Preparativos e Transferência

Depois de fazer horas extras até o último trem, Zenjirou conseguiu chegar em casa com segurança. Entrando em seu apartamento de um quarto, foi direto para o computador e sentou-se diante dele. 

Ele deliberadamente ignorou a exaustão e a sonolência que havia em cada fibra do seu corpo, colocou a lancheira e o chá que comprou na loja de conveniência a caminho de casa, no lado esquerdo da mesa do computador, e checou sua caixa de entrada em busca de novos emails. 

“Uhh… três anos. 1,5 milhões de ienes por apenas três anos.” 

Lendo o email, Zenjirou enterrou a cabeça nas mãos na frente do computador e soltou um gemido de sua boca. 

Ele havia gemido por causa da resposta da empresa que vendia geradores de energia hidrelétrica para uso doméstico.

Resumindo, Zenjirou perguntou sobre três coisas em seu email ontem: “Posso configurar os geradores que vocês vendem sozinho?”, “Posso fazer a manutenção sozinho?” E “E se eu fizer, por quanto tempo vocês podem garantir a funcionalidade? auto-manutenção?” 

A empresa respondeu a isso com “Você não pode. Você precisa de uma licença de eletricista. O responsável pela configuração e manutenção é com o técnico, não com o comprador, por isso pedimos que você deixe a configuração para a nossa empresa”, “ É possível fazer manutenção superficial como remover os seixos dos tanques de água ou limpar musgo quando você ler o manual, mas não podemos garantir nada. Se possível, pedimos que você também nos deixe a manutenção.” E “O tempo de execução garantido é de três anos”, o que quebrou as esperanças de Zenjirou.

Zenjirou tinha antecipado as questões de configuração e manutenção, então o choque foi relativamente baixo, mas a duração garantida de três anos no final deu-lhe um choque imensurável. 

“Três anos, apenas três anos…” 

Zenjirou murmurou com os olhos vazios. 

Ele estava preparado para isso até certo ponto. Para começar, mesmo que existisse um gerador onírico que funcionasse até sua morte sem qualquer manutenção, os importantes aparelhos elétricos – o ar-condicionado ou a geladeira em si tinham uma vida útil limitada.

Sua vida útil foi de cerca de dez anos na melhor das hipóteses. 

De qualquer maneira, nós estaríamos mergulhados no estilo de vida do outro mundo sem qualquer conveniência cultural depois de algum tempo.

Por isso, Zenjirou considerou os aparelhos elétricos que ele traria com ele como uma espécie de “rodinhas de treinamento” para se acostumar com a nova cultura. 

“Meu corpo certamente se aclimatará em dez anos e, se necessário, eu posso pedir a Aura-san para reconstruir meu quarto para ter água escorrendo pelas paredes, como no velho palácio do marajá!” 

Zenjirou tirou a mão do mouse e esticou ambos os braços para cima em direção ao teto. 

Essa informação originou-se da internet também. Nos velhos tempos, quando bens de luxo como as ar-condicionados ainda não existiam, um dos marajás na Índia usou sua enorme fortuna para construir um sistema primitivo, mas grande, onde a água escorria pelas paredes e era drenada para fora através de calhas no chão, para esfriar o lugar.

O princípio era o mesmo que o costume de “aspersão de água” no Japão antigo. A reação endotérmica da evaporação da água baixou a temperatura na sala.

Tal estrutura parecia possível no outro mundo também, mas mesmo que Zenjirou não soubesse nada sobre arquitetura, ele poderia pelo menos imaginar que isso exigiria uma grande soma de dinheiro. 

Aura havia lhe dito que o país acabou de passar por uma longa guerra e ainda estava se recuperando. 

Ela permitiria que ele, um mero garanhão chamado Príncipe Consorte, desperdiçasse uma fortuna e mão-de-obra tão grande durante esse tempo?

De qualquer forma, seria impossível a qualquer momento em breve. Mas dez anos depois, quando o país se estabilizou, certo grau de egoísmo poderia ser permitido. Ou então ele pensou.

“Três anos não são suficientes. O problema é a bateria.”

Zenjirou encarou o computador e pensou. 

As peças consumíveis do gerador de energia hidrelétrica foram o rolamento (da hélice giratória) e a bateria. 

Pensando racionalmente, era óbvio que uma bateria foi incluída em qualquer gerador para garantir uma saída estável. 

A bateria tinha uma vida útil de três anos. Felizmente, até mesmo um novato poderia trocar a bateria com a ajuda do manual, já que era uma peça consumível para começar, mas isso não significava que ele pudesse comprar muitas baterias reserva. 

Claro que o fabricante as vendeu separadamente.

Para começar, um gerador de energia hidrelétrica era difícil de usar nas cidades devido à necessidade de terrenos, de modo que a maioria dos clientes vivia no interior do país, onde a reforma não era facilmente praticável pelo fabricante. 

Devido a isso, era bastante natural comprar uma bateria reserva junto com o gerador para acidentes imprevistos, mas o problema era que uma bateria reserva era no final, apenas uma reserva. 

Uma bateria que não era usada certamente durou mais do que uma que estava em uso 24 horas por dia durante todo o ano, mas mesmo assim, ela não seria tão boa quanto nova depois de três anos com armazenamento não profissional. 

Talvez seja mais fácil entender com um exemplo aproximado: você esperaria que uma bateria funcionasse exatamente como o fabricante garante mesmo depois de cinco ou dez anos?

“Bem, acho que posso ligar por algum tempo se comprar três baterias reserva? Eu de alguma forma quero ter o suficiente por dez anos. O rolamento é bom por dez anos e difícil de mudar, então não precisarei troca-lo. Ah, mas como a maioria dos aparelhos elétricos só 
dura dez anos de qualquer maneira, eu poderia tentar fazer alguns reparos por mim mesmo.”

 Zenjirou não queria abandonar seu plano de levar eletricidade com ele, mesmo que tornou-se inútil depois de alguns anos de conforto no começo. 

Como estudante, ele assistiu muita TV e DVDs, mas depois de se tornar um adulto que trabalhava, ele acabou gravando os shows e não teve tempo de assisti-los, lentamente juntando DVDs com as gravações de seu disco rígido.

