iLivro

Preparativos

 

Ao sair da escola imperial na qual viveu por três anos, os servos de sua família já estavam a sua espera. Com brilho nos olhos Zorgnatron procurava entre as pessoas por seu pai e sua mãe, ele estava com muita saudade, queria logo poder abraça-los.

— Olá jovem mestre, seu pai nos enviou para lhe buscar. — Disse um dos servos que estava mais a frente, ele aparentava ter seus 30 a 40 anos, era o encarregado chefe pela guarda da viagem, seu Shakti estava no 4º nível do Domínio Espiritual.

— Papai e Mamãe não vieram? — Disse em um tom apreensivo olhando ansiosamente para a porta da carruagem que o aguardava enquanto mantinha a esperança de que seus pais estariam fazendo algum tipo de surpresa e saindo de lá a qualquer momento.

— Jovem mestre, infelizmente eles não puderam vir. Todos estão muito atarefados com os preparativos da cerimônia do despertar, faltam apenas sete dias, e como nossa viagem dura quatro dias, dois para ir e dois para voltar, seria um período muito longo para estarem ausentes em um momento tão importante.

— Tudo bem… vamos indo então. — Disse com a voz um pouco trêmula, por ser ainda uma criança, tudo o que ele pensava nesse momento era que talvez seus pais não gostassem tanto dele assim.

— Formação! — Exclamou o chefe da guarda enquanto abria a porta da carruagem para Zorgnatron entrar.

Imediatamente os outros quatro servos encarregados da escolta pularam a diante das quatro pontas da carruagem, cada um em uma ponta diferente mantendo apenas um metro de distância de cada ponta, desta forma a protegiam por todos os lados. Dois deles tinham o Shakti no 1º Nível do Domínio Espiritual enquanto os outros dois estavam no 2º nível do mesmo Domínio.

Perdido em pensamentos, Zorgnatron mal olhou para os servos em formação ou para a carruagem, simplesmente entrou como se nada importasse. Isso incomodou um pouco o chefe da guarda, pois esta era uma de suas carruagens mais nobres, era uma carruagem imponente, de cor branca com adornos exuberantes na cor azul e dourada, em sua parte traseira estava o emblema de sua família entalhado em relevo com o nome Leão Azure escrito logo abaixo. Era uma carruagem muito luxuosa, chamaria a atenção de muitos onde quer que fosse, ele esperava que Zorgnatron esboçasse pelo menos alguma reação ao vê-la.

Após dormir um pouco o humor de Zorgnatron foi melhorando, quando acordou era fim de tarde, o sol começava a se por. Vislumbrando a decoração interna de onde estava, já tinha se esquecido completamente de sua frustração anterior, tudo o que sentia agora era uma imensa empolgação. A final de contas, por três anos esteve confinado na escola inicial da cidade imperial sem permissão para sair a lugar algum. Podia se dizer que o mundo lá fora ainda era uma terra desconhecida repleta de tesouros, criaturas e aventuras fabulosas na qual ele acabara de pôr os pés. Só em pensar que daqui uma semana ele poderia vagar livremente por este mundo mudando sua vida completamente, seu sangue fervia. Ao abrir as cortinas que cobriam as janelas da parte frontal da carruagem exclamou:

— Nossa!

— É um Javali Pumbaniano, e esse é dos grandes!

— Eu estudei sobre ele, é um tipo de fera que de alguma forma também conseguiu desenvolver seu Shakti, são extremamente ágeis e fortes, os mais fortes já encontrados tinham o Shakti no 4º nível do Domínio da Alma, esse deve estar bem perto disso. Que legal!

Realmente este era um animal de encher os olhos, medindo 2,45 de comprimento, 3,12 de altura e 1,73 de largura, era extremamente robusto, sua coloração preta com rajadas alaranjadas possuindo uma pelagem alta e espessa no topo de sua cabeça que seguia em linha reta até o fim de seu pescoço no mesmo tom de suas rajadas, o dava um ar extremamente selvagem. Isso sem contar as enormes presas de meio metro saindo de cada lado de sua boca

Apesar de sua aparência feroz, era um animal que possuía melhor serventia como um meio de transporte do que em combate, isso porque possuía resistência e velocidade extremamente elevadas quando comparado a outras feras com Shakti de mesmo nível.

