PTO: Capítulo 114


Capa PTO

Praise the Orc!

Autores: Lee Jungmin
Tradutor: Pyown

Marcha Severa (2)

O dia brilhou. Crockta abriu os olhos. Seu corpo se sentiu revigorado.

“……!”

Então ele bateu nele. Ele também se sentiu revigorado. Ele olhou em volta, incapaz de ver Tiyo e Anor, que dormiam na mesma tenda que ele.

Crockta saiu para fora.

“Wow. Você acabou de acordar dot?”

“Crockta é um dorminhoco.”

Eles fizeram uma grelha e estavam cozinhando uma carne não identificada na fogueira enquanto riam. O sol estava brilhante.

“Por quê…?”

Eles deveriam marchar para a direção do Grande Clã, uma vez que veio a manhã, mas a manhã já havia chegado há muito tempo. Caska avançou com um sorriso.

“Por que você está olhando assim? Eu estava sendo atenciosa com você.”

“Você atrasou isso de propósito?”

“Sim.”

“O Grande Clã …”

“O Grande Chefe está ferido. Ele não vai exagerar por um dia ou dois para que você possa relaxar.”  Ela atrasou deliberadamente a marcha por Crockta.

“Quanto mais rápido nós formos, melhor.”

Ele olhou em volta. Os elfos negros estavam sentados e desfrutando de suas refeições.

O rosto de Crockta ficou duro. “Caska.”

“Por quê? Você está impressionado?”

Crockta percebeu ao vê-la sorrir. Eles não conheciam a guerra. Eles experimentaram combate, mas nunca guerra. Eles não sabiam o quão importante era meio dia. Eles não sabiam que uma hora poderia determinar a derrota ou a vitória em uma guerra.

Foi um pouco difícil e seus corpos poderiam estar cansados, mas eles nunca experimentaram o resultado de atrasar o cronograma por um tempo. Uma faca era suficiente para matar uma pessoa. A guerra foi o processo de varrer as pessoas com grandes armas. A lâmina empunhada nunca os esperaria.

“Você detectou os movimentos do Grande Clã?”

“Os batedores voltarão em breve.”

“Você falou em alcança-lo. Temos de começar. ”

“Crockta.”  Caska suspirou: “Nós não somos as únicas tropas. Mesmo sem nós, há uma força em cada cidade e as cidades estão trabalhando em conjunto. Tente não fazê-lo sozinho.”

Suas palavras não estavam erradas. Mas mesmo assim, os instintos de Crockta diziam que eles deveriam se mover agora.

Ontem à noite, ele viu os olhos vermelhos do Grande Chefe. Não houve compromisso nem piedade neles. Ele nem viu justificação ou ambição. Havia apenas um forte desejo de lutar, luxúria de sangue e agressão extrema. O senso comum não deve ser aplicado a ele.

Crockta falou novamente. “Temos de começar o mais rápido possível.”

Caska assentiu com o olhar decidido de Crockta.

“Está bem, está bem. Mas você deve comer primeiro.”

Apesar de seu mau humor, ela virou Crockta ao redor e incitou-o. Crockta sentiu fome depois de ouvir as palavras de Caska. Ele deveria comer algo como ela disse, então esperar que não seja tarde demais quando começaram a se mover.

A ansiedade que sentiu pode ser apenas a sua superestimação de Calmahart.

 

***

Atrás da tenda, Tiyo e Anor riam enquanto cozinhavam a carne. Crockta aproximou-se deles.

Tiyo ficou alerta. “Esses olhos parecem desejar um pouco de carne dot.

Anor respondeu: “Se você não trabalha, então você não consegue comer.”

“Eu não vou dá-lo ao preguiçoso que dormiu até o meio-dia dot.”

Tiyo sacudiu algumas plantas. “Bem, e sobre isso?”

Então Tiyo agarrou seu corpo e riu, Anor riu junto com ele. Os dois eram bem adaptados um com o outro.

Tiyo disse com um rosto sorridente: “É uma brincadeira dot, uma piada. Agora, pegue isso. Não podemos ser inóspitos para Crockta dot.”

Então pegou um pequeno pedaço de carne. Era tão pequeno que não precisava ser mordido. Tiyo sorriu.

“Dieta de Crockta, dot!”

Então ele olhou para Anor e eles começaram a rir de novo.

“Ahahahat. Que engraçado! Crockta em uma dieta.”

“Estou apenas preocupado com a saúde do meu companheiro dot! Kahahahahat!”

Era como o personagem principal de um filme ser irritado pelos Extras 1 e 2.  Crockta olhou para Tiyo e Anor, por sua vez. Eles ainda estavam rindo enquanto faziam espetos de galhos e mal conseguiram virar a carne.

