Ola a todos, desculpa a demora. Temos agora uma pequena revelação do nosso protagonista sobre seu passado.

 

 Muitos acontecimentos.

 

  • Aquele tio desgraçado vai ver só – eu resmungo enquanto vou em direção a uma pousada que eu achei por cinco cobres.

Realmente, estou estou estou. … HAAAAAAAAAAAAAAAAH!

Haaaa, queria tanto experimentar aquele prato, mas nunca mais que eu vou naquela barraca.

Por causa daquilo tive que comprar em outra barraca, foi uma salada de legumes, estava bom, mas eu queria carne.

Mas tudo bem, apenas isso não vai me abalar!

Se aquela salada de quatro cobres foi assim tão melhor que os pratos de peixe na minha cidade, imagina o resto!

Estou babando só de pensar!

Mas bem, como amanhã eu irei ao mestre ladino, preciso dormir, sim.

Eu estou hospedada em uma pousada em uma das ruas conectadas a rua leste, esta bem localizada, com a guilda não muito longe, e eu pude ver uma barraca com um cheiro melhor ainda que a daquele tio perto.

Entro na pousada chamada ‘Noite Estrelar’ e me dirijo ao balcão e alugo um quarto por dez cobres. Um café da manha é cortesia, então só preciso me preocupar com o almoço e jantar.

Hum, tenho uma prata e oitenta e seis cobres para a comida, então se eu comer com uma media de cinco cobres duas vezes por dia, dezoito dias com comida confirmado!

Mesmo com aquela perda de agora a pouco, minha segurança aumentou por cinco dias!

Depois dos cálculos, eu entrei no meu quarto que ficava no segundo andar da pousada, não é tão espaçoso, mas o suficiente para dormir.

É um quadrado de três metros por três, tem uma cama encostada na parede a direita, uma pequena mesinha ao lado, e uma cadeira, sim, bom.

Assim que encontrar o Carl, tenho que agradecê-lo a me indicar esse local.

Ok, hora de dormir!

 

 

 

Na manha seguinte, me levanto e vou tomar café, foi um delicioso pão normal com alguma pasta, que eu não sei o que era nele.

Depois daquele delicioso café, andei ate a guilda para procurar por um mestre e finalmente ter um treinamento profissional, não um treinamento caseiro como o que estava fazendo.

  • Hum, realmente, não são muitas pessoas que se tornam ladinos, muitos dos grupos que partem para as dungeons acabam voltando todos machucados por alguma armadilha ou por não ter alguém adequado avaliar o local de caça – fala a balconista em um tom pensativo – ok, eu acho que eu tenho um bom mestre por cinquenta cobres para você – diz ela depois pensar por um momento.

  • Sério? Obrigada, então, onde ele esta? – pergunto animada.

  • Sim, deixa eu ver. … ele esta localizado na área norte da cidade, o nome do prédio é. … ‘Leis do Combate’ – me informa enquanto presto o maximo de atenção em cada palavra.

  • Então, obrigada, estou indo – carro para o local ao deixar essas palavras a moça do balcão.

  • …. Boa sorte.

 

 

 

 

Chegando a rua norte, eu encontrei-o facilmente, é um prédio de três andares com uma placa bem grande escrito ‘Lei do Combate’ ao lado da guilda dessa rua.

Eu entro pela porta e ao passa-la, posso ver varias pessoas atrás da recepção balançando suas espadas de madeira.

Um homem musculoso esta de braços cruzados enquanto observa as pessoas, que na maioria são homens.

  • Bem vinda, esta aqui para se registrar como uma estudante? – me pergunta a moça na recepção.

  • Sim! Vim aqui para me registrar para ter aulas com um mestre ladino – falo animada, mal podendo conter meu entusiasmo.

  • Ho, sim, já faz um tempo desde o ultimo aspirante a ladino, tenho certeza que terá muitas oportunidades para entrar em vários grupos – pausa a moça e volta a falar – são cinquenta moedas de prata.

Entrego as moedas para a moça e então pergunto.

  • Então, em qual andar esta o mestre?

  • No porão – responde.

Depois de ser guiada pela moça, eu desço as escadas para o porão, abrindo sua porta, uma sala escura, espaçosa e cheia de pilares de sustentação entra em minha vista.

  • Ola, vim aqui para os ensinos do mestre – eu chamo pelo mestre que deveria de estar aqui, mas não o vejo em lugar nenhum.

Graças aos meus treinos a noite, sou muito acostumada a lugares escuros, apesar de que ainda é difícil de enxergar, mas minha visão ainda é melhor que de pessoas comuns.

Mesmo chamando pelo mestre, nenhuma resposta vem, eu começo a andar pelo lugar sem grandes dificuldades.

Mesmo não enxergando ninguém, eu sinto uma sensação de estar sendo observada.

