Decisões de vida ou morte

As esferas flutuavam em sua volta, suas cores antes brilhantes e diferentes uma das outras, agora estavam uniformemente adquirindo um tom roxo escuro, sua trajetória circulava o corpo de Ariel com ainda mais agressividade.

I-isso é muito maior do que da última vez.

Enquanto isso, o Fenrir estava ganhando tempo lutando contra o Ente, o campo de batalha dos dois estava preenchido com o sangue da besta ancestral, mas mesmo assim, o Fenrir não recuou em nenhum momento. Ele não confiava no garoto, só estava fazendo isso porque sabia que Ariel estava no mesmo barco que ele, a única maneira de continuar vivo seria se os dois cooperassem um com o outro.

Já o Ente, não cessava seus ataques por nenhum instante, mais e mais raízes surgiam do chão e iam em direção ao Fenrir. E mesmo percebendo que Ariel saiu furtivamente do confronto, o Ente não se importou, pois sabia que sua existência não era de muita importância.

Afinal, o que poderia um humano na quarta camada da terra, fazer a uma besta épica do sexto nível ?

A luta continuou por mais alguns minutos, o Fenrir só tinha forças para se esquivar dos ataques do Ente, e era previsível que isso não duraria por muito mais tempo.

Uma besta aumentava a força e velocidade de seus ataques, enquanto a outra ficava mais fraca e vulnerável.

“Hahahahaha!”

As duas bestas viraram sua atenção para a direção da risada, e assim vendo o garoto que acabara de se levantar do chão.

Seu olhar não é um com receio e falta de confiança, sua expressão firme dá a impressão que é a de um guerreiro que está prestes a entrar em uma batalha que pode levar a sua morte.

“Chega de intervalos, se quem perecer hoje for eu, garanto que eu levo você comigo, Ente!”

Vendo isso, o Fenrir se afastou de perto do Ente, e agora estava realmente aliviado, ainda bem que pôs sua fé nessa possível situação. Agora só faltava esperar e ver o resultado.

Sem deixar a besta épica lançar outro ataque no Fenrir, Ariel usou seus ‘Passos da Tormenta’ para ficar a poucos metros do inimigo.

Indignado com a audácia do garoto, o Ente começou suas investidas ainda mais fortes e rápidas contra o garoto.

Eu estava sendo burro apenas lançando ataques imprudentes, esse Ente deve ter seu ponto fraco, só basta eu acha-lo… E eu consigo criar aberturas para isso.

Galhos quase acertavam Ariel por uma diferença de milímetros, e muitas vezes eram usados por Ariel como uma maneira de desviar das raízes do Ente.

“Em velocidade, eu ganho de você.”

‘Técnica da suavização’ está no nível intermediário da terra, e já consegue fazer com que a diferença entre poder dos dois diminua dessa maneira, imagine quando atingir classes ainda mais altas…

Pensando nisso, Ariel lembrou algumas coisas que seu mestre costuma dizer.

“Muitos cultivadores nobres costumam ter inúmeras artes marciais e magias em seu arsenal Ariel, mas se isso ocorre, é difícil deixar alguma delas em um nível invejável, essa será uma de suas vantagens.”

“Não me entenda errado, com o tempo você vai adquirir outras habilidades, porém as que lhe ensinei sempre estarão disponíveis para lhe ajudar, sempre se lembre disso: ‘Técnica da suavização’ nunca chegou nem perto de ser completada por mim, também é possível ser combinada com varias outras habilidades, e para decidir quais são elas, é a escolha de um cultivador.”

Obrigado mestre, eu prometo que vou completa-la por você.

“Espere!”

Tentando achar algum ponto fraco do Ente, Ariel percebeu que a corrente de Qi ligada às raízes vinha das “pernas” da besta.

Ariel ficava com menos espaço conforme o tempo passava, mas as duas bestas não perceberam que ele estava apenas tentando chegar ainda mais perto do Ente.

“Só mais um pouco.” E enganando seu adversário, Ariel se deixou ser atingido por um galho, o fazendo ficar a centímetros das pernas do Ente.

Minha ultima chance…

Posicionando seu corpo horizontalmente com os pés em uma das pernas enquanto sua cabeça estava virada em direção a outra, Ariel cerrou os dentes e começou a liberação de suas energias.

Estupefato pela ridícula quantidade de Qi nas suas pernas, a besta virou sua atenção para baixo, ao mesmo tempo ele começava a fazer com que a vegetação a sua volta ficasse ainda mais densa e assustadora.

