PTO: Capítulo 38


Capa PTO

Praise the Orc!

Autores: Lee Jungmin
Tradutor: Pyown

Verdade (2)

Elsanad inclinou-se para os cidadãos, a voz cheia de sinceridade.

Ela explicou sobre as alegações. Ela queria aumentar o número de instalações nas favelas e contratou aqueles amaldiçoados pelas estrelas a um preço barato para resolver o problema do orçamento. Ela admitiu que havia algum problema enquanto isso.

“Cidadãos, eu só trabalhei para Arnin. Eu acredito que todos os cidadãos aqui conhecem meu coração. Não pensei que eles iriam cometer coisas tão perversas. É minha culpa. Vou me curvar e me desculpar.”

Eles assentiram.

Os elfos que foram libertados de Descongelada Balhae por Ilya foram tocados após o discurso de Elsanad. Como testemunhas dos crimes cometidos, Ilya os trouxe aqui para testemunhar. Mas a eloquência de Elsanad fez com que seus corações tremessem.

O rosto de Ilya endureceu gradualmente, e Crockta estava observando tudo isso.

Elsanad desceu do pódio e abraçou todas as vítimas. Ela prometeu compensá-las pelo dano e enfatizou suas lágrimas com a dor que sofreram. Ela expressou sua forte vontade de procurar minuciosamente os criminosos.

Crockta usou uma habilidade.

 

[Olho da Mente (Especial) foi usado.]

[O nível do alvo é maior do que o lançador. Ele falhou.]

 

Ele usou novamente.

 

[Olho da Mente (Especial) foi usado.]

[O nível do alvo é maior do que o lançador. Ele falhou.]

……

 

Ele usou várias vezes, mas o resultado foi o mesmo. Crockta franziu a testa e concentrou-se.

 

[Olho da Mente (Especial) foi aberto.]

[Você pode sentir emoções boas, mas sinceras.]

 

Então Ilya aproximou-se para gritar para Elsanad. A expressão de Elsanad ficou abalada e ela protestou. À medida que suas emoções cresciam, Crockta conseguiu compreender um pouco do seu coração através do Olho da Mente.

“Como você explica esse livro? Elsanad! Essa é a evidência física!”

“Eu não sei. O conteúdo pode ter sido adulterado. Eu nunca faria isso.”

“Não há nenhum criminoso que admita seus crimes.”

Ilya ergueu o livro alto. “Isso detalha quanto eles venderam os pobres elfos e quanto dinheiro eles deram a prefeita em troca. Cidadãos, não se deixem enganar pela língua habilidosa de Elsanad. Essa mulher é uma demônio que vendeu seus próprios cidadãos.”

Os cidadãos começaram a murmurar novamente.

Crockta usou uma habilidade.

 

[Olho da Mente (Especial) foi usado.]

[O nível do alvo é maior do que o lançador, mas suas emoções frenéticas estão emanando dele.]

[Sentimentos de falsidade podem ser sentidos.]

 

As emoções de Elsanad foram sinceras. Sentimentos de falsidade poderiam ser sentidos por Ilya. Para Crockta, ficou claro qual era a verdade.

“Não consegui salvar todos os elfos que foram vendidos. Não posso deixar essa cidade para uma mulher tão falsa. Cidadãos! Por favor, vejam! Aqui está a prova!”

“Ilya, acalme-se. Todos, ele está espalhando rumores para manchar minha honra.”

“Então traga a prova de que essa evidência é falsa, Elsanad!”

Os cidadãos voltaram a ficar confusos. No final, as duas campanhas não chegaram a uma conclusão.

À medida que a eleição de Arnin se aproximava, ambos eram falados pelos cidadãos. Aqueles que acreditavam em Ilya e aqueles que acreditavam em Elsanad atingiram as ruas. Outros acreditavam que Elsanad não era culpada, mas deveria assumir a responsabilidade por negligenciar esse incidente.

Arnin estava em estado de confusão.

Crockta foi visitar Ilya.

“Ilya.”

“Crockta, alguma coisa aconteceu?”

Ilya estava coçando a cabeça enquanto escrevia, como se algo não estivesse bem. Ele ergueu a cabeça para a aparição de Crockta.