Ate que algo tentou pegar minha adaga em minha cintura.

Eu me jogo para a esquerda e rolo no chão, depois eu tiro minha adaga e foco minha concentração.

  • Fumu, parece que dessa vez tenho um aluno talentoso, mas como ira com isso! – fala uma voz que não conheço, provavelmente o mestre.

Mesmo ele tendo acabado de falar, não consigo distinguir de onde veio, realmente, mestres estão em outro nível!

Após um curto tempo, uma adaga vem em minha direção por baixo. Eu a bloqueio com minha adaga e tento achar o mestre, mas não posso velo em lugar nenhum.

Mais ataques começam a surgir, direita, esquerda, cima e baixo consecutiva mente.

Tento bloquea-los, mas eles são muito rápidos, um ataque por baixo acaba tirando a adaga de minha mão e ela voa longe.

  • Hum, ainda lhe falta experiência, tens bons reflexos, pode andar sem muitos problemas no escuro, tem um bom equilíbrio com sua arma, mas suas técnicas são primitivas, ate o final desse mês, vou lhe transformar na melhor ladina possível – fala o homem de aparência sombria aos seus quarenta anos vestindo roupas negras.

  • Sim! Estou ansiosa para aprender com o mestre – falo animada ao ver o quão bom a pessoa que ira me treinar é.

  • Sim, gosto de você, mas não começaremos hoje, isso só foi um teste para ver suas capacidades, volte amanha, preciso preparar algumas coisas para seu treino – fala ele com um sorriso que me deixa com calafrios na espinha.

Eu gostei dele e tudo, mas acho que posso me arrepender por ele ser meu mestre.

 

 

 

 

 

Depois de sair do prédio, fui em direção a guilda do norte para pegar minha primeira missão de caça!

Hoje é o dia em que eu irei ter minha primeira presa, fufufufu.

Entrando na guilda, fui olhar na parede da guilda por missões que eu sei que posso concluir.

  • Caça as lebres.

  • Objetivo: Trazer o maximo de lebres vermelhas ou chifrudas. Ps. Pode conter os dois tipos.

  • Recompensa:

  • Lebre vermelha – Cinco cobres para cinco lebres.

  • Lebre chifruda – Dez cobres para cinco lebres.

  • Vinte cobres para cada núcleo encontrado.

  • Sem prazo.

 

  • Hum, acho que vai ser essa – digo pensando quantas lebres poderei trazer.

O único problema das lebres são que elas são rápidas, e a chifruda, se você for pego pelo chifre, vai sair com uma ferida feia.

Mas se eu conseguir cinco de cada, cada dia, terei uma base de dinheiro para não me preocupar com comida e estadia, apesar de que não poderei melhorar o meu equipamento.

  • Oi, eu gostaria de aceitar a caça as lebres – falo com a moça do balcão.

  • Sim, ultimamente esta tendo muitas lebres em torno da cidade, então quanto mais você trazer melhor, poderia me dar seu cartão da guilda? – pergunta a moça.

Depois de entregar o meu cartão, a moça registra o meu numero em um papel e logo me devolve o cartão, como a missão é em torne da cidade, eu apenas tenho de voltar com os luts e apresentar meu ID novamente.

Saio da guilda e parto para o portão norte, vou ate floresta que fica a uns duzentos metros de distancia do portão, e começo minha caçada.

 

 

 

 

 

Ok, tenho de confessar uma coisa.

Ta difícil!

Poxa, por que essas desgraças tinham que ser tão rápidos!?

Eles ainda são ágeis pra burro!

Merda!

 

 

Ta, Alice, se acalma, se acalma, esse tanto não ira te desanimar, você precisa achar um jeito para caça-los.

Pense com calma, calma, inspira, espira.

Sim, assim esta melhor, sua tia sempre brigou com você por ser muito nervosinha, também sempre lhe ensinou que damas não devem falar essas besteiras.

Ok.

Estamos em uma floresta, ela não é muito densa, os raios de sol podem facilmente passar entre as arvores.

Você quer se tornar uma aventureira, uma ladina!

Preciso achar rastros, rastros, gramas amassadas, galhos quebrados, arbustos bagunçados, afie os sentidos, preste atenção em seu entorno, qualquer coisa esta bom.

Eu preciso pelo menos saber achar monstros.

Olha ()

Olha (..)

Olha (¬¬)

Ali!

Ótimo, achei galhos quebrados, preciso seguir o rastro, lebres são grandes o suficiente para deixar marcas.

Comecei a seguir os rastros, ate que encontrei uma área aberta entre as arvores, uma, duas, três lebres vermelhas e uma chifruda estão ali!

Pego minha adaga da minha cintura e junto uma pedra do chão, me escondo atrás de uma arvore e atiro a pedra do outro lado das lebres.

