Viagem a Capital (Parte 3)

.

.

.

“Calma, calma …”

Com as espadas já desembainhadas…

Sera não conseguiu segurar as rédeas e controlou os cavalos com os seus calcanhares.

Embora houvesse alguma confusão inicial entre os cavalos devido à parada súbita, sua capacidade de se acalmar após as palavras de Sera mostrou quão bem treinados eram esses cavalos.

“É grosseiro, mas a armadilha é feita por alguém com inteligência.”

Apenas alguns centímetros de distância dos cascos havia uma corda estendida.

Estava amarrada às árvores próximas e, como se fosse pretendida ser usada à noite, era pintada de preto.

Felizmente, Sera conseguiu sentir o perigo de antemão e desviou a carruagem habilmente, caso contrário, poderia ter levado a um grande acidente em que a carruagem virasse.

“Que bastardos …”

Ian levantou-se com suas palavras sujas.

“Ian-nim. Cuide da carruagem.”

Depois de acalmar os cavalos, Sera levantou-se e pediu-lhe que tomasse conta da proteção de Riley e Iris.

A carruagem foi parada no meio da floresta.

Embora houvesse um caminho que permitisse que carruagens e pessoas viajassem, para os lados havia arbustos e

árvores cujas folhas flutuavam no frio vento noturno.

“Existe … não a mais nenhuma a armadilha?”

Sera olhou ao redor.

Ela começou a cheirar com o nariz enquanto seus olhos não podiam ver longe na escuridão.

“Não é de humanos. É fraco, mas há o cheiro de um animal.”

Se os humanos são excluídos, não há muitas espécies que possam realizar tal façanha.

Quando Sera começou a diminuir os candidatos prováveis, ela olhou para a corda estendida que estava bloqueando o caminho.

“Devo cortar a corda e continuar?”

A corda estava simplesmente pintada e não parecia muito difícil de cortar.

Seria facilmente dividiu-a em duas, mesmo sem o uso de mana.

“Devo me apressar, antes que os caçadores venham.”

No momento, os culpados não podiam ser vistos.

A decisão foi rápida.

Foi quando Sera estava prestes a descer do banco de motorista.

“… Kilkil!”

Na escuridão, um riso podia ser ouvido, e os punhais cobertos com líquido verde voavam para Sera do ponto cego.

‘Atrás?!’

Sera rapidamente puxou sua espada para trás e girou seu corpo.

O rosto de Sera estava cheio de frustração, percebendo que ela estava um pouco atrasada.

“Kuk, é irritante lutar com um golpe por …”

“… Uah! Coca!!”

Ting!

Uma xícara voou em direção a Sera, e o punhal que voava para as costas de Sera ricocheteou.

‘…começou?’

Como se estivesse tendo um sonho estranho, Riley acordou com um grito e bateu a xícara de chá da mão de Iris.

“R-Riley? O que foi?”

“… Ah.”

Iris não conseguiu ver o punhal antes e olhou para o filho com surpresa.

“Bem … eu só tive um sonho estranho.”

“Phew, você me surpreendeu.”

‘…?’

Do interior da carruagem.

Ian, que estava olhando para as costas de Sera, piscou os olhos repetidamente.

Uma coincidência tão incrível?

Em um momento tão perfeito?

Em um ângulo tão perfeito?

Para que Riley derrubasse a xícara enquanto dormia e atingisse o punhal no meio do ar?

‘Coincidência? É uma coincidência?’

Embora o punhal viesse por trás, Sera, que conseguiu evitá-lo com um milagre, olhou para a carruagem e acenou com a cabeça.

Ela estava planejando ir ao ponto onde o punhal foi jogado originalmente.

“O que …? Parou? Por que nós paramos?”

Sera desceu do assento, e Riley, que acabou de acordar, olhou em volta confundido e perguntou a Ian.

“A verdade é …”

“… Huwap!”

Antes que Ian pudesse explicar, houve um grito depois do grito de guerra de Sera.

A voz rouca não parecia humana, e parecia mais parecida com a de um monstro.

“O que é esse som?”

Riley estava tranquilizando sua mãe que estava preocupada e olhou pela janela para ver o que estava acontecendo.

Quando seus olhos se ajustaram ao escuro, Riley podia ver Sera, que estava lutando contra anões com pele verde.

“Eles são…?”

“Goblins.”

Ian respondeu.

Goblins.

Riley lembrou-se de vê-los em seu livro.

Com uma baixa estatura, olhos de cor âmbar e dentes afiados como os de um tubarão, eram monstros que tinham a inteligência de uma criança de 10 anos.

“Goblins …”

Riley estreitou os olhos, já sabendo antes que eles realmente existiam.

“Então eles estão aqui também … Monstros.”

Para que eles realmente existam, e não apenas nos livros.

Meio curiosidade.

Meio remanescente do seu passado.

Depois de ver sua aparência e seus movimentos, Riley encontrou-os bastante semelhantes aos demônios menores que ele caçou de volta em sua vida anterior.

