Apenas Quem…? (Parte 1)

De manhã, no escritório do conde Stein.

 

“Então, Riley tinha usado sua espada?”

“Sim.”

 

Ian relatou para Stein o que tinha acontecido ontem.

Ontem, Riley tinha ido para os campos de treinamento depois de ver sua mãe colapsar.

Ian acrescentou que a atmosfera preguiçosa que normalmente rodeava Riley havia desaparecido por um momento.

 

“Bem, ele tinha usado, mas …”

 

Apesar de ter sido uma boa notícia que a criança preguiçosa exibiu potencial, em certa medida, houve uma peça adicional de informação que possa neutralizar a anterior, com espaço de sobra.

“Ele perdeu o interesse imediatamente.”

“Imediatamente?”

“Presumo que ele estava desapontado com o poder de seu balanço.”

 

Isso significava que sua espada estava além de patética.

 

“Hmm.”

 

Stein que tinha sido batendo em sua mesa assentiu.

 

“Tudo bem. Você pode sair.”

“Mestre, talvez você deva dar -”

“Eu já estou tendo uma dor de cabeça com o rato que se infiltrou na mansão. Eu já tinha imaginado que Riley apenas equivaleria a isso. Não há nenhuma razão para ensinar a esgrima da Casa Iphelleta a alguém que não tem qualquer forma de motivação. Eu tenho certeza que meus antepassados pensariam a mesma coisa. ”

 

Depois de terminar suas palavras, Stein sacudiu a mão para espantar Ian para fora.

Ian se virou para sair com a cabeça abaixada tristemente.

 

 

Riley conseguiu encontrar o ângulo perfeito para se deitar em sua macieira preferida.

Esse era o tipo de ângulo que ele encontrou apenas uma vez por quinzena.

Se ele moveu-se agora, seria perdido para o resto do dia.

Portanto, Riley não iria sair de onde ele estava.

 

“Eu me pergunto se isso vai cair em breve.”

 

Ele havia sido lambendo os lábios enquanto olhava para a maçã que tinha sido pendurada na árvore.

Por um tempo agora, ele estava esperando que ela caísse por conta própria.

 

Talvez pelo vento,

Talvez devido a um verme,

Ou talvez um pássaro iria pousar sobre ela.

 

Ele estava esperando na expectativa de apenas a maçã diretamente acima de sua cabeça cair para ele.

Se ele fosse para ir e pega-la por si mesmo, ele seria forçado a abandonar a sua posição perfeita.

 

“Ha. Jovem Mestre …”

 

Riley, que estava contando o número de folhas em torno da maçã, voltou sua atenção para longe.

As palavras que saíam de trás foram equivalentes a suspiros de desânimo.

Naturalmente, o homem que falou essas palavras foi Ian desanimado.

 

“O que foi? Você parece muito para baixo.”

 

Riley revirou os olhos para olhar para Ian.

 

“…”

“Ah! Eu vejo! Está chovendo hoje? Suas costas e joelhos devem estar doendo.”

 

Ian começou a dar Riley um olhar penetrante.

 

“…”

“Certo?”

 

Riley coçou a cabeça e olhou para o céu.

O céu estava azul, com nenhuma uma nuvem à vista.

 

“Eu estava errado?”

“Jovem Mestre!”

 

Ian de repente gritou para Riley.

 

“Geez, você me surpreendeu …”

 

Riley quase saiu fora de sua posição perfeita.

 

“Será que você realmente desistiu depois disso?”

“Sobre oque?”

 

Riley respondeu como se perguntasse qual era o problema.

Ian continuou falando com as mãos enroladas em punhos.

 

“Vou dar-lhe elogios por encontrar essas sementes para Lady Iris, ela se recuperou consideravelmente graças a elas!”

 

Claro.

Elas não eram sementes normais.

Riley tinha colocado encantos especiais sobre as sementes.

 

“Mas, a desistir depois de apenas um balanço! Isso é … Isso é ….!”

 

As palavras de Ian começaram a vacilar.

Como o primeiro homem a ter visto o potencial de Riley, ele também foi o único a ser mais devastado por sua falta de motivação.

Ele se perguntou se sua vida deu um curto por ver tanto potencial e se esvair. Ou talvez tivesse lhe dado câncer.

 

“Bem, se eu não posso ganhar com uma espada, eu vou tornar-se um mago. Eu gosto de ler de qualquer maneira é melhor.”

 

Pelo menos câncer pode ser curado, com alguma sorte.

Ian gritou em frustração.

 

“O que, você acha que se tornar um mago é …”

 

É tão fácil ?!

