Primeiro capítulo da história. Esse capítulo não foi revisado, então caso encontrem algum erro ou uma parte que não dê para entender, deixe nos comentários.

Aproveitem a leitura! =)


 

143e55ff1f6c9dfc

› Encontros ‹

 

Após uma semana da partida de Ângelo, ele já estava chegando à primeira das quatro cidades que tinha em seu caminho.

Ele pretendia pedir uma carona nesta cidade, para que chegasse o mais rápido possível ao reino.

Ele teve alguns encontros desagradáveis com monstros, mas nada que ele não pudesse lidar.

Quando chegou na cidade, foi direto a um local onde caronas eram oferecidas constantemente.

“Indo para cidade de Boreas, apenas 10 RuP!”

“Sou um aventureiro que está indo rumo ao reino, alguém disposto?”

“Indo para Nefa, 50 RuP, caso for um aventureiro terá um desconto!”

Havia diversas pessoas naquela região pedindo e oferecendo carona. Ângelo já tinha visitado a cidade quando pequeno, mas não era tão movimento como agora.

Ângelo — (Heeh… Quanto barulho) – pensou enquanto suspirava.

Ângelo começou a pensar o porquê de ter mais gente ali do que era de costume.

A resposta apareceu para ele assim que virou seu olhar para outra direção. Ele via um prédio gigante de dois andares, com uma placa enorme escrita “Guilda dos Aventureiros”.

Ângelo lembraria se existisse algo daquele tamanho quando visitou a cidade pela primeira vez.

Curioso com o tanto de pessoas que entravam e saiam daquele prédio, ele foi se aproximando. Quando de repente um senhor com cabelos negros e uma altura de quase 2 metros o abordou.

Senhor — Hei garoto, vejo que você está interessado na guilda dos aventureiros. Você por acaso gostaria de se tornar um?

Ângelo se assustou com a chamada repentina, dando um pequeno pulo para traz. Mas depois de algum tempo ele percebeu que o senhor, mesmo tendo um porte físico exageradamente grande, continha uma face gentil e serena.

Ângelo— Ah… Na verdade eu só fiquei curioso. Minha irmã havia me dito que aventureiros, dependendo de seu rank, poderiam ter alguns privilégios. Perguntei-me se deveria partir direto ou me registrar como aventureiro e passar a noite na cidade.

Já estava tarde àquela hora. Caso Ângelo resolvesse se registrar na Guilda dos Aventureiros, tomaria um bom tempo e teria que passar a noite na cidade.

Senhor — Bom recomendo que passe a noite, os donos de carroça não costumam viajar de noite e aqueles que viajam cobram um preço um tanto quanto elevado devido ao risco.

Ângelo — Se é assim irei ficar aqui por hoje.

Senhor — Isto é ótimo. Antes que eu me esqueça, meu nome é Kaito, sou responsável pela guilda desta cidade. Acompanhe-me irei leva-lo até a recepcionista para que possa se registrar.

Ângelo — Meu nome é Ângelo Von Breno, mas pode me chamar apenas de Ângelo.

Ângelo então acompanhou Kaito até a recepcionista. Ao entrar na guilda, Ângelo se deparou com diversos homens. Alguns musculosos trajando armaduras pesadas e outros franzinos vestindo apenas roupas de couro comum. Também havia mulheres, bonitas com rostos esbeltos, trajavam o mesmo tipo de armadura que os homens, só que mais provocativo.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

                Ao chegar à recepção, Kaito deixou Ângelo aos cuidados da Recepcionista. A recepcionista tinha cabelos e olhos Escarlates, com uma pele um pouco mais escura que a de Ângelo.

A recepcionista que estava admirada pela beleza de Ângelo se apresentou, demonstrando seu lado profissional.

Recepcionista — Olá, meu nome é Mirene, sou uma das recepcionistas da guilda. Em que posso ajuda-lo? – disse em um tom encantador – .

Ângelo — Olá, eu gostaria de me tornar um aventureiro – falou sem reação ao charme da recepcionista –.

A recepcionista mesmo tendo ficado abalada por seu charme não funcionar, explicou o procedimento de inscrição a Ângelo.