A mansão de Ilya era muito luxuosa. Ele era claramente uma pessoa rica, e parecia que ele estava financiando suas próprias atividades políticas. Era impossível para alguém com uma crise econômica planejar tal coisa.

“Eu tenho que lhe perguntar uma coisa.”

“O que é?”

“Eu direi sem rodeios.”

Crockta fechou a porta. “Você adulterou esse livro de registros?”

A expressão de Ilya mudou. Ele tirou o livro de registros, um livro velho e encadernado, da gaveta embaixo da mesa. Ele abriu o livro, revelando as muitas transações escritas dentro.

“Adulteração … Elsanad disse isso.”

Ilya riu. Ele olhou para Crockta por um momento. Crockta olhou de volta para ele sem qualquer hesitação. Os olhos de Ilya tremiam. Sua expressão era calma, mas sentimentos de irritação e raiva preenchiam seus olhos.

Ilya jogou o livro. Voou e pousou nos pés de Crockta. Então ele disse,

“Se é adulterado ou não.”

Ilya tirou outro livro da gaveta. Parecia exatamente o mesmo que o livro anterior. O mesmo conteúdo também foi escrito dentro. Ilya riu e jogou-a aos pés de Crockta.

“Tem alguma coisa a ver com você?”

“……”

“Você fez um acordo com Derek, assim como eu. Você só precisa fazer sua tarefa. Pare de fazer coisas tão inúteis, Crockta.”

Mais alguns livros semelhantes foram retirados da mesa de Ilya. Ilya riu enquanto olhava para eles. “De qualquer forma, você veio aqui para se vingar do Clã Descongelada Balhae devido ao Orc chamado Lenox.”

A expressão de Crockta mudou ao nome de Lenox ser mencionado.

Ilya continuou: “O aviso de Derek para mim era verdade. Ele disse que os orcs eram justos. Eu disse a ele que eu lidaria com isso.”

“Você me enganou?”

“Não foi engano, mas cooperação adequada. Você não pegou esses caras, graças a mim? Você pode continuar a pegar aqueles que são amaldiçoados pelas estrelas sem mim? Você conseguiria lidar com o trabalho cansativo enquanto usa sua própria vida, sem minha ajuda?”

“……”

“Cada um de nós fizemos o que precisávamos fazer, é isso.”

Ilya levantou-se do seu lugar. Seu rosto lindo, que sempre sorria, distorceu. Isso causou uma palavra que não se adequava aos elfos para aparecer na mente de Crockta.

Feio. Seu verdadeiro rosto era feio.

“Sim, vou lhe contar tudo. Eu vendi os elfos junto com as pessoas de Descongelada Balhae. Tive um acordo com eles.”

“……!”

“E eu fiquei cansado deles. Eu tinha sugado o suficiente deles. Aqueles amaldiçoados pelas estrelas, eles realmente pensaram que eu iria lidar com eles para sempre? Obrigado por sua ajuda.” Ele estendeu os braços e riu. “De qualquer forma, eu me tornarei o próximo prefeito de Arnin. É isso mesmo. Você pode sair em silêncio.”

“Feio.”

“Todos são assim se você cavar profundamente o suficiente. Estou apenas sendo sincero.”

Ilya se aproximou de Crockta. Crockta não se moveu. A forma fraca de um elemental era em torno do corpo de Ilya. A aparência do elemental foi distorcida como Ilya.

“Se você quiser revelar qualquer coisa, faça isso, Guerreiro Orc. Então eu, junto com Derek, não o ajudaremos mais. Eu me pergunto se os cidadãos vão confiar na palavra de um orc. Por que você não se preocupa com sua vingança? Caso contrário, será um desperdício.”

Ilya levantou a mão. A porta atrás de Crockta foi aberta usando poder mágico.

“Crockta, eu gosto muito de você.”

“Eu não gosto de você.”

“Nossas motivações são diferentes, mas somos semelhantes quando se trata de avançar em direção a nosso objetivo. Na verdade, eu realmente gosto da justiça. Não é bom? Justiça e julgamento. No entanto, não quero que eles sejam empurrados para miml.”

Ilya acenou com a mão. “Bem, adeus.”

Foi um comando para sair.

Crockta olhou para o rosto de Ilya. Era um sorriso familiar. Quando ele assentiu e se virou, Crockta pensou em suas próprias ações.

