que parecia ser o fim desse processo aparentemente sem fim. Uma sala quadrada equipada com uma magia destrutiva apareceu diante dele. Ele cuidou rapidamente de todos os cadáveres de aviários correndo em direção a ele e parou diante dessa sala. Uma mensagem de letras brilhantes apareceu diante dele.

[A Tumba do Rei Imortal.] 
[Derrame o sangue quente dos Nahak] 
[Só assim o Rei responderá ao seu chamado]

Os olhos de Sungchul tremeram. Foi porque a tumba do rei estava pedindo o impossível. Os Nahak já estavam extintos. Não havia nenhum Nahak vivo ainda.

Comentários