“Kilkil, ah quente! O galho é um pouco curto dot!”

“Seja cuidadoso. Estamos ficando sem galhos.”

“Há carne, mas nenhuma ferramenta …”

Tiyo riu novamente: “Bem, há um pobre homem lá que nem tem carne dot … Huhuhu.”

“Essa não é uma boa atitude ao tentar consolar alguém. Hihit.”

“Então por que você está rindo dot? Kuk …”

“E quanto a Tiyo? Huhut …”

“O clima é tão bom que eu estou rindo dot! Kuhihihihit!”

“Estou apenas rindo por causa do vento. Hihihihit!”

Crockta fechou os olhos.

Quão triste foi isso? O jovem Anor os seguiu porque confiava no guerreiro Crockta, apenas para ser manchado por um oportunista chamado Tiyo. O homem estranho, que só sabia amaldiçoar, estava agora tentando intimidar ele!

Crockta ergueu sua grande espada, sua longa sombra cobriu suas cabeças. Tiyo e Anor se encolheram.

“Não me diga …”

“Hey, estávamos apenas provocando um pouco … haha ​​…”

Os olhos de Crockta eram afiados como agulhas. Ele gritou e balançou a grande espada sem hesitação.

“……!”

“… Ah!”

A ponta da lâmina se dirigiu para eles. Um pedaço de carne estava em cima dele. Crockta começou a usar Matador de Ogros como uma placa para cozinhar a carne. A obra-prima do Clã Bigorna Dourada pareceu gordurosa, pois a carne não se apegava a ela, deslizando suavemente com cada movimento do pulso de Crockta.

Tiyo e Anor observaram enquanto ele espalhava sal na carne. Ele queria uma quantidade de tempo moderada antes de virar a carne. A superfície era suave e o interior cozido levemente. Os sucos concentrados foram apanhados na carne.

“……!”

Tiyo e Anor olharam para seus galhos. A carne assada foi queimada e algumas folhas se agarraram, tornando-se completamente pouco apetitosa. No entanto, se eles usassem galhos menores, então a madeira continuaria quebrando.

Crockta cortou com a lâmina. O bife perfeito estava brilhando bem na sua frente. Tiyo e Anor assistiram a grelha de Crockta e olharam para sua carne sem perceber que seus próprios cortes estavam queimando.

A mão de Crockta moveu-se lentamente. O bife perfeito estava entrando em sua boca. Os sucos vermelhos fluíam quando ele mordeu. A carne entrando na boca de Crockta não era uma refeição simples, mas uma festa de sabores!

Para Tiyo e Anor, que não haviam desfrutado de comida adequada devido ao longo acampamento, era uma iguaria. O primeiro a descobrir a situação era Tiyo.

“Desculpe, dot …!”

Tiyo curvou-se humildemente.

Crockta olhou para Anor. Anor percebeu isso e sucumbiu às habilidades de Crockta.

“Euh …”  Ele falhou. “Eu quero comer bife …”

Crockta olhou para os dois.

Na esperança de que eles não caíssem novamente a esse caminho do mal, Crockta gritou.

“Digam meu nome.”

“……!”

“Quem sou eu?”

Tiyo e Anor levantaram a cabeça. Crockta estava fazendo um sorriso benevolente para eles, como o rosto de um deus em um mural antigo. Eles murmuraram inexpressivamente como se tivessem percebido alguma coisa, “Crockta …”

“Sim, eu sou Crockta.”

Crockta levantou-se e pegou a carne do lado de Tiyo e Anor. Três grandes peças foram colocadas no Matador de Ogros. A grande espada foi colocada no fogo.

“Um guerreiro muito benevolente.”

Tiyo e Anor se arrependeram do seu comportamento ao verem a carne chiando.

 

***

“Nós realmente chegamos” murmurou Guerreiro Surka.

A marcha severa do grande chefe acabou de terminar. Eles pegaram suas armas enquanto olhavam para a fortaleza distante.

Emeranian. Uma cidade de elfos negros. Era um dos lugares mais prósperos dos arredores do território dos elfos negros. Se eles derrubaram-a, eles poderiam imediatamente ir para cidades-chave como Nameragon e Lorgarch. Além disso, era a árvore do mundo.

No momento em que colocassem fogo, sua vitória seria confirmada. O norte cairia e lançaria a base para a invasão do continente. O Grande Chefe faria todo o norte uma ferramenta para a guerra e destruiria diretamente as áreas abaixo dele.

Como seria o mundo depois da conquista?

Surka tentou soltar esse pensamento.

