Eae galera, foi mal a demora, vocês ainda se lembra da minha estoria né?
Tentarei postar mais frequentemente ok? Boa leitura.

 

Vamos começar a cumpri-la.

 

Eu fiz burrada.

Realmente, fui idiota, toquei em algo que não devia.

Consequência?

O garoto que tinha a habilidade de descobrir, não sei como, a localização dos monstros se foi.

E a possível recompensa por achar um filho de um nobre se foi também!

 

 

Já se passou um mês e alguns dias desde aquilo, e meu treinamento com o especialista acabou.

Por completar ele, pelo menos o professor me deu um presente de formatura.

Um cinto/bainha para minha adaga, com lugares para guardar facas e moedas. Assim como um conjunto de facas, que antes mencionei que queria comprar.

Posso dizer que estou muito melhor do que antes. Minha habilidade de rastreamento atingiu outro nível.

Ele me ensinou a rastrear as feras através do fluxo de mana que elas emitem!

Apesar de eu não ter nenhum elemento, todo ser vivo possui mana em seu corpo. Os fortalecedores são as pessoas que aprenderam a controla-lo.

Eu consegui na medida do aceitável. Também, o professor descobriu que eu sou extremamente sensível à mana, perfeito para mim, que não conseguia encontrar uma lebre em menos de uma hora.

E o que antigamente eu achava ser minha intuição, seria essa minha peculiaridade me guiando instintivamente para as plantas raras, que no caso continha mana.

Agora que aprendi a sentir melhor a mana, por vontade própria não instintivamente, consigo encontrar os monstros em cerca de dez minutos, assim aumentando minha renda diária, e consecutivamente elevando meu rank!

Fufufufu, eu sou demais!

Já tive a sorte grande de conseguir encontrar dois pequenos núcleos em uma lebre vermelha e uma chifruda, o que me deu uma boa renda!

Também, agora quase todos os grupos me querem por perto, já que sou uma ladina boa em combate, que pode detectar os monstros com mais facilidade e por ultimo, mas mais importante, sou extremamente bonita!

Agora, a melhor parte de tudo.

 

 

Eu posso comer tudo do melhor quando eu quiser! AAAAHAHAHA!

(imaginei muito ela agora colocando sua mão perto da boca e dando aqueles risos de ricas dos animes kkk)

Atualmente estou indo em direção do mercado de escravos, para eu poder comprar um ajudante, porque, esta difícil carregar todos os corpos de volta. Mesmo entrando em alguns grupos, ainda casso sozinha.

Ó, você deve estar se perguntando, ‘como ela pode querer comprar um escravo sendo que antes mal podia comprar comida decente’, acertei né?

Bem, realmente eu não conseguiria comprar um escravo para mim se eu tivesse ganhado dinheiro através das recompensas normais em um mês.

O motivo disso seria eu ter encontrado, por pura sorte, uma erva do amanhecer.

Pelo que sei, ela é extremamente difícil de encontrar, por não lançar qualquer resíduo de mana. E ela é superimportante para a preparação de muitos elixires.

Então, estou neste momento na entrada do prédio de escravos, e posso dizer que apesar de nem ter entrado ainda, sinto já um cheiro meio desagradável.

No inicio não estava muito a fim de comprar uma pessoa, mas as circunstancias me levaram a isso. Se bem que eu poderia apenas contratar um mochileiro.

Bem, agora já estou aqui, então não adianta voltar atrás.

Entrando no local, me dei de cara com uma recepcionista peituda, garanto que é falso, na entrada. (nem ciumenta é)

  • Bem vinda senhorita, veio para participar do leilão? Pergunta a peituda.

  • Hã? Que leilão?

  • Ora, então a senhorita veio hoje sem saber dele? Acho que sua sorte é realmente muito boa, pois teremos muitos produtos de extrema qualidade apenas a venda nesse leilão, essa seria sua primeira visita?

  • S-sim, então teria alguma taxa de entrada por um acaso?

  • Hum, sendo esta sua primeira visita aqui, então acho que não faz mal lhe permitir acesso como uma cortesia, mas apenas desta vez.

Realmente, acho que minha sorte é muito boa.

Depois de ser guiada para a um acento mais distante, esperei pacientemente pelo inicio do leilão.