Mirene — A taxa para inscrição é de 1 RuP , preencha esses papéis com as informações que são pedidas. Caso queira evitar o desconforto de ter seu nome em público, você pode colocar na área de “apelido” como você gostaria de ser chamado, mas não é obrigado a colocar um apelido.

Ângelo pagou a taxa e começou a preencher a inscrição, então fez uma pergunta rápida à recepcionista.

Ângelo — Posso escolher qualquer apelido? – disse com uma expressão pensante –.

Mirene — Sim, você pode. – Mirene respondeu com uma voz sexy, tentando seduzir Ângelo –.

Ângelo corou e terminou de preencher rapidamente. Mirene deu um pequeno sorriso ao ver sua reação.

Ângelo entregou sua inscrição evitando contato com os olhos de Mirene.

Mirene — (“Pequeno anjo”? É assim que ele quer ser chamado? Que fofo!) – pensou Mirene enquanto examinava o papel.

Após Ângelo ter entregado a inscrição, Mirene seguiu adiante com o procedimento.

Mirene — Bom agora você irá colocar sua mão sobre essa bola de cristal. – disse ela tirando uma bola de cristal de baixo do balcão e pondo-a sobre a mesa–.

A bola de cristal tinha a mesma função da pedra que Ângelo viu quando pequeno, mas tinha uma pequena diferença, essa bola mostrava qual rank o aventureiro se encontrava e sua classe.

Ângelo colocou a mão sobre a bola e teve um sentimento nostálgico ao ver a mesma luz. Porém desta vez a luz estava divida em duas cores. A segunda cor ,que antes não existia, tinha uma intensidade mais forte. Um roxo sombrio como o de sua irmã.

Ângelo olhou para Mirene e viu sua expressão de surpresa, curioso com o que poderia ser pergunto a ela.

Ângelo — Algo de errado senhorita Mirene?

Mirene saiu de seu transi e voltou seu olhar para Ângelo.

Mirene — Ah! Desculpe-me, é porque é raro ver um jovem ter mais de um atributo hoje em dia.

Ao Mirene falar aquilo alguns olhares se voltaram para Ângelo, impressionados como um garoto que aparentava ser indefeso podia conter dois atributos mágicos.

Mirene — Me desculpe! Acebei deixando escapar. – disse em um tom de arrependimento–.

Ângelo — Tudo bem acontece. – falou dando um pequeno sorriso.

Mirene ficou encantada ao ver o sorriso de Ângelo, a perdoando por uma atitude errada.

Mirene — Continuando… As informações que são mostradas aqui são apenas para o registro da guilda. Você receberá uma ‹ TAG › que contém suas informações. Por favor, pingue seu sangue sobre essa ‹ TAG › – disse ela mostrando uma agulha na direção de Ângelo –.

Ao fazer o que Mirene tinha pedido, Ângelo sentiu um pequeno fluxo de magia reagir ao seu sangue quando se encostou à ‹ TAG ›.

Mirene — Parabéns “Pequeno anjo”, você acaba de se tornar um aventureiro. – disse Mirene sorridente – Você prefere que eu lhe explique quais são seus benefícios de forma breve ou um papel com tudo explicado?

Ângelo — Há alguma forma de que eu possa obter os dois? – disse ele meio encabulado –.

Mirene — Claro! Com o cargo de aventureiro você pode ter acesso a locais onde pessoas comuns não poderiam entrar, basta apenas mostrar sua ‹ TAG ›, mas não são todos os lugares que você pode entrar, tudo depende do seu ranque. Para aumentar seu ranque você pode aceitar missões ou caçar alguns monstros e trazer partes que dê para reconhecer o monstro, além de que você recebe certa quantia enquanto aumenta seu ranque. Basicamente é isso, há trabalhos por fora da guilda, mas lembre-se de não violar os termos do contrato de Aventureiro–Guilda, você perderá sua ‹ TAG › e dependendo do ato cometido pode ser preso. O resto está neste papel – disse ela entregando um papel junto ao contrato para Ange –.

Ângelo estava com uma expressão que de havia entendido tudo, estava a caminho da porta, até que uma última pergunta surgiu.