Isso funcionou, as lebres se assustaram com a pedra em começaram a correr para minha direção.

Elas têm uma altura de trinta centímetros, então precisarei posicionar meu centro de gravidade um pouco mais baixo para que minha lamina possa as alcança-las.

Assim que a primeira passa por mim, eu já minha adaga em seu pescoço, assim, cortando sua cabeça.

As outras lebres me notam assim que seu companheiro morreu, mudando sua direção.

Quando eles tentam fugir, atiro duas pedras em duas lebres diferentes.

Como sou eu, as pedras acertam suas patas certeiramente assim as impedindo de prosseguir.

Fufufufu, é claro que uma aspirante a ladina como eu iria treinar arremesso, eu apenas não tenho dinheiro suficiente para comprar as facas.

Mas bem, eu rapidamente corto as gargantas das duas lebres que estavam tentando voltas com suas fugas.

Com isso, duas- não, três lebres foram pegas com sucesso, apesar de eu ter perdido a que mais valia.

Hum, preciso comprar logo facas, assim poderei facilmente cuidar dessas lebres.

Não, mas espera, para eu melhorar meus equipamentos, eu preciso caçar mais lebres, mas para eu conseguir isso, preciso de equipamentos.

Haaa, sinto minha cabeça rodar.

(GURRRRNH)

  • !!!

O-o que foi isso! Goblin? Com certeza uma lebre não produz esse tipo de som!

Ele veio mais fundo da floresta! Será que eu vou lá?

Espera. Minha intuição me diz, que, se eu for lá, o dinheiro me espera!

Sim! Tenho que pensar nos meus sonhos, e para isso, eu preciso de dinheiro!

Minha intuição nunca falhou comigo, mesmo quando eu coletava ervas, minha intuição me levou a uma erva rara, lembro-me de ganhar uma prata por aquela erva!

Também me lembro de ter quase morrido no penhasco…. mas, para alcançar a gloria sempre terá um risco.

Me decidi, vamos ver de que saio esse som!

 

 

 

 

 

Após avançar entre as arvores, começo a ver rastros de destruição.

Troncos quebrados, árvores caídas, e o chão marcado.

  • É como se alguma coisa cai-se do céu – murmuro olhando o estrago em minha volta.

Começo a seguir o rastro no chão, me escondendo por entre as arvores e troncos caídos.

Encontro um pedaço de tecido preto, só de olhar posso ver que é de alta qualidade. Sim, como imaginei minha intuição nunca falha!

Se não fosse por esse tecido teria achado que um meteoro tinha caído aqui.

Ate.

(GUUUURRRRHHH)

Escuto aquele som novamente, mas dessa vez muito mais alto.

Viro minha linha de visão para onde o som vem.

Percebo que a minha frente, o rastro no chão acaba em uma arvore caída.

No momento a arvore caio para frente cobrindo o objeto não identificado.

Os ramos da arvore começam a se mexer, me levado a crer que não foi um objeto, mas sim um ser vivo.

Me escondo atrás de uma árvore caída para poder observar a situação em uma distancia segura.

Depois de um tempo, a árvore que estava escondendo a criatura desliza para o lado devido a agitação.

E, o que aparece em baixo dela é.. .

 

 

Um. … Ovo?

Hum, parece, um ovo, casulo, escamoso.

 

 

 

Hum?

Es. … CAMAS!?

Waaa, escamas! Escamas! Dinheiro! Lindas escamas brancas!

Isso com certeza dariam uma boa soma de dinheiro!

Fufufufufu, e pensar que no meu segundo dia depois de chegara capital já me encontraria com tal fortuna, realmente, Shana esta ao meu lado!

Com certeza valeu a pena orar todas as noites para ela!

Fufufufu, hahahaha, HAHAHAHAHAHAHA!

Espera! Não! As escamas estão se mexendo! Eu tenho de agir rápido antes que a coisa que estiver ai dentro acorde!

Há, tarde de mais.

Aaaaaaaaaaah! Preciso me esconde, criaturas com escamas são definitivamente perigosas!

 

Mas eu já estou escondida. Bem, então vamos olhar o que sai dentro desse ‘casulo’.

Após se remexer por um momento, o ‘casulo’ começa a se abrir e dar forma.

Então eu percebo que, não era um ovo, e sim asas, as asas estavam cobrindo a criatura, provavelmente para se defender na ora da queda, isso explicaria o do porque dessa destruição, já que, escamas são bem duras, independentemente de que espécie.

Mas, dependendo do que for, talvez eu ainda consiga mata-lo e pegar suas escamas!

Agora, vire-se e mostre seu rosto para mim!

Então, agora, mostre-se!

Mostre-se, minha presa!

