iLivro

Sala de Reunião Secreta

 

Apesar de ser a primeira vez montando um Lince das Sombras, Zorg se adaptou surpreendentemente rápido. Em apenas uma hora de montaria, ele foi capaz de compreender todos os seus padrões de movimento e a melhor forma para corresponde-los, alcançando assim o equilíbrio perfeito.

— É realmente incrível, meu mestre não estava mentindo quando me disse que a escuridão da noite é como um parque de diversões para esta fera. — Disse Zorgnatron enquanto se admirava com o desempenho de sua nova fera.

Viajando por doze horas seguidas sem interrupções a uma alta velocidade, Zorgnatron chega aos portões da cidade juntamente com os primeiros raios de sol.

— Beleza chegamos. Isso foi realmente rápido, mas mesmo usando os óculos como meu mestre me recomendou ainda sofri alguns cortes superficiais. Tsk, o mais fino grão de areia pode virar uma lâmina quando se está em alta velocidade… Sigh — Suspiro — Ser fraco é revoltante. — Disse Zorgnatron enquanto descia de seu mais novo companheiro.

— Shadow, vamos entrar! Sim, este vai ser seu novo nome. Disse Zorg enquanto acariciava a cabeça de seu companheiro.

Ao chegar na cidade, algo que Zorgnatron não queria aconteceu. Ele estava chamando muita atenção, não pela sua presença, mas sim pelo que ele montava. Linces das Sombras não são muito comuns na região onde a família Leão Azure vive, e apenas alguns já o tinham visto antes, para a grande maioria, era a primeira vez que viam esta fera de olhos exóticos, seus grandes e reluzentes olhos prateados encantavam a qualquer um por onde passavam.

— Esta fera não é uma fera comum.

— É um Lince das Sombras, faz muito tempo desde a última vez que eu vi um, mas tenho certeza que é ele, não tem como confundir esses olhos. — Disse um velho que estava sentado em uma roda de amigos, todos os dias pela manhã eles se reúnem para conversar.

— Estranho, não são os Linces das Sombras quase como que uma exclusividade dos habitantes da cidade imperial? O que ele faz aqui? — Disse o outro velho ao lado.

— Não sei, e também não conheço quem o está montando.

— A direção em que ele está indo não é onde fica a casa do Terceiro Elder?

— Verdade, ele deve ser o único morando por esse lado que alguém da Cidade Imperial faria uma visita. Mas o Elder não foi convocado pelo Patriarca agora cedo?

— É melhor irmos avisa-lo não acha?

— Sim, vamos.

— Espero que ninguém me atrase. — Pensou Zorgnatron. — Hoje, cada segundo para mim é valioso. Apresse-se Shadow!

Aumentando sua velocidade, Zorg e Shadow Rapidamente chegam aos portões de sua casa.

— Auto lá! O Terceiro Elder não está, quem gostaria de vê-lo? — Disse um dos guardas do portão.

— Fico fora por apenas nove anos e é o suficiente para me esquecerem? Abra os portões, tenho algo importante que preciso resolver com meu pai. — Disse Zorg.

— Jovem mestre? Faz muito tempo desde sua última visita. — Respondeu o guarda.

— Não há ninguém em casa, seus pais saíram em uma reunião a chamado do Patriarca. — Disse um dos guardas ao lado.

— Você sabe sobre o que se trata essa reunião? — Perguntou Zorg.

— Não sei muito bem, mas acredito que esteja relacionado com o desaparecimento de várias crianças do vilarejo. De uns anos pra cá os números só estão aumentando. — Disse o guarda.

— Esse problema ainda persiste? Bom, verei sobre isso com meu pai depois. Por hora vou entrar e espera-lo.

— Tudo bem, tenha um bom descanso. E seja bem-vindo de volta. — Disseram os guardas enquanto abriam os portões.

— Obrigado, espero que tenham um dia tranquilo de trabalho. — Disse Zorg enquanto entrava, ele não demonstrava, mas estava tão ansioso para entrar que já estava ficando impaciente.

Ao entrar, tão rápido quanto pôde, Zorgnatron acomodou seu Lince das Sombras em um lugar confortável para que ele pudesse descansar e se recuperar da viagem, deu uma rápida conferida para ver se realmente estava sozinho em casa, e finalmente dirigiu-se para o quarto de seu irmão.