Ele também havia visto os resultados da Copa do Mundo na África também e não assistiu a nenhum jogo do seu time favorito da liga júnior ou do Campeonato Europeu de Futebol nos últimos anos. 

Desde que Zenjirou estava no ensino médio, ele gravou e assistiu de duas a três famosas séries da internet por ano. Ele também nunca perdeu um episódio do show do grupo ídolo de uma hora exibido no domingo à noite. No entanto, esses shows gravados também só foram adicionados à sua pilha de DVDs não assistidos depois que ele começou a trabalhar. 

Gastar tempo sem trabalhar, apenas satisfazendo as necessidades básicas e assistindo aos shows gravados. 

Esse era um estilo de vida improdutivo, mas era mais atraente do que qualquer coisa para Zenjirou, já que ele estava cansado do trabalho.

Agora, era tão atraente que ele até ignorou a voz na parte de trás de sua cabeça que perguntou: “Você não vai mais se cansar dessa vida e não saber mais o que fazer com ela mesma?”

“De qualquer maneira, só posso trazer comigo o quanto cabe no tapete e meu dinheiro seria inútil lá. Ok, vamos gastar tudo!” 

Com um espírito renovado, Zenjirou começou a coletar informações sobre os aparelhos elétricos que levaria com ele. 

“Mhm, eu deveria ser capaz de montar o ar condicionado sozinho, se eu me esforçar… Espere, como eu coloco o tubo de ventilação do lado de fora? As paredes do palácio eram de mármore grosso… Para começar, um ar-condicionado normal pode até esfriar aquele quarto alto e grande? Um modelo projetado para 30m² será suficiente…?”

Em um segundo pensamento, havia muitos obstáculos no caminho para uma vida com eletricidade no outro mundo. 

No entanto, Zenjirou mergulhou em sua pesquisa na Internet para prolongar seu futuro mais brilhante em apenas um segundo enquanto lavava o sabor da carne ligeiramente resfriado com o chá da garrafa pet.

* * *

Em dias agitados, o tempo voa. 

Anteriormente, quando ele foi enterrado no trabalho, o tempo pareceu passar num piscar de olhos e Zenjirou se sentiu impaciente e perdido com isso, mas depois de anunciar sua demissão, ele agora aceitou com gratidão. 

Deixando sua casa no início da manhã, ele foi para a empresa enquanto lia mangas no trem lotado. 

Como não havia reuniões matinais em sua companhia, ele registrou seu cartão e dirigiu-se à sua mesa. 

Seu trabalho agora consistia principalmente em coordenar seus projetos com aqueles que assumiriam o cargo depois que ele se demitisse. 

Reescrevendo documentos que ele entendeu por si mesmo até agora, de uma forma que os outros pudessem entendê-los também.

E, por último, informando os parceiros comerciais que ele estava encarregado, sobre a mudança que viria, indo para lá com seu sucessor e abaixando a cabeça, dizendo: “Devido a circunstâncias pessoais, vou me demitir da minha posição. O Sr. XY assumirá a partir de agora, então por favor, trate-o bem como você tem me tratado…” 

Entre essas tarefas, ele escreveu as diretrizes para os recém-chegados. 
Mesmo quando ele trabalhava até pouco antes do último trem, simplesmente não havia tempo suficiente, então Zenjirou depois fazia horas extras pela manhã, mas nunca passava a noite no escritório. Foi tudo para conseguir mais fundos para sua viagem ao outro mundo. 

No caso dele perder o último trem, ele iria dormir em um hotel de negócios perto da empresa, mas ele tinha que pagar a taxa do hotel sozinho por enquanto.

Se ele entregasse o recibo, em nome da empresa, ele devolveria o dinheiro em seu cheque de pagamento no mês seguinte, o que geralmente não era um problema, mas, a partir de agora, era um grande problema.

Afinal, Zenjirou partiria para o outro mundo antes de receber seu último pagamento. Mesmo que as despesas do hotel fossem adicionadas, foi completamente em vão. 

Para evitar isso, Zenjirou trabalhava horas extras até tarde da noite, saindo com o último trem e as horas extras pela manhã, chegando com o primeiro trem.

Por tudo isso, valeu a pena o esforço. 

Fazia três semanas, desde que ele entregou sua carta de demissão ao superior.

A partir de hoje, graças a imersão na prorrogação com apenas um pouco mais de quatro horas de sono em média, Yamai Zenjirou demitiu-se pacificamente e sem problemas da empresa em que trabalhou por três anos.

“Bem, então, chefe, obrigado por tudo. Adeus. ” 

“Sim, fique bem.”

O chefe da seção de meia-idade só respondeu brevemente com isso quando Zenjirou lhe fez uma última visita antes de partir. 

Além disso, depois de se levantar, ele olhou para ele por apenas alguns segundos, depois se sentou novamente e voltou a trabalhar como se nada tivesse acontecido. 

Sua atitude foi além de indiferente e poderia ter feito alguém se sentir odiado, mas Zenjirou sabia o quão estressado era o chefe da seção, então ele simpatizou com ele em vez de ter uma má vontade. 

Assim como em qualquer pequena empresa, o chefe da seção nesta empresa também não era apenas uma posição de “gerenciamento”. Supervisionando o trabalho de seus subordinados e tendo que fazer sua própria parte do trabalho, ele era um membro de pleno direito.

Além disso, ele recebeu um bônus por ser um chefe de seção, mas infelizmente não recebeu horas extras em troca. Normalmente, um chefe de seção era suspeito de ser um chefe “apenas no nome” devido a isso, mas enquanto o chefe desta empresa recebia mais autoridade, ele tinha que fazer a mesma parte de trabalho que seus subordinados, já que era muito trabalho, então ele estava em uma área cinzenta escura, onde uma investigação rigorosa o arrebentaria, mas foi deixado solto. 

Zenjirou, fugindo da carga de trabalho de um empregador médio neste exato momento, abaixou a cabeça para o chefe da seção, que estava preso no pântano sem fundo chamado inferno de horas extras até o pescoço e encarava seu trabalho nobre como se dissesse: minha vida! ”, com seu maior respeito e saiu do lugar.

* * *

Depois que Zenjirou montou seu amado carro híbrido e depois de uma viagem de algumas horas, ele chegou à vila onde ele nasceu. 

“Kuh… Uhh…!” 

