Reencontro

As artes marciais assim que eram aprendidas por seus usuários podiam ser desenvolvidas assim como algumas magias, como o ancião havia dito a Ariel, a técnica da suavização ainda estava no seu estágio inicial. Essas habilidades eram divididas em nível da terra, nível do céu e aumentaria de classificação seguindo os estágios do nível de cultivo. Cada nível de arte marcial é divido em estágio inicial, intermediário e avançado.

Atualmente Ariel estava apenas no estado inicial da terra em relação a sua técnica da suavização, conforme ele aumentar isso, maior será sua eficiência.

Sentado no penhasco enquanto cultivava, o jovem sentia a quantia de Qi circular por todo o seu corpo, seus meridianos pareciam mais carregados por Qi a cada dia que ele cultivava. Suas articulações pareciam mais flexíveis, seu corpo aguentava mais peso, entre outras coisas. Tudo isso devido a ele conseguir atingir o primeiro nível da terra e ficar próximo ao segundo.

“Eu sei que se conseguir polir ainda mais minha técnica vou conseguir acertar o velho.” Depois de viver um ano com o ancião, a maneira antes respeitosa e com um pouco de medo que era representada na frente de Kanri, agora ficou parecendo mais natural e dificilmente Ariel chamaria seu mestre de ‘senhor Kanri’, até o ancião se sentia mais confortável assim.

Além da técnica que o jovem estava aprendendo, junto com seu cultivo de corpo, as outras lições ainda eram aprendidas por ele, dessas coisas o que Kanri queria que seu discípulo mais aprendesse é o senso comum, afinal o jovem viveu separado da sociedade desde que nasceu, e quando ele fosse para o mundo afora isso seria extremamente necessário.

Ele agora já sabia ler e escrever esplendidamente, por causa disso ele pegou um gosto pela literatura, seus principais tipos eram obras de comédia, bem parecido com o gosto de seu mestre. Em relação a como conversar com outras pessoas, Kanri estava determinado a levar o garoto a Kotai com certa frequência e força-lo a interagir com as crianças de sua idade, e claro, essa era a parte que Ariel mais odiava, mas o ancião sabia que era absolutamente importante.

E por mais que se sentisse irritado por isso, o garoto sempre foi educado e carismático com as outras pessoas. E isso sempre assustou Kanri, nessa idade Ariel já conseguia por uma “máscara” e disfarçar suas verdadeiras emoções, ele só era capaz de perceber isso porque viveu centenas de anos e já convivia a algum tempo com seu discípulo, más ele sabia que com o passar dos anos, essa sua habilidade se tornaria ainda mais formidável.

E novamente, nem Ariel estava ciente disso. Tudo que ele queria agora era ficar mais forte para conseguir orgulhar a única pessoa que demonstrou afeto por ele até agora, mas é claro que ele estaria disposto a fazer qualquer coisa que o ancião o propor.

Depois de alguns minutos no estado de meditação, Ariel sentiu a presença de Kanri e rapidamente foi ao encontro dele, o motivo é que hoje ele iria ser apresentado a sua primeira magia.

“Ariel, apesar de já ter dito isso, vou explicar novamente o risco de aprender essa magia. Uma magia sem classificação deve ser aprendida com o maior cuidado, como o poder delas é conhecido por ser imensurável, é possível que quando alguém a tente usar, seu respectivo atributo pode sair do controle do cultivador e causar sérios danos ao seu corpo, portanto nunca, em hipótese alguma tente a usar livremente, sem ao menos a ter entendido por completo(vou estar alternando entre atributo e elemento para não ficar muito repetitivo).”

“Sim mestre Kanri, só vou usa-la sob sua supervisão.” Obviamente com seu raciocínio absurdo, Ariel não se atreveria a violar as condições do ancião, afinal ele viveu por centenas de anos.

“Exato, para conseguir aprender essa magia, você deve ao menos conseguir manifestar um pouco do seu elemento, sente-se na mesma posição de quando cultiva, e lembre-se de como conseguiu manifestar seus dois elementos quando estávamos na caverna. Tome cuidado, existe a possibilidade de encontrar seu atributo Agen novamente.”

“Se isso acontecer, acho que seria ótimo. Mas fique tranquilo que não vou ser inconsequente.”

“Haha, você é um pirralho mesmo, vou ficar aqui perto caso algo saia do controle. Agora se esforce para conseguir controlar seu elemento, assim podemos partir para o próximo passo.”

Ariel assentiu.

Depois de se sentar ele tentou manter o fluxo do Qi estável, enquanto tentava manifestar sua energia sob seu controle, e antes que percebesse, sua imagem estava em outra dimensão, muito semelhante a aquela durante o teste elemental.

