iLivro

A Sopa Envenenada

“Jovem mestre?”

 

Ian esticou o braço para Riley, que não dizia uma palavra.

Ele achou estranho que Riley não virou para olhar para sua amada mãe, mesmo que ela estava em tal estado.

 

“Onde você está indo? Você deve estabi…”

 

Como um homem que praticava esgrima sob a Casa Iphelleta por toda a sua vida,

Ele podia sentir uma mudança repentina na aura de Riley.

Sua curiosidade aumentou.

Foi um momento semelhante ao momento em que o primeiro e segundo filho da Casa Iphelleta ridicularizaram sua mãe.

Ian pensou que poderia ver o seu potencial mais uma vez.

 

“Ian”.

“Ah, sim?”

 

Tom frio de Riley fez Ian perceber o quão egoísta seus pensamentos estavam.

Não era o momento de tentar ler a atmosfera ou emoções de Riley.

 

“Cuidado da minha mãe.”

 

Depois de dar essa breve ordem, Riley imediatamente saiu da sala de jantar.

Sem sequer olhar para trás para sua mãe.

 

 

Havia uma razão pelo motivo de Riley não olhar apesar de seu amor por ela.

A expressão em seu rosto era tão fria como pedra, cheia de raiva.

Sua mãe pode ser inconsciente, mas Riley não queria mostrar essas emoções na frente dela.

Riley saiu para fora da sala de jantar, disparou pelo corredor e parou.

 

“Oh?”

 

Clack, clack.

Uma mulher de salto alto apareceu a partir do canto e confrontou Riley com um surpreso ‘Oh’.

 

“Riley? É você?”

 

A partir da vaidade em suas roupas, com o rosto branco em pó com maquiagem.

Com apenas um olhar para a sua aparência luxuosa, alguém seria capaz de dizer que ela era alguém de importância na mansão.

 

“Olá.”

 

Riley abriu um grande sorriso para ela com sua raiva queimando por dentro.

A mulher foi a primeira mulher da casa.

Para Riley, ela era outra mãe para ele.

‘Orelly Finn Iphelleta’ era o nome dela.

 

“Eu pensei que você estava jantando com Iris. Você parece estar com pressa. Precisa de alguma coisa de mim?”

 

Orelly inclinou o rosto, com um olhar inocente.

 

“Sim, hum … eu esqueci de cumprimentá-la mais cedo.”

 

Como Riley abaixou a cabeça, ela acenou com a mão, com uma risada.

 

“Oh, não há necessidade.”

 

Riley olhou em seus olhos e viu o desejo ardente dentro deles.

Ardia em seus olhos maldade e má intenção.

Uma pessoa média pode não perceber, mas Riley tinha visto esses olhos em sua vida anterior.

 

“Lady Orelly, posso perguntar. Aonde você foi um pouco antes disso?”

“Hmm?”

“Esse cheiro, não parece ser do seu jantar. Cheira mais parecido com o da cozinha.”

 

Orelly inclinou a cabeça mais uma vez.

 

“Bom nariz que você tem. Sim, eu estava simplesmente curiosa sobre o que o menu era hoje. Eu ainda não comi o jantar, você vê.”

“Haha, isso não parece ser como a sua eu habitual.”

“Hoho, oh você! Eu poderia dizer o mesmo para você Riley. Estou surpresa que você está realmente de pé, em vez de dormir por ai.”

 

Ela olhou para Riley com seus olhos apertados.

Parecia que ela estava olhando para ele.

Seu olhar parecia um pouco no início, mas Riley podia ver o significado oculto nele.

 

“Mova-se, maldito. Saia do caminho.”

 

A frase de que ele conhecia da sua vida anterior que se encaixava com o que estava dizendo.

Era um aviso.

Dizendo-lhe para não tentar nada precipitado e agir como um cadáver, assim como ele sempre fez.

Ela deve ter sido bastante agitada devido às recentes conversas sobre o sucessor.

 

“Oh Mestre Lâmina Preguiçosa, é bom que você está mostrando tais maneiras, mas a sua mãe deve estar ficando preocupada. Você não deve voltar?”

 

Orelly sussurrou para si mesma quando ela se virou de costas para Riley.

 

“Oh, espere, é o contrário? Eu que fiz errado.”

“…”

“Quem se importa, certo?”

 

 

Riley entrou no quarto de sua mãe, e perguntou a Ian, que estava cuidando dela.

 

“Como está a mãe?”

“Ela está bem. Por agora.”

 

Ela tinha feito isso por meio do pior.

Esse pensamento se afundou profundamente no coração de Riley.

Com uma expressão tão séria quanto Riley, Ian colocou a mão no ombro de Riley.

 

“Jovem mestre, eu posso ter uma palavrinha com você?”

 

Ian sussurrou com um rosto sombrio.

Ele foi cuidadoso da possibilidade de que alguém seria escutando.

 

“A verdade é que na sopa …”

 

Riley cortou as palavras de Ian antes que pudesse terminar.

 

“Havia veneno certo?”

“…?!”

 

Ian balançou a cabeça em surpresa com suor frio correndo em suas costas.

Ele queria saber como Riley conseguiu descobrir, mas que não era um assunto importante.

 

“… Sim, o veneno não é forte o suficiente para prejudicar significativamente a uma pessoa normal, mas Lady Iris é um caso especial. Seu corpo já estava fraco por causa da sua condição genética. Deve ter sido uma combinação de ambos, que a levou a desmaiar.“

 

Riley olhou para sua mãe dormindo.

 

“…”

 

Incomodava-o que ele não podia fazer nada, mas ao ver sua mãe cair.

 

“Então, alguém na mansão tentou assassinar Lady Iris. Ela está sendo alvo. Nós já prendemos a empregada que estava no comando do jantar. Ela será interrogada em breve. E …”

 

Ian fixou sua gravata e se curvou para Riley.

A ação mostrava sentimentos de culpa de Ian.

 

“Eu sinto muito. Esse velho não estava ciente disso, até que fosse tarde demais.”

 

Ian cuidou de Riley desde que ele nasceu.

Ele tinha negligenciado o trabalho doméstico, a fim de tentar convencer Riley para treinar esgrima.

O resultado foi o envenenamento de Lady Iris.

Se ele tivesse sido em guarda, não teria acontecido.

Ian estava preparado para a punição.

 

“Ian”.

“Sim.”

“Sobre o sonho que eu tive, naquele mundo estranho.”

“…”

“Há um ditado como este.”

“Sim?”

“Não acorde o leão adormecido.”

 

Riley falou ao abrir e fechar a mão.

 

“Onde está minha espada de madeira?”

“Jovem mestre?”

 

Riley continuou como ele saiu do quarto.

 

“Eu tenho que ir para a sala de treinamento.”

 

Hoje, os olhos de Riley queimavam em silêncio, como ele pensou em sua mãe.

Comentarios em TLS: Capítulo 4

Categorias