Depois de sair do carro, Zenjirou rolou os ombros rígidos para se livrar da rigidez sob o sol poente. 

O espaço para carros que ele alugava mensalmente ficava mais distante do que a loja de conveniência ou o supermercado em que costumava ir, então ele sempre usava sua bicicleta. Devido a isso, uma longa viagem rara como essa era bastante cansativa para ele. 
Zenjirou tomou banho no crepúsculo e olhou para a familiar casa de dois andares, estreitando os olhos um pouco. 

“Nada mudou aqui.” 

Desde que ele havia perdido seus pais no ensino médio, esta casa, onde agora a família de seu tio morava, era a “casa” para Zenjirou. 

“Ok, aqui vou eu.”

Ele se sentiu um pouco nervoso por não estar em casa há anos, então ele propositalmente falou em voz alta para se agarrar e determinar e tocou a campainha.

“Já faz um tempo, Zenjirou-kun. Você parece bem. ”

O tio de Zenjirou – Yamai Tadashi deu as boas-vindas ao filho de seu falecido irmão. Ainda parecia que Zenjirou se lembrava dele: um rosto esbelto com óculos e um sorriso gentil. 

A família do seu tio consistia em quatro pessoas. 

Seu tio, sua tia, sua filha em seu último ano do ensino médio e seu filho em seu último ano do ensino médio. 

A filha frequentava uma escola de ensino médio e morava em uma pensão, de modo que apenas seu tio, a tia e o filho estavam sentados à mesa naquela noite, mas havia cinco cadeiras, não apenas quatro. 

A quinta cadeira pertencia a Zenjirou.

Eles só cuidaram dele por quase um ano, desde o verão em seu segundo ano do ensino médio, onde seus pais morreram, até que ele se mudou para o dormitório de sua escola, mas o casal atencioso sempre mantinha uma cadeira para Zenjirou. mesmo depois. 

“Ok, podemos recuperar o atraso mais tarde, primeiro vamos comer, querido.” 

A tia anunciou o início do jantar assim e trouxe uma panela fumegante da cozinha. 

Ela era a típica “velha senhora trabalhadora do campo”, tanto em aparência quanto em caráter. Zenjirou tentou se levantar para ajudá-la, mas a tia o deteve com “Tudo bem, sente-se” e arrumou a mesa tão rapidamente que não houve tempo para ajudar. Tirando o avental, sentou-se em sua cadeira. 

“Comece por favor, querido.” 

“Sim. Obrigado pela comida.

Alertado por sua esposa, o tio assumiu a liderança. 

“Obrigado pela comida.” 

“Obrigado pela comida.” 

“Obrigado pela comida.” 

A tia, o filho e Zenjirou fizeram o mesmo e a família Yamai começou o jantar.

Seria desnecessário dizer que a conversa desta noite foi toda sobre Zenjirou. 

“Entendo. Você vai para o exterior, Zenjirou-kun.”

“Sim, pretendo partir daqui a dez dias. Desculpe que seja tão súbito.” 

Seu tio disse com a tigela embaçada do vapor da panela, e então Zenjirou engoliu o repolho chinês em conserva, feito à mão por sua tia, e baixou a cabeça, ainda segurando os palitinhos à direita e a tigela de arroz. na mão esquerda. 

O tio mostrou o familiar sorriso gentil na reverência honesta de Zenjirou. 

“Não, está tudo bem. Se é o que você quer. Apenas nunca esqueça que esta é a sua casa também e você é sempre bem-vindo.”

Ele deu a ele um olhar caloroso. 

No entanto, Zenjirou estava indo para outro mundo em vez de no exterior. 

“Ah sim. Obrigado.”

Zenjirou escondeu o fato de que ele não seria capaz de voltar por pelo menos trinta anos, uma vez que ele foi lá e se sentiu culpado pela boa vontade de seu tio. 

Ele meio que forçou uma mudança de assunto, já que ele queria se afastar dessa culpa e temia que ele revelasse a verdade se fosse questionado ainda mais. 

“Ah, certo. Eu não posso dizer exatamente quanto tempo eu vou embora, mas eu definitivamente não voltarei por algum tempo.
Portanto, quero passar o meu carro para você, tio, e deixá-lo com você.”

O tio franziu a testa pela primeira vez esta noite com as palavras do sobrinho. 

“Zenjirou-kun, você não precisa ser tão atencioso para nós.” 

Zenjirou tinha antecipado essa resposta de seu tio carinhoso, então ele colocou seus pauzinhos de lado e apertou a mão exagerada na frente de sua cabeça.

“Não, não é isso. Estou muito preocupado com o que fazer com ele. Eu estarei fora por tanto tempo que não irei apenas perder a próxima inspeção, mas até perder minha licença.”

Ele continuou assim. 

No entanto, o tio atencioso hesitou ainda mais depois de ouvir essas palavras de seu sobrinho. 

“Mhm, entendo. Mas por que você simplesmente não o vende?”

O resultado foi que o tio sugeriu isso como o seu sobrinho se beneficiaria pelo menos um pouco. Seu lado carinhoso não mudou nada. 

Zenjirou assumiu inconscientemente uma expressão sorridente ao testemunhar a boa vontade inalterada de seu tio e explicou melhor. 

“Não, isso não vai funcionar. Vou sair daqui a dez dias, então vou embora antes de encontrar um comprador.”

“Então eu posso lidar com a venda para você e colocar o dinheiro em sua conta. Nos dias de hoje você pode até mesmo retirar dinheiro do exterior, certo? E se isso não for possível, você pode usá-lo quando voltar.”

A boa vontade de seu tio excedeu as expectativas de Zenjirou quando ele se absteve completamente de aceitar o carro. 

Ao ver o cuidado de seu tio, Zenjirou se sentiu realmente sem coração por ter escolhido abandonar tudo aqui e se casar em um outro mundo. 

“Não, não vai ter um bom preço, já que é um carro muito antigo. É mais razoável você usá-lo.”

Empurrado por sua culpa, Zenjirou forçou seu amado carro a se tornar um tio rebelde. 

O tio então falou com um tom diferente de antes, pois notou o zelo de seu sobrinho.

“Mhm, mas você sabe, eu já tenho um carro e um caminhão pequeno.”