“Essa é uma cidade de pessoas fracas, lixo, feitos para serem nossos escravos.”

O Grande Chefe levantou da carruagem. Sua voz forte ecoou. O xamã fez um gesto com a mão.

A voz do Grande Chefe ressoou ainda mais: “Tomem esse lugar. Eu permitirei que vocês façam o que quiserem. Façam esse seu lugar. Eu estou dando tudo a vocês.”

Seus olhos estavam vermelhos. Ele olhou em volta para os orcs. Os soldados orcs estavam cansados, mas começaram a sentir-se animados novamente.

Surka também sentiu algo desconhecido queimando em seu peito. Seu coração começou a bater de forma selvagem. Foi o sentimento logo antes do início da batalha. Ele queria sentir o peso do machado na mão e ouvir a arma. Ele sentiu uma sensação de libertação sempre que empunhava o machado. Ele queria cortar a cabeça do inimigo.

Lute e vença. Esses dois pensamentos dominaram sua cabeça.

“A operação é contra aqueles bastardos fracos.”

O grande chefe desceu da carruagem. Ele cambaleou por um momento. Os escravos se encolheram, mas o Grande Chefe não mostrou sinais de preocupação. Ele com calma balançou seu machado. Alguns dos escravos que seguravam o trono da carruagem morreram, o centro de gravidade entrou em colapso e o resto foi esmagado pelo trono.

O Grande Chefe saltou imediatamente. Ele colocou o peso de todo o seu corpo na carruagem. Havia um som de estalo quando os ossos forma quebrados. Os escravos esmagados gritaram. O sangue fluiu de baixo da carruagem.

“Nós podemos obter muitos escravos lá.”  Ele riu, “Eu vou correr e quebrar o portão.”

O Grande Chefe estendeu a mão. Um enorme portão. Era um portão sólido que não entraria em colapso, mesmo quando disparado várias vezes com uma arma de cerco.

“Eu vou empurrá-los para fora.”  Então ele levantou seu machado. “Me sigam. Venham! Essa operação está começando.”

Os orcs levantaram suas armas.

Os guerreiros gritaram: “Vitória do Grande Clã!”

Os soldados orcs gritaram, “Vitória!”

Surka foi varrido pela voz do grande chefe e da atmosfera aqui. Ele gritou junto com os guerreiros: “Morte aos inimigos do Grande Clã!”

Os orcs responderam como haviam esperado, “Morte!”

Foi um sinal. O Grande Chefe começou a correr. Os orcs o seguiram. A marcha severa, obviamente, esgotou seu vigor, mas os orcs avançaram em fúria. Todos correram sem problemas. Havia uma chuva de flechas tentando detê-los, mas não se importaram.

O Grande Chefe. Eles só podiam vê-lo correndo. O gigante correu para a fortaleza.

“Kuaaaaaaaaaaaah!”

O corpo do grande chefe cresceu. Uma aura vermelha o cercou. Era a velocidade de uma besta. O chão tremeu enquanto ele correu para a fortaleza. Seu objetivo era o portão.

Ele levantou o machado no ombro dele. Colidiu com o portão.

Kuaaaaaaang!

Um deles foi quebrado. A poeira subiu. Estava quebrado. Não era o grande chefe, mas o portão.

“Esses lixos! Matem!”

O Grande Chefe gritou quando entrou. Ele balançou o machado. Os corpos cortados dos elfos negros voaram. O Grande Chefe sozinho quebrou a linha de defesa dentro do portão. Como um enxame de formigas, os orcs subiram por dentro.

O massacre começou. Ninguém podia imaginar a explosiva e severa marcha. Além disso, o avanço aterrador.

Um massacre. Naquele dia, Emeranian foi eliminada.

 

***

A notícia sobre a queda de Emeranian foi transmitida para Caska. Toda a unidade ficou atordoada.

“Precisamos ir para Nameragon” ela falou bruscamente.

Crockta não disse nada. Sua cidade natal foi aniquilada. Caska se responsabilizou pela marcha atrasada.

Portanto, as tropas de Caska se voltaram para Nameragon em vez de sua casa. Apenas ontem, eles estavam viajando para casa. Mas agora tudo desapareceu.

Eles deixaram sua cidade natal e caminharam em direção a Nameragon. Ela perdeu tudo, mas suas tropas abaixaram a cabeça e agarraram os ombros uns dos outros porque perderam o mesmo.

Quando as emoções se elevaram, eles baixaram a cabeça e choraram. Eles não podiam parar. Continuaram a caminhar. Eles tentaram suprimir os gritos do coração com dor física.

Foi uma marcha severa.

Comentários