iLivro

Abissal Fantasma

 

— A História que vou lhes contar agora, é um segredo que vem sendo carregado por nossa família a mais de mil anos, há 1192 anos para ser mais preciso. E quando eu digo família, não estou me referindo a Leão Azure, mas sim a nossa própria linhagem. Nem mesmo o Patriarca tem conhecimento deste segredo, ele é passado especificamente a nossos descendentes diretos. Ou seja, seu avô passou para mim, o pai de seu avô passou para ele, o pai de seu bisavô passou para ele e assim por diante. — Disse Azemir enquanto andava de um lado para o outro na sala com as mãos nas costas.

Vilarejo de Wyzigun, 1192 anos atrás

— Arf…. Arf…. Arf…. Pensei que não ia sair dessa vivo, pelo visto já estão atrás de mim.

— Essa mulher…. As visões que ela me dá estão sempre certas…. Que merda! — Disse um velho enquanto se recostava em uma árvore para tratar de seus ferimentos.

— Não estou a fim de morrer…. Vadia, não podia me mostrar um futuro no qual eu não morreria pelo menos? — Resmungou o velho.

— Humpf, e pensar que seria tão difícil de entrar nesse mundo, mas também, se parar para pensar, tem que ser difícil mesmo. A final de contas, este mundo é um dos doze selos que guardam a entrada para o Mundo Original…. Família Leão Azure, como vou encontra-los? Pior ainda, como vou encontrar esse tal de Kuglan?

— Bom, ela não disse nada sobre ser discreto e eu também não tenho muito tempo. — Disse o velho enquanto voava em linha reta para o céu. Em um instante, estando a vinte mil metros de altura, ele começa a estudar a região.

— Ótimo, pelo que parece, todo o planeta se resume a um único pedaço de terra, o resto é água. Eu diria que está entre 40% de água e 60% de terra, mesmo sendo uma grande quantidade de terra a ser vasculhada, estando tudo em um só lugar, facilita e muito para mim. Vamos ver se tem alguém de valor neste planeta.

Enquanto se concentrava, o velho cruzou as pernas em pleno ar e começou a espalhar os seus sentidos por todo o planeta, caso encontrasse alguém que estivesse pelo menos em seu nível, iria poupa-lo bastante tempo e trabalho.

— Mas…. Que diabos é isso? Você está de brincadeira comigo sua velha maluca? — Esbravejou o velho enquanto olhava para os céus como se estivesse brigando com alguém a cima dele.

— Domínio Espiritual! Os mais fortes estão no Domínio Espiritual, mas que porra é essa?! Como que aquela pessoa poderia vir de um lugar como esse? Que disgrama! Merda, eu quase morri pra quê? Pior ainda, vou ter que morrer hoje por causa de lixos como esses? Arf…Arf…. Eu preciso me acalmar, vou comer um doce. — Disse o velho enquanto pegava alguns doces de seu saco cósmico.

— Posso ter mais de mil anos, mas não importa, doces sempre vão me acalmar, ôoo delicia! — Disse o velho de boca cheia enquanto se empanturrava.

— Burrrp! — Arroto. — Ainda bem que eu conferi antes, se eu fosse fazer o que eu tinha em mente, eu teria matado todo mundo. Ahh. — Suspiro. — Vamos começar, não tem outro jeito mesmo. Se ela me mostrou aqui, então deve ser aqui. — Disse o velho enquanto abria seus braços arqueando-os para cima.

Todo o céu se escureceu, os ventos pararam e tudo ficou no mais puro silêncio. Por onde o velho espalhava a pressão de sua presença, humanos, feras, animais, bactérias, todos os seres vivos sem exceção ficavam imóveis.

— Humpf, já que são todos tão fracos, não terei problemas em entrar em suas mentes.

Dezenas de milhares de raios de luz negra saíram do velho em direção a cada humano do planeta. Todo o processo durou apenas quinze minutos, assim que encontrou quem ele queria, rapidamente o velho apagou os últimos quinze minutos de vida da memória de todos e tudo voltou ao normal.

— Patético, ainda não me conformo com isso, estou me sacrificando em um lugar tão pobre como esse. — Disse o velho enquanto comia mais um doce.

— Heh, uma mentirinha de nada não deve fazer mal a eles. — Pensou o velho enquanto esboçava um sorriso maligno em sua face.