— Ok, é agora ou nunca. Por mais estranho que tudo isso está sendo, eu realmente espero que essa minha visão seja verdadeira. — Disse Zorgnatron enquanto estava parado em frente a porta do quarto de seu irmão.

— Se isso falhar… — Zorg puxou uma boa quantidade de ar e continuou. — …. Acho que vou perder a graça com tudo nessa vida, sinceramente não sei se vou conseguir suportar mais essa decepção. — As mãos de Zorg tremiam enquanto ele abria a porta.

Ao entrar, um frio tomou conta de seu estômago, seu coração começou a disparar e sua boca ficou seca. O pergaminho realmente estava lá, em cima da cômoda, exatamente como em sua visão.

— Puta… merda…

Zorg dá um arranco para frente correndo em direção a cômoda, pegando o pergaminho e quase caindo em cima da cômoda tamanha era sua empolgação. Após pega-lo ele se dirige a seu antigo quarto, tranca a porta, fecha as duas janelas e sentando no chão de pernas cruzadas ele começa a estudar o pergaminho como se não houvesse amanhã.

Enquanto ele lia, a informação entrava em sua mente cada vez mais rápido. Não parecia que ele estava simplesmente lendo aquele pergaminho, mas sim que ele estava absorvendo o pergaminho para dentro de si, cada letra, cada essência, tudo era absorvido por sua mente a uma velocidade impressionante.

— Eu pensava que minha facilidade em aprender a alquimia era porque eu tinha uma grande afinidade com ela, mas dessa vez foi o mesmo, parece que eu realmente tenho facilidade em aprender as coisas. Pelo menos é o que parece, depois de ter estudado sobre essa habilidade, é quase como se eu já tivesse usado ela antes. — Disse Zorg enquanto se levantava.

— Agora é a hora, ou eu vou morrer ou isso realmente vai funcionar.

— Fuuuuuuuuu… — Respiração profunda. — Vamos lá. — Enquanto Zorg regula sua respiração, ele começa a se concentrar na técnica que tinha acabado de estudar.

— A técnica Luva do Trovão, é uma técnica do 3º nível do Domínio Físico, então seguindo a lógica eu não deveria ser capaz de usa-la já que meu Shakti não está nem no 1º nível do Domínio Físico. Mas como tudo está apontando para este momento, que se dane, eu vou tentar, prefiro morrer tentando do que nunca tomar uma atitude.

— Concentre-se, localize seu coração com a mente, mas não se concentre nele, busque sentir a energia que vem por de trás do coração, é lá onde fica armazenado o Shakti. — Zorgnatron abre seus olhos repentinamente, tremendo da cabeça aos pés.

— Não pode ser! Quer dizer…. Tem que ser! Mas mesmo assim…. Isso é realmente verdade? Eu realmente senti alguma coisa!

— Vamos lá Zorg calma, mais uma vez e dessa vez é pra valer!

Ao fechar seus olhos, Zorg começa a se concentrar nos métodos de cultivo da habilidade que acabou de estudar, com pouco tempo, ele já estava familiarizado com a forma de encontrar e manipular o Shakti dentro de si, o próximo passo seria converte-lo em uma habilidade.

Concentrando-se mais profundamente, ele perde a noção do tempo, e logo mais de duas horas se passaram. Foi quando ele sentiu suas mãos formigarem. Seu corpo estava repleto de energia, era uma energia violenta e poderosa que estava obedientemente fluindo em seu corpo e se acumulando em suas mãos.

Ao abrir os olhos ele entra em puro êxtase, a técnica havia funcionado. Suas mãos estavam envoltas em uma energia azul clara e ao redor de seu corpo pequenos lampejos de luz podiam ser vistos em várias direções. Um vento vindo de lugar nenhum começou a soprar em todo o seu quarto, seus cabelos e roupas se debatiam em seu corpo.

— Arf… Arf… Argh…. Estou me sentindo exausto e eu nem cheguei a usa-la por completo, é melhor… eu testar logo antes que… meu corpo não suporte. — Disse Zorg ofegando bastante.

— Será que consigo… tirar pelo menos… uma lasca dessa parede? Vamos ver.

Uma quantidade de energia ainda maior se concentrou em seu punho direito emitindo uma forte luz, estalos como se fossem de um chicote ressoavam em seu redor.

BOOM!

— Heh, acho que… foi um pouco mais… do que só uma las…

— Zorg!

