SS:Capitulo-28-Esperança vingativa

Assim eles caminharam pela pradaria, os monstros em seu caminho eram mortos ou domados.

Passaram assim os dias, eles ganharam 3 rufiões que eram grandes bois bem peludos, porém calmos que agora serviam como burro de carga.

Durante o dia eles cavalgavam em seus lobos, e durante noite montavam acampamento e deixavam todos os seus companheiros saírem do armazenamento e sempre começava uma festa, no começo Cael era mais reservado sobre isso, mas depois de tantas noites ele ja estava mais a vontade.

Cael também domou um pelo pássaro que tinha a aparência de um falcão, todo azul chamado falcão lazulita ele o nomeia de El.

Depois de tanto tempo finalmente eles encontraram uma estrada, era bem simples na verdade, nem era uma estrada, era mais um caminho sem grama graças a grande quantidade de pessoas que passam por ela, havia muitas marcas de carroça nessa estrada provando a teoria.

(Cael)- Estamos próximos do destino, então colocarei Lichie, e os outros no armazenamento e só andarei com Gobu e Édipo.

(Lichie)- Entendido mestre.

Cael guarda eles em seu armazenamento e continua pela estrada.

Depois de andar por duas horas cael avista ao longe, pessoas mas com uma aperencia meio estranha.

(Cael)- El, vá lá e veja se há algum perigo.

O Pássaro azul voa e retorna.

(Cael)- Então, ha algum perigo?

O pássaro acena com a cabeça afirmando que sim.

(Cael)- Devem ser bandidos. Vamos rápido podemos ganhar alguma coisa com isso.

////////////////////__/
3 Anos atrás

  “A situação que estou agora como posso dizer e pior que a morte, a ainda não me apresentei, meu nome e níniel eu nasci com um peculiaridade, eu sou o fruto mais raro que existe, uma filha de um elfo da floresta e um elfo negro, pode se achar eles parecidos, mas graças as energias quem passam no corpo das duas raças e “impossível” um meio elfo, e eu sou filha do rei ou melhor eu sou a cria do diabo”.

14 anos atrás o rei dos elfos negros, se encantou por uma escrava e em seu desejos teve uma relação com ela, aquela única noite dos dois juntos teve uma cria, o rei rejeitou “aquilo” como seu filha, e  exilou a mae e filha do reino elfico, a mãe decidiu criar a criança que nasceu com a metade do corpo como elfo negro, e a outra metade como um elfo da floresta.

Se passaram anos e a guerra entre os elfos e os humanos começou, com o fim da guerra o rei queria unir laços e para isso os dois lados iriam fazer um casamento politico, o rei elfo enojado em ter uma das suas filhas entregue aos humanos se lembrou daquela escrava e mandou seus soldados a procurarem.

A menina mestiça já tinha 13 anos, quando sua mãe descobriu que os soldados rondavam a floresta a procura de sua filha elas tentaram fugir, e em meio a fuga um soldado encontrou e matou sua mãe.

Os soldados decidiram levar a cabeça da mãe e a  menina até o rei.

Apesar de ser mestiça a beleza da elfa era incrível até o rei se surpreendeu, e se sentiu satisfeito que ela era um beleza, e os humanos gostariam de coisas raras como uma mestiça, então eles não reclamariam sobre aquilo.

Ao descobrir que seu pai era o rei e ele a abandonou e matou sua mãe, e só a queria para se casar com o príncipe humano ela tentou se matar mas foi impedida.

O rei selou os movimentos dela e assim a  levou para o reino humano com a filha presa em uma carruagem e a cabeça da mãe em uma estaca, como se fosse uma bandeira de vitória. 

(Autor)- Quebrar clichês, pelo menos um pouco.

Durante a viagem eles foram atacados por um grupo de notórios bandidos, que havia avistado duas carruagens com o símbolo real.

Como o rei odiava ter “aquilo” como filha decidiu se separar por uma grande distancia.

Fazendo os bandidos avistarem uma chance de atacar

Ele prepararam e fizeram um ataque relâmpago pois a força de um rei não e algo que possa ser subestimada, os brasões da carruagens eram diferentes então eles preferiram atacar a carruagem que não era a do rei.
Eles esperaram o anoitecer para montar o acampamento para sua sorte havia dois acampamentos separados, o do rei e de outro nobre.

  A batalha começou, os vigias foram mortos sem deixar vestígios, escondendo a sua presença um grupo pequeno de 6 bandidos se esgueirava pelas sombras do acampamento.

Após chegarem com muita cautela na carruagem, eles abriram a porta mas, logo perceberam que havia algo errado ao verem a cena ficaram um pouco surpresos.

Uma elfa com duas colorações de pele, por um instantes eles ficaram maravilhados, porém logo viram um olhar de desespero, a menina parecia que havia visto sua última esperança.
Ao ver essa cena o líder do grupo, viu que seu poder havia sido selado, e um selo bem avançado fora de suas capacidades.

Enquanto isso do lado de fora notou-se que alguns guardas haviam faltando, então o alarme foi soado.

Quando isso aconteceu o grupo instantaneamente pegou a garota e as joias da carruagem.