Espero encontrar um escravo que me agrade . . . haaa, ate mesmo pensar assim não me agrada.

Depois de um tempo.

  • Meus comprimentos, honoráveis convidados, espero que não tenham esperado muito – um homem vestindo roupas caras aparece.

  • Agora, estaremos dando inicio neste leilão, e garanto a todos que não saíram decepcionados com o que virem aqui.

  • Que tal começarmos com um produto um pouco mais humilde? Há, mas é claro, creio que os honoráveis convidados gostariam que alguém. . . mais apropriado, do que este velho faça as apresentações.

No que ele disse isso, uma mulher elegante subiu ao palco, seguido por ela, um homem com roup- trapos cobrindo apenas o essencial apareceram.

  • Ola, senhoras e senhores, serei a encarregada de apresentar os produtos deste leilão. Ao meu lado, um homem forte, saudável e muito obediente esta presente, perfeito para aqueles que desejam por alguém para exercer o trabalho braçal, por um preço mínimo de quinhentas pratas.

Sim ele seria bom para o que eu quero, acho que pode ser el- espera! QUINHENTAS! ISSO È METADE DO QUE RECEBI!!!

(100 bronze = 1 prata, 1000 prata = 1 ouro, 10 ouro = 1 ouro branco)

Acabo de perceber que eu estava tremendamente enganada por achar que conseguiria o que queria aqui nesse leilão, mas bem, já que já estou aqui, vamos ver ate o fim.

.

.

.

Waw.

Esta valendo muito a pena eu ter ficado para assistir aqui.

Pude ver cada espécie que antes eu apenas ouvia falar!

Sereias, elfos, anões e beastemens, com orelhas e rabos de animais, meu preferido foi a garotinha com orelha e rabo de coelho, tão fofa!

Pena que ela foi vendida para aquele gordo com cara de pervertido.

. . . Se bem que se eu a tivesse não mudaria muita coisa fufufu.

Opa! Limpa a baba Alice, lembre-se, damas não babão, sim! Nem por uma coisa fofa daquelas . . . haa a haha . . . Oi! Se controle Alice!

  • Agora, para nossa atração principal, uma linda mulher, com seus olhos redondos, podendo fazer qualquer homem perder o controle, mas apesar de tudo isso, contendo uma força e sentidos alem da imaginação!

Fui acordada pelo discurso exagerado da mulher, parecendo que estávamos chegando ao fim do leilão.

Uma garota um pouco mais nova que eu (eu acho) sobe no palco com suas mãos acorrentadas, tendo cabelos brancos, um rosto redondo e olhos grandes . . . vermelhos!

  • Será que.

Escuto as pessoas ao meu redor conversando entre si.

Bem, não é pra menos, a garota no palco é nada mais nada menos que uma draga! E das bonitas! Para me ter falando isso, podem imaginar a sua beleza!

!

Não sei por que, mas ela me lembrou do garoto que eu encontrei mês passado.

  • Esse incrível produto esta sendo leiloado por um preço mínimo de apenas uma moeda de ouro branco!

Pffffffffffffffffff!

O-o-ooo-o-o-o-ouro BRANCO!

Ha a a aa ha haha, eu com esse dinheiro, realmente, o muito para uns é o pouco para outros.

  • duas!

  • três!

  • cinco!

  • seis!

  • sete!

. . . Nem preciso dize.

.

.

.

O leilão estava indo bem, os lances pela garota apenas aumentavam, até.

  • Parece que estão se divertindo, não? Mas sinto-lhes informar que terei de acabar a diversão de vocês . . . não, não sinto.

Uma voz fria de arrepiar aparece do nada, silenciando todo o leilão.

  • Quem disse isso, apareça!

Um guarda perto do palco grita.

Logo depois que o guarda gritou, uma figura aparece no centro do palco, ao lado da garota draga, usando um manto escuro, que envolvia todo seu ser, impedindo que todos descobrissem a identidade dele.

Notando o homem, a mulher que estava apresentando os escravos pergunta – o que quer interrompendo este leilão?

  • Nada demais, apenas vim cumprir o inicio de uma promessa.

  • E qual seria?