— Zorg!

— Zorgnatron meu filho, acorde! — Disse sua mãe enquanto usava técnicas de cura em seu filho.

— Pai, o que aconteceu com meu irmão? E o que ele está fazendo aqui? — Perguntou Agláxis com uma expressão bastante preocupada.

— Não faço ideia, assim que recebi o aviso de que alguém da Cidade Imperial estava vindo para cá eu vim o mais rápido que pude, mas nunca imaginaria que fosse ele. Quando chegamos, sua mãe e eu o encontramos inconsciente em seu quarto, uma das paredes do quarto estava totalmente destruída e sua mão direita estava cheia de queimaduras.

— Pai, aquele não é o meu antigo pergaminho? O que ele está fazendo aqui? — Disse Agláxis.

Olhando para onde seu filho apontava, ele vê o pergaminho, em um instante o pergaminho se move e reaparece em suas mãos.

— Isso…

— Marido, o que foi?

— Zafiryel, inspecione o Shakti de nosso filho. — Diz Azemir com o rosto pálido e temeroso.

— Porque? Nós já sabemos que el…

— APENAS FAÇA! — Exclamou Azemir.

— Isso… Isso… Marido…. Nosso filho despertou! Eu posso sentir o Shakti fluindo em seu corpo. — Disse Zafiryel em meio as lágrimas.

— Como isso é possível? Além do mais, esta habilidade…

— Confira sua vitalidade. Ela não foi alterada? — Disse Azemir atônito, perdido em pensamentos.

— Não, nenhum pouco. Ele está em perfeitas condições.

— Seu corpo está apenas exausto e eu já curei as queimaduras, ele deve acordar em pouco tempo. — Disse Zafiryel enquanto abraçava seu filho com força cheia de alegria.

— Isso é realmente muito bom! Isso é ótimo! Nosso filho não é mais um inútil! — Azemir estava radiante, saltava e gritava como se fosse uma criança, sua felicidade era tanta que nem Agláxis se lembrava de quando havia visto seu pai desta forma.

— Vamos leva-lo para nosso quarto, e quando ele acordar perguntamos sobre o que aconteceu. — Disse Zafiryel.

Enquanto estavam indo para o quarto, Zorgnatron começa a acordar.

— Humm… huh…cofcof heh, tem cinco pessoas na casa além de mim. — Disse Zorg enquanto sorria, ainda de olhos fechados ele podia sentir a presença de todos em seu redor.

— Hahaha, fabuloso! Então você realmente despertou sua habilidade e agora consegue manipular o Shakti? — Disse Agláxis enquanto socava o ombro de seu irmão.

— É, temos de conversar. Já pode me pôr no chão mãe, eu estou bem, você tratou de mim não foi? — Perguntou Zorg enquanto descia dos braços de sua mãe.

— É claro, eu não seria um membro da Ária sagrada se não pudesse curar um simples ferimento de treinamento do meu filho. — Disse Zafiryel enquanto ajeitava os cabelos de Zorgnatron.

— Seu poder de cura é muito bom, todo o meu cansaço foi embora. Nem dor eu sinto mais. — Disse Zorg enquanto abraçava sua mãe a agradecendo.

— Filho, como que isso aconteceu? Você vai nos contar? — Perguntou Azemir.

— Sim eu vou, mas não aqui. Vamos para a sala de reuniões da família. — Disse Zorg com uma expressão muito séria.

A sala de reuniões da família Leão Azure, era um local muito importante e extremamente seguro, localizada no subsolo, é repleta de sistemas de segurança com armadilhas, runas e inscrições. Era um lugar usado apenas para tratar de assuntos particulares e de extrema importância, cada um dos elderes deveriam ter um compartimento desses em sua casa, essa era uma regra. Para que seu filho solicitasse entrar na sala, Azemir sabia que algo grande estava envolvido, afinal de contas, ele era a primeira pessoa na história a ter um despertar aos 16 anos de idade, se algo aconteceu, com certeza não seria um assunto qualquer.

— Entendo, esposa faça a nossa conexão. — Disse Azemir.

— Sim. — Respondeu Zafiryel.

Imediatamente quatro argolas de luz apareceram em volta do corpo de cada um, essas argolas ligavam cada pessoa uma a outra tendo Azemir como o principal. Essa é uma técnica muito útil no campo de batalha, permitindo que várias pessoas fossem transportadas ao mesmo tempo por uma pessoa só, sem coloca-as uma em cima da outra.