O combate iria começar em breve se eles não se corressem dali, quando eles estavam prestes a sair uma chuva de flechas começou a cair sobre eles.

Os guardas reais de alto nível começaram a se posicionar, e um incêndio havia começado na floresta, e alguns guardas haviam barrado a saída, eram oito contra seis.

(chefe dos guardas)- Solte essa coisa,  imediatamente, eu lhe matarei rapidamente.

(chefe dos bandidos)- Venha para morte seu merdinha.

Então o combate começa, os bandidos na vantagem por serem mais fortes e experientes, porém a vantagem não durou muito, ficou evidente que a organização dos guardas era melhor, e eles revezavam para não ficarem cansados.

Sob toda essa pressão o lider do grupo tomou uma decisão arriscada.

(lider dos bandidos)- Todos atrás de mim.

(cavaleiros)- Ele esta planejando algo, matem ele agora.

(lider dos bandidos)- Tarde de mais, AURA DE BATALHA, ESPECTRO DE FOGO.

Uma imagem assustadora havia aparecido aterrorizando os cavaleiros. A menina parecia ter escapado durante o combate.

Quando as chamas cessaram deu para ver uma imagem chocante o lider dos cavaleiros estava muito ferido poderem de pé e o líder dos bandidos estava no chão vivo, porém muito enfraquecido.

(Lider dos cavaleiros)- ACEITE SUA MORTE SEU VERME.

O resto dos bandidos estava longe então so conseguiram suplicar por um milagre em silêncio.

Neste instante saindo atrás de uma árvore e ferida a menina, que tinha metade do seu corpo completamente queimado, que parecia ter fugido pegou uma espada e atacou um soldado elfico, surpreendendo os bandidos.

A menina logo desmaiou, os bandidos pegaram ela e o líder ferido do chão e fugiram pela abertura que havia aparecido.

O relatório do que havia acontecido chegou ao rei cerca de alguns minutos do alarme soar.
Enfurecido com o acontecido o rei pareceu rugir de raiva, levantou de seu trono com uma aura aterrorizante e procurou pelos bandidos porém sem sucesso, mas isso seria algo que ele guardaria em seu coração.

Ao acordar, viu que estava em um local escuro e suas feridas haviam sido curadas em boa parte, logo uma enfermeira apareceu e logo saiu correndo.
Sem entender nada ela simplesmente esperou, ela ouviu passos no corredor, com medo e curiosidade para ver oque aconteria a ela.

Ao entrar na sala ela imediatamente reconhece a pessoa a sua frente, era a pessoa que a salvou outro dia, so que sua aparência era bem mais saudável que antes.

  E com uma voz baixa porem seria ele disse:

(lider dos bandidos)- Você tem duas opções, primeira ir embora e viver por sua conta e risco ou ficar aqui e ser criada como minha filha. Então qual sua escolha?

Ela responde imediatamente:

(Níniel)- Pai, me permita ficar aqui e aprender com o senhor.

A assim a garota se juntou ao grupo de mais de 500 homens e fora treinada rigorosamente para aprender a sobreviver.

2 anos depois

Ela não sabia mas o homem que ela chama de pai estava tentando conseguir alguem de confiança para curar ela, após muitas tentativas ele pensou que havia conseguido alguma coisa um alto padre, porém fora enganado e traido pela recompensa em sua cabeça.

Do grande grupo so haviam sobrado 20 pessoas pois o resto foi capturado ou morto.

Ela pensava em salvá-lo, para a surpresa dela a execução ja havia sido marcada e ele morreu sem ao menos dizer seu último desejo.

Apesar de perder sua mãe, queimar metade de seu corpo ela continuava feliz e sempre tinha um sorriso no rosto, mas ela se tornou alguém fria após a morte dele, ela decidiu matar aqueles que destruíram sua vida.

O Problema e que ela precisava matar um papa, e um rei.

E hoje ela estava atacando  uma caravana de escravas elfas negras, mas os guardas que a defendiam eram muito superiores deixando a com problemas, mas de repente um grande ser verde de uns dois metros com duas grandes espadas na mão, começou a exterminar os guardas e flechas negras misteriosas acertavam precisamente a cabeça de cada um dos  inimigos.

Quando estava tentando entender esse massacre ocorrendo, um guarda em meio ao desespero atacou ela, derrubando ela, quando ela ia morrer esse guarda foi dividido em dois cada metade caindo para um lado e uma voz jovem falou com ela.

(Voz)- Que droga sujou minha roupa nova vou ter que fazer uma nova, como se tira manchas vermelhas de algo que ja e vermelho, ei édipo já acabou ai vá ajudar gobu a revistar os corpos, você no chão quer uma ajuda  para levantar?

Um jovem de cabelos e olhos pretos como noite, que tinha uma aura de inocente vestindo um sobretudo vermelho e todo sujo de sangue falou com ela.

(Voz)-ei você esta bem? bateu com a cabeça? meu nome e Cael não tenha medo.

“eu acho que descobri como me vingar”

Um sorriso de gelar o coração aparece sobre a mascara dela.

Titulo
//ganancia//
Adquirido

(Revisado-drakenfelps)

Comentários