Depois de localizar a região onde vivia a família Leão Azure, em um instante o velho estava sobre o vilarejo. Ele havia decidido mostrar-se a todos deste lugar, quem sabe isso os instigaria a buscar por mais poder.

— O que é aquilo no céu? Não parece uma pessoa? — Disse um mercador ambulante enquanto transitava pelo vilarejo.

— Pelos deuses! Quem é ele? — Exclamou uma mulher que carregava uma criança no colo.

— O Patriarca! Chamem o Patriarca! — Exclamou um dos Elderes.

Rapidamente, o Patriarca juntamente com todos os sete Elderes chegaram ao centro do vilarejo.

— Sênior, há algo em que possamos lhe ajudar? — Disse o Patriarca enquanto se curvava com as mãos postas em direção ao velho.

O Patriarca era um homem muito orgulhoso, porém não era tolo, nunca em sua vida ele havia visto alguém capaz de voar. Juntando isto ao fato de ele não ser capaz de medir seu Shakti, isso só significava que este velho era alguém que ele não poderia se dar ao luxo de importunar.

O velho diminuiu a altura em que flutuava e disse:

— Sim, de fato eu tenho uma mensagem para todos vocês. Mas antes, eu peço que reúnam todos os habitantes de seu vilarejo sem demora.

— Si…Sim, aguarde por um momento, não quer vir a meus aposentos enquanto isso? — Disse o Patriarca.

— Se eu quisesse eu já teria ido! Meu tempo é curto, apenas faça o que eu disse. — Disse o velho enquanto manifestava um pouco de sua pressão e retirava mais um doce de seu saco cósmico.

Pouco tempo depois todos estavam reunidos, a tensão crescia cada vez maior no vilarejo da família Leão Azure, ninguém sabia se aquele velho viera para o bem, ou para o mal, apenas tinham consciência de que não eram páreo para ele.

Assim que avistou Kuglan e sua família o velho começou a falar.

— Muito bem, ouçam todos com muita atenção! — Exclamou o velho.

— Hoje, não apenas todos vocês, mas todas as pessoas deste mundo estão marcadas para morrer…

— Tenha misericórdia mestre!

— Sênior, por favor não nos mate.

— Que mal há entre nós para tamanha crueldade?

Ente gritos e choros, o velho foi interrompido e um grande alvoroço com gritos e lamentos começou a se formar entre a multidão. Todo o corpo do velho tremia de raiva, tentando se acalmar, ele franzia o cenho, fechava os olhos e comia mais um doce de seu saco cósmico. Ele comeu e disse:

— CALEM-SE! Além de fracos, vocês também são idiotas?

A multidão se calou, os mais fortes se ajoelharam enquanto os mais fracos, principalmente as crianças desmaiaram.

— NÃO TOQUEM EM NINGUÉM! — Exclamou o velho.

— Se os mais fracos desmaiaram apenas com essa pressão insignificante de poder, deixe-os. Vocês os mais fortes me ouçam.

— Eu disse que todos estão marcados para morrer, e não que eu mataria vocês, o motivo de eu estar aqui hoje é justamente o contrário, estou aqui para proteger vocês. Mas até quando vocês pretendem continuar sendo fracos e inúteis? Não venham me dizer que vocês pensam que o Domínio Espiritual é o último nível de poder? Eu estou dois níveis inteiros acima disto seus imbecis!

Todos se entristeceram e não tinham mais coragem de olhar para o velho tamanha a sua vergonha. Ao ver a expressão abatida de todos, o velho deu um longo suspiro, comeu mais um doce e de uma forma mais branda ele disse:

— Escutem, vocês não precisam saber de onde eu vim, apenas saibam que mesmo estando dois níveis acima do Domínio Espiritual, ainda existem pessoas e seres mais fortes do que eu, e provavelmente eu morrerei hoje lutando contra um deles para proteger nossa terra.

— Então, não façam minha morte ser em vão, busquem um poder que vocês ainda não conhecem. Os Domínios até a onde estou são:

— Domínio Físico, Domínio da Alma, Domínio Espiritual, Domínio Celestial e Domínio Transcendente. Mas pode-se dizer que o caminho do Shakti não tem fim, existem outros Domínios além desses que para vocês não passarão de um mito tendo em vista que nem mesmo eu os alcancei, por isso não vou ir adiante.