Só quando ele estava prestes a perguntar, Riley voltou seu olhar em outro lugar.

Foi dirigido por cima dele, entre as folhas da macieira.

 

“O que você está olhando?”

“Uma maçã.”

“Por quê?”

“Eu pensei que se eu me tornasse um mago, eu poderia pegar essa maçã sem andar …”

“Jovem mestre!!”

“…”

 

Riley fechou a boca.

Oprimido por Ian, Riley murmurou depois de construir sua coragem.

 

“… Seu grito fere meus ouvidos.”

“. Não mude de assunto desta vez, eu certamente vou mudar o seu -”

“Hm? Espere Ian! Olhe, ali! É aquele o brilho de uma lâmina?”

“Do que você está …”

 

Ian disse a si mesmo que iria chamar Lady Iris como reforço se Riley fosse enganando novamente, e então ele olhou para cima.

 

“Hm?”

 

Mas o que era isso?

Assim como Riley havia dito, uma lâmina podia ser vista dentro das folhas.

Não era uma espada longa ou uma espada de dois gumes como as usadas na Casa.

Era um punhal.

Um sem uma bainha.

 

‘Um punhal?

 

Ian estava bastante interessado pelo peculiar cabo roxa que tinha, e saltou em direção a ela.

Como ele caiu sobre os galhos, ele cuidadosamente tirou a arma para fora da árvore.

 

“Parece familiar.”

 

Era um punhal com uma lâmina em forma crescente.

Ian arregalou os olhos por isso.

 

“Espere …isso é…?”

 

A forma da lâmina se encaixava perfeitamente na bainha que estava atualmente no escritório de Stein.

 

“O quê? O que está acontecendo? Mostre-me bem.”

 

Riley não queria se mover, mas ele estava curioso também.

Por isso, ele tomou a opção de dala a Ian.

Ian caiu ao lado de Riley e entregou o punhal para ele.

 

“Acredito que isso pertencia ao morto que encontramos ontem.”

“Huh? Como você sabe?”

“A forma é idêntica à bainha que ele tinha. Devemos ser capazes de descobrir em breve.”

 

Ian tirou a arma das mãos de Riley.

 

“Então eu irei para ver o Mestre Stein.”

“Huh? Tudo bem então.”

 

Riley concordou com a cabeça, como Ian falou com uma cara séria.

Ele teve que saltar para fora todo irritado, e não havia nada que ele estava esquecendo.

 

“…”

 

Como Ian saiu com pressa, Riley começou a tocar a árvore com seus pés.

 

“Bem então.”

 

Riley falava sozinho.

Embora seus olhos ainda pareciam tão preguiçosos como sempre, a atmosfera em torno dele mudou completamente.

 

“Como eles vão reagir?”

 

Riley fechou os olhos e abriu os sentidos longe do outro lado da mansão, mantendo sua própria presença escondida.

 

—-

 

“Número 3 está morto?”

“Sim senhor.”

 

Dentro de um quarto escuro.

A vela suspensa no teto queimava levemente.

Esse foi o esconderijo do qual o homem encapuzado originou-se.

 

“Como ele morreu?”

 

Um homem que estava vestido de maneira diferente dos outros homens encapuzados pediu um relatório.

Como esperado de um assassino experiente, a resposta veio de uma forma seca.

 

“Nós não temos nenhuma ideia.”

 

Isso significaria que a morte do Número 3 não foi um suicídio.

 

“E o corpo?”

 

Ele mordeu os lábios e fez outra pergunta.

 

“Ele está sendo mantido na Casa Iphelleta.”

“Huh.”

 

A situação era ruim.

Isso já havia acontecido na famosa Casa Iphelleta.

Se qualquer evidência foi encontrada a partir do corpo, e não apenas o esconderijo, mas todos em vidas da sala estariam em perigo.

 

“Orelly está em uma posição ruim.”

 

Ele coçou a barba enquanto ele pensou sobre a sua “filha”.

 

“O que você vai fazer?”

 

Como o homem encapuzado perguntou, o homem levantou-se da cadeira.

 

“Eu vou.”

“Diretamente?”

“Bem, nós não devemos ser descobertos. Iremos essa noite. Faça os preparativos para uma missão secreta.”

“Como quiser.”

 

O homem encapuzado curvou-se e desapareceu.

 

“Bem então.”

 

Estando sozinho na sala, o homem pegou uma máscara sobre a mesa, e colocou-a no bolso.

 

“Tem sido um tempo desde a última vez que fiz uma visita ao meu genro.”

Comentários