Revisado


 

Poderia ser este outro mundo?

Parte 1

 

Quando eu acordei, a primeira coisa que eu senti foi meus olhos sendo ofuscados.

 

A luz preencheu minha visão, e eu apertei meus olhos em desconforto.

 

No momento que meus olhos se acostumaram com a luz, eu encontrei uma jovem loira olhando para mim.

 

Uma linda garota. Não, uma linda mulher seria mais adequado.

 

(Quem é?)

 

Ao lado dela estava um homem com cabelo castanho, também era jovem, dando-me um rígido sorriso.

 

Um homem que aparenta ser forte e arrogante. Seus músculos eram surpreendentes.

 

Cabelo castanho, deve ser arrogante. Olhando para a sua aparência de DQN, ele é do tipo que você repudiaria. Porém curiosamente, eu não sentia que ele era desagradável.

 

Seu cabelo era de um tom castanho bonito , provavelmente porque não foi tingido, eu acho.

 

“—–XX—–XXXX”

 

A mulher abriu um sorriso enquanto me olhava e disse alguma coisa.

 

(O que ela está dizendo?)

 

Me sinto confuso, eu não podia ouvir claramente, e eu não entendi nada.

 

(Será que não é japonês?)

 

“——XXXXX—-XXX,” o homem respondeu com uma expressão suave.

 

(Sério, o que ele acabou de dizer?)

 

Eu não consigo entender nada.

 

“——XX—–XXX”

 

A voz de uma terceira pessoa veio de algum lugar.

 

Eu não podia vê-los.

 

Eu tentei sentar-se e perguntar-lhes: “Onde é este lugar, e quem são vocês?”

 

Mesmo se eu fosse um hikikomori, eu ainda não era um completo fracasso na comunicação.

 

Eu ainda podia fazer algo assim.

 

“Ah, Ah——”

 

Mas eu não sabia dizer se o que vinha de meus lábios era um gemido ou apenas uma respiração pesada.

 

Meu corpo não podia se mover.

 

Eu sentia o tato dos meus dedos e pulsos, mas eu não conseguia mexer a parte superior do meu corpo.

 

“XXX–XXXXX”

 

No fim, o homem me carregou.

 

(Isso é uma brincadeira, certo? Meu corpo pesa mais de 100 kg, e ele me levantou tão fácil…?)

 

Não, talvez eu estava em coma por dezenas de dias e isso acabou causando uma perca de peso corporal gigantesca.

 

Foi um grande acidente. Há grande possibilidade de que eu tenha perdido um braço ou uma perna.

 

(Um destino pior que a morte, hah……)

 

Naquele dia.

 

Esses eram meus pensamentos.

 

 

 

 

 

 

 

 

Parte 2

 

Um mês passou.

 

Parece que eu reencarnei. Eu finalmente percebi esse fato.

 

Eu tinha me tornado um bebê.

 

Eu confirmei enquanto me carregavam em seus braços, passamos ao lado de um espelho e eu pude me ver refletido.

 

Eu não sei por que eu ainda tinha minhas memórias do passado, mas não havia nada de ruim sobre tê-las.

 

Mantendo memórias depois de uma reencarnação qualquer pessoa já teve tais ilusões, no mínimo uma vez.

 

Mas eu não pensei que essa ilusão se tornaria realidade…

 

O casal que eu tinha visto quando abri meus olhos parece ser os meus pais.

 

Eles provavelmente devem ter uns 20 anos.

 

Claramente, eles eram mais jovens do que eu na minha vida passada.

 

Na perspectiva de alguém de 34 anos, estaria tudo bem em chamá-los de jovens.

 

Realmente me faz inveja que eles tenham filhos nessa idade.

 

Eu já notei isso antes, mas eu não pareço estar no Japão.

 

O idioma era diferente, os rostos dos meus pais não pareciam serem japonêses, e suas roupas até mesmo pareciam ser de uma vila.

<Hex – O que diabos isso significa. Neah n sei tbm>

 

Eu não pude ver nada parecido com um dispositivo eletrônico (a pessoa que usava um avental de empregada estava limpando com um pano), e os utensílios, taças, e móveis foram feitos grosseiramente de madeira.

 

Provavelmente não era, um país avançado e desenvolvido.

 

A luz não era fornecida por lâmpadas, mas com velas e candeeiros.

 

É claro que havia a possibilidade deles serem muito pobres e incapazes de pagar as contas de energia elétrica.

 

Talvez essa possibilidade fosse muito alta?

 

Eu pensei que eles sem dúvida tinha algum dinheiro, pois havia uma pessoa vestida como uma empregada doméstica.

 

Mas não seria de se estranhar se fosse uma irmã de um dos meus pais. Seria uma coisa normal ela fazer a limpeza.