Um carro próprio era indispensável para viver no campo. Além disso, para um fazendeiro em tempo integral como seu tio, era normal também ter um pequeno caminhão, que poderia ser dirigido com uma licença comum, para transportar coisas além do carro normal.

Então, pegar outro carro em cima disso não foi uma bênção. 

No entanto, Zenjirou havia antecipado essa resposta também, então ele continuou sua persuasão sem demora. 

“Sim, então o que você diz sobre assiná-lo para você, mas ter Sanae-chan o usa-lo? Ela começará a universidade no próximo ano, certo? Quando ela tem um carro, ela vai visitá-lo com mais frequência.”

Sim, ele levantou o nome da filha de seu tio.

O tio mostrou um sorriso irônico no rosto esbelto pela primeira vez hoje com essas palavras. 

“Você tem um ponto aí. É bastante convincente vindo de você.” 

Seu tom quando ele disse que tinha uma sugestão de culpa. 

Zenjirou só havia respondido indiferente aos telefonemas de seu tio pedindo-lhe para visitar uma vez, quando ele estava na universidade, e não voltou nem uma vez em quatro anos, então ele se sentia envergonhado agora. 

“Eu sinto muito. Mas eu lembro que a primeira escolha de Sanae-chan é uma universidade aqui na prefeitura, certo? Então eu realmente acho que um carro faz a diferença.”

“Entendo. Mas dirigir pode ser perigoso.”

O tio ainda não estava convencido por Zenjirou. Enquanto isso, alguém falou, que ficou em silêncio até agora, enquanto bicando a tigela. Era o filho do tio.

“Ei, você está dizendo que a mana vai usar o carro de Zen-nii? Eu me pergunto se ela vai me levar até Iida quando eu pedir a ela.”

O tio sorriu gentilmente para o filho, que já estava espantando os olhos da conversa agora, e repreendeu-o com um olhar não tão assustador. 

“Olhe, Yuusaku. Ainda não está decidido, fique fora disso. De qualquer maneira, ainda será um ano antes de Sanae obter sua licença e você estará na pensão da escola até então.”

O enérgico aluno do 9º ano não se esquivou das palavras de seu pai. 

“Mas, mas, durante as férias de verão, a mana e eu vamos para casa, certo? Posso pedir a ela então?”

Ele colocou seu desejo, assumindo que o amado carro de Zenjirou já pertencia a Sanae – a filha do tio.

A maioria dos caras odiaria ter sua irmã mais velha levando-os para a cidade para sair quando eles chegassem à escola, mas a julgar pelas palavras de Yuusaku, os irmãos se davam muito bem até agora. 

Ao vislumbrar a situação familiar harmônica, Zenjirou mostrou um sorriso sincero, tomou um gole do chá que sua tia serviu para ele depois do jantar e chamou seu primo de dez anos mais novo. 

“Bem, enquanto Sanae-chan concordar, não vejo nenhum problema. Tente perguntar quando ela voltar.”

“Sim, vou tentar por email. Obrigado pela comida!”

“Ah, hey, espere!” 

Sem tempo para o tio pará-lo, Yuusaku rapidamente lavou a própria louça, levou-a para a cozinha e subiu para o segundo andar com passos de tamborilar.
Ele provavelmente iria mandar uma carta para sua irmã de uma só vez. 

“Yuusaku!” 

O tio não pôde detê-lo e se levantou no meio do jantar. Então Zenjirou, sentando-se em frente a ele, gritou para ele. 

“Veja, tio, Yuusaku-kun parece satisfeito também, então o que você diz? Você vai aceitar?”

“ … ” 

Mesmo nesse ponto, o tio ainda hesitou sobre a boa vontade de seu sobrinho e ficou em silêncio com uma expressão preocupada. 

O último empurrão foi dado pela tia, que até então havia observado silenciosamente sua conversa.

“Por que não querido? Zenjirou-kun já é um ótimo adulto. Se você continuar rejeitando seus favores, parece que você ainda está tratando-o como uma criança e isso é apenas rude.”

“Entendo. Sim, ok.”

Seguindo o conselho de sua esposa, o tio finalmente se decidiu e encarou Zenjirou novamente com uma expressão clara. 

“Zenjirou-kun.” 

“Sim?” 

“Permita-me aceitar sua oferta então. Obrigado. Vou dizer a Sanae para cuidar bem dele.” 

“Sim, desculpe-me por ser um carro velho, mas considere minha gratidão por cuidar de mim até agora. Por favor, use-o sem reservas.” 

Zenjirou mostrou a seu tio, que se curvou um pouco do outro lado da mesa, com um sorriso aliviado e também se curvou.

À noite, no mesmo dia. Depois do jantar, Zenjirou foi direto para a cama. 
O quarto de 10m² em estilo japonês não mudou nada desde o verão, no segundo ano do ensino médio até o final de seu terceiro ano. 
Uma mesa de estudos no canto da sala. Um velho rádio-toca-fitas em cima da cômoda que só tocava CDs. 
O colchão que ele colocou depois de tirá-lo do armário mais cedo, ainda era o mesmo também.

“Eu acho que este será sempre o meu quarto…” 

Zenjirou sentou-se de pernas cruzadas no colchão em seu pijama azul claro com as luzes acesas e falou para si mesmo enquanto mexia no celular.

A família de seu tio cuidou dele do ensino médio à universidade e ele os amava por isso, mas dentro de sua cabeça ainda havia “parentes” em vez de “família”.

“Parentes” tão próximos quanto uma família. No entanto, o tio pode ver de forma diferente. 

“Eu acho que tenho que pagá-los pelo menos um pouco…” 

Zenjirou abriu as pernas e deitou-se no colchão. 

Eles haviam mantido o quarto de um adulto que já saiu de casa, em ordem, para poder voltar a qualquer momento. A situação da habitação no interior certamente permitia isso, mas era inegável que esse era um exemplo perfeito da boa vontade da família de seu tio em relação a ele. 

“Fuh…” 

Olhando para a luz fluorescente redonda que iluminava o quarto, ele suspirou.

Assim que ele suspirou, um leve cheiro de repelente de insetos do colchão provocou seu nariz. Era inapropriado, mas Zenjirou se sentiu um pouco aliviado. 

Porque o seu próprio cheiro desapareceu completamente do colchão e dava a impressão de que aquilo não era mais um lugar para ele voltar. 