Zorgnatron deslocou o olhar a frente do Javali Pumbaniano e viu o chefe da guarda correndo a frente dele, se o chefe da guarda virasse para esquerda, ele também virava o seguindo, caso virasse à direita, o mesmo movimento seria feito pelo Javali. Realmente ele era muito bem treinado. Mas o que mais surpreendeu Zorgnatron não era a sua obediência, mas sim a velocidade, tanto o Javali quanto os cinco guardas estavam correndo a uma velocidade insana.

— Eles são realmente rápidos.

— Não estão nem suando!

— Sênior, você sabe me dizer a que velocidade estamos viajando?! — Gritou Zorgnatron com a cabeça de fora da janela.

— Aproximadamente 110Km/h, jovem mestre descanse, ainda temos 36 horas de viagem pela frente.

— Uau! — Exclamou Zorgnatron.

Viajando ininterruptamente por 48 horas a uma velocidade de 110Km/h eles percorreram um total de 5.280 quilômetros. Passando por vales, bosques e uma cadeia de montanhas, eles finalmente chegaram a Província leão Azure, local que sua família governava a várias gerações. Ao parar, jatos violentos de vapor visíveis a olho nu saiam das narinas do Javali Pumbaniano, de uma maneira dominadora, a determinação em seus olhos continuava a mesma, era como se ele dissesse que estava pronto para outra.

Os dois guardas que estavam no 1º nível do Domínio Espiritual ofegavam deixando transparecer sinais de cansaço estando encharcados de suor, os outros dois que estavam no 2º nível do mesmo Domínio ofegavam levemente, já o chefe da guarda que estava no 4º Nível do Domínio Espiritual permanecia imutável, era como se tivesse feito uma simples caminhada.

— Como é grande, nossa cidade é realmente enorme!

— Haha pequeno mestre você ainda não viu nada, essa é só uma pequena parte onde os principais membros e líderes de nossa família vivem, o território que nossa família governa é muito maior que isso.

— Estou muito ansioso, assim que eu despertar minha habilidade inata e começar a manipular o Shakti, quero sair para conhecer cada parte de nosso território.

Os olhos de Zorgnatron brilhavam, construções enormes, manipuladores de Shakti das mais variadas formas, visitantes de outras famílias, era um local cheio de vida totalmente diferente de onde tinha vivido por três anos. Ao virar em uma determinada rua, uma construção erguida de forma peculiar chamou-lhe a atenção, era um prédio de quinze andares totalmente feito de metal, mas não era um metal qualquer, era um metal negro, naturalmente preto-piche, e o que mais intrigou Zorgnatron era que no momento em que os raios solares tocavam no prédio, o metal negro absorvia toda a luz, era como se ele estivesse se alimentando do próprio sol, nem o mínimo reflexo era emitido, tudo era absorvido.

Descendo o olhar pôde ser visto escrito de forma bem imponente com letras grandes que ocupavam todo o terceiro andar:

— Guilda Tecnológica Ferro Negro… Sênior, quem são eles?

— Humpf — Resfolegou com desdém. — São apenas um bando de pessoas insignificantes que se acham importantes, pequeno mestre, há coisas muito mais interessantes para conhecer, depois que se encontrar com sua família eu mesmo posso mostra-lo, mas por favor, não perca tempo aqui.

Zorgnatron pôde sentir um pouco de raiva em seu tom, isso o fez permanecer calado, não comentou mais nada, mas não pôde parar de pensar naquele lugar, era de fato muito intrigante. Ainda mais pelo fato de que o nome da Guilda estava escrito com as cores de sua família, possuía os caracteres na cor azul azure e no fundo tinha uma luz dourada pulsante. Zorgnatron ainda não entendia muito sobre os assuntos dos adultos, mas para ele, só pelo fato de uma estrutura tão imponente ter seu nome escrito respeitando as cores de sua família, significava que eles a respeitavam, então porque o sênior da guarda não o respeitava?

Enquanto estava perdido em seus pensamentos, no 15º andar um homem os observava com seus braços cruzados e cenho franzido, era um homem alto, media 1,87 de altura, possuía vestes negras e seus dois braços não eram comuns, eram braços mecânicos. Seu olho esquerdo também não era comum, era modificado tecnologicamente, emitia uma luz vermelha que permitia-lhe acompanhar os dois como se estivesse os seguindo por traz.

