iLivro

Suportar até ir embora

 

Na manhã seguinte todos já estão em sua nova sala, Zorgnatron entra andando meio encurvado, não conseguia ficar totalmente ereto pois sempre que tentava sentia uma forte fisgada na costela fazendo-o perder o fôlego.

Ao entrar Salib olha para ele com um ar zombeteiro e um leve sorriso pôde ser visto em seu rosto. Enquanto dirigia-se para seu assento Neala percebe uma mancha roxa abaixo do olho direito de Zorgnatron, ela imediatamente lança o olhar para Salib em tom de desaprovação, Salib encolhe os ombros acenando com as mãos sinalizando não fazer ideia do que havia acontecido.

Enquanto todos ainda se acomodavam em seus lugares, um ancião vestido com uma túnica elegante na cor marrom cheia de adornos de cor verde escuros, entra na sala, passa o olhar em todos e por um breve momento para seu olhar sobre o hematoma no rosto de Zorgnatron e diz:

— Bom dia a todos. Nestes dois meses restantes serei o responsável por todos vocês, meu nome é Susman, a partir de hoje iremos nos aprofundar nos assuntos relacionados a cerimônia do despertar que está por vir bem como os primeiros passos após o despertar, conversas paralelas não serão toleradas.

Este era Susman, o ancião do Império que era encarregado de preparar as crianças no último estágio antes da cerimônia, apesar de sua idade avançada por volta dos 60, 70 anos, nenhum fio de cabelo branco podia ser visto em sua cabeça, seus cabelos eram negros como a pedra de ônix, sua pele era lisa e apesar de algumas marcas de expressões causadas ao longo dos anos, não continha nenhum sinal de velhice, realmente aparentava estar por volta dos 30, 40 anos.

Seus olhos eram muito vivos, um simples olhar lhe dava a sensação de que este ancião era alguém que tinha passado por muitas coisas e possuía um vasto conhecimento, suas sobrancelhas tão grossas quanto a base de seu nariz, lhe passava um ar ainda mais dominador.

— Uma das coisas mais importantes a se saber, é que nem todos conseguem despertar sua habilidade inata e manipular o Shakti, existe uma pequena parcela que não consegue criar uma conexão com o mundo dos imortais e por isso está fadado a viver como uma pessoa comum pelo resto de suas vidas.

— A forma de identificar se a pessoa despertou ou não sua habilidade é bastante simples, aquele que consegue criar a conexão com o mundo dos imortais, no momento em que sua habilidade se desperta ela se manifesta involuntariamente permitindo que todos saibam que tipo de habilidade ela possui. Se a pessoa não conseguir estabelecer uma conexão, nada acontecerá.

— Para aqueles que não despertarem sua habilidade, lembrem-se do que eu vou lhes falar agora. Vocês não podem em hipótese alguma tentar manipular o Shakti forçadamente. Isso porque aquele que desperta sua habilidade e passa a manipular o Shakti, o faz absorvendo a energia dos céus, o que só é possível para aqueles que criaram a conexão com o mundo dos imortais.

Se você tentar manipular o Shakti sem ter criado essa conexão, o que você utilizará não será a energia dos céus e sim sua energia vital, um mero segundo utilizando a energia vital para manipular o Shakti consumirá décadas de sua vida. Algumas crianças em meio ao desespero temendo trazer desonra para sua família, acabam morrendo durante a cerimônia por manipular o Shakti forçadamente.

Então lembrem-se, tudo o que vocês têm de fazer durante a cerimônia é fechar os seus olhos e se concentrar deixando tudo fluir naturalmente, se nada acontecer, permaneçam calmos e concentrados, não joguem suas vidas fora precipitadamente.

Neste momento, a maioria dos que estavam em classe abaixaram a cabeça, a tensão poderia ser vista em seus rostos, eles temiam não despertarem suas habilidades. Além de trazer tristeza e vergonha para seus familiares, eles teriam de viver como um simples humano pelo resto de suas vidas.

— A pesar das habilidades inatas serem únicas de forma que não podem ser aprendidas e nem passadas a outro alguém, por estarem adormecida em nossa corrente sanguínea, de certa forma ela pode ser manipulada. É comum algumas famílias não permitirem que seus membros se relacionem com membros de outras famílias permitindo o casamento apenas entre si, dessa forma, eles evitam que as informações genéticas contidas em seu D.N.A se misturem com a de outras famílias correndo o risco de enfraquece-las ou desaparecer nas gerações futuras.