“Bem, de qualquer forma, estou me despedindo deste mundo em dez dias …” 

Zenjirou deitou-se de pijama no seu colchão, abriu seu celular dobrável e confirmou a data de hoje.

Quando ele deixou seu apartamento, ele emitiu o desligamento de sua linha telefônica, gás, eletricidade e água, mas acabou com seu contrato de telefone celular para o final deste mês. A fatura do celular dele foi baixada da conta bancária e a conta receberia o pagamento desse mês depois que Zenjirou saísse, para que não houvesse problemas com o pagamento. 

Então ele decidiu manter esse celular conveniente, que poderia ser usado em qualquer lugar, operável até o último minuto antes de ir para o outro mundo. 

“É tarde demais para se arrepender de qualquer maneira agora…”

Ele já tinha dado a Aura o seu direito de invoca-lo em dez dias. Mesmo se ele vacilasse agora, não havia como deixar Aura saber sobre sua mudança de opinião. Sua transferência para o outro mundo em dez dias já era um fato estabelecido.

“E Aura-san disse que era realmente uma exceção poder me mandar de um lado para o outro em tão pouco tempo.” 

Quando Zenjirou foi invocado para o outro mundo em dez dias, a próxima chance de retorná-lo a este mundo novamente viria em trinta anos. 

Trinta anos foi um longo período. De fato, ele precisava estar pronto para ser enterrado no outro mundo.

“Eu estou pronto para isso… ou pelo menos eu acho que sim.” 

Zenjirou colocou o celular ao lado do travesseiro e pegou a caixa retangular do tamanho da palma da mão coberta com um pano de veludo azul que estava ao lado dela. 

Dentro da caixa havia um par de anéis. 

O amplo anel amarelo-dourado tinha três diamantes transparentes encaixados um ao lado do outro.

Como os diamantes não se destacavam do anel, faltava-lhe uma aparência extravagante, mas o padrão geométrico detalhado gravado e o brilho dos três diamantes davam-lhe um charme suficiente. 

“Aura-san…” 

Em face do anel, Zenjirou recordou o rosto da Rainha que esperou no outro mundo. 

Com isso, seus sentimentos persistentes por esse mundo, que atingiram o auge desde que ele encontrou a família de seu tio novamente, enfraqueceram gradualmente. 

“Acho que eles chamam isso de amor à primeira vista.” 

Ele ainda tinha algumas restrições, mas resolveria as coisas um pouco. Levantando apenas a parte superior do corpo em cima do colchão, ele puxou a corda na lâmpada fluorescente e desligou a luz.

* * *

No dia seguinte, Zenjirou acordou de manhã cedo e felizmente comeu o café da manhã que sua tia preparou para ele. Então ele foi até a cabana esfarrapada nas montanhas, a cerca de trinta minutos da aldeia. 
Ele parou seu carro na trilha acidentada da montanha, que estava cheia de ervas, exceto na trilha. Olhando para a cabana esfarrapada, ele inadvertidamente vazou uma voz. 

“Uwah! Não estou aqui desde a escola primária, mas acho que se transformou nisso …!”

A cabana, que mal resistia a chuva e vento, e a área ao redor pertencia a Zenjirou.

Quando ele se formou na universidade e encontrou um emprego na capital, ele meio que empurrou a casa e os campos que herdou de seus pais para o tio, que os tinha administrado como seu guardião até agora, mas seu tio não quis aceitar esta cabana e as terras ao redor dela.

Aparentemente, a antiga cabana esfarrapada foi o ponto de partida da família Yamai.

Dito isto, a cabana na frente dele atualmente tinha um telhado de zinco, então a cabana em si deve ter sido reconstruída depois dos anos 90. De qualquer forma, isso não mudou o fato de que era uma cabana esfarrapada. 

“Quando eu ouvi sobre essa história, eu me perguntava se meus ancestrais talvez tivessem sido expulsos da vila, mas se Aura-san disse a verdade, então pode ser realmente possível.”

Zenjirou olhou para a cabana esfarrapada iluminada pelo sol da manhã e resmungou profundamente comovido. 

Se a história de Aura era verdadeira, então os ancestrais de Zenjirou e da família Yamai eram um casal de amantes do outro mundo, que fugiu para cá há 150 anos.

Dois estrangeiros com aparências mistas de latim e sul da Ásia devem ter se destacado de maneira ruim durante o final do período Edo. 

Era mais do que possível que eles andassem por um caminho espinhoso, mesmo depois de fugirem para este mundo, até encontrarem paz nesta cabana esfarrapada. 

“Bem, vendo que a aldeia não tem uma tradição única sobre isso, eles também poderiam ter se misturado facilmente.”

Zenjirou terminou sua imaginação sombria com uma perspectiva positiva. Se seus ancestrais fossem realmente evitados, ele teria pelo menos ouvido uma fração disso, mesmo que tenha acontecido em uma pequena parte do campo há 150 anos. No entanto, Zenjirou não ouviu uma única palavra sobre isso. 

Como ele havia acabado de dizer, era perfeitamente imaginável que eles se adaptassem à aldeia de maneira surpreendentemente fácil. 

Enquanto tais pensamentos cruzavam sua mente, o som pesado de um motor a diesel podia ser ouvido da estrada acidentada coberta de ervas daninhas. 

“Oh, aqui vêm eles.” 

Zenjirou viu o caminhão do fabricante aparecendo entre as árvores, rapidamente entrou em seu carro e moveu-se para dar espaço para o caminhão estacionar.

Depois de alguns minutos, três homens de macacão cinza saíram do caminhão estacionado em frente à cabana. 

“Por favor, desculpe nossa demora. Nós somos da Technotec. Eu suponho que você é ‘Yamai-sama’, que comprou o micro gerador hidrelétrico e pediu a sua montagem?”

O aparentemente mais velho dos três, um homem de meia-idade chamou Zenjirou, que estava na frente da cabana, assim. 

“Sim, eu sou Yamai. Obrigado por vir hoje.”

O homem de meia-idade devolveu um sorriso às palavras de Zenjirou. 

“Sim. Da mesma forma, obrigado por nos escolher. Nós já terminamos de tomar o lugar há alguns dias, para que possamos começar com a configuração de uma só vez.
Apenas no caso, gostaria de confirmar seu pedido novamente.
Você quer que o gerador seja instalado no pequeno rio ali, para eletricidade no prédio atrás de você. Está correto?” 