 

Eu certamente queria recomeçar, mas vivendo em uma família que não podia sequer pagar as contas me deixou muito inquieto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parte 3

 

Meio ano se passou.

 

Ouvindo as conversas dos meus pais durante esse último semestre, eu tinha começado a compreender as coisas pouco a pouco.

 

Minhas notas em inglês não poderia ser consideradas boas, mas parece que é verdade que a aprendizagem pode ser uma coisa muito lenta quando fortemente influenciada por uma língua nativa. Ou será que a mente deste corpo era muito boa? Talvez era por causa da minha pouca idade, mas eu conseguia lembrar rapidamente as coisas.

 

Até esse momento eu era capaz de engatinhar.

 

Ser capaz de se mover é uma coisa maravilhosa.

 

Nunca me senti tão agradecido por ser capaz de me mover.

 

“Ele vai correr para outro lugar quando eu tirar meus olhos dele.” (Pai?)

 

“Não é bom que ele seja ativo? Eu estava tão preocupada por ele não ter chorado quando ele nasceu.” (Mãe?)

 

“Ele não chora agora de qualquer forma.” (Pai?)

 

Meus pais tiveram essa discussão quando eles me viram engatinhando por toda parte.

 

Eu estava em uma idade em que eu choraria alto quando estivesse com fome, afinal de contas.

 

Mas mesmo que eu tentasse segurar, as coisas que saia de baixo ainda iria vazar para fora, então eu só deixava a vida seguir seu rumo.

 

Mesmo que eu só pudesse rastejar, no momento em que eu fiz isso, eu entendi um monte de coisas.

 

Primeiro de tudo, esta família era relativamente bem de vida.

 

O edifício era uma casa de madeira de dois andares, e havia mais de cinco quartos. Eles tinham uma empregada contratada.

 

No começo eu pensei que a empregada era a minha tia ou algo assim, mas sua atitude respeitosa para com os meus pais me fizeram perceber que ela não era da família.

 

O lugar era uma vila.

 

A partir das janelas eu podia ver uma paisagem, era uma paisagem tranquila de propriedades agrícolas.

 

As outras casas estavam espalhadas, e no lado dos campos de trigo eu podia ver duas, três famílias.

 

Era um lugar rural. Eu não conseguia ver nenhum fio elétrico, lâmpadas, ou qualquer coisa semelhante. Talvez não havia um gerador nas proximidades.

 

Eu tinha ouvido falar que os países estrangeiros colocavam seus fios no subterrâneo, mas se fosse esse o caso, seria estranho esta casa não ter eletricidade.

 

Era bastante rural. Foi doloroso para mim que fui empurrado pela onda da civilização.

 

Mesmo que fosse a reencarnação, eu ainda queria ter um computador.

 

Essa forma de pensar terminou em uma certa tarde.

 

Sem nada para fazer, eu subi na cadeira, como de costume, com a intenção de admirar a paisagem do campo. Quando eu olhei pela janela, fiquei chocado.

 

Pai estava balançando uma espada ao redor do pátio.

 

[que, hein? O que ele está fazendo?]

 

Meu pai continua manuseando aquela coisa em sua idade? Chuunibyou?

 

[Ah, merda….]

 

Devido ao choque, caí da cadeira.

 

Minhas mãos pequeninas agarraram a cadeira, mas elas não foram capazes de suportar o meu corpo e a parte mais pesada da minha cabeça bateu no chão primeiro.

 

“Kyaa!’ (Mãe)

 

Eu ouvi um grito assim que bati no chão.

 

Minha mãe me viu e deixou cair a roupa lavada, com as mãos sobre a boca, olhando para mim com uma cara muito pálida.

 

“Rudy! Você está bem!?” (Mãe)

 

Minha mãe correu até mim em pânico e me pôs no colo.

 

Ela me olhou nos olhos e colocou a mão sobre o peito, parecendo aliviada.

 

“…..Ufa, você parece bem.” (Mãe)

 

[Senhora, é melhor não mexer em alguém depois da sua cabeça receber uma pancada,] recordei a ela em meu coração.

 

Pela sua atitude ansiosa, parecia que eu tinha caído de uma forma bastante perigosa.

 

Tudo levava a crer que eu pudesse me tornar um idiota devido à batida na minha cabeça. Não que isso seria diferente.

 

Havia uma dor forte na parte de trás da minha cabeça. Pelo menos agarrando a cadeira fez com que diminuísse o impacto.

 

Como a reação de minha mãe não parecia está pânico eu assumi que não havia nenhum sangue. Foi, provavelmente, apenas um inchaço.

 

Mãe deu uma examinada cuidadosa em minha cabeça.