Um belo exemplo disso, são as sete famílias guardiãs. Elas preservam a continuidade de suas habilidades entre si, dessa forma a cada geração que passa elas tem se despertado com poder cada vez mais forte devido a pureza contida em seu D.N.A, além disso elas praticam habilidades compatíveis com sua habilidade inata o que aumenta e muito o seu poder de batalha.

— Hoje nesta classe nós temos três das principais famílias guardiãs de nosso reino, são elas:

— Ária Sagrada representada por Neala, Leão Azure representada por Zorgnatron e Lâmina de Ofíon representada por Salib e os demais membros.

— A família Ária Sagrada tem se especializado em habilidades de cura e suporte tendo uma habilidade inata com poder de cura surpreendente que foi cultivada durante várias gerações de sua família.

— Já a família Leão Azure é especializada no elemento relâmpago, seus membros despertam habilidades inatas com um poder de destruição devastador, após desperta-las seus membros treinam habilidades de natureza elétrica para fortalecer o seu poder.

— Os membros da família Lâmina de Ofíon representada por Salib e seus familiares aqui presentes são especializados no elemento vento, suas habilidades inatas podem ser tanto baseadas em ataque quanto em movimento, quando combinadas com outras habilidades são adversários difíceis de acompanhar no campo de batalha.

— É claro que além delas existem vários outros tipos de habilidades, algumas mais fracas e outras mais fortes. Mas o que define o futuro de uma pessoa nem sempre é a habilidade que ela possui, mas sim a forma de como ela a usa. A minha habilidade por exemplo, ela me dá a capacidade de multiplicar qualquer parte do meu corpo, no início pensei que ela não seria muito útil além de me manter vivo no campo de batalha, pois caso perca um membro ou até mesmo meu próprio coração eu posso substituí-los, mas após conhecer melhor minha habilidade passando por um rigoroso treinamento, sou capaz de usa-la no campo de batalha não só para minha sobrevivência, mas também para o ataque.

— Agora posso criar qualquer membro em qualquer lugar, posso simplesmente criar uma perna em minhas mãos pegando o inimigo de surpresa o deixando inconsciente, ou criar um braço em minha perna e pegar o inimigo em suas partes baixas, pode parecer um golpe vil, mas é extremamente eficaz e já salvou minha vida uma vez, no campo de batalha o mais importante é permanecer vivo não importa o que. — Disse com os olhos cheios de determinação e em tom de justiça.

— Este é o básico sobre habilidades inatas que veremos por hoje, aprofundaremos mais neste assunto nos dias seguintes.

— Agora irei revisar e fortalecer alguns pontos a respeito do Shakti, basicamente a vida de qualquer pessoa após o despertar gira em torno dele.

— O Shakti é o que nos permite absorver a energia dos céus, quanto mais treinamos, maior é a quantidade de energia que podemos absorver, conforme você evolui, sua afinidade com o mundo ao seu redor assim como sua compreensão, se tornam cada vez maior. O Shakti também é conhecido como energia dos deuses ou poder dos deuses.

— Inicialmente o Shakti é dividido em três domínios, que são:

— Domínio Físico, Domínio da Alma e Domínio Espiritual. Ao atingir o ápice de cada domínio você se torna menos humano e mais próximo de ser um imortal.

— O Domínio Físico trata do refinamento do seu próprio corpo, neste domínio seus corpos recebem alterações para suportarem a carga de absorver e armazenar a energia do céu, é composto de nove níveis tendo a evolução mais rápida de todos, em média um cultivador leva em torno de 1 ano 1 mês e 14 dias para ir do 1º ao 9º nível do Domínio Físico, alcançando o ápice estando com oito a nove anos de idade.

— Em média após dois meses e dezesseis dias de treinamento é possível atingir o 1º nível do Domínio da Alma. Neste domínio o que será refinado será a mente do cultivador levando o seu entendimento, raciocínio e compreensão do mundo ao seu redor muito maior do que o de um ser humano normal, em média um cultivador leva em torno de 4 Anos 3 Meses e 28 Dias para ir do 1º ao 9º nível do Domínio da Alma, alcançando o ápice com doze a treze anos de idade.