Ângelo — Desculpe o incomodo, mas onde posso encontrar uma pousada?

Mirene — Ao sair do salão da guilda, vire à direita e continue seguindo naquela rua. Você irá encontrar uma pousada com o nome de “Canto de Héstia”, diga que Mirene da Guilda dos Aventureiros recomendou o local e elas te darão um desconto. – disse sorrindo –.

Ângelo — Obrigado Mirene, agradeço por deixar-me usar seu nome. –disse com um sorriso retribuindo o de Mirene –.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

                Ângelo se retirou do salão da guilda e seguiu as instruções de Mirene. Ele conseguiu achar a pousada com facilidade, já que ela tinha uma placa enorme com o nome e o desenho de uma fogueira.

Entrando na pousada, Ângelo pode ver quase a mesma cena que viu  ao entrar na pousada, só que dessa vez também tinham viajantes comuns e até alguns jovens que aparentavam ser nobres.

Ângelo se dirigiu a recepção para pedir por um quarto, um evento inesperado aconteceu, quando ele foi pedir pelo quarto ele pôde escutar outra pessoa com uma voz mais aguda recitar a mesma frase.

Ângelo e ??? — Com licença, eu gostaria de um quarto!

Os dois se encararam por um tempo. Ângelo ficou admirado com a beleza da garota, ela tinha cabelos dourados e olhos beges como os de Ângelo. Um puro caso de coincidência.

Uma moça com um crachá em seu peito se aproximou.

Moça — Vocês estão juntos?

Ângelo e ??? — N-não!  – disseram em sincronia envergonhados com a pergunta  –.

Ângelo — Eu vim através de uma recomendação da guilda pela recepcionista Mirene.

Moça — Mirene? Bom nós estamos lotados e temos apenas um quarto com uma cama de casal. Infelizmente não posso ceder o quarto para dois clientes. Como esse pequeno garoto disse ter sido enviado por Mirene, não posso negar seu pedido. Então.. sinto muito pequenina. – disse a moça em um tom de “to nem aí” –.

Ângelo viu uma pequena lágrima cair dos olhos da garota. Quando a garota estava passando pela porta de forma triste, Ange se sentiu culpado por aquilo e correu atrás da garota.

Ângelo — É… com licença, será que você não gostaria de dividir o quarto comigo? – Ângelo disse em um tom amigável –.

??? — Você nem me conhece, por que faria isso? – ela estava com uma voz chorosa –.

Ângelo — Isso é complicado… Bom qual o seu nome?

??? — Meu nome é Mayu.

Ângelo — Prazer Mayu, me chamo Ângelo, mas pode me chamar apenas de Ange. Agora que nos conhecemos, você gostaria de dividir um quarto comigo? – disse com um sorriso confortante em seu rosto –.

Mayu não resistiu a insistência de Ange e aceitou seu pedido.

Antes de irem para o quarto ele jantaram uma sopa servida pela pousada e conversaram sobre algumas coisas. Em uma dessas conversas, Ange descobriu que Mayu também era uma aventureira e que estava à caminho do reino de Mitaras.

Então eles combinaram de seguir viagem juntos.

                Enquanto Ângelo estava deitado ele pôde sentir algo volumoso tocando seu braço. Ele abriu os olhos vagarosamente para ver o que era. Ao abrir seus olhos viu que Mayu estava agarrada ao seu braço, esfregando seus seios contra ele.

Ângelo mesmo estando um tanto envergonhado, não queria acorda-la, pois ela parecia estar tendo um sonho agradável. Ele se conformou a situação e voltou a dormir. Ou pelo menos tentou….

Status Ângelo


Nome: Ângelo Von Breno

Idade: 15

Posição Social: Nobre

Título: Pequeno Anjo

Profissão: Aventureiro

Classe: ‹›

Rank: F

Habilidades: Esgrima; Artes Marciais; Sobrevivência; Vontade inabalável.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Notas Finais:

Espero que tenham gostado do capitulo.

›Escrito por: KooZ

›Revisado por: Não Revisado

›Formatado por: KooZ

Anterior› ‹Capítulos› ‹Próximo

Comentários