 

Sua expressão parecia dizer, se houver alguma lesão isso vai ser sério.

 

Finalmente, ela colocou a mão na minha cabeça,

 

“Para ser salvo……. Deixe o poder de Deus ser convertido em uma colheita abundante, e conceda a aqueles que perderam a sua força de vontade mais uma vez,『CURA』” (Mãe)

 

Eu quase explodi, (Ei, ei, isso é desse país [Dor, dor, vá embora rápido]?)

 

Ou será que, junto com meu pai empunhando uma espada, a minha mãe também era uma chuunibyou?

 

Casamento de um guerreiro e uma clériga?

 

Logo quando eu estava pensando nisso.

 

A mão da minha mãe emitiu uma luz pálida, e, em um instante, a minha dor desapareceu.

 

“Eh?”

 

“Veja, está tudo bem agora. Afinal, sua mãe era um renomada aventureira.” (Mãe)

 

Minha mãe disse de forma prepotente.

 

Eu mediatamente fiquei confuso.

 

Espada, guerreiro, aventureiro, cura, cânticos, clérigo. Todos estes termos ecoaram na minha cabeça.

 

O que foi isso agora? O que ela acabou de fazer?

 

“O que há errado?” (Pai)

 

Meu pai olhou da janela pelo lado de fora, quando ele ouviu o grito da minha mãe.

 

Seu corpo inteiro estava suado como ele se ele tivesse acabado de manusear sua espada.

 

“Escute-me, querido. Rudy na verdade subiu em cima de uma cadeira e quase ficou gravemente ferido.” (Mãe)

 

“Bem, bem, não é bom se um garoto não é ativo.” (Pai)

 

Uma mãe um pouco preocupada e um pai que não tratou como grande coisa e nem acalmou ela.

 

Esse é um evento comumente visto.

 

Mas, minha mãe não se afasta de mim, talvez devido à parte de trás da minha cabeça ter batido no chão pela primeira vez.

 

“Só um momento, querido. Nosso filho não tem nem mesmo um ano de idade. Será que você pode se preocupar um pouco mais!” (Mãe)

 

“Apesar disso, uma criança deve crescer e tem que cair para tornar-se resistente. Dessa forma ele vai se tornar saudável. Além disso, mesmo se ele esteja ferido, você não pode simplesmente tratá-lo?” (Pai)

 

“Mas eu estou realmente preocupada, eu continuo pensando nele ficando gravemente ferido e eu sendo incapaz de tratá-lo……” (Mãe)

 

“Ele vai ficar bem.” (Pai)

 

Meu pai disse isso e abraçou-a com força.

 

O rosto da minha mãe ficou vermelho.

 

“Eu estava preocupado quando ele não chorou no começo, mas se ele é tão impertinente, ele certamente vai ficar bem……” (Pai)

 

Meu pai beijou minha mãe.

 

(Ei, ei, vocês estão mostrando isso para mim de propósito certo? Vocês dois!)

 

Mais tarde, os dois me colocaram no quarto ao lado para dormir, e foram para o segundo andar, e começaram a tarefa de fazer para mim irmãos.

 

(Mesmo que vocês tenham ido para o segundo andar, eu ainda posso ouvir o barulho de nyan nyan, droga pessoas bem sucedidas offline…)

 

(Mas, magica hein…..)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parte 4

 

Mais tarde, comecei a prestar atenção nas conversas entre meus pais e a empregada doméstica.

 

E então eu ouvi um monte de termos não existia no meu vocabulário.

 

Especialmente os nomes de países, nomes de distrito, e vários nomes de locais.

 

Alguns nomes próprios que eu nunca tinha ouvido antes.

 

Talvez este lugar seja…

 

Não, eu tinha certeza disso.

 

Esta não era a Terra, mas algum outro mundo.

 

Um mundo diferente, que tem espadas e magia.

 

Neste momento, eu tive um lampejo de inspiração.

 

Se é neste mundo, talvez até eu possa alcançá-lo.

 

Se é um mundo de espadas e magia, um mundo desviado da minha vida anterior e que eu conheço o senso comum, talvez eu possa conseguir.

 

Viver como uma pessoa normal, trabalhar duro como uma pessoa normal, poder subir novamente se eu cair, viver a minha vida plenamente.

 

Eu estava cheio de remorso quando eu morri na minha vida anterior.

 

Morrer cheio de inquietação queimando sobre a minha impotência e o fato de que eu não tinha feito nada.

 

Mas o que eu experimentei de tudo isso,

 

Após ter mantido o conhecimento e as experiências da minha vida anterior, talvez eu pudesse realmente conseguir.

 

–Viver seriamente.

Comentários