Ignorando a pergunta da mulher, o homem encapuzado fica de frente para a garota e pergunta. . . Comparando agora, a altura dessa pessoa é bem baixinha em – Você quer ser livre?

A garota da um simples sinal com a cabeça.

  • Ótimo, então, vamos aquecer esse lugar.

 

 

Um mês havia se passado desde que Devlin sofreu sua perda.

Nesse mês que se passou, ele conseguiu juntar algum dinheiro vendendo as partes boas de sua roupa, assim comprando novas mais discretas.

Enquanto passava pela cidade, em busca de informações sobre o paradeiro de seu pai, ele escuta que iriam realizar um leilão de escravos, cujo ‘mercadoria’ principal seria uma bela Drago.

Isso fez com que se lembrasse de sua promessa, e assim começou a fazer seus preparativos.

Ele criou uma rota onde ele iria passar na maioria das cidades grandes para libertar os Dragos até o continente Nelo, onde se encontrava a maior probabilidade de uma cidade de refugiados Dragos poderia estar.

O problema, obviamente, seria achar um jeito de atravessar o mar até lá, mas isso ele tinha de pensar mais tarde.

E enquanto esperava o dia do leilão, ele começou a praticar seu poder de ‘transformação’, retirando e colocando o colar de seu pescoço, para que pudesse se lembrar do sentimento ao se transformar.

Claro, ele não progrediu como queria, ate porque, esse poder dele envolvia diretamente sua alma, tendo de separar e fundir com a do vermelhão, o que obviamente não seria uma tarefa que poderia se domar em apenas um mês, mas isso ele ainda não sabia.

 

 

Voltando ao leilão.

 

 

Depois de pronunciar suas palavras, ele as cumpriu.

Devlin joga suas chamas em sua volta, criando uma cúpula de fogo onde ele e a garota estava no centro.

  • Ele esta tentando rouba-la, peguem-no! Grita um dos guardas.

Assim que escutaram o grito, todos os guardas tentaram extinguir a cúpula de fogo, mas como simples guardas poderiam fazer isso.

  • Maldito elementar, alguém chame o Leonard!

Gritos se espalham pelo leilão, as pessoas que antes estavam nas cadeiras começaram a correr pelas suas vidas.

Os soldados tentando atravessar as chamas, mas incapacitados, pois não poderiam chegar perto, ou senão se queimavam.

  • Hum, bando de inúteis.

Assim que essa voz cai, uma serpente d’água se choca com a cúpula.

O som de água se chocando com fogo deixa os guardas meio surdos, e o vapor quente que se espalhou os forçou a recuar.

  • Não podem nem mesmo lidar com um bandidinho que se acha apenas porque foi escolhido por um ser Elemental.

O dono da voz logo aparece, tendo cabelos loiros e curtos, olhos verdes, um rosto fino, característico de nobres, e um semblante orgulhoso.

Porem, seu olhar orgulhoso logo despenca quando o vapor se dispersa, por que, o que aparece é apenas um buraco no meio do palco.

Enquanto o domo de fogo estava os cobrindo, Devlin logo cria um buraco em seus pés, e passa pelo túnel, antecipadamente preparado por ele, para poder fugir.

Antes do dia do leilão, ele já estava pensando em como deveria retira-los de dentro.

Então, ele começou a criar um túnel, derretendo o chão com suas chamas azuis, do lado de um beco do lado da casa de leiloes.

  • Por que me libertou. Pergunta a jovem de traz dele.

  • Como eu já disse, por uma promessa. Responde.

  • Então, por que apenas eu? Isso fazia parte da sua promessa? Pergunta novamente a garota.

  • Porque você era a única da raça Drago naquele leilão.

  • . . .

 

 

Meu nome é Ana, sou um Drago.

Nasci e vivi como uma escrava, sem conhecer o sentido da palavra liberdade.

Nunca pude tomar minhas próprias decisões, mas apesar disso, me considero com sorte.

Tive um mestre . . . adequado, comparando com os outros humanos.

Não era mal tratada, recebia meu alimente todos os dias, tinha uma cama para dormir, vivi com minha mãe e meu pai tranquilamente, não era abusada, como muitas outras eram, mas claro, tínhamos de trabalhar.

Eu limpava, cozinhava, arrumava e servia, fazia de tudo.