— E por último temos o Domínio Espiritual que do 1º ao 5º nível trata de refinar o seu ser por completo, desde a sua essência, consciência e físico, os níveis seguintes tratam de fortalecer a sua conexão com a energia dos céus permitindo que o cultivador tenha um crescimento monstruoso em todas as suas habilidades, em média um cultivador leva 36 Anos 10 Meses 17 Dias para atingir o ápice deste domínio estando com a idade de 49 a 51 anos.

— Ainda existem dois domínios além desses que são:

— Domínio Celestial e Domínio Transcendente. Entretanto O Domínio Celestial é algo que ainda está muito distante para vocês e explica-lo agora só irá assusta-los. Quanto ao Domínio Transcendente o último registro de alguém que atingiu tal nível em nosso reino foi a mais de mil anos atrás.

— Nossa, mil anos atrás…

— É tão difícil assim?

— Quão poderoso é este domínio?

Os alunos começaram a se agitar pensando em quão formidável deveria ser a pessoa que atingiu este domínio. A aula continuou, mais e mais explicações foram dadas nas 3 horas seguintes sem interrupções. É preciso dizer que o mestre Susman é muito detalhista beirando o perfeccionismo, suas aulas são extremamente teóricas e tediosas para crianças de apenas sete anos.

Para Zorgnatron que é desleixado por natureza e que tinha se habituado a estar na companhia de Pullan que durante as aulas que lhe servia como uma válvula de escape do tédio, essas aulas eram uma verdadeira tortura.

Finalmente a hora do almoço chegou, além do corpo dolorido, Zorgnatron agora sentia que sua cabeça estava do tamanho de uma melancia, nunca tinha absorvido tanta informação, sempre que tentava se distrair com alguma outra coisa, por mínimo que fosse seus movimentos, mestre Susman lhe fitava o olhar obrigando-o a manter-se atento todo o tempo. Sentia-se aliviado por estar na hora do almoço, teria pelo menos duas horas de descanso e descontração com seu amigo Pullan.

Ao chegar ao pátio central Pullan já estava lá, era um garoto franzino, comprido, porém magro. Com cabelos e sobrancelhas ruivos ele se destacava em meio à multidão.

— Aqui, aqui, anda logo não foi fácil guardar esse lugar corre!

Zorgnatron deu um sorriso sem graça, ainda andando encurvado devido as fisgadas na costela não pôde fazer muita coisa a não ser apertar os passos e se segurar para não fazer uma careta de dor.

— O que aconteceu? Porque você está andando desse jeito? Parece um velhote andando encurvado.

— Eu caí, tive um sonho em que estava lutando contra uma besta selvagem caí da cama e bati a cara no criado, depois disso quanto tento ficar ereto minhas costelas doem, por isso que estou andando assim.

— Caiu é, acho que você anda comendo demais antes de dormir, minha mamãe nunca me deixava comer muito a noite, ela dizia que eu iria ter pesadelos a noite se eu comesse demais.

Zorgnatron deu um riso sem graça desviando o olhar, ele não gosta muito de mentir, nunca foi bom com isso. Ainda mais quando tinha de mentir para um amigo, isso o fazia se sentir pior ainda.

— Me conta, como foi a aula nova? Como é o seu mestre? Ouvi falar que é aquele sobrancelhudo do Susman é ele mesmo?

— A aula foi um tédio, nunca sofri tanto em uma aula quanto hoje. Esse velho é muito esquisito, ele não para de falar hora nenhuma, eu não podia fazer nada que ele já me olhava com aquelas sobrancelhas grossas, tinha de ficar olhando pra ele o tempo todo. Minha cabeça parece que vai explodir, até agora ouço ele falando Domínio isso, Domínio aquilo, ele parece um maníaco que não sabe fazer outra coisa a não ser falar. Disse em um tom de desabafo, ele não percebeu mas falou tudo sem ao menos respirar.

— Nossa hahaha… ainda bem que não tenho sete anos ainda. Disse rindo descontraidamente da expressão indignada do amigo.

— E a Neala mais o Salib, eles não se estranharam hoje?

Ao ouvir o nome de Salib Zorgnatron imediatamente ficou com uma expressão séria puxando um pouco de ar.

— O que foi? Porque ficou tão sério de repente?

— Como assim? Eu não fiquei sério, estou normalmente normal. — Disse com uma expressão totalmente desconcertada.

— Uhum e eu não te conheço né, você é tão bom em mentir quanto é bom em cozinhar.