Os pés de Ariel revelariam sua imagem de costume se não fosse apenas por um fator. Além dos pés, suas pernas também começaram a produzir descargas elétricas.

E lentamente, a perna do Ente começou a se deteriorar até o momento em que Ariel a usou como um impulso, a fazendo com que se quebrasse por completo.

Nos olhos do Fenrir, uma grande explosão se formava na parte inferior do corpo do Ente, resultando em um momentâneo desequilíbrio da besta. Mas o que deixou o Fenrir ainda mais estupefato foi o fato de que não tinha parado por aí.

“Força de 7 Kaizens!”

No momento em que o punho de Ariel se chocou com a perna restante do Ente, parte do solo começou a levemente se rachar.

E o jovem que lançou o ataque na esperança de conseguir despedaçar a perna restante de seu inimigo, abriu a boca em sinal de espanto.

Pois… Seu ataque havia destruído, além da perna, quase toda a parte direita do corpo do Ente!

A diferença de apenas um Kaizen conseguiu fazer isso ?!

Em uma fração de segundos, o corpo do monstro que foi atingido estava prestes a se chocar com o chão, e Ariel secretamente comemorava a sua tão sofrida vitória.

Mas o que ele não havia calculado, é que esse evento podia acabar custando também a sua vida, pois pouco antes da colisão acontecer, o Ente começou a liberar todo seu poder restante em apenas uma raiz.

“Bow!”

Toda a estrutura do Ente se despedaçou em todo o chão, mas nem Ariel nem o Fenrir mostraram sinais de alívio, pois a mesma raiz continuava a crescer juntamente com a quantidade de Qi que recebia da besta.

“Você só pode estar brincando comigo!”

Conforme os segundos passavam, a raiz ficava cada vez mais ereta, e quando Ariel, quase sem forças para se proteger de uma possível investida esperava pelo pior, ele percebeu que a estirpe ereta estava começando a inclinar sua ponta aguda em direção do Fenrir.

Como essa besta épica teimosa ! Mesmo percebendo que o maior contribuinte para sua queda era Ariel, ele decidiu focar seu último ataque na besta ancestral com o maior nível da terra.

Essa situação era ideal para Ariel, contanto que ele não fosse o alvo, sua vida ficaria intacta.

Mas por algum motivo ele não se sentia bem com isso, o Fenrir lutou e o ajudou até o final de sua luta, e agora morreria.

Por que estou pensando nisso ? Esse Fenrir me mataria se tivesse a chance… Mas mesmo assim nós nos ajudamos… Arghh! Isso não vai ser bom, porém eu não consigo deixa-lo para morrer.

Antes mesmo da raiz iniciar sua trajetória na direção Fenrir, Ariel começou a correr em direção dele, graças a sua arte marcial, os empecilhos no seu caminho não tinham tanta importância.

No entanto, parecia que a eficiência de Ariel não importava, pois a raiz já estava a poucos metros da besta negra.

S-se eu usar o restante de energia que tenho… Talvez eu consiga algo, mas eu e o Fenrir vamos sofrer uma queda de muitos metros. NÃO! Se eu ficar hesitando dessa maneira, eu vou estar me entregando ao desespero igual mestre Kanri disse.

Prestes a atingir o Fenrir encostado em uma árvore, à raiz estava em uma velocidade quase parecida com a magia de Ariel. E a besta negra sabia o resultado do confronto, sua energia restante quiçá era suficiente para se levantar.

Ao fechar seus olhos, esperando o fim, o Fenrir sentiu uma pancada em seu corpo, sem mencionar uma grande explosão de Qi, talvez a maior que viu em toda sua vida.

No entanto, abrindo os olhos, ele percebeu que a pancada que recebeu era o corpo do jovem Ariel, e rapidamente entendeu que essa criança na quarta camada da terra acabara de salvar sua vida.

Sem saber o que esperava abaixo de si, Ariel ao lado do Fenrir, disse apressadamente olhando para o lobo enquanto ambos despencavam: “Acho que essa é a coisa mais estupida que já fiz em toda minha vida…”

 

 

 

Nota: Feliz Natal atrasado! Demorei pra escrever esse capítulo, a preguiça mata, sry. Se acharem erros/incoerências me avisem! Estou sempre aberto a críticas, contanto que me ajude a deixar isso cada vez melhor.

Até o próximo capítulo.

Comentários