— Jovem mestre chegamos.

— Nossa, como é bonito! — Exclamou com brilho nos olhos.

É válido dizer que por ter saído de casa ainda sendo tão pequeno, Zorgnatron não tinha lembranças de como era sua casa ou a cidade em que vivia, as únicas lembranças que tinha em sua mente era a de seus familiares.

Eles estavam em frente ao portão que guardava a entrada do pátio onde viviam. Era um portão grande com 3,50 metros de altura e 3.00 de largura, era de cor branca, no meio estava o símbolo de sua família, o Leão Azure, logo acima de forma que preenchia todo o portão estava escrito:

Terceiro Elder Leão Azure

— Vamos, abra o portão. — Disse o chefe da guarda com um belo sorriso no rosto.

— Bem-vindo de volta! — Vários exclamaram ao mesmo tempo.

Ao abrir o portão Zorgnatron estava surpreso, os outros quatro guardas já estavam lá, além disso todos os seus familiares e amigos próximos da família também estavam lá, uma enorme mesa foi preparada no centro do pátio com um suntuoso banquete que permeava o ar com um delicioso aroma.

Havia pelo menos uma centena de pessoas naquele lugar, todos os membros mais próximos de sua família vieram para assistir à cerimônia do despertar, até mesmo alguns familiares por parte de sua mãe, que são membros da família Ária Sagrada compareceram.

— Filho que saudade, como você cresceu! — Gritaram ao mesmo tempo seu pai e sua mãe.

— Papai, Mamãe! — Gritou Zorgnatron enquanto corria de braços abertos para seus pais.

— Como está o meu filhinho? Se cuidou direitinho? Aprendeu muita coisa? Comeu bem? Arrumou alguma namoradinha por lá? Olha como você cresceu! — Disse a mãe cheia de empolgação e felicidade enquanto abraçava e cheirava seu filho.

— Estou bem mamãe…

— Ora não encha o garoto de perguntas, ele acabou de chegar, aposto que ele está cansado e com fome. — Disse seu pai enquanto colocava o filho em seu ombro esquerdo.

— Cansado eu não estou não, mas com fome, hummm… — Disse com um largo sorriso enquanto esfregava as mãos em sua barriga.

— Onde está meu irmão?

— Não sei, ele estava aqui agora pouco, não faço ideia de onde ele se meteu. — Disse o pai

— Olha se não é o meu netinho, o filhotinho mais novo da família, vem cá dar um abraço na sua vovó. Disse uma velha encurvada que estava sentada perto da mesa.

— Vovó! — Zorgnatron correu e pulou em seu colo.

— Você cresceu! Mas está muito magro, minha nossa parece um doente! Menino com saúde é menino gordo, vem, vem comer com a vovó, fiz um bolo delicioso para você de sobremesa.

— Zorgnatron, você chegou hehe! — Exclamou um garoto que saia de dentro da casa, ele aparentava ter uns 12 anos.

— Agláxis! Achei que não ia vir me ver, onde você estava irmãozão? Perguntou enquanto abraçava seu irmão.

— E você acha que eu ia deixar meu irmãozinho de lado? É que minha barriga doeu bem quando você estava chegando e eu tive que ir no banheiro cagar. — Disse com um sorriso meio torto coçando por de trás da cabeça.

— Vêm, vamos comer todos juntos! — Disse enquanto puxava seu irmão pelo braço rumo a mesa.

— Vovó cadê o vovô, porque ele não veio ainda? Perguntou Zorgnatron cheio de ansiedade, ele gostava muito de seu avô, em suas lembranças eles sempre brincavam juntos.

Nesse momento o clima ficou um pouco tenso, alguns abaixaram a cabeça e seus pais se entreolharam.

— Ele está ocupado em uma missão e não pôde vir, mas será que este avô aqui pai de sua mãe não serve? Perguntou um velho cheio de rugas, com cabelos e barba brancos e compridos.

— É claro que sim! Vamos, vamos. Disse enquanto puxava seu avô pelo braço, ele foi puxando seu avô e irmão pelo braço, um de cada lado até chegarem a mesa.