— Logo, um ser tão poderoso quanto eu, estará aqui por perto, todos vocês devem fugir para o mais longe possível. Não recomendo o subsolo, vocês morreriam com os resquícios de nossa batalha, busquem um lugar plano, quanto mais plano melhor.

— AGORA VÃO!

O velho desapareceu, e tão rápido quanto podiam, todos se deslocavam para a mais extensa planície de sua região, todos colocavam o que podiam em seus sacos cósmicos e fugiam. Em meio à confusão, ninguém percebeu que além do velho, Kuglan e sua família também haviam desaparecido.

— Aahhh muito bem, você quer um doce Kuglan? — Disse o velho enquanto se assentava em uma pedra.

— Sê…sênior, como sabe o meu nome? — Disse Kuglan enquanto empurrava sua esposa e seus dois filhos para trás de si.

— E como eu não saberia? Estou aqui por sua causa. Não precisa me temer, estou aqui para o bem de todos, principalmente para o seu e o de sua família. — Disse o velho enquanto aparecia atrás de Kuglan e dava um doce a cada um de seus filhos.

— Sênior eu não entendo, como pode estar aqui por causa de minha família? — Disse Kuglan enquanto se virava, ele estava tão branco quanto papel.

— Logo você entenderá, temos até o nascer do sol para eu lhe contar tudo o que sei. Não quero ser interrompido, logo o Abissal Fantasma estará aqui, então coma esses doces e preste atenção, sua esposa também deve escutar atentamente. — Disse o velho enquanto entregava alguns doces a ela também.

— Eu me chamo Abraziel e venho do mundo de Taszalon, caso vocês não saibam, o universo em que vivemos é extremamente vasto quase sem fim, vocês não são os únicos seres vivos do universo e nem este é o único planeta. O lugar de onde venho é uma dimensão externa localizada na borda de seu universo, um lugar rico em energia espiritual, muito mais do que aqui. Mas isso não vem ao caso agora.

— A pouco mais de um ano eu venho tendo visões do futuro. Essas visões são dadas a mim por uma mulher, eu nunca a vi, e tudo o que eu conheço sobre ela, é a sua voz incomparavelmente profunda e etérea. Ela me mostrou um futuro onde um grande mal se levantaria para destruir e moldar todo o universo conforme suas próprias convicções. Eu não sei bem quem eles são ou quando aparecerão, apenas sei que eles possuem dois grandes objetivos, o primeiro é ressuscitar o Imperador da Luz. Já o segundo, ainda permanece um mistério para mim. Mas é aí onde nossos destinos se cruzam.

— Ela também me mostrou que de sua linhagem nascerá alguém com o Poder Original, esse poder é o único capaz de rivalizar contra o Imperador da Luz. E é por isso que eu estou aqui, neste período de um ano eu arrisquei minha vida para poder lhe entregar estes dois itens, eles devem ser protegidos e entregues para aquele que despertar o Poder Original.

Enquanto terminava de falar, Abraziel retirava de seu saco cósmico duas caixas do tamanho de sua palma. Em sua mão direita estava uma caixa de metal cor de ferrugem, cheio de runas e inscrições antigas, todo polido e brilhante. Em sua mão esquerda estava uma caixa de pedra, totalmente rústica e desgastada.

— Estas duas caixas devem ser guardadas em sua família e devem ser passadas de geração em geração para seus descendentes diretos, em caso de houver mais de um filho, siga seus instintos e escolha bem, o destino cuidará do resto.

Abraziel abre a caixa de sua mão direita e diz:

— Esta é a Esfera do vazio. — Era uma esfera com a mesma coloração que a caixa, ela emitia uma luz fosca e em seu centro continha um símbolo antigo que pulsava constantemente. — Apenas o portador do Poder Original é capaz de revelar 100% de seu potencial. É possível um manipulador de Shakti com um certo grau de habilidade fazer uso dela, mas não passará de meros 5%, se muito 10%. Então levando em conta os riscos que tem dela cair em mãos erradas caso algum membro a esteja usando, eu aconselho a vocês para sempre mantê-la guardada até seu verdadeiro dono aparecer.