Como se ele soubesse que algo estava prestes a acontecer, a voz chegava a seus ouvidos.

“Muito bom! Se passou apenas um ano e esse já é o seu poder, talvez dessa vez meu descendente seja adequado.”

Sensação nostálgica. Ponderou Ariel. Um ano havia se passado desde o encontro com essa entidade, mas o temor uma vez exercido em cima dele havia diminuído um pouco, seu corpo ainda estava um pouco rígido, porém com certeza a tensão estava num nível menor.

“Parece que você entendeu um pouco. Mesmo se eu quisesse seu mal, não acho que conseguiria fazer algo, afinal eu sou parte de você e isso não vai mudar até que ambos deixemos de existir, a única coisa que quero é que você adapte-se a seu poder, não vejo a hora de nossa ascensão. Algum dia nossa consciência se tornará uma só, e quando isso acontecer, você finalmente poderá desenvolver o poder de Agen.”

“Poder de Agen…” Disse ele sem perceber enquanto estava um tanto admirado por tais palavras.

“Nosso reencontro foi satisfatório por hora, a próxima vez que isso vai acontecer está um pouco longe acredito, mas sei que você vai ficar ainda mais forte até lá. Peço desculpas pela intromissão, sei que o motivo de estar aqui é compreender outra parte da sua força, Até outro momento.”

Depois de Agen desaparecer de uma vez, Ariel suspirou de alívio, a pressão que ele sentiu era realmente monstruosa, agora ele entendeu que gostaria ficar mais preparado para uma próxima vez.

“Já estava quase esquecendo porque estou nesse estado. Concentração, concentração Ariel!’

Agora ele tentava alinhar sua energia com seu poder elemental, Ariel não sabia da complexidade disso, ele apenas estava se concentrando e tentando da melhor forma que podia materializar a eletricidade fora de seu corpo.

Depois de passar cerca de uma hora nessa outra dimensão, Ariel sentiu que tinha conseguido.

“Hahaha, agora tenho certeza que deu certo.”

Enquanto falava isso, sua aura ficou mais forte, pequenos raios começaram a circular seu corpo sem lhe causar dano algum.

O garoto acha que quanto mais tempo conseguir ficar nesse modo, mais fácil seria controlar seu atributo. E de fato, ele está totalmente correto, para conseguir avançar no controle do elemento, como aprender uma magia dele, o mínimo é que essa pessoa consiga estabilizar o poder em seu corpo, depois seria possível materializa-lo de forma mais complexa.

E assim ele ficou alguns minutos dessa maneira até sentir que não conseguia mais.

“Agora estou começando a entender como isso funciona, talvez se eu melhorar nisso o meu controle de Qi e energia também aumente.”

Concluindo que seu tempo aqui teve ótimos resultados, ele decidiu voltar a sua dimensão original, onde seu mestre o esperava. E num instante, Ariel abriu seus olhos.

Percebendo que seu pupilo havia acordado, sem aguentar a curiosidade que sentia, Kanri perguntou: “Você conseguiu algum avanço ?”

Ariel decidiu que não contaria nada sobre seu encontro com Agen para Kanri, ele apenas diria a verdade sobre a compreensão que conseguiu sobre dominar seu elemento da eletricidade. Sem mais delongas ele disse: “Foi praticamente perfeito mestre, não teve nenhuma intervenção e consegui dominar um pouco do raio.”

“Muito bom, muito bom. Gostaria de ver o quanto ainda é necessário para aprender a magia ‘passos da tormenta’, então use o que conseguiu aqui e agora.”

“Claro, só não sei se o resultado vai ser o mesmo que tive antes.”

Ariel de pé, começou a concentrar a energia com seu poder elementar em todo o seu corpo já que não conseguia focaliza-los em qualquer lugar. O resultado não foi o mesmo que conseguiu antes, mas foi o suficiente para fazer Kanri levantar suas sobrancelhas.

“Realmente, você conseguiu algo bem difícil, mas ainda sim não é o suficiente para conseguir aprender a magia. Fique tranquilo, se fizer isso durante poucos dias você será capaz de controlar sua aura.” Disse o ancião ainda louvando o feito de seu discípulo.

Dessa vez Ariel sabia a dificuldade do que estava fazendo, então não desanimou e simplesmente respondeu com um genuíno sorriso no rosto: “Sim mestre Kanri.”

E novamente Ariel se sentou e começou a controlar o poder do seu elemento.

 

Nota: Eu troquei o nome “Passos do trovão” para “Passos da tormenta” pois já tinha os dois nomes em mente, e escolhi o que faria mais sentido, e vou usar “elementar” em vez de “elemental” porque descobri agora que é o correto hehehe. Até o próximo cap.

Comentários