iLivro

A Espada

 

 00:17

 

A onda de destruição estaria aqui em dezessete minutos. Todos na cidade já deviam saber disso. Os cavaleiros e aventureiros estavam preparados para a batalha, e os cidadãos estavam trancados em suas casas.

Aparentemente, quando o tempo acabasse os heróis, dentre os quais estava eu, seriam instantaneamente transportados para o local da onda. A mesma magia também afetaria os membros de nossas equipes, então Raphtalia seria transportada comigo.

Escolhi utilizar o Escudo de Metal Cintilante, já que ele possuía o maior nível de defesa até então.

“A onda estará aqui em breve, Raphtalia.”

“Sim! ”

Ela parecia nervosa, eletrizada. Ela assentiu.

Pelo menos ela estava levando isso a sério.

“Sr. Naofumi, você se importa se conversarmos um pouco? ”

“Tudo bem. O que foi? ”

“É só que… Pensar sobre a onda, e todo o resto, faz com que eu me sinta emotiva.”

Onde ela queria chegar? Ela estava com medo da morte ou algo do tipo? É claro que eu teria problemas se ela morresse então eu precisava protegê-la, mas… Ah, talvez eu tenha lido muito manga.

Este lugar não era não era um jogo, nem um livro. Era real.

Além disso, os outros heróis estavam tão bem equipados. Eu não sabia se seria sequer capaz de aguentar toda a destruição com o meu equipamento atual.

Talvez eu me ferisse.

Se eu escapasse com apenas lesões, bem, isso seria algo para se agradecer. Mas eu poderia acabar morto.

Se fosse esse o caso, não tenho dúvidas de que as pessoas deste mundo olhariam para o meu corpo e pensariam:

“Ele teve o que merecia.”

Eu precisava parar de pensar sobre isso. Eu não estava lutando por ninguém além de mim mesmo. Eu estava lutando para ficar vivo por mais um mês.

“Nós conversamos sobre isso antes, lembra? O que aconteceu comigo antes de você me comprar? ”

Ela falava da tenda do negociante de escravos. Aquele lugar era horrível. Resumindo em uma palavra: infernal.

Todos os dias alguém era comprado ou devolvido. Aconteceu com a Raphtalia também.

No inicio, eles provavelmente tinham planejado torná-la uma serva. Ela tinha sido escolhida por uma família rica. Eles provavelmente estavam planejando ensinar-lhe todo tipo de coisas.

E então ela chorava a noite, chorava diante de seus pesadelos. E logo ela era devolvida, simples assim.

Seu próximo dono foi igual. Ele começou a ensinar a ela sobre vários trabalhos diferentes, mas assim que ela começou a chorar ele a vendeu.

O ultimo dono, aquele antes de mim, foi o pior.

Ele a comprou, a espancou com um cajado e a vendeu depois.

Então ela começou a tossir e a se preparar para a morte, imaginando que não estivesse tão distante.

Eu não fiquei surpreso ao descobrir que havia tantos patifes abusivos neste mundo.

Ela disse que, justamente quando ela estava se afundando em sua doença, justamente quando os pesadelos haviam retalhado seu coração, justamente quando ela já não fazia a menor ideia de mais quantas vezes ela seria comprada, foi então que eu apareci.

 

“Eu… Eu me sinto realmente sortuda por ter te conhecido, Sr. Naofumi.”

“…Certo.”

“Porque você me ensinou a viver.”

“…Certo.”

Eu estava tolerando seu discurso considerando-o, pelo menos um pouco, como meu dever.

Porque eu não me importava.

Tudo com o que eu me importava era ficar vivo.

“E você me deu uma chance, uma chance de enfrentar a onda.”

“…Certo.”

“Então eu vou fazer tudo o que eu puder, por você. Eu sou a sua espada, e vou permanecer ao seu lado.”

“Certo… Dê o seu melhor.”

Mais tarde eu percebi como havia sido rude. Mas no momento, isso era tudo do que eu era capaz.

 

 00:01

 

Havia apenas um minuto restante.

Eu me preparei para ser transportado.

 

 00:00

 

Um som descomunal ecoou pelo mundo.

Em um segundo, a paisagem ao meu redor mudou. Suponho que tenhamos sido transportados.

“O céu…”

O céu estava coberto por fissuras, como o casco de uma tartaruga, e estava manchado de um vermelho profundo e terrível.

“Isso é…”

Eu olhei ao redor para tentar entender onde estava quando subitamente vi três sombras. E elas eram seguidas por doze pessoas.

Eram aqueles malditos heróis.

Eles haviam sido transportados assim como eu, então talvez eu não devesse ficar tão surpreso. Mas onde eles estavam indo?

Eu olhei para a direção que eles tomaram e vi grandes grupos de monstros saindo das fissuras no céu.

“Estamos próximos de Riyute! ”

Raphtalia havia descoberto nossa localização.

“Esta é uma cidade agrícola! Há muitas pessoas aqui! ”

“Mas as equipes de evacuação devem…”

Subitamente, eu percebi.

Eles não sabiam onde as ondas iriam ocorrer, então como poderia haver equipes de evacuação?

“Ei vocês, esperem um pouco! ”

Eles me ignoraram e continuaram correndo em direção à fonte da onda.

Eu vi grandes nuvens de monstros escorrendo para fora das rachaduras, como filhotes de aranha, e todos eles começaram a rastejar em direção à cidade.

Naquele momento eu vi os heróis disparando algum tipo de esfera de luz em direção ao céu, mas não faço ideia do que era.

Talvez servisse para que os cavaleiros do reino pudessem nos encontrar.

“Droga! Tudo bem, Raphtalia, vamos para a cidade! ”

O povo de Riyute tinha sido bom conosco.

Se eu permitisse que todos eles morressem na onda, eu não seria capaz de dormir em paz.

“Certo! ”

Nós corremos, mas em uma direção diferente daquela dos outros heróis.

Comentarios em TNY: Volume 1 Capítulo 20

Categorias