“Sim, está correto.”

Zenjirou respondeu afirmando com palavras breves. 

Verdade seja dita, ele queria usar essa energia hidrelétrica no palácio real do outro mundo, mas não havia como responder honestamente ali. 

“É só que eu quero ser capaz de fazer uma manutenção mínima sozinho também se algo acontecer, já que isso é o meio do nada, como você pode ver. Então eu gostaria de perguntar se está tudo bem com você quando eu gravar a construção?” 

Zenjirou colocou seu pedido o mais indiferente possível, e então o homem de meia-idade mostrou um sorriso irônico.

“Mhm ~ eu não me importo com a gravação, mas com a manutenção, huh. Bem, certamente é vantajoso se você souber como limpar o filtro ou o tanque de água, mas é melhor não interferir com o dispositivo em si.”

“Sim, claro. Só o que posso conseguir como amador. “

O técnico de meia-idade se apaixonou pelo engano de Zenjirou. 

“OK. Se for esse o caso, você está livre para gravá-lo.”

“Muito obrigado. Por favor, diga-me se eu entrar em seu caminho.” 

Tendo seu desejo concedido, Zenjirou sorriu para o técnico de meia-idade enquanto dizia isso, então ele retornou ao seu carro para buscar a “câmera de mão” que ele tinha pego emprestado de seu tio.

“Uaah… Isso parece mais complicado do que eu pensava. Para ser honesto, eu poderia ter sido um pouco ingênuo…”

Algumas horas depois, Zenjirou disse estar um pouco exausto depois que ele continuou gravando o trabalho dos técnicos com sua câmera o tempo todo. 

Começaram o trabalho às dez da manhã e não terminaram ainda depois da hora do almoço. 

Se três técnicos profissionais já demoraram tanto tempo, quantos problemas daria a Zenjirou quando tentasse reconstruí-la sozinha no outro mundo?

“Talvez eu tenha sido um pouco precipitado.” 

Era compreensível que ele inadvertidamente se arrependesse de sua escolha. 

O slogan “fácil de configurar apenas conectando a entrada de água e a drenagem” na página inicial aparentemente significa “fácil para profissionais”.

O pequeno gerador de energia hidrelétrica era composto por três grandes partes. 

A primeira parte era o tanque de água, que regulava um volume constante de água e filtrava a areia.

A parte seguinte era o gerador com a roda da água e o imã grande, que produziria a eletricidade. 

A última parte foi o sistema de controle que conseguiu uma saída estável com uma bateria trocável. 

O tanque de água foi posicionado perto do rio a montante, em seguida, uma mangueira grossa para abastecimento foi colocada no rio e deixou o tanque encher com água do rio.

Posteriormente, a parte do gerador foi posicionada em um lugar suficientemente abaixo do tanque de água para permitir que a água caísse.
O tanque de água e o gerador foram conectados através de uma mangueira pequena durável e flexível. Através dela a água, livre de areia e seixos graças ao filtro dentro do tanque, fluía para dentro da roda da água dentro do gerador. 

Depois de girar a roda, a água fluiu através de uma mangueira de drenagem de volta para o rio ao lado. 

O sistema de controle, por outro lado, estava dentro da cabana. 

Perfurando um buraco redondo na parede da cabana e instalando um cabo de energia através dele, o cabo então foi conectado à parte do gerador no rio. Toda a eletricidade produzida pelo gerador foi alimentada à parte do sistema de controle. 

A parte do sistema de controle tinha duas baterias grandes instaladas, o que cobria a flutuação típica na saída do gerador até certo ponto.

Em uma casa normal, o sistema de controle seria instalado para alimentar a eletricidade na unidade de fornecimento de energia interna da casa, mas a cabana esfarrapada não tinha uma coisa tão avançada. 

Portanto, ele ordenou que a parte do sistema de controle fosse equipada com várias tomadas, de modo que os aparelhos elétricos pudessem se abastecer diretamente da peça, por uma taxa adicional. 

Com essas tomadas, aparentemente, era possível fornecer até mesmo uma TV, um computador e uma geladeira sem nenhum problema. 

“Por favor, espere um momento.” 

Com estas palavras, o técnico de meia-idade foi até o caminhão por um momento e voltou com uma velha lâmpada elétrica. Provavelmente para uma verificação final para ver se o gerador funcionou sem falhas. 

“Ok, eu estou ligando!”

Então, o técnico de meia-idade espiou apenas o rosto pela porta aberta da cabana e gritou para os dois subordinados que trabalhavam do lado de fora. 

“Sim, o tanque de água está bem!” 

“Sem problemas com a unidade do gerador!” 

Os dois outros jovens técnicos, que estavam respectivamente executando as verificações finais do tanque de água e do gerador, giraram os braços, sinalizando tudo certo com uma voz alta.

O gerador foi ligado. 

A roda da água girou e produziu eletricidade. Essa eletricidade foi imediatamente alimentada no sistema de controle dentro da cabana.
O som de uma ventoinha girando veio da caixa retangular e a luz no topo à direita do sistema de controle brilhava verde, a prova de que o dispositivo estava funcionando normalmente.

“Ok, hora de testá-lo.” 

Confirmando a luz verde, o técnico de meia-idade colocou a lâmpada no piso de madeira e conectou o cabo ao sistema de controle. Então ele ligou a lâmpada. 

O interior escuro da cabana era iluminado pela luz brilhante da lâmpada. 

“Ohh!” 

“Parece funcionar muito bem.” 

Zenjirou estava admirado e o técnico de meia-idade na frente dele mostrou um sorriso realizado de terminar seu trabalho, enxugando o suor da testa com a toalha em volta do pescoço.

Cerca de uma hora depois. 

“Certo, agora eu peguei o maior obstáculo.” 

Depois que o caminhão com os caras da Technotec saíram, Zenjirou, ficando na cabana sozinho, murmurou isso na frente do novo gerador. 
O cabo de carregamento da câmera de mão com o registro da montagem do gerador foi conectado à saída do gerador.

Vendo como a lâmpada que dizia estar carregando estava brilhando, o gerador operou sem problemas até agora. 
Zenjirou pegou o manual que os técnicos deixaram para trás e navegou pela categoria do sistema de controle.