— Quanto a esta outra caixa, ela deve ser guardada com a mesma importância que a outra. — Enquanto falava, ele abria a caixa de pedra. — Ela contém este ovo, este ovo…. É um ovo. Eu não sei muito sobre ele, tudo o que eu sei é que ele é mais antigo do que a própria esfera do vazio. — Era um ovo fossilizado, parecia mais uma pedra, mas era um ovo.

— Mas isso não é tudo, também foi mostrado a mim que o portador deste poder, caso aceite seu destino, poderá trilhar dois caminhos diferentes. Existe um caminho em que ele poderá ficar extremamente forte sozinho. Mas também existe um outro caminho em que ele não será tão forte quanto no outro, mas sua força virá daqueles que estão ao seu redor. Não posso influenciar em sua escolha, mas posso dizer que estes caminhos são bem distintos e levam a finais bem diferentes.

— Então cuide para que sua linhagem posterior seja de um caráter tão justo quanto possível, para que ele possa escolher da melhor forma o caminho em que ele deve trilhar.

Continente de Wyzigun, Província Leão Azure, tempos atuais

— Abraziel e Kuglan conversaram por toda noite, ele foi instruído a muitas coisas, dentre elas havia uma recomendação em especial para que nenhum membro de nossa família ocupasse algum lugar de destaque, nós deveríamos permanecer tão invisíveis quanto possível, não podendo almejar o posto de Patriarca ou Imperador até que o portador do Poder Original aparecesse. — Disse Azemir.

— Por fim, estando próximo do nascer do sol e ciente da batalha que estava por vir, Abraziel leva Kuglan e sua família para uma extensa planície bem distante de onde estavam, logo em seguida ele transporta todos da família Leão Azure para o mesmo lugar.

— Há relatos de que pouco tempo depois, todo o céu se estremeceu ficando cheio de rachaduras, logo em seguida uma enorme fenda foi aberta, e um ser jamais visto em nosso mundo se revelou, era um Abissal Fantasma. Um ser tão grande que se unia ao céu, seu corpo era uma mistura de tornados e relâmpagos. Seu poder era incomensurável assim como Abraziel havia descrito. — Disse Azemir enquanto o suor escorria de sua testa e seus batimentos cardíacos aumentavam.

— Os dois tiveram uma batalha feroz, montanhas desmoronaram, enormes ondas invadiam as cidades e crateras e mais crateras foram formadas. Estima-se que no ápice da batalha, mais da metade da população havia morrido. Mas os membros de nossa família além de estarem a uma distância relativamente segura, ainda estavam envoltos por uma magia especial criada por Abraziel que garantia a segurança de todos.

— Por fim, quando suas forças estavam no limite e ele estava visivelmente fraco, nosso antepassado Kuglan relata que Abraziel usou algum tipo de técnica suicida proibida, uma técnica tão poderosa que deu a forma que nosso planeta tem hoje. O planeta que antes era apenas um único pedaço de terra contendo 40% de água e 60% de terra, foi dividido em seis. Hoje, nosso planeta constitui-se de 70% de água e 30% de terra, resumindo-se nos seis continentes que conhecemos hoje, esse foi o resultado dessa enorme batalha. Depois disso, tanto o Abissal Fantasma quanto Abraziel nunca mais foram vistos.

— O local que foi o centro dessa batalha, se tornou uma área extremamente perigosa fluindo uma energia espiritual densa e violenta, inabitável para os humanos, mas um berço fértil para os mais variados tipos de bestas. — Disse Azemir voltando a se assentar junto com os outros.

— Apenas nós sabemos dessa verdade, para todos os outros, tudo o que aconteceu naquele dia não passa de um desastre natural inexplicável que devastou o planeta.

— Esse é o nosso legado, essa é a nossa verdade e muito provavelmente, esse é o seu destino. — Disse Azemir enquanto retirava a caixa de pedra do seu anel de Fissura.

— ELA ESTÁ COM VOCÊ! — Exclamou Agláxis

— Pai, onde está a outra caixa? — Perguntou Zorg, ele estava tenso. Pois lutava dentro de si para manter-se calmo, essa era uma informação que ele não esperava obter.

— Ela está com quem matou seu avô, meu pai.

Comentarios em OSZ: Volume 2 Capítulo 8

Categorias