Ate o dia em que ele faliu, e por consequência, ele decidiu me colocar para vender, já que eu era a mais bonita, e provavelmente daria uma boa quantidade de dinheiro.

Eu estava preparada mentalmente para tudo que pudesse me acontecer, mas, uma variável que eu nunca poderia sonhar aconteceu.

 

Alguém veio me resgatar.

 

Eu não pensei muito, quando ele me perguntou se eu queria ser livre, respondi na hora.

Eu tive sorte do meu antigo mestre ter sido ‘bonsinho’ com seus escravos, mas se eu tivesse uma chance, não queria correr o risco de ser comprada por um pervertido.

Quando respondi, ele demonstrou um incrível controle sobre seu elemento.

Entramos em um túnel, que aparentemente foi ele que fez, e seguimos ate a saída.

Ele era bem calado, mas instintivamente senti uma confiança nele, e como uma espécie com incríveis sentidos que somos, confiei em meu instinto.

Após sair do túnel, começamos a correr para a saída da cidade, ele havia me entregue um manto para não me destacar, mas não podemos evitar chamar a atenção das pessoas, ate porque, dois seres encapuzados correndo seria chamativo não importa como você vê.

Quando finalmente chegamos aos portões da cidade, uma pessoa estava já nos esperando.

  • Achou que iria escapar comigo como seu adversário?

Era claramente um nobre, tinha cabelos loiros e olhos verdes, a sua volta, cobras d’água o rodeada, claramente tentando nos intimidar.

O homem que me tirou de lá andou a frente.

Ele não falou nada, sua resposta surgiu com as chamas que queimaram a sua volta.

  • Hum, acha que é meu adversário? Não precisarei nem usar metade do meu poder pra te deter.

Aa, que cara irritante, sinceramente, se eu não estivesse com minhas chamas restringidas por esse selo idiota eu provavelmente já teria atacado ele, bem, só mais um dia ate ele perder o efeito mesmo.

O garoto parecendo estar irritado também, apenas lançou uma lança de fogo nele.

Ele respondeu lançando suas serpentes d’água, fazendo elas se chocarem, e criando vapor para todos os lados.

  • Há, esse é seu poder? Não usei nem um terço da minha força.

Realmente, nobre irritante.

  • Você fala de mais. Fala o homem encapuzado.

Assim, ele se impulsiona para a frente, tão rápido que mal pude velo.

Sua aproximação deixou o nobre surpreso, o fazendo lançar uma onda de pura água, sem nenhum enfeite, como suas cobras de água.

O homem encapuzado, com suas chamas o cercando, desvia facilmente, e assim, como o nobre, ataca com puro fogo, pura magia elementar em suas costas.

O nobre começa a pegar fogo e sai rolando pelo chão, enquanto seus gritos soam pelo ar, o homem me chama.

  • Vamos.

Sigo-o rapidamente, estávamos prestes a entrar na floresta quando.

  • Riiwggrr, como se eu fosse DEIXAR!

Escuto um rosnado do nobre babaca.

Ele lança varias lanças d’água, mas dessa vez, em minha direção.

Quando fecho meus olhos, escuto novamente o som de água e fogo se chocando.

Abro levemente meus olhos, e encontro o homem . . . não, o garoto na minha frente.

Por que eu sei que ele é um garoto? Bem, aparentemente seu capuz foi atingido por uma lança enquanto me protegia.

Posso dizer que ele não se feriu, por isso sei que apenas acertou o capuz.

Ele olha para o nobre irritado e fala.

  • Deveria ter se mantido deitado.

Fogo enche minha visão, posso ver apenas fogo, tudo em volta do garoto, menos eu, esta em chamas.

Aquele mar de fogo é lançado para o nobre, que grita feito um porco.

O garoto olha para mim, e assim eu posso ver sua aparência.

Fiquei surpresa por descobrir que ele é um humano, pois sentia um cheiro da minha espécie vindo dele.

  • Vamos indo.

Ele segue rumo a floresta novamente, sem se abalar a forma grotesca do nobre se contorcendo nas chamas, ficando em carne viva. Sem duvidas ele morreu.

Então, eu respondo.

  • Sim!

Me sinto animada com o que esta por vir.

Comentários