“Vamos ver, a lâmpada vermelha aqui é para anormalidades e esse valor mostra a saída atual. Com uma saída como essa, parece que posso usar todos os meus aparelhos elétricos do meu apartamento simultaneamente, mas quando eu os trazer para o outro mundo, tenho que remontar tudo do zero e não há garantia de que ele produzirá a mesma saída então.”

O manual também tinha uma lista de voltagem para eletrodomésticos comuns. 

Com isso, ficou evidente a quantidade de eletricidade que um eletrodoméstico precisava para funcionar. 

A produção máxima do seu “micro-gerador hidrelétrico” foi de 1 kW. Um único morador em um apartamento de um quarto poderia facilmente se contentar com essa quantia, mas uma família de quatro ou cinco pessoas poderia normalmente morar em uma única casa com isso também, mas isso era apenas teórico na melhor das hipóteses.

O display indica atualmente uma saída de pouco mais de 600W no máximo. 
Mesmo que conseguisse de alguma forma levar esse gerador para o outro mundo e remonta-lo lá, era improvável que ele obtivesse a mesma saída que a atual, montada por profissionais.

“Isso limita os aparelhos elétricos que eu posso usar regularmente…” 

Zenjirou olhou para o teto e olhou por um tempo. 

“Talvez eu deva trazer os aparelhos que eu armazenei para cá e testá-los para ver quantos funcionam com ele.” 

Ele chegou a tal conclusão. 

De qualquer maneira, já era praticamente certo que ele partiria para o outro mundo daqui, já que o gerador de energia hidrelétrica estava instalado aqui.

No último dia, ele teria que desligar a energia e esvaziar a água, colocando tudo no tapete que recebeu de Aura, mas o gerador em si já pesava 75kg. 

Com um carrinho de mão, Zenjirou podia colocá-lo no carrinho sozinho de um jeito ou de outro, mas em vez de todo esse problema, era muito mais eficiente colocar o tapete mágico dentro da cabana e usar esse lugar como local de partida para o outro. mundo. Levar o gerador do rio para a cabana exigia um pouco de esforço, mas não era nada impossível com um carrinho de mão. 

“Nesse caso, tenho que trazer tudo aqui no último dia de qualquer maneira. Então não vai prejudicá-los até agora.”

Quando ele saiu de seu apartamento, ele alugou um depósito e colocou tudo o que queria levar para o outro mundo, dispondo de todo o resto. 

As únicas coisas que ele trouxe consigo para a casa de seu tio em seu carro foram: um pouco de bagagem de mão, uma muda de roupa, os anéis de casamento e o tapete mágico. 

E quando ele entrou em contato com o serviço de mudança e teve suas coisas em mãos antes de ser transferido, isso o salvou de uma corrida de última hora. 

Além disso, ele poderia testar quantos eletrodomésticos ele poderia usar simultaneamente com o gerador ou o que ele precisava para uma vida diferente da cidade, o que era divertido por si só.

“Ainda tenho alguns dias de qualquer maneira. Se eu pensar em algo útil, posso comprá-lo na loja do tipo “faça você mesmo” na cidade vizinha com meu carro. Mas eu preciso consultar meus fundos restantes sobre isso…”

Embora fosse chamada vizinha, a cidade mais próxima ficava a duas horas de carro, mas isso ainda era tolerável. 

Na verdade, Zenjirou planejou ajudar seu tio nos campos até ele partir, mas seria apenas por meio dia, seja pela manhã ou pela tarde. 
Mesmo que fosse apenas por alguns dias, não havia como ele, um homem adulto, ficar sentado sem fazer nada quando lhe davam comida e um lugar para ficar, mas também tinha que considerar suas próprias circunstâncias.

“Ok, é melhor fazer a ligação então. Vamos ver … Espera, não há torres de rádio aqui? Uwah, então eu não serei capaz de usar meu celular a menos que eu vá até a rodovia.”

Tendo decidido sobre suas ações futuras, Zenjirou entrou em seu carro híbrido, cuja tinta cinza foi suja pela lama e poeira, para fazer uma chamada para o serviço de mudança e o gerente da sala de armazenamento.

* * *

O tempo para se preparar passou em um instante. 
Faz exatamente um mês desde o dia em que ele fez a promessa com Aura. 
A cabana surrada com o teto de zinco ficava isolada na montanha coberta de orvalho da manhã.

Dentro daquela cabana esfarrapada, Zenjirou sentou-se no meio do tapete mágico e esperou a hora certa. 

Resumindo em uma palavra, ele parecia “ridículo”. 

Agora, ele usava um terno cinza e apoiava uma mochila grande nas costas como uma usada apenas para alpinismo profissional. 
Isso por si só já o deixava bastante desconfiado, mas também segurava um estilete na mão direita como uma espada e sustentava a ponta do dedo mindinho na mão esquerda. 
Chamar isso de “suspeito” ainda estava revestindo-o com açúcar.

“A qualquer momento agora? Não, ainda não… Talvez tudo tenha sido apenas um sonho? Não, não, isso não pode ser. Eu tenho o anel e o tapete… Mas eu acho que algo inesperado poderia ter acontecido e eles abandonaram a ideia de me invocar?”

Ele continuava a derramar sangue no carpete periodicamente bicando a ferida em seu dedinho esquerdo com o estilete na mão direita. E agora era impulsionado por uma imensa ansiedade. 

Todos os preparativos para atravessar para o outro mundo já estavam prontos. 

Ele deixou sua empresa, cancelou todos os serviços essenciais, como gás, água, telefone e eletricidade, e saiu de seu apartamento. Apenas seu contrato para o celular ainda era efetivo, mas ele havia tomado medidas para cancelar até o final do mês também.
Para seus parentes de sangue, a família de seu tio, ele contou a mentira:

“Vou ao exterior para uma transferência de emprego”. 

A inscrição em sua certificação de registro foi alterada de volta de seu local de trabalho para sua cidade natal também. 

Suas contas bancárias e de correios permaneciam, então seu último cheque de pagamento seria acrescentado no dia 10 no mês que vem, mas o próprio Zenjirou não poderia usar esse dinheiro. Ele não deveria poder. Se ele fosse, seria preocupante. 