Assim que a conexão foi feita, os olhos de Azemir emitiram uma luz dourada e todos se moveram a uma velocidade absurda. Em menos de dez segundos, todos já estavam na sala de reuniões da família.

— Pode falar agora filho, estamos seguros aqui. — Disse Azemir enquanto trancava as portas.

— Não pai, ainda não.

— Mãe, você pode fazer barreiras não pode? Elas também são aprova de som?

— Zorg, tem certeza que precisa de tudo isso? Você não está exagerando? Com o pai e a mãe aqui e ainda neste lugar, quem poderia fazer alguma coisa? Do que você está com tanto medo afinal? — Disse Agláxis, ele estava começando a se preocupar.

— Se eu estou exagerando eu não sei, mas é justamente por não saber que eu prefiro tomar todas essas medias.

Sem dizer nada, Zafiryel começou a fazer duas barreiras, uma para impedir que alguém entrasse ou saísse e outra impedindo que o som saísse, mas permitindo que o som entrasse.

— Pronto filho, com esta barreira dupla ninguém entra e ninguém sai, até nós estamos presos aqui, e o som também não sai, ninguém poderá nos ouvir. — Disse Zafiryel enquanto fazia sinais para que todos se assentassem a mesa.

— Não sei como dizer ou explicar isso, mas eu quero começar fazendo uma pergunta. A partir de qual Domínio é possível fazer uma transmissão de voz? — Disse Zorgnatron ainda ponderando sobre como e o que dizer.

— A transmissão de voz só é possível quando a pessoa atinge o Domínio Celestial. Mas por que a pergunta? Você recebeu alguma? — Perguntou Azemir.

— Acho que vai ser mais fácil eu falar tudo de uma vez, do que ficar fazendo mais perguntas. Só quero que acreditem em mim e depois me digam se o que aconteceu comigo, pode ser feito por alguém no reino celestial ou não. — Disse Zorg enquanto entrelaçava os dedos, expressando seu nervosismo ao falar.

— Filho, é claro que acreditaríamos em você, mais do que qualquer outra coisa, além de ama-lo, nós temos a maior prova possível bem diante dos nossos olhos que é o seu despertar. Diga-nos tudo sem hesitar por favor. — Disse Zafiryel.

— Tudo bem, vou dizer então.

— Basicamente eu vi o futuro, mas não foi bem eu quem viu o futuro. Mas sim um outro alguém que me deu a visão do futuro. Eu pude ver tudo o que aconteceria ontem e hoje pela manhã e tudo aconteceu exatamente como eu vi, com exceção de uma coisa.
Em minha visão hoje pela manhã, eu chegava em casa e assim como aconteceu eu estava só, e ao entrar no quarto de meu irmão, eu via o pergaminho sobre a cômoda, fechava a porta e ia embora. E bem nesse momento em minha visão, tudo ficou escuro e a voz etérea de uma mulher aparecia e desaparecia em minha cabeça, sendo possível entender apenas algumas palavras.

“Sua habilidade… É compreensão… Manipule o Shakti…”

— Foi o que ela disse. De alguma forma essa mulher sabia que eu poderia manipular o Shakti, e até onde deu para entender, minha Habilidade Inata é o poder da Compreensão. E isso é o que mais me assusta, como ela poderia saber da minha habilidade, sendo que nem mesmo eu sabia? — Disse Zorg.

Depois que terminou de contar, todos ficaram em silêncio. Seus pais se entreolhavam, e Agláxis não sabia nem o que dizer, apenas olhava para seu irmão espantado.

Depois de um tempo, seus pais fizeram um sinal com a cabeça um para o outro, e puxando uma grande quantidade de ar lutando para manter a calma, Azemir levanta de sua cadeira e diz:

— Filho…. Você já ouviu falar do maior manipulador de Shakti que já apareceu em nossa história? Um ancião que a mil anos atrás conseguiu atingir o Domínio Transcendente? — Disse Azemir, enquanto estava de frente a uma parede olhando para o vazio.

— Quando eu estava na escola inicial da Cidade Imperial, lembro-me do Elder Susman falar algo a respeito. Mas o que tem ele haver com isso pai? — Disse Zorg

— Ele também viu o futuro.

Comentarios em OSZ: Volume 2 Capítulo 7

Categorias