— Ué, mas eu não sei cozinhar. —

— Exatamente, desembucha, fala logo. — Disse cerrando os olhos.

Zorgnatron bateu a mão na testa e disse:

— Ai, ai, ai, tá bom, tá bom. Mas você tem que me prometer que não vai fazer nada, estamos quase indo embora e eu não quero nenhum tipo de confusão antes de ir, quero voltar dando orgulho a meus pais. — Apesar de ser mais novo que Zorgnatron, Pullan é muito mais esquentado, ele não é do tipo que leva desaforo pra casa e sempre esteve metido em confusão.

— É que pouco tempo depois que você foi embora, alguém bateu na porta do meu quarto, eu achei que era você e logo fui abrindo a porta. Só que não era você era o Salib, ele e mais cinco membros da família dele. Ele disse que tinha vindo para acertar as contas por eu ter falado para todos da sala ouvir que ele só servia para nos fazerem rir, eles foram lá e me bateram todos os seis, por isso que estou andando assim e com esse roxo na cara.

— Mas quem ele pensa que é?! Ele não tem coragem de te enfrentar sozinho, aquele mariquinha tinha que levar mais cinco meninos? Sorte dele que também sou o único de minha família aqui, os outros são todos bem mais novos, se não ele ia ver uma coisa. — Exclamou quase com fogo nos olhos.

— Deixa isso pra lá, depois quando saímos daqui talvez eu nem veja ele mais. Além disso mesmo que nos encontremos no futuro eu não serei mais o mesmo, já terei despertado a minha habilidade e já estarei cultivando o Shakti, o dia dele ainda vai chegar ele terá o troco que merece. Mas até lá quero ficar tranquilo até voltar para a minha família, o que são alguns anos para se obter uma bela vingança? Estou com saudades do papai e da mamãe, já tem três anos que não vejo eles, prefiro suportar até ir embora do que tomar alguma atitude que possa entristece-los logo no final.

— Tem certeza que quer deixar isso assim? Você é muito calmo, se fosse comigo eu faria alguma coisa, quem ele pensa que é? A família dele não passa de uma família de fracotes das sete famílias guardiães eles são os mais fracos, mesmo a sua sendo a quinta família vocês são mais fortes que eles, nem assim ele te respeita.

— Gostaria de ver ele mexer comigo, a minha família Flama Ardente é a terceira mais forte gostaria de saber se ele tem tanta coragem assim.

— Vamos esquecer isso, vamos comer e ir para algum lugar interessante.

O tempo passou, logo já era o dia de voltarem a suas famílias, os dias de Zorgnatron não foram tão tranquilos como antes, de vez em quando pelo menos uma vez por semana, Salib iria atormentar Zorgnatron, ele não o batia, mas sempre o humilhava. Zorgnatron aguentava tudo, ele não queria levar nenhuma notícia que iria desagradar seus pais, ele sempre suportava pensando em um dia retornar tudo em dobro para ele.

Neala por sua vez não falou com Zorgnatron um dia sequer, simplesmente o ignorava, era como se ele não existisse.

Pullan e Zorgnatron sempre se encontravam na hora do almoço, brincavam e se divertiam. Por fim no dia da despedida ele fizeram a promessa de se encontrarem e de alguma forma andarem juntos nem que seja de vez em quando eles deveriam fazer algumas missões juntos.

҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉
Nota do Autor: Obrigado por lerem mais este capitulo, espero que estejam gostando.
Irei falar um pouco da personalidade de Zorgnatron e Pullan.
Os dois criaram um forte laço nesses três anos que estiveram juntos.
Zorgnatron desde muito novo, tinha a capacidade de pensar antes de agir, mesmo ainda possuindo uma mentalidade infantil devido a sua idade atual ele sempre mede os prós e contras de uma situação e tenta agir conforme o seu julgamento.(isso não quer dizer que ele sempre acerta em suas escolhas)
Por outro lado Pullan sempre foi um garoto impulsivo quase explosivo, é do tipo que bate primeiro para depois pensar.(talvez tenha algo haver com o fogo que quase “literalmente” corre em suas veias, vai saber)
Quando ele faz um amigo é de verdade, seu amigo estando certo ou errado se precisar ele vai ajudar.
҉•҉•҉•҉? •҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉? •҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉

Comentarios em OSZ: Volume 1 Capítulo 2

Categorias