— Isso mesmo, vamos comer! — Vários exclamaram ao mesmo tempo.

Foi um dia muito bom, todos festejaram e conversaram sobre diversos assuntos. O foco principal das conversas era sem dúvidas a cerimônia do despertar, faltavam apenas cinco dias e todos estavam muitos ansiosos. As novas gerações carregam em seus ombros o futuro de suas famílias, crianças talentosas com fortes habilidades inatas eram a garantia de um futuro brilhante.

Quanto a Zorgnatron, seus familiares estavam bastante otimistas. Levando em consideração seu irmão Agláxis que despertara uma poderosa habilidade inteiramente nova em sua família, as expectativas quanto a habilidade de Zorgnatron cresciam a cada momento.

O tempo passou. Foram os melhores quatro dias da vida de Zorgnatron, reviu familiares, participava dos treinos do irmão, andava com seus pais, nunca se sentiu tão livre e amado quanto agora. Logo, o dia da tão aguardada cerimônia chegou.

Este era o dia do Solstício de inverno em imenso pátio foi preparado para a área da cerimônia, muito iluminado e muito bem decorado, em um local amplo, estruturado para suportar a presença de praticamente toda a província de forma que ninguém perdesse o evento, centenas de milhares de pessoas estavam ao redor com grandes expectativas, todos os doze Elderes da família também estavam lá juntamente com o Patriarca.

— Nossa quanta criança! — Pensei que só eu iria participar da cerimônia esse ano. — Disse Zorgnatron em tom de surpresa, além dele mais 272 crianças participariam da cerimônia deste ano, ele nunca imaginou que teria tantas outras crianças participando junto com ele.

— Haha bobinho, você diz isso porque foi o único de nossa família em sua classe? — Perguntou a mãe enquanto afagava a cabeça de seu filho.

Zorgnatron sorria enquanto recebia o afeto de sua mãe.

— Filho, você tem que saber que a escola onde frequentou não é um lugar onde todos têm acesso. A escola imperial é um lugar onde muitos querem estar, mas poucos podem ir, isso porque ela é um lugar feito para cuidar e treinar dos filhos de membros da elite do nosso continente, basicamente os que estudam lá são os membros das sete famílias guardiãs e os membros da nobreza que não fazem parte de nenhuma das sete famílias, mas ainda assim possuem um poder significativo em nosso continente. É claro que também há lugar para os cidadãos de famílias comuns, mas sendo eles os povos mais numerosos, não haveria como receber tantas crianças, por isso o processo de seleção para eles é bem mais estrito do que os outros. — Disse seu pai enquanto agachava para ficar na mesma altura que o filho.

— Apenas aconteceu de você ser o único de nossa família principal a completar sete anos esse ano, mas ano que vem por exemplo o número de crianças será bem maior. — Disse sua mãe. — As crianças que você vê aqui são todas de famílias que vivem na província governada pela nossa família Leão Azure, mesmo não sendo nosso próprio sangue ou membros da nobreza, ainda assim todo ano nós recebemos todos os seus filhos e fazemos uma grande festa juntamente de suas famílias. — Explicou sua mãe.

— Isso serve para mostrar ao povo que mesmo não sendo membros da nobreza ou mesmo não possuindo um grande poder, enquanto estiverem sobre o nosso governo, todos serão tratados com valor, dessa forma a confiança deles em relação a nossa família cresce a cada ano. Agora chega de tanta conversa, vai se juntar as outras crianças vai, seu lugar já foi separado e você será o primeiro da fila, quero que todos vejam o poder que meu filhote vai despertar hehe. — Disse seu pai enquanto dava leves palmadas no traseiro de seu filho fazendo com que ele andasse cada vez mais de pressa rumo ao pátio.

— Estou indo, estou indo…

҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉

Nota do Autor: Finalmente este arco da cerimônia do despertar está chegando ao fim e é aqui onde a história verdadeiramente começa.
Espero que estejam gostando da história até aqui, conto com o feedback de vocês. Duvidas, opiniões e sugestões são sempre bem vindas.
Forte abraço e uma ótima semana.

҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉•҉

Comentarios em OSZ: Volume 1 Capítulo 3

Categorias