 

***

Alsein entrou na residência de Elsanad. Era linda, mas, ao mesmo tempo, não podia apagar a sensação de desolação.

Tudo estava bem limpo e arrumado. O jardim sempre foi mantido na mesma forma e nunca mudou, mesmo com a passagem das estações. Os jardineiros observavam a paisagem com uma respiração suspensa todos os dias.

Dentro da mansão. Ele encontrou uma empregada elfa. Ela se encolheu e se moveu apressadamente, entrando em uma sala aberta e não saiu até que Alsein passasse. Alsein estava familiarizado com esse lugar, então ele continuou em movimento.

Chegou à sala de estar e viu que as bebidas já estavam preparadas. No entanto, não havia sinais de pessoas que as prepararam. Era como se estivesse sozinho na mansão.

Aqueles que aqueles que trabalharam na mansão de Elsanad nunca foram autorizados a mostrar-se. Eles tiveram que trabalhar para a conveniência de Elsanad de maneiras discretas. Era o mesmo se fossem jardineiros, empregadas domésticas ou cozinheiros.

Obviamente, existiam em algum lugar, mas Alsein não podia vê-los. Era a mansão de Elsanad. Isso ocorreu porque alguém indo e vindo enquanto trabalhava perturbaria a beleza da mansão. Era um padrão perto da perfeição que outros não conseguiam entender.

Elsanad foi quem fez isso acontecer.

Alsein bebeu seu chá. Elsanad não podia ser vista. Ela não estava na mansão agora. De repente, apareceu um rosto familiar.

Elwina.

“Jovem Lady.”

“Alsein, o que aconteceu?”

Ela parecia estar de bom humor. Seu rosto sorridente se parecia com Elsanad. Ela se moveu como se ela tivesse feito algo bem como uma criança que havia recebido um presente de Natal. Era uma visão bonita para qualquer um ver.

Mas o rosto de Alsein se endureceu ao vê-la.

“Jovem Lady.”

“Huh?”

“Possivelmente…”

Alsein largou a xícara de chá. “…Não é nada.”

“Oque? O que foi?”

Alsein tocou o copo com os dedos e perguntou novamente. “Você parece bem. Você fez um novo boneco?”

“Como você sabia?”

“……”

Alsein ergueu-se do seu lugar e se aproximou de Elwina. Seus olhos verdes que se assemelhavam a Elsanad olhavam para Alsein.

“O que eu disse?”  Alsein segurou seu ombro. “Você não deve fazer esse hobby.”

“Por que não posso fazer o que eu quero?”

“A filha da prefeita de Arnin …”

“Você está com raiva agora?”

Elwina fez beicinho. Seus lábios rosados ​​pareciam sujos, e Alsein virou a cabeça como se não pudesse falar mais.

“Eu deveria voltar. Diga a prefeita que venha me encontrar amanhã.”

Elwina sorriu, mas Alsein imediatamente virou o corpo. Ele rapidamente saiu da mansão.

O rosto de Elwina apareceu na cabeça dele. O rosto de Elwina mudou gradualmente para o rosto de Elsanad. Ele balançou sua cabeça. A voz de Ilya gritando na praça entrou em sua cabeça. Alsein tentou se livrar disso novamente. Ele sentiu tonturas e parou no meio da rua.

Olhando ao redor, ele viu uma forma familiar. Não era uma aparência comum em Arnin. A pessoa aproximou-se gradualmente.

“Alsein.”

Era o orc Crockta.

“… Crockta, que coincidência.”

Crockta balançou a cabeça. “Não. Eu estava procurando por você.”

Ele sorriu. O sorriso do orc era estranho, mas Alsein não conseguia pensar que era terrível depois de ter sido informado sobre Crockta por Enyanis. Ele não sabia sobre todos os guerreiros orcs, mas esse era um homem que merecia ser um cidadão honorário.

Crockta perguntou,

“Gostaria de beber alguma coisa?”

Alsein ficou surpreso com a súbita oferta.

“Vamos.”

Uma bebida.

Fazia muito tempo que ele bebia álcool, mas não parecia ser uma ideia tão ruim agora. O rosto de Elwina estava fincado pesadamente em sua cabeça, então ele podia lavar ele com um forte álcool. Ele queria livrar-se dos rostos de Elsanad, Elwina e Ilya que o deixavam doente.

