Capitulo um pouco mais curto, mas o próximo sera recompensado um pouco, novamente avisem se encontrarem erros na escrita e me apontem onde estão, senão não poderei arrumar.

Espero que gostem

 Nosso primeiro dia nesse novo mundo

Hun? Que lugar é esse. Se não me engano eu estava . . . há, é mesmo, eu tava falando com o vermelhão e quando acabamos acabei entrando em uma espécie de buraco negro.

Nesse caso eu deveria de ter renascido como ele disse, mas pelo o que vejo esta tudo escuro. Será que algum lugar parecido com a sala branca? Não sei, mas aqui eu me sinto meio confortável, é relaxante.

.

É impressão minha ou posso ouvir gritos, também começou há tremer um pouco aqui. Não me diga que aqui é . . . há, acho que acertei.

No momento em que o ‘local’ parou de tremer, uma luz ofuscante entrou em meus olhos, mesmo eles estando fechados. Cinto uma dor na área da minha barriga, acho que acabaram de cortar meu cordão umbilical. Posso escutar vozes contendo alegria e uma respiração áspera, minha nova mãe deve ter sofrido.

Sinto me envolverem em braços, abro meus olhos e encontro minha nova mãe (eu acho), ela esta ofegante, esta deitada em uma cama suja de sangue. Ela possui uma bela aparência, longos cabelos negros, olhos azuis e um rosto muito fino e elegante, apesar de atualmente estar com um leve toque de cansaço, mas ao mesmo tempo posso ver carinho em seus olhos, não posso ver direito, mas me parece que ela tem um belo corpo. A minha volta esta uma mulher vestida de empregada com luvas manchada de sangue, provavelmente foi ele quem fez o parto. A empregada tem cabelos castanhos e curtos, que chegam ate seus ombros, olhos afiados da mesma cor, um rosto um pouco redondo, mas bonito, o corpo é mais avantajado do que de minha mãe, tenho que dizer belos seios.

Um homem que me lança olhares carinhosos, posso assumir que seja meu pai, cabelo curto da cor loiro, olhos azuis, mais claros do que de minha mãe e um rosto fino que me da um ar de nobreza, alias, tanto minha mãe e meu pai parecem ser jovens, chuto falar que eles tenham entre vinte e vinte e cinco. Um homem idoso esta no canto com uma cara contendo alegria, esse não sei quem é talvez meu avô, mas, quando nossos olhos se cruzam, ele faz uma cara espantada, não somente ele, mas parece que todos estão pasmos. Aquela alegre conversa não pode mais ser ouvida, apesar de eu não entender bulhufas do que eles estavam falando, parece que algo aconteceu.

Eles me olham com preocupação, olhares de descrença, não sei o que esta acontecendo por que não entendo sua língua. Minha mãe me entrega para o homem velho que me segura em seus braços, ele começa a cantar uma coisa estranha e um brilho passa a cobrir meu corpo. Quando a luz se dissipa de meu corpo o olhar do velho, que já era atordoado se torna ainda mais descrente. Haaa, sinceramente eu queria poder saber o que esta acontecendo, estou boiando totalmente aqui.

  • —- o que acont—- —- — (pai)

Hum? Agora mesmo eu entendi o que falaram?

  • P-i —- – — você viu, por que — — esses olhos? (mãe)

Pera pera pera pera pera. Eu estou começando a entender eles? Por quê? Será que é por que eu possua as memórias do vermelhão, mas se fosse isso eu já teria entendido a fala deles desde o começo.

  • Ele — a proteção divina de um —- (velho homem, que acabo por saber que é meu avô mesmo)

  • Mas oq— isso tem a ver com seus olh– (pai)

  • A benção dele vem de — deus dragão, isso poderia explicar a cor de — olhos (avô)

Ou será que é porque eu o absorvi, estão seu conhecimento deste mundo esta vido para mim . . . espera, acho que perdi alguma coisa importante, algo sobre benção, sim, o vovô falo sobre algo do tipo.

Depois do que meu avô disse cujo não escutei direito, pois estava distraído pelos meus pensamentos, o rosto de todos ficou atônito. Acho que tem a ver com a cor de meus olhos, e a benção de um dragão.

  • Como é possível, os dragões são o símbolo da destruição, por que eles abençoariam meu filho!? (pai)

Não sei por que, mas estou ficando com raiva, como assim símbolo da destruição!? Nas memórias do vermelhão não tinha nada que ele fez para merecer esse símbolo. Parece que terei um longo caminho a percorrer, vermelhão, considere isso como um bônus, mas eu vou tirar essa má fama dos dragões para você.

  • Mas isso não é bom, quer dizer que nosso filho agora estará seguro mesmo nos não estando por perto para protegê-lo (mãe)

Mãe, obrigado, parece que você acalmou nosso estresse, sinceramente, não sei se vocês perceberam, mas eu acabei rosnando um pouco com o que meu pai disse. Acho que isso é uma prova de que eu não sou totalmente humano.

  • . . . haaa, não sei se você apenas tem o dom de enxergar o lado positiva das coisas ou apenas não liga para as consequências que a cor dos olhos vão trazer para nosso filho (pai)

  • Ora, que rude, e daí que os olhos do nosso filho tem a mesma cor dos dragões e dos Drugans, isso não muda o fato dele ser nosso filho, e eu o amaria mesmo se ele tivesse ate mesmo a aparência do Drugans (mãe)

Humm, parece que a cor dos meus olhos não deveria de existir entre os humanos, e talvez esse Drugans sejam o povo do vermelhão.

  • . . . haaa, sim você tem razão, agora, nos deveríamos escolher um nome para ele certo? (pai)

Parece que graças a minha supermãe o clima melhorou muito, a aparência do vovô e da empregada também já melhoraram, então, o momento tão aguardado, meu nome esta vindo.

  • Hummm, como ele tem olhos vermelhos carmesins, que tal Devlin, em homenagem ao rio vermelho (mãe)

  • Sim, é um bom nome, então será Devlin, Devlin Vilela Evening (pai)

  • Hohoho, ficou um pouco comprido não acha Leila? (avô)

  • Sim, porem ainda é um belo nome senhorita Elize, senhor Loren (empregada com o nome recém-descoberto de Leila)

Hóóóó, acabei por descobrir o nomes dos meus pais, sim é muito útil finalmente poder entender os assuntos, senão eu teria que esperar alguns anos para aprender a língua deles e descobrir essas informações.

Mas, eu gostei muito do meu nome, só espero não me esquecer dele, porque ele é muito longo, mas muito legal.

E esse foi o dia do meu nascimento nesse novo mundo, queria crescer logo.

Depois de toda a comoção, quando Elize e Devlin dormiram juntos, dois homens em uma sala onde não há ninguém senão eles.

  • O que o senhor acha avô (Loren)

  • Hummm, mesmo que me pergunte, eu não tenho ideia (avô)

Loren faz uma cara de raiva enquanto fala.

  • Será que ela me traiu com algum daqueles nojentos!!?? Por que se for isso eu não sei o que farei (Loren)

  • Não seja tolo, minha filha jamais o trairia, mas mesmo que o traísse você não tem direito de falar nada (avô)

Loren novamente contorce seu rosto e após um tempo ele se acalma.

  • Sim, isso seria impossível, mas então por que meu filho tem aqueles olhos, a marca de um dragão e dos Drugans!? (Loren)

O velho faz um olhar de desgosto ao ouvir essas palavras.

  • Eu já não falei, o motivo é provavelmente a benção do deus dragão, senão o que mais seria? (avô)

  • . . . Espero que seja isso mesmo (Loren)

Comentários