Se, no pior dos casos, a invocação não acontecesse, Zenjirou acabaria vagando desabrigado sem nada além de seu gerador de energia hidrelétrica, que era quase inútil no Japão moderno, e uma extensão de cabo longa e ridícula na mão depois de todos os preparativos. 

Para ser honesto, se ele não fosse invocado agora, sua vida estava praticamente arruinada.

“Merda, estou ficando tonto. Eu perdi muito sangue?” 

Zenjirou murmurou isso, pois estava com a impressão de que sua visão ficou escura, mas isso não era possível. A quantidade de sangue que ele perdeu até agora não era nem um décimo de uma amostra de sangue no hospital.

Sua tontura e visão estreita tinham uma origem mental. 

Enquanto já era verão, a temperatura era baixa na montanha, já que ainda era de manhã. 

“… Tão frio.” 

Zenjirou sentiu um arrepio, sem saber se era do frio ou do seu nervosismo. 

“Eu empacotei tudo? O gerador… A parte do tanque de água, a parte do sistema de controle. As mangueiras de suprimento e drenagem. Tudo está lá.”

Na tentativa de distrair-se do tremor, ele checou o importante “micro-gerador de energia hidrelétrica” ​​apontando para cada parte. 

Ontem, ele levou o dia todo e muito esforço para carregá-lo no tapete. 
Zenjirou queria ser elogiado por alguém especialmente pelo esforço de levar a parte do gerador de 75 kg para a cabana sozinho. 

Simplesmente por isso, ele havia comprado um carrinho de mão na loja do tipo “faça você mesmo”, mas sem ele, ele nunca teria feito isso sozinho.
Os técnicos haviam estabilizado a parte do gerador retangular com estacas no terreno montanhoso nivelado. No momento em que ele tirou essas estacas, uma a uma, enquanto procurava não deixar a peça desmoronar, e enfiou o carrinho de mão embaixo dela, a camiseta e a cueca box sob o macacão azul estavam encharcadas.

Mas, graças a esse esforço, o “micro gerador hidrelétrico” completo estava agora em cima do tapete mágico. 

Excluindo a geladeira de cinco portas, era o maior item da bagagem. 

“No final, eu só poderia comprar Aura-san um pouco de álcool além dos anéis, mas isso deveria ser suficiente, eu acho. Ela parecia gostar de álcool. “

No canto do tapete havia garrafas de conhaque, uísque, vinho e saquê alinhados.

Falando de álcool, Zenjirou geralmente só bebia cerveja de baixo teor de malte ou, em casos extremamente raros, um uísque de 1500 ienes, então ele considerava comprar uma garrafa pelo preço de dez a vinte mil ienes loucura, mas para um presente para uma rainha, ele precisava investir pelo menos tanto assim. 

Isso o fez lembrar que o outro mundo só tinha licor de ameixa com baixo teor, então ele havia comprado uma faça você mesmo apressadamente, mas ele ainda não havia testado se poderia fazer licor destilado com ela. 

Bem, seria um bom negócio se ele conseguisse. 

De qualquer forma, ele havia comprado cerveja de baixo teor de malte e um uísque local adequado na caixa, o que deveria durar por um tempo. 

Em seguida, Zenjirou verificou suas roupas atuais. 

“Isso parece bom o suficiente… Bem, mesmo que isso não aconteça, eu não tenho roupas melhores.”

O terno cinza que ele usava no momento eram as roupas mais caras de sua coleção, o melhor terno de alguém, por assim dizer. Afinal, ele estava indo para o seu casamento. Mesmo se as culturas fossem diferentes e sua parceira fosse de um outro mundo, ele teria que se vestir de maneira apropriada à sua maneira.

No começo, ele pensou em pegar um terno branco como o noivo usava durante a recepção, mas seu preço ridículo pôs fim à sua ideia de uma só vez. Ele claramente cruzou o limite de despesas justificáveis ​​para roupas que seriam usadas apenas uma vez. 

Como Zenjirou estava com poucos recursos, ele só podia preparar o traje mais decente de sua coleção. 

E enquanto ele estava verificando seu traje, ele notou que o cinto da mochila nas costas dele enrugava seu terno.

“Uwah, não é bom. Conseguirei ainda consertar isso no outro mundo? Ainda assim, não tenho coragem de deixar isso para trás apenas por causa disso. Eu só tenho que viver com isso.”

Sua mochila estava cheia de roupas, botas robustas, várias baterias AA recarregáveis ​​e um carregador solar para elas. Além disso, havia pão seco, biscoitos de chocolate, barras de chocolate, garrafas pet de água, uma dúzia de isqueiros e facas de ferramentas, uma lanterna LED dínamo e uma manta isolante de calor. Em suma, o conteúdo era uma espécie de “pacote de emergência”.

Quando ele pensou em incidentes imprevistos como ser invocado para o lugar ou horário errado ou se a magia do tapete falhava e apenas seus pertences em seu corpo eram transferidos, ele não tinha vontade de colocar a mochila no tapete, mesmo se enrugasse um pouco as suas roupas.

É claro que o item mais importante, o anel de Aura, estava guardado com segurança no bolso interno de seu terno junto com a caixa.

De repente, Zenjirou coçou para verificar o anel no bolso novamente. 
No entanto, a mão direita ainda estava ocupada com o estilete e o dedo mindinho da mão esquerda estava sangrando até agora. 

Zenjirou pensou em largar o estilete por enquanto e olhar dentro do bolso. Naquele exato momento. 

“Guh… !?”

Uma sensação familiar de embriaguez caiu sobre Zenjirou sentado em cima do tapete. 

Ele imediatamente largou o estilete e colocou as duas mãos no tapete. Então ele ouviu um som de “clank” da direita e no momento seguinte, a voz atraente de uma mulher, que ele não ouvia há um mês, vinha de cima de sua cabeça.

“Eu o recebo, meu futuro marido. Estou feliz que a segunda invocação tenha corrido bem. Agora posso finalmente dizer isso com toda a sinceridade: 
Bem-vindo a este mundo, ao meu país. Estou feliz em vê-lo, meu parceiro ao longo da vida.”

“Aura-san…”

Zenjirou tinha se transferido perfeitamente junto com o tapete e esquecido de se levantar, ele olhou para a rainha, que abriu os braços dando boas-vindas, enquanto ele ainda estava de joelhos como um tolo. 


Comentários