Crockta era um estranho, mas parecia mais confiável do que qualquer outra pessoa que Alsein conhecia. O habitual Alsein nunca teria feito algo assim. Mas agora, ele queria fazê-lo.

Eles entraram em um pequeno bar nas proximidades. Os elfos olharam para Crockta o orc, mas logo voltaram para seus próprios assuntos. As duas pessoas sentaram-se no canto. Os elfos geralmente bebiam vinho de frutas com um teor de álcool bastante elevado.

“Você veio me encontrar?”

“Sim.”  Crockta bebeu o álcool. Os copos de elfos pareciam pequenos para ele. “Deixe-me falar um pouco. Você conhece a razão pela qual eu vim aqui?”

“Bem, eu tenho curiosidade.”

Alsein arrumou seus óculos.

Crockta começou a falar sobre seu passado.

O trabalho de Lenox, o homem que o traiu, o ataque dos humanos e a vingança de Crockta. Crockta contou uma breve história, mas foi o suficiente para mostrar que tipo de orc ele era. Como guerreiro, ele partiu para vingança contra os humanos que mataram seu professor.

À medida que a história continuava, o número de garrafas na frente dos dois aumentava. Alsein não era um bebedor forte. Seus olhos olharam para longe quando ele largou o copo dele. Seus olhos brilharam quando ele começou a balançar e perguntou.

“… Por que você está contando essa história?”

Crockta falou sobre seu passado, o motivo pelo qual ele veio aqui e sobre Ilya. O livro de registros era falso e Ilya era quem tinha feito todas as coisas ruins.

“Então, sua vingança não será desperdiçada?”

Era importante para Crockta se livrar do Clã Descongelada Balhae, mas ele poderia perder essa chance de vingança se ele dissesse a verdade.

“Você já não sabe?”

Crockta riu.

Alsein bebia silenciosamente novamente o álcool. Aquelas palavras. Era uma pergunta que não precisava de uma resposta.

Não havia motivo para mentir. No entanto, a verdade era um pesado fardo para Alsein. O motivo para não revelar a verdade foi devido às pessoas que a esconderam.

Alsein olhou para Crockta.

Um rosto terrível, um corpo musculoso, algumas tatuagens ferozes e uma grande e terrível espada nas costas. Ele era um forte guerreiro. Se Crockta se interessasse por si mesmo, então isso poderia causar efeitos negativos. Mas Alsein não estava preocupado. Pela primeira vez em anos, ele poderia confiar em alguém.

“Crockta.”

“Sim.”

“Você está vivo?”

Crockta riu. Alsein estava profundamente preocupado depois de ouvir Crockta falar sobre a morte de Lenox e seus ensinamentos finais. Então ele se perguntou: ele estava realmente vivo? Ou ele estava simplesmente respirando? Ele não conseguiu responder, então ele queria ouvir a resposta de Crockta.

Crockta abriu a boca, “Claro que estou vivo.”

“Por quê?”

Crockta tomou um gole do álcool e riu. “Estou respirando agora. Kung Kung Kung!”

“Entendo. Huhu.”

“Kulkulkul!”

Crockta e Alsein riram. Os risos pararam e Alsein assentiu. Ele olhou para o pouco de álcool deixado em seu copo e pensou em algo. Alsein olhou para um lugar distante e disse: “Crockta.”

“Sim.”

“Enyanis me perguntou: “Quando Ilya começou as acusações, por que a prefeita fugiu, em vez de responder de imediato?”

“Está certo.”

“Desde que você me disse a verdade, vou lhe dizer a verdade.”

“Huh?”

“Estou bêbado, então ouça atentamente antes de me arrepender.”

“O que…?”

“Naquele tempo, pensei que seria o suficiente.”

Crockta fechou a boca. Alsein afirmou: “Crockta.”

“Sim.”

Alsein bebeu o álcool restante no copo. Ele olhou para Crockta com os olhos que pareciam completamente sóbrios.

“Vá para o porão na casa da prefeita Elsanad.”

Depois de suas palavras, Alsein perdeu a consciência e sua cabeça caiu.

Comentários