 

Agora que eu percebi, mas, esta saindo uma fumaça preta em volta da criatura. Hum, isso não me cheira bem, será que ela é venenosa? Se for, eu não tenho nenhum antídoto comigo.

!?

Wowowowow, espera ai! Como assim as asas sumirão? E minhas escamas!?

Há, ele esta se virando!

Certo, vamos ver de que espécie você e acabar logo com isso!

 

 

 

Mentira.

Mentira.

Por quê?

Serio!?

Uma criança!?

Por que logo a minha maior fraqueza!?

Por favor, espero que ela seja feia, assim, minha consciência não esta tão pesada.

 

 

Aaaaaaaaaah! Essa criança é muito fofa! Esse rostinho redondo, olhos azuis e uma carinha sem expressão como o de uma boneca!

Wuaaaa wuaaaa, meu dinheiro se foi! Não tem como eu fazer algum mau a ela de jeito nenhum.

 

 

Hun?

Essa criança é um humano?

Não pode ser! Ele tinha claramente asas! E com escamas ainda por cima!

Espera, onde suas asas foram parar mesmo? Acho que foi depois daquela fumaça envolver seu corpo.

…. Essa criança não parece normal.

 

 

Mas ela é fofa então tudo bem!

 

(Na noite anterior)

 

Onde eu estou?

Um espaço completamente branco ate onde meus olhos pedem alcançar esta em minha volta. Sinto que já vi isso antes.

Em minha frente, um homem esta me olhando com olhos carinhosos.

 

Nojento.

 

Pare de me olhar com esses olhos, sinto vontade de vomitar.

Nunca gostei de homens, eles sempre foram os mais propensos a traição. … como no meu antigo mundo.

 

 

E nesse também.

Sim, agora me lembro do que aconteceu.

…. Ela morreu.

Ele a matou.

E, após eu sair voando, lembro de meu corpo ficando fraco, talvez a mudança em meu corpo foi grande demais em um curto período de tempo, me sobrecarregando.

Depois disso, eu cai, e para evitar ferimentos, me cobri com minhas asas as tornando uma espécie casulo.

Então, eu me encontrei aqui.

  • Acho que deveria me apresentar, no momento, meu nome é Lilien, e. … Eu sou seu pai.

  • …. –

  • Sei que esta confuso, mas eu posso lhe afirmar que sou seu pai, pelo menos, espiritualmente.

  • Você não deve de saber isso ainda já que essa é somente sua segunda vida, e em sua primeira também morreu jovem, mas, você nasceu a partir de um pedaço de minha alma.

  • No inicio, eu realmente fiquei preocupado, já que estaria entrando na Guerra da Ascensão logo no inicio de sua jornada, mas fiquei aliviado quando descobri que conseguiu se assimilar a alma de um Deus menor.

  • Opa, acho que é muita informação em pouco tempo, certo? Acho que eu primeiro deveria dizer o que nós somos.

  • Nossa espécie é um tanto quanto especial, nós não precisamos de corpos para viver, desde que não soframos danos na nossa alma, continuaremos a renascer. Basicamente somos imortais.

  • E como toda espécie com uma quantidade de expectativa de vida maior, mesmo que nossa seja infinita, é muito difícil espalharmos nossa espécie.

  • Para nós termos um filho, precisamos sacrificar uma parte de nossa própria alma, assim pra criar outra independente.

  • E também, somos considerados pelos outros como, os governantes das almas.

  • Porque, podemos controlar as almas sem corpos livremente e então. … escravizá-las.

  • Ou seja, contanto que a alma ainda não foi para as Correntezas da reencarnação, poderemos controla-las como quiser quantas quisermos!

  • E como você já realizou, podemos fundir nossas próprias almas na de outra, assim, adquirindo suas características.

  • E eu vejo que você já atingiu o segundo estagio, bom. O único problema, seria que quando renascemos temos de passar por todo processo de assimilação novamente.

  • Mas, haa, eu queria te contar mais tantas coisas, mas meu tempo já esta acabando, e como você ainda não sabe controlar por si mesmo seu poder, lhe darei esse colar.

  • Não se preocupe em perde-lo, eu o assimilei em sua alma para que toda vez que ele cair, retornara ao seu pescoço em uma hora, claro, se for você mesmo que tira-lo, então é só desejar que ele retornara.

  • Ele será útil para você parecer com um humano normal, já que eu duvido que você consiga entrar em uma cidade com essas asas, chifres e rabo, também tornara seus olhos da cor que deveria ser se você não se assimila-se. Então, alguma pergunta?

  • …. –

  • Bem eu imaginei, você acabou por passar por algo pesado, então não posso te culpar.

  • Ate.

 

 

 

 

Eu tinha um rabo e chifres?

Comentarios em NHL: Capítulo 12



15

Índice×