“Parece que os goblins fizeram uma armadilha com uma corda e esperaram que uma carruagem passasse. E caímos na

armadilha. Felizmente, Sera percebeu ela e salvou a carruagem, e agora estamos lutando agora.”

Quando Riley viu Sera lutar, Ian forneceu uma breve explicação sobre a situação atual.

“Ela está bem … estando sozinha?”

“Com sua habilidade, algumas dezenas de goblins não são nada. Ela poderia lutar contra o mesmo número de orcs.

Seria diferente se fossem ogros.”

“Orcs? Ogros?”

“Bem, não é muito importante nesse momento.”

Mesmo que Sera fosse atingida pelo punhal de antes, não teria sido problema para ela.

Mesmo que houvesse veneno no punhal, era um punhal bruto feito por goblins.

No nível de controle de mana de Sera, ela teria sido capaz de lutar enquanto suprimindo o efeito do veneno usando sua mana.

Seria um pequeno aborrecimento, mas não um problema.

“Há uma chance de que alguns possam vir por trás e ameaçar Jovem Mestre ou Lady Iris. Então eu devo manter minha posição aqui.”

“Hmm.”

“Acredite em Sera. Jovem Mestre ainda pode …”

Ian interrompeu suas palavras.

Ele não sabia quais palavras ele deveria acrescentar.

“… se tornar forte?”

Essas palavras voaram para sua cabeça, mas Ian balançou a cabeça imediatamente.

Ele não queria dizer nenhuma palavra que pudesse decepcionar Riley.

Ian ainda se lembrou do momento em que Riley atingiu o boneco naquele tempo.

“De qualquer forma, nosso trabalho é esperar por Sera. Pode levar vinte … não, cerca de trinta minutos. Eles tendem a

se tornar mais selvagens quando há uma lua cheia.”

Durante a lua cheia, os monstros se tornam um pouco mais fortes.

Riley também se lembrou de ler sobre isso em um livro.

Mas Riley não podia dizer “eu sei disso”.

“…”

Porque ele estava assistindo a maneira como Sera estava lutando.

Com um olhar desconfortável nos olhos dele.

“Riley?”

Iris chamou com atenção o nome do seu filho.

Mas Riley não respondeu novamente.

‘Lenta…’

O rosto de Riley estava passando de desconfortável a agonizante.

Talvez por causa das memórias do seu passado? Assistir a luta de Sera pareceu como se ele estivesse empurrando batatas pela garganta.

“Ela está sendo cuidadosa por causa do escuro? Por que ela é tão lenta?

Sera estava levando algum tempo para matar os goblins.

“Uuh, lenta … é muito lenta.”

Agora não é o momento de ficar aqui.

Em um lugar não tão longe, havia a bebida que tanto ansiava, a chamada cerveja de açúcar negro.

Só quando ele estava prestes a te-la …

Isso o frustrou tanto que ele estava enraizado nesse lugar.

“Isso acabaria muito mais rápido se Ian pudesse se juntar.”

Riley revirou os olhos para o lado e olhou para Ian.

Ian também estava assistindo Sera lutar com um rosto sério.

Pelo motivo que ele mencionou antes, ele ficou para trás para proteger Riley e Iris.

O Riley que Ian conhecia não tinha conhecimento de espadas.

“Mas se eu dissesse a ele para se juntar, as coisas ficariam complicadas.”

Em uma situação em que ele estava desesperado por algumas bebidas espumantes, assistir a luta de Sera foi …

“Droga … Talvez eu devesse ter trazido mais alguns guarda-costas.”

Riley franziu a testa, já que ele trouxe apenas Ian e Sera para evitar aborrecimentos o máximo possível.

“… Devo acabar com isso?”

Embora Riley tenha sido tentado a se mover sozinho, havia algo que o impedisse.

É o segredo que ele estava guardando até agora.

“…Hmm.”

“Se é mãe, não importa.”

Mesmo que ele mostrasse suas habilidades, como ela é inconsciente do caminho da espada, ela simplesmente sorriria orgulhosamente para o filho dela.

O resultado não mudaria, mesmo que ela conhecesse sua esgrima.

Foram Ian e Sera os problemas.

“Se for agora …”

Riley fechou os olhos.

Ian e Sera.

As duas pessoas que o cuidaram há tanto tempo.

Algumas das únicas pessoas em quem ele podia confiar.

Elas também o ajudaram desde seu nascimento.

Quando não ninguém olhando na mansão …

Talvez mostrar alguma habilidade não faria mal?

Riley pensou assim e se levantou, incapaz de segurar sua frustração.

“Uh, Ian.”

“Sim?”

“Vamos dar uma olhada.”

“J-Jovem Mestre?”

“Riley?”

“É bom descansar, mas quando mais podemos ver algo assim?”

Ele decidiu dar uma mão se a situação estivesse realmente ruim.

Escondendo tais intenções, Riley agarrou a mão de sua mãe e desceu da carruagem, com Ian seguindo apressadamente por trás.

Comentários